clicRBS
Nova busca - outros

Obras

12 jul17:29

Obras de recuperação do Mercado Central são retomadas

Depois de meses de impasse e de cobrança junto ao governo federal, a Secretaria de Cultura do Município (Secult) recebeu os recursos devidos para que as obras internas do Mercado Central tenham continuidade. A informação foi repassada pelo titular da pasta, Ulisses Nornberg. Segundo ele, a interrupção no repasse de recursos por parte do governo federal manteve as obras paralisadas, prejudicando o cronograma previsto anteriormente. A partir de agora, as obras devem ser retomadas pela empresa Marsou Engenharia Ltda, responsável pela execução. O secretário estima que a partir da retomada dos serviços, a obra esteja concluída em, no máximo, seis meses.

A obra – Orçada em R$ 2.269.499,77 a intervenção prevê requalificação da estrutura do prédio, a troca do telhado, instalação de nova rede elétrica, hidráulica e lógica, bem como a manutenção das estruturas de ferro que sustentam o telhado. O projeto prevê também a instalação de rede de gás, sistema de prevenção contra incêndio, substituição total do piso atual por ladrilhos hidráulicos, restauração do jardim interno e instalação de sanitários na parte interna do prédio.

As bancas estão sendo reconstruídas nas medidas especificadas no projeto e recuadas em 10 cm para que as colunas em ferro permaneçam visíveis e os corredores centrais tornem-se mais largos em relação às medidas atuais. Todas as bancas passarão a contar com o forro em gesso acartonado e piso em ladrilhos hidráulicos, com padrões diferentes dos utilizados nos corredores de circulação.

Completam o projeto a manutenção de condutores, calhas e rufos. A requalificação da parte externa do prédio já foi concluída, sendo sua última fase composta pela reforma das esquadrias do prédio que, após restauradas, voltaram à sua forma original. Antes da intervenção externa, a última grande reforma aconteceu há cerca de 40 anos, após o prédio ter sofrido um sinistro.

Comente aqui
26 abr15:09

Instaladas novas comportas no Canal Santa Bárbara

A Coordenadoria de Esgotos Pluviais do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep) finalizou na manhã desta terça-feira (26) a colocação das novas comportas entre um canal auxiliar e o canal Santa Bárbara, na Casa de Bombas da Vila Farroupilha.

Quatro novas tubulações metálicas de 800 milímetros com tampas vedantes foram instaladas no duto que tem dupla funcionalidade. A primeira é a de contensão: evita que a água do Canal Santa Bárbara, quando no extremo da sua capacidade, mande água para o canal auxiliar transbordando para as adjacências. A outra função é a de escoamento do canal auxiliar para dentro do Santa Bárbara,  quando é dispensado o uso das bombas.

O trabalho encaminha a conclusão das obras de melhorias em todo o conjunto de drenagem da Casa de Bombas da Vila Farroupilha, quase em frente ao Terminal Rodoviário, para contensão de cheias. Trabalho semelhante foi feito na Casa de Bombas da Vila Castilhos, próximo à ponte localizada no final da rua Cassiano.

Comente aqui
25 abr19:50

Obras de recuperação das pontes da BR-116 ainda não começaram

Sabrina Ongaratto, RBS TV Pelotas

Um mês e meio depois da enxurrada que atingiu São Lourenço do Sul e Turuçu ainda não começaram as obras nas duas pontes que foram danificadas na BR-116. Nesta segunda-feira (25), a equipe de reportagem da RBS TV voltou até o local e não encontrou ninguém trabalhando nas obras.

A forte chuva do dia 9 de março levou parte da ponte do quilômetro 469. Um mês e meio depois, apenas um desfio foi construído para que o tráfego de veículos fosse liberado. A responsabilidade de reconstruir o trecho é da Ecosul, empresa administradora do polo rodoviário.

A assessoria de imprensa da concessionária disse que está aguardando um laudo dos técnicos que vai apontar que tipo de ponte deve ser construída. De acordo com a empresa, esta primeira fase é a mais demorada do processo e, por isso, ainda não há previsão de quando as obras vão começar.

No quilômetro 477 também foi construído um desvio. Lá o problema é com a cabeceira da ponte. Segundo a Ecosul, foi preciso interromper a passagem de veículos para fazer a manutenção, mas aparentemente este trabalho também está parado.

No site da Ecosul é possível acompanhar imagens do trânsito no desvio do quilômetro 469 atualizadas minuto a minuto.

>> Vídeo: Assista à reportagem exibida no RBS Notícias desta segunda-feira (25).

2 comentários
12 abr17:38

Requalificação do dique da Castilho avança

Cerca de duas mil toneladas de lixo – depositado ilegalmente – já foram removidas até agora do dique da Vila Castilho pelo Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep), em pouco mais de um mês de trabalho no local.

A remoção visa, além da limpeza da área, concretizar a obra no dique existente, a fim de prevenir e conter possíveis cheias, consequentes de fortes precipitações. A retirada dos resíduos deve trazer também benefícios e proporcionar melhor qualidade de vida aos moradores do Município, em especial aos moradores das comunidades da Vila Castilho, Farroupilha, Cerquinha, Terminal Rodoviário e adjacências.

Segundo o Sanep, a obra está em estágio avançado e deve ser concluída em dois meses. Orçada em R$ 180 mil, consiste na ampliação e requalificação do dique, aumentando a altura para três metros, com quatro metros de largura de crista (parte superior do talude), em uma extensão que ultrapassa um quilômetro em forma de “L”, desde o canal Santa Bárbara até o loteamento da Castilho. Para a execução do projeto, mais de 24 mil metros cúbicos de aterro serão utilizados.

Comente aqui
31 mar11:21

Moradores da Rua Hulha Negra esperam pelo saibro

Itatiara Souza da Silveira, Leitora-Repórter

Estou aqui para ver se alguém ajuda a resolver a situação da Rua Hulha Negra, no Laranjal, onde os moradores esperam por providências. A rua está neste estado por causa da colocação dos canos de esgoto, desde o ano passado. Ligamos para a Prefeitura, primeiro informaram que não tinham saibro e agora dizem que não tem caminhão para transportar o saibro. Enquanto isso ficamos assim, na lama.

Depois das chuvas a rua ficou toda alagada. No buraco da esquina colocaram uns pedregulhos e ficou ainda pior, com perigo de alguém cair e se machucar.

Na vizinhança moram um senhor que é cadeirante, que simplesmente não pode sair de casa. Aí eu pergunto: onde está nosso direito de cidadãos?


Contraponto

Segundo o diretor-presidente do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep), a tubulação que está sendo instalada é muito profunda, e leva tempo para que o solo seque e assente. Mesmo assim ele considerou anormal a demora na recuperação da via.

- Em média, dentro de um mês depois da intervenção a rua já deve estar consertada. Deve ter acontecido um vazamento, ou alguma coisa de anormal – informou ele, que prometeu solicitar à fiscalização da obra a verificação do caso ainda esta tarde, e cobrar providências da empresa responsável pela execução do projeto.

Comente aqui
23 mar11:16

TCU suspende licitação para a duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas

Léo Saballa Jr., Zero Hora

A previsão de R$ 54,6 milhões para a compra de aterro para a duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas levou o Tribunal de Contas da União (TCU) a suspender a licitação da obra. A decisão foi tomada pelo ministro Walton Alencar Rodrigues em 14 de fevereiro, mas somente nesta terça-feira (22) chegou ao conhecimento da bancada gaúcha no Congresso.

>> Receba as principais notícias do clicRBS Pelotas no seu celular!

Considerado oneroso demais na licitação, o item se refere a indenizações de jazidas. Na prática, trata-se do material que é usado para o aterro do asfalto. O valor é contestado pelo ministro, que considera o gasto desnecessário.

— Nos aterros das rodovias, usualmente, se emprega o solo que se encontra ou na faixa de domínio na rodovia ou próximo, não mediante aquisição, mas a simples retirada desse material para compor esse aterro. É um material abundante, não é explorado comercialmente — explica José Ulisses, secretário de Obras do TCU.

O diretor de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), Hideraldo Caron, informou que o valor se refere a uma média da cotação de mercado do material.

Além dos gastos com o aterro, o TCU também questionou outros R$ 44 milhões, que teriam preços acima do valor de mercado, e outros R$ 16 milhões destinados a gastos com transporte. No total, a obra está orçada em R$ 1 bilhão.


Decisão surpreende prefeito de Pelotas

A informação surpreendeu o prefeito de Pelotas, Adolfo Antonio Fetter (PP), que viajava pela rodovia no início da noite de terça-feira.

— É uma péssima notícia — disse.

Segundo ele, a duplicação da via está em discussão há pelos menos 10 anos e é urgente desde aquela época. Para Fetter, a estrada é de vital importância para a Região Sul, mas também para todo o Estado.

— Toda a produção do Rio Grande do Sul sai pelo porto de Rio Grande: o fumo de Santa Cruz, os calçados do Vale do Sinos, os móveis de Gramado, a soja do Planalto — argumentou.


Deputados dizem que já há proposta para baixar valor

A notícia pegou de surpresa os parlamentares que, rapidamente, organizaram um pequeno grupo liderado pela coordenadora da bancada do Rio Grande do Sul, deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS). Com ela, foram até o TCU os deputados José Otávio Germano (PP-RS) e Fernando Marroni (PT-RS).

>> Leia mais na edição impressa de Zero Hora desta quarta-feira.

Comente aqui
20 jan12:22

Liberada verba para asfaltar o Distrito Industrial

O deputado federal Fernando Marroni (PT-RS) e o prefeito de Pelotas, Adolfo Fetter Júnior (PP) esta semana de ato de assinatura do convênio entre município e Caixa Econômica Federal que libera R$ 1,976 milhão para a primeira etapa das obras de asfaltamento do Distrito Industrial. O recurso foi garantido em 2010 através de emenda parlamentar ao Orçamento da União proposta por Marroni.

O asfaltamento possibilitará o crescimento do setor que atualmente emprega 11,3 mil trabalhadores e gera um PIB total de R$ 1,2 bilhão ao município.

O dinheiro será usado para pavimentação das vias Pinheiro Machado, Lauro Ribeiro, Sítio Dona Ana, Giuseppe Mattea e Antônio Satte Alam, conforme o projeto elaborado pela Secretaria de Obras. Até o final de 2011 outros R$ 2,7 milhões deverão ser destinados ao município para completar a obra, também através de emenda parlamentar.

Segundo o prefeito Fetter, a partir da finalização das obras de pavimentação será criado um novo acesso ao Centro de Eventos da Fenadoce. A obra terá início nos próximos meses, logo após o encerramento dos trâmites legais do processo de licitação, caracterizando-se como contrapartida do Município. Nesta primeira etapa a contrapartida da prefeitura é de R$ 724 mil.


Comente aqui
17 jan17:24

Banco Mundial aprova licitações de empreendimentos na Colônia

O Banco Mundial, financiador do Projeto Pelotas Polo do Sul, homologou na última sexta-feira (14), os processos de licitação pública de execução de dois empreendimentos: 12 pontes em concreto e um sistema de abastecimento de água, de tratamento convencional e de redes de distribuição, ambos na zona rural. Os contratos, avaliados em R$ 3,87 milhões, deverão ser analisados e assinados pelo prefeito Adolfo Antonio Fetter ainda esta semana, conforme o coordenador geral da Unidade Gerenciadora de Projetos (UGP), Jair Seidel.

As empresas vencedoras são as gaúchas Terra Sul – que construirá a rede de água no Bachini, Vila Nova e Ponte Cordeiro de Farias –, Sogel e EPT Cadiz, escolhidas para executar as 12 travessias no interior.

- Cada uma delas será responsável pela metade das empreitadas. O total de pontes foi dividido em lotes, de acordo com as regiões geográficas, a fim de agilizar as obras – explica Seidel. A previsão da Prefeitura é que máquinas e funcionários cheguem à região da colônia em fevereiro.

Além de melhorar o sistema viário do meio rural, as novas pontes deverão facilitar o transporte das safras. Por meio do novo sistema de água, o governo espera levar água tratada e encanada para cerca de 4 mil moradores do interior de Pelotas. O projeto executivo foi elaborado pelo Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SDR).

Comente aqui
12 jan12:45

Uma pinguela no caminho das charqueadas

Desde o início desta semana moradores do Areal – Fundos estão precisando se adaptar a uma nova realidade: a ponte de madeira que substituía há anos a histórica Ponte dos Escravos sobre a Sanga do Passo Fundo, na Estrada da Costa (Rota das Charqueadas), foi desmanchada para a construção da nova ponte de concreto. Lá embaixo, nas águas que seguem rumo ao Arroio Pelotas, ainda estão os tijolos antigos derrubados pela enxurrada.

Ao lado foi feita uma pinguela para a passagem de pedestres e foi ali que o fotógrafo Nauro Júnior registrou este flagrante: um grupo se equilibrava na estreita passagem carregando um berço.


Como a passagem dos carros está suspensa, os extremos da ponte viraram um estacionamento, onde moradores deixam os carros e seguem a pé ou de ônibus para o centro ou para o bairro. As fundações na nova ponte já começaram e a obra deve durar três meses.


Caminho da história

Segundo a pesquisadora Zênia de Leon, a Ponte dos Escravos original, que foi destruída pela enchente, foi construída em 1875 por escravos do charqueador Joaquim Assumpção.

8 comentários
06 jan17:59

Navegantes recebe melhorias em infraestrutura

As secretarias de Serviços Urbanos (SSU), Desenvolvimento Rural (SDR) e o Sanep estão trabalhando esta semana em cinco frentes na região do Navegantes. No início da semana, o Sanep em parceria com a empresa Fonseca Júnior, começou a instalação de rede de esgoto, primeiramente em 50 residências do bairro Navegantes I. Numa segunda etapa da obra, 770 habitações daquela região também serão beneficiadas. O Sanep, com outra equipe de trabalho, iniciou nesta quinta-feira (06) a limpeza do canal da avenida Cidade de Rio Grande, beneficiando os moradores dos bairros Navegantes I, II e III.

Em outra frente de ação, no Navegantes III, segundo informações do coordenador do setor de Limpeza Urbana, Luís Ronaldo Souza, a SSU iniciou a reforma de uma ponte de madeira localizada no entroncamento das avenidas Bento Gonçalves e Cidade de Rio Grande, onde serão substituídas as escoras, tirantes e outros componentes que apresentam problemas. Aterramento das cabeceiras e o reforço nas vigas também estão previstos pelo setor.

Paralelamente a essa reforma, a SSU iniciou o aterramento das cabeceiras da ponte de concreto, que conforme Souza substituirá a de madeira. A nova ponte faz parte do projeto da Prefeitura de construção de 11 pontes urbanas e 36 rurais; todas em concreto.

A SSU, em outra atuação, através do setor de limpeza urbana, deve  finalizar ainda nesta sexta-feira (07) os serviços de roçado de capim e recolhimento de entulhos em toda a região do Navegantes.

Comente aqui