clicRBS
Nova busca - outros
05 mai10:47

OAB deve mover ação pública para resolver a falta de leitos

Cristina Ramos, RBS TV Pelotas

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deve mover uma ação civil pública para que as autoridades tomem providências em relação a falta de leitos, principalmente nas UTI’s neonatal e pediátrica.

Um mapeamento da saúde pública está sendo feito pela subseção da OAB em Pelotas. O Conselho Tutelar encaminhou um ofício para a Ordem dos Advogados para que o caso da menina Paola, de seis meses, seja investigado. O bebê morreu por causa da demora na liberação de um leito de UTI, que só conseguiu em Canoas.

- Se pretende que se construa novos hospitais, novas UTI’s, que essas crianças não morram por não ter atendimento – disse a presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Marieni Bederode.

No município só existem dois hospitais com leitos neonatais e pediátricos, com apenas 19 vagas no total. No momento, todas estão ocupadas.

Muitas vezes a busca por um leito de UTI pode ser fatal. Para a secretária de saúde, Arita Bergmann, casos como o da menina Paola, que não venceu a pneumonia, podem ser evitados com a integração das centrais de leito.

- Nós estamos buscando junto ao governo do Estado e junto ao governo do município de Porto Alegre uma integração das centrais de regulação, para que possamos regular em tempo real a necessidade de buscas de leitos fora de Pelotas, que às vezes acontece – disse a secretária.

>> Vídeo: Assista à reportagem que foi ao ar no Bom Dia Rio Grande desta quinta-feira (5).

Por

Um Comentário »

  • Rogério Brodbeck disse:

    Nesse caso da Paola o que ocorreu não foi só a falta de leito . O leito foi obtido em Canoas mas o PS de Pelotas não liberou o translado da paciente que já estava internada desde domingo, e só foitransportada na noite de quinta feira. Lá chegando, morreu dez minutos depois inclusive porque foi em ambulância não UTI e sem respirador…

Comentários