clicRBS
Nova busca - outros
20 set15:07

Morre fundador do curso de Medicina da Universidade Federal, Naum Keisermann

Fundador do curso de Medicina da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Naum Keisermann morreu na noite desta segunda-feira (19), aos 94 anos, em Porto Alegre, sua terra natal. Ele deixa a esposa Clara, três filhos, oito netos e sete bisnetos.

Depois de formado e especializado na área de tísio-pneumologia, mudou-se da capital para Pelotas, onde iniciou uma trajetória que marcaria época. Íntimo amigo de Leonel Brizola, conseguiu viabilizar a Faculdade de Medicina do Instituto Pró-Ensino Superior no Sul do Estado (IPESSE), depois incorporada à UFPel, instituição criada no dia 8 de agosto de 1969. Além de criador, Naum Keisermann foi diretor da Faculdade de Medicina por quase 25 anos.

Professor Emérito da UFPel, dá nome ao Diretório Acadêmico de Medicina e ao Auditório Central da Faculdade, na zona oeste da cidade. De 1989 a 1992, foi assessor especial da Universidade. Naum Keisermann também foi presidente da Fundação de Apoio Universitário e diretor do Hospital-Escola da UFPel.

A Rádio Federal FM, da UFPel, prestará homenagens, nesta quarta-feira (21), às 10h. O programa Debate Pelotas 13 Horas, da RU da Universidade Católica de Pelotas, também irá lembrar os feitos do criador da Faculdade de Medicina da UFPel. No site do programa, está disponível a última entrevista concedida por Naum Keisermann, que fala sobre a implantação do curso.

2 comentários
05 set11:24

Morre ex-reitor da Universidade Católica, professor Wallney Hammes

Morreu na noite deste domingo (04) o ex-reitor da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Wallney Joelmir Hammes. O professor estava afastado da Instituição desde que completou 50 anos de Casa, no início de 2010, em função de problemas de saúde. Hammes estava internado no Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP) desde 08 de agosto deste ano, por causa de complicações respiratórias decorrentes de uma doença neurodegenerativa progressiva e rara, chamada esclerose lateral amiotrófica (ELA) ou doença de Lou Gehrig.

Considerado uma das grandes personalidades da UCPel, Hammes era bacharel e licenciado em Letras Anglo-Germânicas pela Faculdade Católica de Filosofia de Pelotas, uma das células constitutivas da Universidade. Foi na Instituição que, em 1960, iniciou o magistério superior e se especializou em Linguística Aplicada. Dedicou-se ao ensino de Inglês, Alemão, Latim e Português, lecionando em diversas escolas de ensino fundamental e médio da cidade de Pelotas.

Hammes exerceu a coordenação executiva de cursos de especialização realizados na UCPel na área de língua portuguesa e suas literaturas. Entre suas muitas publicações estão “Prontuário de Linguagem e Comunicação”, “Aprendendo a pensar para melhor redigir” e “Dom Antônio Zattera – 3º Bispo de Pelotas”.

Ele foi reitor no período de 1997 a 1999 e, de 2002 a 2010, ocupou o cargo de diretor da Editora Educat. Ao longo de sua carreira na Universidade também prestou assessoria redacional e de tradução a diversos setores da Instituição.

A última homenagem prestada pela UCPel a Hammes ocorreu em março de 2011 e foi marcada pela recolocação de uma placa dada ao professor lourenciano em julho de 1999, por ocasião do título de “Cidadão Pelotense”, concedido pela Câmara de Vereadores. A placa havia sido retirada do hall do Auditório em função de reformas no prédio. Na ocasião, embora ausente, Hammes agradeceu em carta à reitoria pelo ato de reconhecimento e citou sua satisfação em ter feito da UCPel sua segunda casa durante meio século.

- Esta é a Instituição para a qual me dediquei boa parte da minha vida, por 50 anos ininterruptos – ressaltou.

Luto

A Universidade estará com suas atividades acadêmicas e administrativas suspensas na tarde desta segunda-feira (05), em decorrência do falecimento de seu ex-reitor. O velório está ocorrendo na capela A1 do Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula. O sepultamento será às 14h30min.

Fonte: Assessoria de Comunicação e Marketing UCPel

Comente aqui
24 ago17:53

Carnaval de Pelotas lamenta a morte do estilista Gilnei Fontela

Antonio Peixoto, RBS TV Pelotas

O Carnaval de Pelotas perdeu nesta quarta-feira (24) um dos mais talentosos estilistas. O corpo de Gilnei Fontela, de 51 anos, está sendo velado no Cemitério São Francisco de Paula. Gilnei morreu pela manhã de parada cardiorrespiratória, depois de cinco dias internado com suspeita de meningite.

O estilista era aprendiz de Pompilho de Freitas. Em abril foi apresentado como o responsável por contar a história de Pelotas pela escola General Telles, no Carnaval de 2012. Fontela trabalhou com a Academia do Samba nos últimos anos. Com ele, a escola sagrou-se campeã em 2008. Também trabalhou na confecção de fantasias para as tituladas de clube sociais, o que lhe rendeu algumas premiações ao longo da carreira. O enterro será nesta quinta-feira (25), às 10h, no Cemitério São Francisco de Paula.

Comente aqui
03 ago00:19

Morre o jornalista Emerson Vieira

Morreu no final da tarde desta terça-feira (2), o repórter da Rádio Pelotense, Émerson Vieira, 38 anos. Ele teve um mal súbito em sua casa e foi encontrado por volta das 19h. Émerson foi encaminhado para o Pronto Socorro, mas não resistiu.

Natural de Rio Grande, o jornalista trabalhava como narrador esportivo e repórter policial. Em função da morte do profissional, a Rádio Pelotense não transmitiu o jogo entre Brasil e Guarany-Cam, pela Copa Laci Ughini.

O velório é realizado na igreja Santa Terezinha, no bairro Três Vendas. O enterro está marcado para esta quarta-feira (3), às 15h, no cemitério São Lucas, na Boa Vista.


4 comentários
31 jul11:29

Enterrado o corpo do fotógrafo Vilmar Tavares

Foi enterrado na manhã deste domingo, em Pelotas, o corpo do fotógrafo Vilmar Tavares, 58 anos. Ele morreu na tarde deste sábado, em decorrência de falência múltipla dos órgãos.

Vilmar Tavares sofria de câncer e cirrose e estava internado há uma semana no Hospital Santa Casa. Na quinta-feira, após uma piora no quadro de saúde, o fotógrafo já havia sido encaminhado para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Reconhecido no meio jornalístico por seu talento e olhar diferenciado, o fotógrafo atuava há décadas no jornal Diário da Manhã.

3 comentários
30 jul12:12
30 jul12:10

Morre o jornalista e publicitário Salimen Jr.

O publicitário, jornalista e radialista José Salimen morreu aos 77 anos, na madrugada deste sábado, no Hospital São Francisco, da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, vítima de um câncer que o acometeu há pelo menos cinco anos.

Conhecido pelo nome artístico Salimen Jr., ele será velado a partir das 16h deste sábado no Crematório Metropolitano São José, na Capital. Descendente de sírio-libaneses, Salimen Jr. nasceu em 2 de fevereiro de 1934, em Pelotas.

Foi na cidade do sul do Estado que, ainda adolescente, começou sua carreira. Aos 16 anos ingressou na Rádio Cultura como locutor esportivo. Também editava a página esportiva do jornal Opinião Pública. Na época, adotou o nome Salimen Jr., que se tornaria famoso no rádio gaúcho.

Em 1954, trocou Pelotas por Porto Alegre para integrar a equipe da Rádio Farroupilha. Foi locutor comercial e esportivo, posteriormente animador de auditório. Na época das radionovelas, era ator, e narrava os dramas ao vivo.

— Ele era um animador-galã — recorda Samir, um dos quatro filhos do primeiro casamento, com Angelita.

Com a saída de Maurício Sirotsky Sobrinho da rádio, em 1957, Salimen Jr. o substituiu, passando a apresentar o rebatizado Vesperal Farroupilha. Mais tarde, em 1963, o radialista pelotense voltou a substituir Maurício, mas desta vez na Rádio Gaúcha, embrião do Grupo RBS. O programa de Maurício trocou de nome para MS – M de Maurício e S de Salimen.

Depois, o pelotense passou pela TV Gaúcha, fundando mais tarde a TV Difusora, onde foi um dos líderes do trabalho que resultou na implantação da transmissão em cores na TV brasileira. Salimen Jr. também atuou no ramo empresarial e no comando de agências de publicidade, como a Panam – Casa de Amigos, Salimen & Franchini, Publivar e Símbolo Comunicação.

Atualmente, era diretor de Expansão do Jornal do Comércio, em Porto Alegre, no qual assinava uma coluna sobre economia. Sua trajetória foi retrata no livroSalimen, Uma História Escrita em Cores, lançado em 2009.

Além dos cinco filhos do primeiro casamento, Salimen ainda teve outro filho, com sua atual mulher, Arlene.

Comente aqui
15 jul16:15

Morre ex-vice-presidente do Banco do Brasil, Dinar Gigante

Zero Hora

Ex-vice-presidente do Banco do Brasil (BB), o advogado e contador Dinar Gigante morreu no dia 3, aos 93 anos. Natural de Pelotas, no sul do Estado, Gigante começou a carreira no BB como escriturário, tendo exercido a função de gerente em municípios gaúchos como Jaguarão, Montenegro, Porto Alegre, entre outros, e no Exterior, em Buenos Aires, na Argentina. Foi, ainda, chefe de gabinete do ex-presidente do BB Nestor Jost e diretor da área rural da instituição.

Antes da carreira no banco, trabalhou na Livraria do Globo, em Pelotas, onde conheceu a mulher, Idiná, com quem foi casado por 58 anos. Tiveram cinco filhos, que lhes deram 13 netos. Gigante deixa também 10 bisnetos.

O prefeito da Capital, José Fortunati, funcionário de carreira do BB, declarou, via Twitter, que Gigante foi um dos grandes dirigentes da história da instituição.

Comente aqui
13 jul12:37

Morre vereador de Canguçu

Rafael Diverio | Zero Hora

Morreu na madrugada desta quarta-feira (13) o vereador de Canguçu, José Fernando Mota, o Zé Fernando (PP), 62 anos. O velório está sendo realizado no Salão Nobre da Casa de Cultura Marlene Barbosa Coelho. Ele sofreu um mal súbito quando estava em sua residência. O enterro será às 17h no cemitério municipal.

A Câmara de Vereadores decretou luto oficial de três dias e cancelou as atividades previstas para hoje. Zé Fernando estava em seu primeiro mandato como vereador e ocupava o cargo de primeiro vice-presidente da Casa. Ele deixa uma filha e três netos.

Comente aqui
30 jun12:33

Nota de falecimento: Agniska Donai Rodrigues

Amigos e familiares informam, com pesar, o falecimento de Agniska Donai Rodrigues, de 92 anos.

Ela era natural de Camaquã, mas morava em Pelotas. A costureira aposentada deixa o marido, com quem foi casada por 60 anos, duas filhas, cinco netos e uma bisneta.  

Agniska morreu de causas naturais nesta quarta-feira (29) e está sendo velada no Cemitério São Francisco de Paula. O enterro acontece nesta quinta-feira (30), às 15h.

Católica, a aposentada partiu no dia de São Pedro.

Comente aqui