Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Seleção Brasileira"

A goleada fácil da Seleção Brasileira

06 de março de 2014 5

A Seleção Brasileira não teve nenhuma dificuldade para golear a África do Sul. A diferença entre os dois times é alarmante. O torcedor sabia disto, tanto que e nem lotou o estádio. O importante foi ver algumas situações que preocupam o treinador Luiz Felipe Scolari.

Ele convocou Rafinha que teve uma atuação normal, mas parece que Felipão não confia integralmente em Daniel Alves e Maicon para a lateral direita. Fernandinho fez um gol maravilhoso e mostrou suas qualidades de marcador. A grande decepção – se é que não era alguma coisa esperada – foi a atuação de Fred. Distante dos gramados faz muito tempo ele está imóvel e pesadão. Mesmo que tenha feito um belo lançamento para Neymar em um dos gols, está muito longe do centroavante que a Seleção para a Copa do Mundo. Mas falta pouco para Brasil ser considerado como pronto para a grande competição.

Empate

O Inter, com apenas Willians de volantes, enfrentou imensas dificuldades na partida contra o São José. Só não perdeu o jogo por detalhes. Conseguiu arrancar um empate em uma boa jogada dos dois centroavantes do grupo, Wellington Paulsita e Rafael Moura.

A cada dia que passa, a falta de um volante de marcação no time preocupa a torcida cada vez mais. A partida contra o Remo, pela Copa do Brasil, é logo ali, na próxima quarta-feira, e todos já temem por um resultado negativo. Abel tem que pensar numa solução com muita rapidez.

Perigo

O jogo da semana que vem, do Grêmio contra o Newell’s Old Boys é muito importante. Ganhando, o Tricolor alcança sua classificação com muita classe. Mas se perder o jogo, com o Nacional de Medellín ganhando do Nacional de Montevidéu, o Grêmio pode se complicar.

Seus dois outros jogos são fora de casa – Newell’s e Nacional de Medellín. Por esta razão é bom o torcedor do Grêmio ir economizando seu dinheirinho para a próxima quinta feira porque o jogo é muito importante e o adversário muito perigoso.

É DEMAAAIIIS!

A cada jogo da Seleção Brasileira se nota uma dependência muito grande de Neymar. Ele participa integralmente da partida. Seus gols, seus passes, suas evoluções, seus dribles, fazem dele um jogador diferenciado. Inegavelmente é o nosso craque.

A Copa do Mundo pode consagrá-lo definitivamente. Só ontem ele foi capaz de fazer três gols. Este guri é demmmmmaaaiiiisssss.

Tricolor pode disparar na tabela se vencer o Nacional

25 de fevereiro de 2014 4

Depois de ganhar fora de casa na primeira rodada, o jogo desta noite ganha importância para o Grêmio. Ganhando, o Tricolor fatura seis pontos e dispara na liderança – e ainda tem um jogo em casa, na sequência, contra o Newell’s. Claro que não será uma tarefa fácil. Mas o fator local pode ser  decisivo.

Enderson Moreira deverá manter o mesmo time que ganhou em Montevidéu. Por razões bem simples. É o time que se deu bem, que está entrosado. Fazer alterações, com jogadores recém-chegados, seria uma temeridade. No decorrer da partida, ele pode pensar em Dudu ou Alán Ruiz. Mesmo que Zé Roberto receba críticas, muitos entendem que ele trava o Grêmio, sua experiência pode ser importante para jogos com o tamanho do desta noite. No restante, é a torcida fazer sua parte.

Colombianos

O Nacional-Col é um time de jogadores de muita velocidade e boa técnica. O futebol colombiano deixou de ser romântico, com aquele joguinho de só atacar e se defender mal. A própria seleção foi a defesa menos vazada nas Eliminatórias da Copa de 2014.

Não será um jogo fácil para o Grêmio. Mas quem quer ganhar uma Libertadores tem que passar por essas dificuldades. O azar que o Grêmio teve no sorteio começa a ser desmanchado com a vitória fora de casa e pode desmoronar mais ainda com vitória esta noite na Arena.

