clicRBS
Nova busca - outros
24 out18:10

"Médico disse que eles poderiam morrer", diz mãe de gestante que viajou sete horas para dar à luz

Álisson Coelho | alisson.coelho@zerohora.com.br

Mesmo após viajar por sete horas — percorrendo cerca de 530 quilômetros — em busca de leito para dar à luz, ainda não chegou ao fim o drama de Elisiane San Martins, de 34 anos. Ela permanece internada em estado grave no hospital municipal de Novo Hamburgo junto com os gêmeos Guilherme e Gustavo, que nasceram no domingo. A mãe e os bebês apresentam um quadro de infecção.

— Quando chegamos [ao hospital municipal de Novo Hamburgo], o médico foi bem sincero: disse que havia a possibilidade de nenhum dos três sobreviverem — disse, emocionada, a mãe de Elisiane, Neiva Ledoci dos Santos, de 57 anos, que aguarda junto com o marido e o genro por notícias da mãe e dos bebês.

Segundo a equipe médica do hospital, os três permanecem em estado grave, mas o quadro de saúde da mãe é mais delicado que o dos recém-nascidos.

Elisiane viajou de Santa Vitória do Palmar até Novo Hamburgo devido à falta de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) neonatais na região. Elisiane aguardou por vaga em um hospital durante três dias, desde o momento em que sua bolsa rompeu, na quinta-feira, até receber a confirmação de que poderia se dirigir até Novo Hamburgo.

Leia também: “Estou com o coração apertado”, diz marido de gestante que viajou sete horas para dar à luz

Por

Comentários