clicRBS
Nova busca - outros
01 abr11:50

Gasolina de Pelotas é a quinta mais cara do Estado

Pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizada de 20 a 26 de março em 43 municípios do Estado mostra que o preço médio da gasolina comum em Pelotas (R$ 2,811) é o quinto maior do RS. O valor médio do combustível só é mais alto que aqui em Rio Grande (R$ 2,824), Santa Vitória do Palmar (R$ 2,827), São Gabriel (R$ 2,834) e em Jaguarão (foto), que tem a gasolina mais cara do Estado (R$ 2,847). Entre os municípios gaúchos, Osório é onde se abastece por um preço médio mais baixo (R$ 2,542).

>> Receba as principais notícias do clicRBS Pelotas no seu celular!

A reportagem especial de Joana Colussi publicada hoje (1º) em Zero Hora mostra que o litro da gasolina subiu, em média, R$ 0,10 nesta semana no Estado. A disparada dos preços dos combustíveis no Rio Grande do Sul, que fez o litro da gasolina se aproximar dos históricos R$ 3 nesta semana, reforça a variação nas bombas em diferentes regiões do Estado e revela distorções entre cidades.

Numa comparação média, utilizando pesquisa da ANP, observa-se desde valores discrepantes entre municípios vizinhos a preços semelhantes entre cidades localizadas a uma distância centenas de quilômetros maior em relação à refinaria da Petrobras, em Canoas.

Em Chuí, no extremo sul gaúcho, por exemplo, o preço médio da gasolina é R$ 0,15 menor ao da vizinha Santa Vitória do Palmar. Na cidade da fronteira, localizada a 541 quilômetros de Canoas, o litro da gasolina é semelhante ao de Lajeado, que fica a 108 quilômetros da cidade na Região Metropolitana. No comparativo, municípios como Uruguaiana, no extremo oeste gaúcho, e Santa Maria, na região Central, apresentam quase o mesmo valor médio.

Conforme levantamento da ANP, referente à semana encerrada no dia 26, a diferença entre o município gaúcho com a média mais alta no preço da gasolina e a mais baixa era de R$ 0,30 – variação de 12%. Enquanto em Jaguarão, na Fronteira Oeste, o litro da gasolina comum, custava em média R$ 2,847, em Osório, no Litoral Norte, o preço era de R$ 2,542. No etanol, a variação era ainda maior: chegando a R$ 0,68 entre a média mais alta, Pelotas, e a mais baixa, Rio Grande – variação de 34,2%.

– A formação de preço é livre, levando em conta a planilha de custos e a margem de lucro do estabelecimento – explica Adão Oliveira, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do RS (Sulpetro).

>> Leia esta reportagem na íntegra e confira os infográficos na edição impressa de ZH.


Fatores que definem o valor

Frete

A distância das refinarias influencia no preço pago pelos consumidores. Quanto mais longe da Refap, em Canoas, mais cara tende a ser a gasolina vendida no Estado. Em relação ao etanol, a distância calculada tem como base as usinas de São Paulo – que produzem 70% do total de etanol do país.

Custos de operação

Cada posto de combustível tem uma planilha de custos variável, que vai desde gastos com água, energia, aluguel, até número de funcionários e encargos sociais.

Concorrência local

O mercado tem características diferenciadas em cada município. Enquanto em determinadas cidades a concorrência é mais acirrada, como em Porto Alegre, em outras a competitividade menor pode permitir que os postos tenham uma margem maior de lucro – já que não conseguem variar muito no volume de litros comercializados ao mês.

Preço livre

A definição dos preços é livre e atribuída a cada revendedor. Por isso, pode haver variações também no valor vendido pelas distribuidoras aos postos de combustíveis. Com uma margem maior de compra, por exemplo, o revendedor pode conseguir melhores preços nas distribuidoras.


>> Leia também: Alta tende a se manter em abril

>> E mais: Valor deve ser o mesmo no cartão, alerta Procon


Por

5 Comentários »

  • Arione Cafuman disse:

    O preço do litro da gosolina no município de Arroio do Padre custa R$ 2,95 ou seja quatro centavos a menos que custa em Jaguarão, isso é um absurdo.

  • daniel disse:

    aqui em jaguarao esses preços já sao velhos atualizando G.Original 2,92 G.Aditivada 2,97 01/04/2011

  • Rafael disse:

    Outra coisa que influencia é o fato de que a maioria dos postos de combustíveis do RS compra gasolina para pagamento a prazo e não a vista, deixando o combustível caro já na compra e tira o poder de negociação dos donos de postos.

  • Jonatan disse:

    Eu gostaria de entender porque essa diferença de uma cidade ser R$2,54 e a outra R$2.99 É muita diferença.

  • EDUARDO ROSA disse:

    Tem algum “caroço nesse angú!”
    Sugiro aos Vereadores de Pelotas e aos Deputados Estaduais, uma CPI dos Combustíveis, e URGENTE!
    Onde está Pré-sal e a tão alardiada “auto-suficiência” em petróleo que o Brasil alcançou?
    “O PETRÓLEO É NOSSO!”,lembram dessa famosa frase dita por RUI BARBOSA?

Comentários