Preferidos

Abel Braga tem seus preferidos no Inter. Entre eles estão Rafael Moura, que até agora deu boa resposta, e Jorge Henrique, que não tem sido muito eficiente. Esse é o ataque titular colorado.  Otavinho espera a vez. No meio, a curiosidade pendente: Alex é o titular, mas o técnico investe muito em Alan Patrick.

Abelão monta o time aos poucos. A questão do volante – joga apenas com Willians – ainda é debatida.
Ele sai muito do lugar e tem pouca parceria na marcação. Essa é uma questão que ainda servirá para muito debate.

É demais!

Felipão convocou Fred e Jô. Nenhuma novidade nem mesmo a surpresa que ele deixou escapar. Não dá para criticá-lo. Olhando para todos os lados, veremos que não há soluções melhores. Para quem já torceu por Ronaldo, Romário, Careca, Tostão, Pelé, Jairzinho e outros, essa é uma safra fraca de centroavantes. Numa Copa de grandes camisas 9, não é o Brasil que os apresenta. Fred se debate com lesões quase permanentes e Jô é apenas um jogador médio.

Com lesão de Fred, Seleção Brasileira não tem centroavante de qualidade

12 de fevereiro de 2014 4

Fred está parado faz sete meses. Luta contra lesões e não consegue sair delas. Assim, não temos centroavante. Quem já contou com Careca, Romário, Ronaldo, Vavá, Amarildo e outros agora torce para Fred se recuperar. E ele nem é tudo isso.

Mas se não tiver Fred, ficará ainda muito pior. Jô está muito longe de ser um jogador de Seleção. Hulk também não
passa de um grandalhão com chute forte. Falta-lhe técnica, é bom para clube e distante do que se pede um centroavante da Seleção. Se Felipão terá Neymar como grande força de ataque, seu problema maior está na parceria. Não temos um grande camisa 9, um jogador diferenciado. Esse jogador vai fazer muita falta na Copa do Mundo.

Dudu

Antes tarde do que nunca. Velho ditado que serve para a contratação do atacante Dudu pelo Grêmio. Enderson Moreira foi quem o indicou. Ele contava com apenas dois atacantes: Kleber, que está lesionado e para por um mês, e
Barcos, que não tem conseguido muita coisa lá na frente.

Pior do que isso é que não existiam reforços. Paulinho, aquele menino que veio do Juventude, é muito fraco tecnicamente. Dudu chega para preencher uma lacuna importante. Um reserva para o ataque e um jogador de velocidade. Ufa, finalmente.

Beira-Rio

Só na sexta-feira saberemos se o Beira-Rio poderá receber torcedores no jogo de sábado. Convenhamos, isso é uma bagunça. O nosso Gauchão precisa melhorar na sua organização. O presidente da Federação Gaúcha de Futebol,
Francisco Novelletto, precisa tomar atitudes mais fortes, exigindo dos clubes que tenham estádios liberados e com iluminação.

O torcedor, que já não comparece muito aos estádios no Estadual, acaba ficando tonto. Nunca sabe onde vai ser o jogo. O “charmoso” campeonato dos pampas está perdendo a graça. E o Estatuto do Torcedor, sendo desobedecido.

É demais!

Abel Braga insiste com o mesmo time que disputou duas partidas neste ano e, por enquanto, não se importa com a falta de proteção aos zagueiros. Na semana que vem, terá o santanense Ygor de volta. Se conseguir jogar, o volante será uma opção importante para o Colorado. Ele é de posicionamento, não sai da frente dos zagueiros, o que Willians não consegue fazer. Basta lembrar que no Gre-Nal o passe para Fabrício marcar o gol do Inter foi de Willians.

Grande teste

19 de novembro de 2013 6

Achei uma droga aquele jogo da Seleção, sábado, contra Honduras. Os hondurenhos não jogam nada, distribuíram pontapés o jogo inteiro, e o árbitro se fez de rogado. Poderia ter colocado três caras para a rua. E o teste nada acrescentou porque foi contra uma equipe que não joga nada.

