clicRBS
Nova busca - outros

Consumo

05 mai11:21

Bazar de Dia das Mães do Cetres segue até sexta-feira

Organizado pelas integrantes da oficina de arte e terapia do Centro de Extensão em Atenção à Terceira Idade (Cetres) da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), o bazar em comemoração ao Dia das Mães está movimentando alunas e voluntárias que se dedicam aos bordados, tricôs, crochês e pinturas. Tudo está exposto para venda como sugestão de presente no Campus I da Universidade, até sexta-feira (06).

Cerca de 150 pessoas estão envolvidas no evento. O objetivo, segundo a coordenadora do Centro, Sulanita Arruda, é levar ao público o que se produz nas oficinas.

- Elas [as integrantes] se sentem valorizadas e prestigiadas. Além disso, há a troca de saberes: elas ensinam e aprendem novas técnicas. É gratificante o trabalho realizado – disse.

Vinda de Passo Fundo há dois anos, Celita Zanolla encontrou no Cetres amizade e integração. Ela atua como voluntária da oficina de criatividade, que ensina bordado e aplicações de patchwork.

- Chega um momento em que todo o ser humano precisa se doar. Nosso grupo é uma partilha de amor, de valores, do dia a dia de nossas vidas – afirmou.

Para manter distância da solidão, desde que ficou viúva, Olga Casarin, de 60 anos, é uma das integrantes mais presentes nas atividades promovidas pelo Cetres. Além de fazer aulas de pilates, ela também frequenta várias oficinas, como a de artesanato em tecido, pintura em madeira e tear.

- Aqui convivo com pessoas da minha idade, tenho amigas e me sinto útil. Lamento que a semana tenha somente sete dias, pois me falta tempo para fazer tanta coisa! – brinca.

O bazar do Dia das Mães acontece até sexta-feira (6), das 8h às 18h, no Espaço de Convivência do Campus I da UCPel (Rua Gonçalves Chaves, 373).

Comente aqui
02 mai12:45

Sazonalidade gera oscilações dos custos do Cesto e da Ração

Depois de sofrerem alta no mês de março, o Cesto Básico e a Ração Essencial registraram pequenos índices de queda no mês de abril. O custo do carrinho com 51 itens e do cestinho de compras de 13 produtos, de acordo com pesquisa do Procon realizada em três redes de supermercados de Pelotas, apresentou redução de 0,89% e de 2,11%, respectivamente, no mês de abril em relação ao mês anterior. No levantamento feito em março, os custos haviam subido 0,76% e 2,8%, respectivamente, no comparativo com os preços de fevereiro.

Responsável pelo levantamento, a chefe do Serviço de Educação ao Consumidor do órgão, Nóris Fonseca Finger, justifica estas oscilações.

- Os hortifrutigranjeiros apresentam variações mês a mês em razão da sazonalidade, isto é, da época do ano em que determinado produto agrícola está na safra e, logo, mais barato – explica Nóris.

No mês passado, o Cesto Básico foi cotado em R$ 472,16, valor que representou a economia de R$ 4,24 para o consumidor, cujo desembolso em março, pelos mesmos artigos, foi de R$ 476,40. Neste mesmo período, o preço da Ração Essencial –  conjunto de gêneros alimentícios indispensáveis à subsistência de um indivíduo durante um mês - caiu de R$ 221,73 para R$ 217,06, ou seja, esteve à venda por R$ 4,67 a menos.

Observando as principais diferenças de abril, na listagem abaixo, pode-se verificar o quanto a questão produtiva interfere no “sobe e desce” dos valores. Exemplo dessa alternância, destaca a chefe do departamento do Procon, é o repolho, que ocupou em março o segundo lugar do ranking de aumentos (40,21%) e, em abril, passou a figurar como líder do pódio de maiores quedas (28,68%).

Apesar da alta da batata inglesa de 28,57%, o pelotense tem alternativas para consumo de carboidrato, importante fonte de alimentação diária. Uma delas é o arroz, cujo preço está entre as cinco principais reduções de abril (9,39%).

- A principal dica é sempre pesquisar. A carne moída de segunda, por exemplo, chega a custar R$ 7,98 num estabelecimento e até R$ 12,30 em outro – alerta a educadora do Procon.

Nóris, no entanto, faz uma ressalva: comparar valores é importante, mas em primeiro lugar deve-se optar por qualidade, já que se trata de garantir a saúde própria e da família.


