Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Para evitar falência, Justiça manda afastar membros do conselho da Teka

21 de julho de 2017 8

Foto: Patrick Rodrigues, Agência RBS

Com 91 anos de história, a blumenauense Teka, um dos ícones do mercado de cama, mesa e banho do Brasil e da América Latina, está à beira da falência. Uma auditoria encomendada pela Justiça aponta que hoje a empresa não tem condições de saldar as suas dívidas. É grave a situação financeira da tradicional indústria têxtil instalada no bairro Itoupava Norte.

Sustentado por números apurados neste estudo, o juiz Clayton Cesar Wandscheer, da 2ª Vara Cível de Blumenau, determinou na última semana o afastamento de membros dos conselhos fiscal e administrativo da Teka, entre eles Frederico Kuehnrich Neto, integrante da família fundadora. O empresário, no entanto, permanece no cargo de presidente, mas recebendo apenas metade do salário – os valores pagos até então eram incompatíveis com a realidade da companhia, anotou o magistrado.

A decisão judicial, publicada na quarta-feira, atendeu a um pedido feito pela administradora judicial da Teka, a advogada Carmen Schafauser. O magistrado não foi localizado pelo blog para comentar o caso, mas nos autos afirma que a atual gestão “não vem sendo eficaz para superar as dificuldades” e comenta que é “inegável não pensar que a falência da empresa seria a única alternativa”. O juiz também alega que “mudanças drásticas” precisam ser feitas em uma “última tentativa de reversão desta calamitosa situação”.

Neste cenário, a troca de nomes das cadeiras do conselho representaria uma cartada derradeira para tentar salvar a empresa e preservar os direitos dos credores. A advogada Carmen Schafauser também foi procurada para comentar o caso, mas o blog não obteve retorno.

Dívida pode se tornar impagável, alerta juiz

O mesmo levantamento que embasou a decisão da Justiça de determinar mudanças nos conselhos fiscal e administrativo da Teka ilustra o tamanho do rombo das atividades. De 2012 em diante, o endividamento da companhia aumentou 123%. Seguindo nesse ritmo, o passivo atingiria, nas palavras do juiz, a “incrível” e “impagável” quantia de R$ 3,24 bilhões em dezembro de 2019.

A auditoria, de acordo com a decisão judicial, aponta ainda que a marca, apesar de renomada, vem gradualmente perdendo espaço no mercado e que a empresa tem dificuldades para pagar os salários dos funcionários. A situação é confirmada pelo Sintrafite: o sindicato que representa os trabalhadores têxteis revela que os vencimentos vêm sendo parcelados em três vezes.

ooperacaoverm

 

 

CONTRAPONTO

Procurada pela reportagem para comentar a decisão judicial e a atual situação econômica da empresa, a Teka enviou, por e-mail, o seguinte posicionamento em nome do seu advogado, José Manuel Freitas da Silva:

Trata-se de procedimento normal em empresas que se encontram em recuperação judicial, decisão que a Teka acatará no que for cabível após os questionamentos pertinentes.

Comments

comments

Comentários (8)

  • Mário Afonso Gehrke diz: 23 de julho de 2017

    Fico muito chateado, pois é uma empresa na qual tive uma felicidade impar, pois fui Gerente Regional entre 1983 a 1992 e neste período a TEKA era só brilho e cada ano que passava o crescimento era observado aqui no RS pela Diretoria da TEKA. Comecei quando estava na sua salinha o fundador, o Sr. Fritz, depois o Sr. Rolf e que foi um verdadeiro paizão para mim, sempre muito atencioso e ficava feliz com o nosso Escritório Regional, com uma equipe de representantes que não mediam esforços. Jamais vou esquecer o querido amigo Hans Gerhard Mayer e que foi Diretor Comercial na minha gestão. Outros companheiros da matriz, Heinz Cremer, Olídio, Siegfried, enfim todas as gerências da época. O Sr. Frederico, sempre foi um camarada muito “durão”, mas gostava dele e nunca tivemos qualquer atrito. Portanto, sinto muito que está acontecendo, pois com certeza o Sr. Rolf Kuehnrich deve estar sofrendo muito, motivado pelo grande trabalho com honestidade que manteve a TEKA de pé até quando estava sob o comando dele.

  • Walfer K. Neto diz: 23 de julho de 2017

    Devemos parabenizar o Sr Paul Fritz Kuehrich (in memorian) e Sr Rolf Kuehnrich por fazer dessa empresa uma das maiores da America do Sul em seu segmento. Com certeza Sr Rolf que sempre esteve junto e respeitou os funcionarios, deve estar sofrendo muito com isso.

  • Cláudio Oliva diz: 24 de julho de 2017

    Trabalhei como representante comercial para a Teka, por apenas nove meses em 2001. Fiquei muito impressionado com a grosseria e arrogância do Se. Frederico.
    Sei que ele como pessoa física está mais milhonario ainda, mas tudo na vida tem um preço. A arrogância e prepotência sempre serão cobradas.

  • vilmar angelo tambara diz: 24 de julho de 2017

    Fui representante por mais de 12 anos fiz um trabalho com onde fui um dos principais representante na região sul elogiado em varias reuniões de trabalho mas infelizmente quando optei em trocar de atividades tentei fazer um acordo para sair da teka não fui atendido e não recebi nada ainda até hoje , simplesmente pediram para aguardar a recuperação judicial; lembro que houve em um periudo a cedência do controle da linha cama para a centerfarma e a melhora foi imediata , quando de uma hora para outra afastaram a centerfarma e a Teka ficou como está até hoje FALTA DE GESTÃO.

  • Tomé diz: 27 de julho de 2017

    Quero receber atualizações sobre Teka

  • ALEX BRUGUJU diz: 27 de julho de 2017

    Sou representante comercial na regiao do Bras em SP e acredito muito na empresa e creio que com a força da marcar e o excelente time que se formou hoje somos capazes de dar a volta por cima apesar de todos os Problemas, sempre podemos reverter, basta nesta Nova etapa querermos…. Pois sei que somos capazes!!!

    Alex Bruguju

  • Marlon Walter de Oliveira diz: 7 de agosto de 2017

    Concordo com você Mario Afonso Gehrke, estive na Teka como responsável pela criação de novos produtos de 89 a 93, desenvolvendo as coleções de artigos, trabalhando com o Sr. Edofredo Probst no DSP. Lembro-me bem da gestão do Sr. Hans Gerhard Mayer, a quem sempre considerei muito. O ponto culminante da minha passagem foi quando a Teka foi eleita na Fenit 92 – SP como o melhor stand da feira, em termos de apresentação e produtos. Trabalhei 2,5 anos com o Sr Rolf e 2,5 anos com o Sr Frederico. Durante minha passagem sempre recebi muito apoio do Sr. Frederico para empreendermos as mudanças que culminaram com a plena diferenciação da Teka como empresa ante as demais e aquela significativa vitória no ano de 1992, e sinto tristeza pela atual situação.

  • José Carlos diz: 19 de outubro de 2017

    Infelizmente a empresa tem o que merece!
    Fui representante durante muitos anos e atrasavam todo mês nossa comissão. Não depositam o FGTS dos funcionários, é gerente e supervisor pra tudo quanto é lado e estado, não enxugam a empresa em nada… Uma torneira de desperdício!! Aí como você quer que não fali??!! Não tem dinheiro pra nada, mas coloca stand em tudo qualquer feira, aí nós representantes não tínhamos a comissão em dia!

Envie seu Comentário

%d blogueiros gostam disto: