Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de agosto 2017

Prefeitura de Indaial abre concurso público para vagas com salários até R$ 13 mil

28 de agosto de 2017 0

A prefeitura de Indaial lançou concurso público para contratação de 139 profissionais em 79 cargos. Há oportunidades nos níveis superior, médio e fundamental.

Os salários variam de R$ 1.204,16 a R$ 13.065,75. As inscrições podem ser feitas até 25 de setembro em bit.ly/concursoindaial. No mesmo link estão disponíveis os cargos a serem preenchidos.

Teka contesta decisão judicial que afastou membros dos conselhos fiscal e administrativo

28 de agosto de 2017 1

Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina

Se já não bastasse a delicada situação financeira enfrentada, a Teka vive dias de tensão e discórdias internas. A empresa pede na Justiça a anulação de uma decisão de 14 de julho da 2ª Vara Cível de Blumenau que determinou o afastamento de membros dos conselhos fiscal e administrativo e a nomeação de novos profissionais para os cargos, indicados pela administradora judicial Carmen Schafauser.

À época, como destacou o Santa, o juiz Clayton Cesar Wandscheer se embasou em uma auditoria que apurou um crescente nível de endividamento da companhia – que, no atual ritmo, poderia chegar à quantia de R$ 3,24 bilhões em dezembro de 2019 – e apontou que a medida representaria uma nova tentativa de evitar a falência da tradicional e quase centenária indústria têxtil.

Em agravo de instrumento remetido ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, que ainda está em análise, a Teka alega que vinha cumprindo o plano de recuperação judicial e apresentando sinais de melhora nas operações – crescimento de 40% no faturamento entre 2013 e 2016 – mesmo em meio à crise e sem contar com um dos seus principais “trunfos” no processo de recuperação: a venda do imóvel onde está instalada a sede, em Blumenau, que estaria encaminhada por R$ 69 milhões. O valor faria caixa à empresa, mas a negociação não foi adiante em função de questionamentos jurídicos.

A Teka também rebate números de auditoria externa que apontou, entre outros fatores, que o endividamento da companhia aumentou 123% desde 2012, ano em que foi deferido o pedido de recuperação judicial. A empresa admite a escalada da dívida, mas alega que ela é menor, de “apenas 41,8%”. E acrescenta que só neste ano já pagou R$ 1,72 milhão em habilitações trabalhistas, outro indício de que estaria cumprindo com suas obrigações.

A companhia diz ainda que a diretoria tem buscado formas de sobreviver no mercado e que a nomeação de “pessoas absolutamente estranhas e desconhecidas” no quadro de gestão, em menção aos novos conselheiros, pode trazer “danos irreversíveis” à imagem da marca, gerando desconfiança junto ao mercado sobre a sua capacidade de recuperação.

Além de tudo isso, a Teka reivindica na 2ª Vara Cível de Blumenau o afastamento de uma profissional nomeada pela Justiça para atuar na gestão interna, alegando que ela integraria a diretoria de uma empresa do Paraná que foi à falência – e que, por isso, a sua indicação seria irregular.

O outro lado

Nesse imbróglio, a Teka não é a única insatisfeita. A nova gestora, nomeada por decisão judicial, alega que a direção da empresa estaria dificultando o acesso a documentos e que ela estaria sendo impedida de participar de algumas reuniões, bem como conversar com funcionários sem autorização prévia da presidência. Novos membros dos conselhos fiscal e administrativo também estariam esbarrando em empecilhos para exercer suas funções.

Diante das contestações, o juiz Clayton Cesar Wandscheer determinou, em decisão proferida na quinta-feira, que a gestora tenha total e livre acesso a todos os setores da empresa e que todos os documentos solicitados por ela e pelos membros dos conselhos fiscal e administrativo sejam fornecidos independentemente de autorização da direção.

Em defesa da Teka, o advogado José Freitas diz que a empresa não foi ouvida sobre a situação pelo juiz e garante que vai recorrer da decisão.

Torcida pelo futuro

Divergências fazem parte do mundo corporativo e é até natural que em empresas em situações como a da Teka os nervos de grupos de campos opostos estejam à flor da pele. É uma pena que tudo tenha chegado a este ponto.Embora não seja fácil, é preciso alcançar um consenso que abra caminho para uma nova tentativa de salvar a empresa.

Não existe torcida contra. A Teka tem uma trajetória muito bonita. Que se concentrem esforços para buscar a recuperação da companhia. Se não pelos seus diretores, que façam pelo que a marca representa para Blumenau, que façam em nome dos atuais 1,5 mil funcionários e de milhares de outros trabalhadores que ajudaram a construir uma história tão rica nos últimos 91 anos.

Propostas da licitação de coleta de lixo de Blumenau serão conhecidas na segunda-feira

26 de agosto de 2017 0

Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina, BD, 17/3/2017

Serão conhecidas na segunda-feira as propostas dos concorrentes da licitação da coleta de lixo de Blumenau. A fase de análise dos recursos foi encerrada na quinta-feira.

Três empresas seguem na disputa: Terracon Construções, Cavo Serviços e Saneamento e Sanepav Saneamento Ambiental. A última encara cenário semelhante ao da Piracicabana (hoje Blumob) no transporte coletivo, já que opera o serviço de maneira emergencial e tem a vantagem de conhecer o sistema.

A expectativa do presidente do Samae, Alexandro Fernandes, é que a nova empresa inicie a operação já no mês que vem.

Feira em Blumenau tem móveis com descontos de até 60%

26 de agosto de 2017 0

Em sua 14ª edição, Home Art ocorre até domingo na Vila Germânica (Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina)

Cerca de 15 mil pessoas devem passar pelo setor 2 da Vila Germânica até domingo, quando termina a 14ª edição da Home Art, feira que reúne uma grande variedade de móveis para o lar. A estimativa é da Sommer Eventos, que organiza a mostra.

Neste sábado a exposição abre às 10h e vai até as 22h. No domingo, portas abertas também às 10h, mas encerramento às 21h. A entrada custa R$ 6 nos dois dias.

No local, o público poderá conferir as novidades de 80 expositores, a grande maioria de Santa Catarina, que oferecem descontos de até 60% em peças e produtos.

Câmara de Blumenau descarta ideia e põe fim a polêmica sobre sede própria na Fundação Cultural

25 de agosto de 2017 0

Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina

Se ainda havia alguma dúvida, a polêmica está devidamente enterrada. O presidente da Câmara de Vereadores de Blumenau, Marcos da Rosa (DEM), descartou nesta quinta-feira qualquer possibilidade de se verticalizar o prédio da Fundação Cultural e lá construir uma sede própria do Legislativo municipal. A ideia, que veio à tona em junho, encontrou forte resistência junto à classe artística.

O Conselho Municipal de Política Cultural de Blumenau chegou a encaminhar, em julho, ofício pedindo que a Casa excluísse essa possibilidade das discussões. Nesta quinta-feira, o presidente do órgão, Elton Gomes, usou a tribuna da Câmara para uma vez mais se manifestar contra a ideia. Diante da fala, Rosa assegurou que a proposta não irá adiante e colocou um ponto final no assunto

Ainda sobre este tema, o vereador Adriano Pereira (PT) acrescentou mais uma alternativa para a sede própria da Câmara: o antigo prédio que abrigou a Malhas Lancaster na Rua General Osório, na Velha. A viabilidade do imóvel ainda precisa ser analisada.

Não custa lembrar que a atual sede do Legislativo é alugada a um custo de cerca de R$ 60 mil mensais. O contrato vale até 2024. Desde a mudança, em 2013, a Câmara já pagou R$ 2,5 milhões com a locação da estrutura.

Câmara de Blumenau cobra explicações do Seterb sobre pintura de ônibus antigos da Blumob

25 de agosto de 2017 0

Veículos mais antigos, da cor branca, precisariam ser pintados de prata, segundo o edital (Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina, BD, 17/2/2016)

A Câmara de Blumenau aprovou nesta quinta-feira requerimento direcionado ao Seterb que questiona em que pé está a pintura dos ônibus mais antigos da Blumob da cor branca para o prata – algo que, pelo edital de licitação, deveria ser feito em até 80 dias após o início da operação, prazo já expirado. O documento ainda pede esclarecimentos a respeito do direcionamento de uma quantia estimada em R$ 1,44 milhão necessária para a adaptação destes veículos.

A pintura dos carros é alvo de questionamentos do vereador Gilson de Souza (PSD), que tenta abrir uma CPI para apurar suposto descumprimento do contrato de prestação do serviço. Ele alega que esta quantia foi considerada na planilha de custos que determinou o preço da tarifa a R$ 3,90. Como os ônibus mais velhos não foram pintados, o pessedista diz que o usuário está pagando por algo que não foi feito.