AUMENTOS EM ABRIL

1) Batata Inglesa (Kg): 28,57%

2) Alface 10,10%%

3) Banana: 8,95%

4) Erva para chimarrão: 8,19%

5) Carne de frango: 7,60%


QUEDAS EM ABRIL

1) Repolho: 28,68%

2) Tomate: 17,82%

3) Laranja: 15,74

4) Massa de tomate: 10,50%

5) Arroz: 9,39%


PREÇOS ESTÁVEIS EM ABRIL

1) Linguiça fresca embalada

2) Cigarros


Comente aqui
29 abr10:09

Cetres debate os direitos do consumidor com foco na terceira idade

Palestra nesta sexta-feira (29) na sede do Centro de Extensão em Atenção à Terceira Idade da Universidade Católica de Pelotas (Cetres/UCPel) vai abordar os direitos do consumidor, com foco na terceira idade. O evento acontece às 14h na avenida Domingos de Almeida, 3.150, e integra a programação mensal do ciclo Conversando com a Terceira Idade.

A palestrante, Claíssa Ribeiro, advogada que atua na área de cidadania e direitos humanos, defende a prioridade que deve ser dada às pessoas da terceira idade:

- Seus direitos, muitas vezes, são desrespeitados. Isso ocorre porque a sociedade ainda esquece a importância do idoso e as necessidades que ele tem – argumenta.

A coordenadora do Cetres, Sulanita Arruda, enfatiza a importância do encontro.

- Queremos alertar àqueles que não sabem sobre seus direitos e fazer com que lutem por eles – disse.


1 comentário
19 abr17:00

Feira do Pescador acontece a partir desta quarta-feira

Acontece a partir desta quarta-feira (20) até a sexta-feira (22), em 14 locais da cidade, a Feira do Pescador – uma oportunidade para a comunidade adquirir o ingrediente principal para o tradicional cardápio da Sexta-Feira Santa diretamente com pescadores da Colônia Z-3, em 14 pontos da cidade.

O projeto é viabilizado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, por meio da gerência de apoio à agricultura familiar e à pesca artesanal.

Confira abaixo a lista de locais onde os pescados estão sendo comercializados, das 8h às 19h:



- Avenida Salgado Filho (na esquina do Macro Atacado Krolow e em frente ao Kiko Baterias)

- Cohab Lindóia (próximo à UBS)

- Curva da Morte (próximo à praça)

- Avenida Duque de Caxias (em frente à Laneira e ao supermercado Paraíso)

- Avenida República do Líbano (em frente ao supermercado Pois Pois)

- Avenida Bento Gonçalves (próximo ao supermercado Nacional e ao Parque Dom Antônio Zattera)

- Cohab Guabiroba

- Feira do Entardecer (próxima ao hipermercado BIG)

- Cohab Fragata (próximo ao supermercado Pois Pois)

- Rua Tiradentes (na rótula)

- Laranjal (avenida Rio Grande do Sul)

Comente aqui
12 abr17:54

Feira agrega saúde, desenvolvimento econômico e sustentabilidade

Mais uma edição da feira mensal “Bem da Terra, Comércio Justo e Solidário” foi realizada nesta terça-feira (12). A atividade ocorre uma vez por mês, em frente ao Campus I da Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

A preocupação em ter uma alimentação saudável e conhecer a procedência do que se vai consumir atrai dezenas de pessoas que buscam a garantia de levar para casa produtos de qualidade, comercializados diretamente do produtor, como leite, pães, queijos e sucos orgânicos, além de verduras e legumes sem agrotóxico. A feira ainda oferece produtos de artesanato, vestuário e jardinagem. Cerca de vinte expositores participam das atividades.

Conforme um dos coordenadores da Associação Bem da Terra, promotora do evento, Adão José Vaz de Oliveira, o número de expositores tem aumentado a cada mês. Os proprietários do Sítio Saracura, de Morro Redondo, são exemplos do interesse em participar das próximas edições.

- Queremos divulgar nosso sítio e o que fazemos lá – disse Marília Heineck.

- Trabalhamos com recursos renováveis e energias livres – completou Ricardo Petry, que aplica técnicas de cuidado com a terra e com as pessoas, incluindo estratégias de habitação ecológica, saneamento responsável, energia renovável, segurança alimentar e cuidado com a água.

Um dos diferenciais que o casal pretende levar para o consumidor da feira são as geleias orgânicas.

- Temos a preocupação de repensar a responsabilidade do ser humano e os recursos naturais – explicou Petry.

Incentivar a cultura local também faz parte dos objetivos do projeto. Por isso, usuários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS Escola) que integram o Grupo Musical Felizarte tornaram a tarde mais agradável e diferente com uma apresentação.

A feira “Bem da Terra, Comércio Justo e Solidário” ocorre uma vez por mês e ocorre sempre a partir das 9h até as 19h30min. A próxima está agendada para o dia 10 de maio. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail bemdaterracjs@gmail.com.

Comente aqui
07 abr11:32

Feira Bem da Terra retorna dia 12

A feira mensal Bem da Terra – Comércio justo e solidário terá sua segunda edição de 2011 na próxima terça-feira (12), em frente ao Campus I da Universidade Católica de Pelotas (UCPel).

Produtos artesanais de decoração e consumo estarão expostos e serão comercializados. O objetivo é levar ao centro da cidade a produção de agricultores e artesãos locais, valorizando seu trabalho.

A segunda edição da feira já tem confirmada a apresentação do grupo vocal Esperança, cujos integrantes são usuários dos Centros de Atenção Psicossociais (CAPs) de Pelotas. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail bemdaterracjs@gmail.com.


Comente aqui
05 abr13:11

Preço da gasolina chega a quase R$ 3

Sabrina Ongaratto, RBS TV Pelotas

Os combustíveis estão custando mais caro. Algumas companhias chegaram a reajustar os preços três vezes nos últimos sete dias. O aumento mais significativo foi no último final de semana, quando o preço da gasolina em Pelotas aumentou de 3 a 4%.

Alguns consumidores nem notaram, outros demoraram mais para se dar conta… Para outros ainda, a diferença “gritou” diante dos olhos.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis no Rio Grande do Sul, a explicação para o aumento é que desde o início do ano o preço do etanol, ou seja, do álcool, vem subindo, o que reflete no preço da gasolina, que tem cerca de 25% de etanol em sua composição. Se o preço do etanol sobe, da gasolina também sobe.

O preço da gasolina que custava em média R$ 2,89 agora varia, de acordo com o posto, entre R$ 2,93 e R$ 2,97. O litro da gasolina aditivada já chega a R$ 3,04 e o do álcool a R$ 2,93.

>> Leia também: Gasolina de Pelotas é a quinta mais cara do Estado

>> Vídeo: Assista à reportagem exibida no RBS Notícias desta terça-feira (4).

1 comentário
01 abr13:09

Cesto Básico custou R$ 476,40 em março

Pesquisa do Procon Pelotas realizada em três redes de supermercados do município apontou um acréscimo, no mês de março, de 0,76% no custo do Cesto Básico em relação ao mês de fevereiro. Para adquirir os 51 produtos da lista, o consumidor pelotense precisou desembolsar neste último mês R$ 476,40, R$ 3,60 a mais que no mês anterior.

A Ração Essencial, composta de 13 produtos, também ficou mais cara. Apresentou um acréscimo de 2,80% totalizando R$ 221,73. No mês de fevereiro a dona de casa precisava desembolsar R$ 215,70, uma diferença de R$ 6,03.

Segundo o Serviço de Educação ao Consumidor do Procon, a pesquisa é baseada em estudo do Núcleo de Pesquisa e Estatística do Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, determinada a partir de informações da Pesquisa Orçamento Familiar realizada pelo IBGE.

A cebola foi o produto que teve maior aumento, 52,08%. Já o preço da alface, que havia apresentado alta de 107,89% no mês passado, agora teve queda de 37,34%. Produtos como o detergente líquido, o pão francês, o gás de cozinha e cigarros se mantiveram com preços estáveis.


O que ficou mais caro

1) Cebola: 52,08%

2) Repolho: 40,21%

3) Cenoura: 18,91%

4) Tomate: 13,17%

5) Leite Longa Vida Integral: 11,67%


O que ficou mais barato

1) Alface: 37,34%

2) Vinagre de álcool: 13,86

3) Laranja: 7,95%

4) Refrigerante 2L: 6,32 %

5) Iogurte c/ sabores 600gr: 5,84%


Comente aqui
01 abr11:50

Gasolina de Pelotas é a quinta mais cara do Estado

Pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizada de 20 a 26 de março em 43 municípios do Estado mostra que o preço médio da gasolina comum em Pelotas (R$ 2,811) é o quinto maior do RS. O valor médio do combustível só é mais alto que aqui em Rio Grande (R$ 2,824), Santa Vitória do Palmar (R$ 2,827), São Gabriel (R$ 2,834) e em Jaguarão (foto), que tem a gasolina mais cara do Estado (R$ 2,847). Entre os municípios gaúchos, Osório é onde se abastece por um preço médio mais baixo (R$ 2,542).

>> Receba as principais notícias do clicRBS Pelotas no seu celular!