Hoje à noite, quase na madrugada, o Brasil joga contra o Chile. É um teste muito melhor. Os chilenos estão bem credenciados e podem exigir muito mais da Seleção Brasileira. Felipão achou um time, essa é a grande vantagem. Não tínhamos isso com Mano Menezes. Agora, é saber qual sua real condição, porque, na Copa das Confederações, Espanha e Itália estavam a passeio. O Uruguai, que foi o único a encarar o Brasil, só não deu mais trabalho porque Forlán perdeu um pênalti. Para mim, o jogo desta noite é um grande teste.

Maxi

Renato não deixa de ter razão quando diz estar preparando esse jogador. Ele veio de um clube modesto do Uruguai, o Wanderers. Foi feita uma preparação física especial, Maxi recebeu instruções táticas essenciais para o futebol profissional e cresceu de rendimento.

O que não dá para concordar com o treinador é que ele não esteja pronto. Domingo, em 30 minutos, marcou o dobro de gols feitos pelos atacantes Kleber e Barcos nos últimos 16 jogos. Quem estaria pronto, então? A preparação o qualificou para ser titular do Grêmio.

Vargas

Na seleção do Chile ele vai muito bem. Poderemos ver novamente, hoje à noite, contra o Brasil. Mas, no Grêmio, Vargas é decepcionante. Suas convocações o retiram de jogos importantes, seus cartões amarelos e vermelhos também.

São poucas as partidas em que ele se apresenta à disposição do treinador. São ainda mais escassos os jogos em que atua bem, fazendo diferença. Sendo assim, não há dúvidas: Vargas vai dar lugar, no domingo, para Maxi Rodríguez.

É demaaaais!

As fotos do vestiário do Inter mostram que não houve quebradeiras, conforme contou um funcionário do Serra Dourada. Sendo assim, restou uma forte discussão entre os jogadores. Pelo que apurei, seriam cobranças a Rafael Moura. Isso é aceitável, até recomendável.

Um grupo, quando perde, tem que se indignar. Discussões entre jogadores provocam reações que podem ser positivas se todos tiverem a cabeça no lugar.

Grande mérito

31 de outubro de 2013 8

Luiz Felipe Scolari faz hoje a convocação para os jogos contra Honduras e Chile. São os últimos amistosos do ano. Em 2014, haverá somente mais um jogo antes da Copa. Sabemos que um time se forma com bons jogadores e uma definição de como ele atuará. Esse é o grande mérito do técnico da Seleção Brasileira. Ao contrário de Mano Menezes, que nada definiu em longo período, tão logo tomou conta do cargo, Felipão tratou de definir o time, quase o grupo completo, e uma maneira de jogar.
Isso é o trabalho que um técnico precisa fazer. Claro que pode mudar aqui ou ali, mas a essência está formada. Felipão deu ao Brasil um time de futebol, uma forma de atuar e agora, apesar de só
ter três amistosos pela frente, não nos preocupa porque está quase tudo feito.

Embaraço

Enquanto a direção do Fluminense demitia Vanderlei Luxemburgo pela má campanha no Brasileirão, o patrocinador não concordava com a lista de substitutos. Resultado: o técnico seguiu no cargo.
À tarde, Luxa chegou direto para a sua sala nas Laranjeiras e lá ficou. O auxiliar técnico é quem comandou o treino. É uma cena de constrangimento que o técnico, pela experiência e pela fortuna que acumulou no futebol, não precisava passar. Podia pedir demissão e ir para casa saborear os bons vinhos que vende no seu site.

Scocco

Outro que vive situação de constrangimento é o argentino Ignácio Scocco. A gente nem sabe medir a sua qualidade, a não ser quando jogava no Newell’s Old Boys e foi goleador do Argentino e vice da Libertadores.
No Inter, ou jogou fora da sua posição pela titularidade de Leandro Damião ou nem jogou. Contratado por pequena fortuna pelo Inter, está sem um aproveitamento, ao menos, razoável. Lá na Argentina a imprensa diz que será emprestado. Aqui, o Inter desmente.

É demaaais!

Diego Costa não deve ser o único brasileiro na Copa com outra camisa. O jornalista Cláudio Dienstmann fez uma lista de possíveis “emprestados”:
Igor de Camargo – Paulista, na Bélgica
Eduardo da Silva – Carioca, na Croácia
Tiago Alcântara – Filho do tetracampeão Mazinho, joga pela Espanha
Pepe – Alagoano, em Portugal
Fernando – Goiano, em Portugal
Cacau – Paulista, na Alemanha
Benny Failhaber – Carioca, nos Estados Unidos

Bolinha*

15 de agosto de 2013 5

* Por Zé Alberto Andrade (interino)

A Seleção de Felipão continua sem ganhar em território europeu. Considerando que a Copa do Mundo será no Brasil, nenhuma preocupação. Se pensarmos que a Copa das Confederações deixou o título e boas atuações como herança, também aumenta o crédito.

E ainda há o início da temporada europeia prejudicando o condicionamento da equipe. Tudo pode ser verdade, mas não invalida as críticas a uma atuação apática, sem inspiração e bem diferente daquelas que vimos em junho. Perder para a Suíça com o golaço contra de Dani Alves não foi um castigo. É um aviso que de certa forma o treinador já havia antecipado.

Pirata

Na vitória do Grêmio, mais uma vez com três gols marcados, a entrada no G4, ainda que provisória, acima de tudo, se destaca a recuperação do centroavante Barcos. Não só pelo gol marcado, mas muito pela participação no jogo como um todo. O Pirata era a própria imagem da alegria após a partida.

Por certo, o torcedor gremista também ficou feliz e esperançoso que venha a ter o centroavante que chegou comemorado no começo do ano, mas parecia ter ido embora.

Reforço

A volta de Ygor é uma boa novidade colorada não só para o jogo desta noite, mas para o Brasileirão como um todo. Se totalmente curado e bem condicionado fisicamente, fica à disposição de Dunga alguém com bom potencial técnico e uma garantia de empenho e dedicação, algo que é fundamental para quem trabalha com o técnico.

Seu retorno servirá também para botar sombra entre os volantes, algo que não acontece mais com Bolatti.

Pesadelo

A Argentina ganhou seu amistoso contra a Itália em Roma e sem Messi. Os hermanos já estão sobrando na Eliminatória. Não há dúvida que o time de Alejandro Sabella é, ao lado de Espanha, Brasil e Alemanha candidatíssimo ao título no ano que vem.

Além das individualidades, está com consistência tática. Um perigo. Imaginem só: papa argentino, Messi melhor do mundo e eles ganhando o mundial no Maracanã. Não vai dar para aturar.

Alerta*

14 de agosto de 2013 4

* Por Zé Alberto Andrade (interino)

Felipão foi duro, mas tem toda a razão. Jogador que não está atuando em seu clube não deve ser chamado para a Seleção. Por certo há lugar para as chamadas exceções das exceções. No fundo, porém, está certo o técnico.

A declaração é um torpedo até contra titulares do seu time, como o goleiro Julio César e o volante Luiz Gustavo. Para o jogo de hoje, no entanto, a barra dos dois está limpa e a repetição do time da Copa das Confederações é uma lógica. Aliás, até aqui, o treinador teve seu maior acerto exatamente mantendo a equipe e suas alternativas.

Na terra do chocolate, é um exagero esperar um passeio brasileiro. O adversário vem bem nas eliminatórias, tem uma relativa tradição, mas está na hora de uma vitória brazuca em território europeu.

Candidato

O repórter da Rádio Gaúcha Rodrigo Oliveira perguntou e Felipão foi claro: Leandro Damião perdeu espaço para Jô, que foi muito bem na Copa das Confederações. O técnico foi absolutamente coerente.

Claro que se lamenta a fatalidade que houve com o atacante colorado, mas o critério é de merecimento. Felipão, no entanto, pulou fora ao ser perguntado sobre uma possível saída do atacante do Inter para a Rússia. Não importará onde esteja. Desde que jogue, Damião pode buscar o espaço perdido. Também é justo.

Esquema

Esperar as escalações de Renato tem sido um exercício de imaginação. Ele vem surpreendendo jogo após jogo e, para hoje, o máximo que fez nas pistas foi confirmar a óbvia volta de Kleber ao ataque.

Com um bom retrospecto do uso de três zagueiros, aí estaria outra barbada. Para consolidar este sistema, contudo, o técnico precisa ter certeza de que outras peças estarão adaptadas. Nas laterais, bem como na cobertura.

Hoje é mais do que um teste. Contra o Cruzeiro, líder e melhor ataque do Brasileiro, é um gigantesco desafio.

Sinuca

Com um inesperado festival de desfalques, o Inter vai ao Maracanã pegar o Botafogo. Dunga admitiu que uma das vantagens de improvisar Jorge Henrique como lateral é que o adversário não terá ideia de como o jogador vai atuar. Tem razão.

É uma maneira de surpreender ofensivamente uma equipe que chama a atenção pelo coletivo liderado pelo eterno Seedorf. A dificuldade pelas ausências se dará na contenção e no árduo trabalho de não sofrer gols.

O campeão voltou

01 de julho de 2013 19

No confronto mais esperado pelo mundo nesta Copa das Confederações, o Brasil venceu com sobras a Espanha, bicampeão da Europa, campeã do mundo e número 1 do ranking da Fifa. E o melhor de tudo, é que a Seleção Brasileira foi quem mostrou força, não deixando a Fúria mostrar o futebol que vem encantando o planeta.

O Brasil é que mostrou o verdadeiro futebol. Goleou e deixou barato. Deu show de bola. O que se pode dizer do jogo de ontem é que o campão voltou!


Obra pronta

Aquela que parecia ser a obra mais atrasada para a Copa do Mundo de 2014 foi assumida por Luiz Felipe Scolari em janeiro, quando estreou no comando da Seleção Brasileira. Desde lá, vinha capengando, até que goleou a França, no começo de junho, na Arena do Grêmio. E fez o que se espera de um grupo que representa o país pentacampeão do mundo.

Nesta Copa das Confederações, não perdeu um jogo sequer. Vejamos o que Felipão vai conseguir nesse um ano que temos até a Copa do Mundo, em 12 de junho.


Satisfação

Apesar da reação popular contra a Copa, a Fifa está feliz da vida com a Copa das  Confederações. Grandes públicos, superando 50 mil pagantes por jogo, partidas de alto nível e uma final Brasil x Espanha, que era o sonho da entidade. Para se ter uma ideia, mais 43 mil pessoas viram na Fonte Nova a vitória da Itália sobre o Uruguai ontem, nos pênaltis, em Salvador, depois de 2 a 2 no tempo normal.


Conselho

O presidente Fábio Koff negocia com a OAS, traz jogadores, demite e contrata treinador. E o Conselho de Administração e o departamento de futebol? É gestão de um homem só. Não sei se é por iniciativa do presidente ou porque os outros não aparecem nas grandes questões.


Demissão

Vanderlei Luxemburgo fez de tudo para ser demitido. Falo do péssimo Gauchão, de  fraca campanha na Libertadores e de um início ruim de Brasileirão. Só não sei porque essa demissão não aconteceu depois de Grêmio x São Paulo. O clube já teria outro técnico e estaria com o trabalho avançado.


Repouso

Dunga levará seus jogadores para uma semana de refugio nas belas instalações do Hotel Vila Ventura, em Viamão. Bom para treinar, descansar e fazer bela preparação para reiniciar o Brasileirão a mil, domingo, às 16h, contra o Vasco, em Caxias do Sul.


Jornalistas

Só na grande final de ontem, no Rio, foram mais de 2 mil jornalistas. Só esse número é capaz de lotar os hotéis de Porto Alegre. Ainda bem que a quantidade de leitos na Capital aumentará.


É demaaaiis!

Foi o turismo interno que fez a Copa das Confederações. Poucos torcedores vieram do Exterior – o que já era esperado pelos organizadores. Mas os brasileiros lotaram os estádios. As cidades sedes entupiram de gente.


Espanha

28 de junho de 2013 6

Era o que todos os amantes do futebol queriam. O campeão do mundo chegou à final. Foi duro, a classificação veio apenas nos pênaltis.

No jogo de ontem, em Fortaleza, os italianos foram muito competentes. A Espanha se viu amarrada. Quem atacou foi a Azzurra.

No segundo tempo, os espanhóis perderam a posse de bola, característica principal. Um jogo igual. Para os dois times, sobraram esforço, técnica e tática.