O vereador precisa de pelo menos cinco assinaturas para emplacar a investigação. Já tem três: a dele próprio, a de Jovino Cardoso (PSD) e a de Adriano Pereira (PT), justamente o trio mais incisivo na oposição ao governo.

Rede de calçados Studio Z vai abrir loja na Rua XV em Blumenau

24 de agosto de 2017 0

Imóvel já abrigou as redes Pernambucanas e Coppel (Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina)

Pelo menos um dos 29 imóveis vazios na Rua XV de Novembro será ocupado em breve.

A rede de lojas de calçados Studio Z, uma dos principais do ramo no país, vai abrir em outubro uma unidade num dos maiores espaços da principal via comercial de Blumenau, que já abrigou a Lojas Pernambucanas e, mais recentemente, a varejista mexicana Coppel – que não durou nem um ano na cidade.

A inauguração está prevista para o dia 27 daquele mês. A Studio Z já tem três lojas em Blumenau, uma em cada um dos shoppings da cidade. Será a primeira unidade de rua no município.

Pelo Facebook, Ivan Naatz confirma saída do PDT

23 de agosto de 2017 0

Confirmando os rumores, o ex-vereador e suplente de deputado estadual Ivan Naatz anunciou no próprio perfil do Facebook que está de saída do PDT. À coluna, o duas vezes candidato a prefeito de Blumenau diz que nunca teve um viés de esquerda e que estava se sentindo incomodado com a aproximação da sigla brizolista com o PT.

O destino de Naatz já é conhecido há algum tempo: ele vai encaminhar filiação ao Patriotas – futuro nome do PEN – e fazer campanha ao presidenciável Jair Bolsonaro na região. A troca de partido também representa a oportunidade de novos horizontes ao ex-vereador.

 

naatz

Prefeito veta lei que previa conversão da frota pública de Blumenau para GNV

23 de agosto de 2017 0

Foto: Patrick Rodrigues, Jornal de Santa Catarina

O prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) vetou projeto de lei de autoria de Alexandre Matias (PSDB) aprovado na Câmara que previa a conversão dos motores dos veículos da frota pública de Blumenau para o uso do GNV.

Segundo o parlamentar, prefeitura e Câmara gastam, juntas, R$ 630 mil por ano com gasolina. A economia com a conversão, nos cálculos de Matias, giraria em torno de R$ 315 mil.

O Executivo alegou dificuldades técnicas e jurídicas para aplicar a legislação na prática. A instalação do equipamento, por exemplo, tiraria a garantia dos carros.

Apesar do veto, a ideia não morre completamente. O Samae vai fazer um teste – sem a pressão de uma lei em vigor – adaptando alguns veículos da autarquia. Se benefícios, principalmente financeiros, forem comprovados, o tema tem tudo para voltar à pauta.

O que motiva a nova tentativa de CPI do transporte em Blumenau

23 de agosto de 2017 0

Foto: Lucas Correia, Jornal de Santa Catarina

O vereador Gilson de Souza (PSD) ainda vai intensificar conversas com os demais colegas de plenário sobre o assunto, mas está confiante de que vai conseguir o mínimo de cinco assinaturas necessárias para instalar uma CPI do transporte coletivo na Câmara de Blumenau – tema já abordado pelo colega Clóvis Reis.

Segundo o pessedista, o pedido vai mirar um suposto descumprimento do atual contrato. Ele também diz que os gastos com a pintura dos ônibus mais antigos – do branco para o prata, como os novos – constam na planilha de custos que determinou o preço da tarifa a R$ 3,90. Como os veículos continuam da mesma cor, o parlamentar alega que o usuário está pagando por algo que não foi feito.

A prefeitura já se manifestou a respeito, reforçando que a manutenção da cor branca nos ônibus mais antigos ajuda o passageiro a fiscalizar a renovação da frota, como previsto em contrato. O presidente do Seterb, Carlos Lange, diz que esta despesa lançada – mas não efetuada – na planilha será considerada na próxima revisão da tarifa, que ocorrerá em dezembro.

Não é a primeira vez no histórico recente da Câmara que se tenta emplacar uma comissão parlamentar de inquérito para investigar o transporte coletivo de Blumenau. Em novembro de 2015, o então vereador Ivan Naatz (PDT) sugeriu uma CPI para apurar supostas irregularidades no contrato de concessão do serviço firmado entre a prefeitura e o antigo Consórcio Siga.

No ano passado, em maio, Naatz voltou a pedir uma CPI, desta vez questionando o contrato emergencial feito com a Piracicabana. Nenhuma delas deu em nada. E a de agora?