A reportagem especial de Joana Colussi publicada hoje (1º) em Zero Hora mostra que o litro da gasolina subiu, em média, R$ 0,10 nesta semana no Estado. A disparada dos preços dos combustíveis no Rio Grande do Sul, que fez o litro da gasolina se aproximar dos históricos R$ 3 nesta semana, reforça a variação nas bombas em diferentes regiões do Estado e revela distorções entre cidades.

Numa comparação média, utilizando pesquisa da ANP, observa-se desde valores discrepantes entre municípios vizinhos a preços semelhantes entre cidades localizadas a uma distância centenas de quilômetros maior em relação à refinaria da Petrobras, em Canoas.

Em Chuí, no extremo sul gaúcho, por exemplo, o preço médio da gasolina é R$ 0,15 menor ao da vizinha Santa Vitória do Palmar. Na cidade da fronteira, localizada a 541 quilômetros de Canoas, o litro da gasolina é semelhante ao de Lajeado, que fica a 108 quilômetros da cidade na Região Metropolitana. No comparativo, municípios como Uruguaiana, no extremo oeste gaúcho, e Santa Maria, na região Central, apresentam quase o mesmo valor médio.

Conforme levantamento da ANP, referente à semana encerrada no dia 26, a diferença entre o município gaúcho com a média mais alta no preço da gasolina e a mais baixa era de R$ 0,30 – variação de 12%. Enquanto em Jaguarão, na Fronteira Oeste, o litro da gasolina comum, custava em média R$ 2,847, em Osório, no Litoral Norte, o preço era de R$ 2,542. No etanol, a variação era ainda maior: chegando a R$ 0,68 entre a média mais alta, Pelotas, e a mais baixa, Rio Grande – variação de 34,2%.

– A formação de preço é livre, levando em conta a planilha de custos e a margem de lucro do estabelecimento – explica Adão Oliveira, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do RS (Sulpetro).

>> Leia esta reportagem na íntegra e confira os infográficos na edição impressa de ZH.


Fatores que definem o valor

Frete

A distância das refinarias influencia no preço pago pelos consumidores. Quanto mais longe da Refap, em Canoas, mais cara tende a ser a gasolina vendida no Estado. Em relação ao etanol, a distância calculada tem como base as usinas de São Paulo – que produzem 70% do total de etanol do país.

Custos de operação

Cada posto de combustível tem uma planilha de custos variável, que vai desde gastos com água, energia, aluguel, até número de funcionários e encargos sociais.

Concorrência local

O mercado tem características diferenciadas em cada município. Enquanto em determinadas cidades a concorrência é mais acirrada, como em Porto Alegre, em outras a competitividade menor pode permitir que os postos tenham uma margem maior de lucro – já que não conseguem variar muito no volume de litros comercializados ao mês.

Preço livre

A definição dos preços é livre e atribuída a cada revendedor. Por isso, pode haver variações também no valor vendido pelas distribuidoras aos postos de combustíveis. Com uma margem maior de compra, por exemplo, o revendedor pode conseguir melhores preços nas distribuidoras.


>> Leia também: Alta tende a se manter em abril

>> E mais: Valor deve ser o mesmo no cartão, alerta Procon


5 comentários
29 mar15:13

Comércio espera aumento de 5% nas vendas de Páscoa

Evelyn Bastos, RBS TV Pelotas

A Páscoa este ano é só no finalzinho do mês de abril, dia 24, mas as lojas já estão abarrotadas de chocolates, e o comércio aposta em novidades para chamar a atenção de um novo consumidor.

Dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates mostram que 80% dos produtos desenvolvidos para este ano são lançamentos. Novidades que acompanham a mudança na pirâmide social brasileira: em 2010, mais de 19 milhões de brasileiros migraram para a classe C.

Para conquistar essa clientela, o chocolate está em evidência nas prateleiras de praticamente todo o comércio, inclusive em lojas de departamentos. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Pelotas (Sindilojas), a estratégia adotada por muitas empresas serve como um atrativo a mais. Com um maior público consumidor em potencial, a expectativa é que as vendas aumentem 5% este ano.

Seguindo o costume bem brasileiro de deixar as compras para a última hora, por enquanto as vendas ainda são consideradas moderadas, mas as contratações já estão a todo vapor. Algumas empresas registram aumento de até 40% no quadro de funcionários nesta Páscoa. A vendedora Taymara Duarte, que estava há sete meses sem emprego, foi uma das que se beneficiou com a abertura de vagas em uma loja especializada.

- Pascoa, né?! Nessa época é bem mais fácil conseguir emprego em uma loja de chocolates – comemora.

Quanto você pretende gastar com presentes de Páscoa este ano?survey software

Comente aqui