Torcida

Felipão não perde oportunidade para fazer média com a torcida. Ele busca reconquistar o carinho do povo com a Seleção. Faz isso nas entrevistas ou nas alterações durante a partida. A torcida grita o nome de um jogador e, em seguida, ele está em campo. O treinador prepara a cama para a Copa do Mundo no próximo ano.


Atacantes

Nem Espanha nem Itália tiveram o jogador de conclusão. Se Balotelli tivesse atuado, não tenho dúvida de que a vitória seria italiana. A Espanha, que tem como base o Barcelona, não tem Messi. Os outros atacantes são muito fracos. Mas o time é tão bom que, mesmo assim, ganha tudo.


Maracanã

Todo renovado, bonito e repleto de torcedores, o histórico estádio receberá a esperada grande final Brasil x Espanha. Jogo sem favorito no domingo, a partir das 19h – meia-noite na Espanha. A segunda-feira vai começar quente na Península Ibérica. O Brasil tem Neymar. E isso faz uma diferença gigantesca.


Desgaste

Os espanhóis jogaram 24 horas depois do Brasil. Além disso, encararam um jogo de 120 minutos contra uma Itália que exigiu muito no calor de Fortaleza. E tem mais: uma viagem de três horas até o Rio. Essas são vantagens importantes para o Brasil.


Prejuízos

Não são as manifestações de rua. São os vandalismos e os quebra-quebras que colocam medo. Esses métodos poderão causar um enorme prejuízo ao Brasil na Copa de 2014. Quem vai querer vir do exterior e se meter no meio desta baderna?


Reforços

Depois dos cronistas e do técnico Dunga, chegou a vez de a principal voz entre os jogadores do Inter pedir reforços. D’Alessandro falou que confia no grupo colorado, mas que se o time quiser conquistar o Brasileirão, o que não acontece desde 1979, tem de contratar com qualidade.

Eu já sabia

27 de junho de 2013 6

Na coluna de ontem, deixei muito claro que Brasil x Uruguai seria um clássico com todos os seus ingredientes. Os uruguaios crescem diante do Brasil, não importando eventuais condições de inferioridade. Foi exatamente assim ontem no Mineirão. Tudo o que eu havia antecipado. O Brasil largou muito mal e só escapou porque Forlán perdeu um pênalti. Mas mesmo perdendo o primeiro tempo por 1 a 0, o Uruguai foi mais time em campo.


Marcação

Óscar Tabárez mandou Suárez e Cavani marcar os laterais brasileiros. Forlán ficou no meio para segurar os avanços dos zagueiros. O Brasil nunca sufocou o Uruguai e só se salvou porque achou um gol no final do primeiro tempo. E outro no final do jogo.


Forlán

O atacante do Inter teve boa participação no jogo, mas errou no lance capital. Cobrou mal um pênalti no primeiro tempo e impediu que o Uruguai saltasse na frente no placar, o que mudaria a história do jogo. Mas foi importante tecnicamente. Ele, mais Suárez e Cavani, formam grande ataque. As dificuldades do Brasil se explicam também por aí.


É demaaais!

Gostei da reforma feita no Mineirão. O estádio conservou suas características históricas e melhorou muito com as reformas no padrão Fifa. Ficou bonito e confortável. Além disso, é muito bem localizado, com ótimos acessos.


Pancadaria

Como se esperava, houve muita pancadaria entre policiais e marginais. Em nome das manifestações legítimas dos brasileiros, marginais se infiltram, promovem incêndios e quebradeiras. A polícia bateu forte.


Comida

Faltou comida e acabou a bebida no Mineirão ontem. Os novos e monumentais estádios brasileiros não sabem o quanto são grandiosos. Os comerciantes levam poucos produtos para as suas despensas. Um erro grosseiro com os consumidores. Deixam de ganhar um bom dinheiro.


Muralha

Luiz Gustavo é um jogador simples. Mas sua presença à frente dos zagueiros representa uma muralha. Participa dos lances com intensidade e protege a defesa. Um achado importante de Felipão, que brigou muito com o Bayern, de Munique, para tê-lo desde o início da preparação.


Jogaço

O inimigo da Seleção na final sai de um jogo espetacular. Itália e Espanha, a penúltima e a última campeã mundial, se enfrentam em Fortaleza, a partir das 16h.