clicRBS
Nova busca - outros

Rural

08 out12:39

Angus e brangus entram em pista na Expofeira

Joice Bacelo | joice.bacelo@zerohora.com.br

Foi com uma tourada com média de peso de 850 quilos que as cabanhas Santa Eulália e Pedra Só se apresentaram no leilão dos exemplares das raças angus e brangus, na Expofeira de Pelotas. Em pista, 90 reprodutores e 20 fêmeas.

Até as 21h30min desta sexta-feira, de acordo com a Knorr Remates, haviam sido comercializados 42 touros PC a uma média de preço de R$ 6,46 mil, movimentando R$ 271,2 mil. Entre os reprodutores PO, foram vendidos 30, com valor médio de R$ 6,71 mil e total de R$ 201,28 mil. No ano passado, a média geral ficou em R$ 7,5 mil, e a renda total, incluindo as fêmeas, superou os R$ 500 mil.

Em pista, destaque para o exemplar de tatuagem 615, da Santa Eulália, campeão da primeira prova de Desempenho de Avaliação de Reprodutores Angus em Pastejo, realizada em parceria com a Embrapa Sul, em Bagé, que avaliou 25 animais de criadores da raça de todo o Estado. De acordo com o proprietário da Santa Eulália, Joaquim Mello, o animal de dois anos teve a melhor avaliação de área de olho de lombo, carcaça e marmoreio, além do melhor desempenho no ganho de peso.

O leilão, que tem a chancela da Associação Brasileira de Angus e integra a programação da 85ª Expofeira de Pelotas, apresentou somente animais rústicos, criados totalmente a pasto.

Em Bagé, na Campanha, a 99ª edição da Expofeira, teve início ontem com o desembarque dos primeiros animais. Na segunda-feira, haverá o leilão, chancelado pela Associação Brasileira de Hereford e Braford. Segundo o presidente do núcleo das raças, Gustavo Camponogara, o pregão deve reunir 50 touros hereford e 30 braford. No final de semana, será a vez dos julgamentos, que começam hoje com os animais de argola e seguem durante o domingo com os rústicos. Neste ano, serão 200 rústicos e 20 animais de argola que disputam os grandes campeonatos. A expofeira de Bagé ocorre até o dia 16 no Parque de Exposições Visconde Ribeiro Magalhães.

Comente aqui
02 jul19:24

Embrapa apresenta novas variedades de batata doce

Tamires Guedes*

A laboratorista Nara Elaine Moreira Rocha, do Laboratório de Imunologia e Microscopia da Embrapa, apresentou nesta semana, no estande da instituição na Fenadoce, três diferentes cultivares de batata doce: cuia, amélia e rubissol, produzidas pelo pesquisador Luis Antônio Suita de Castro.

Para isso, foram distribuídas gratuitamente mudas das três variedades, além da degustação de doces feitos de duas variantes – a cuia e a amélia – com uma pesquisa de opinião do consumidor. Nara diz que houve aceitação das duas variantes pelas pessoas de todas as faixas etárias e localidades.

A Embrapa faz pesquisas com batata doce há mais de 20 anos. Há três anos, este trabalho tem sido focado para o lançamento das cultivares. Dentre 100 variantes pesquisadas, as três lançadas no estande da Embrapa na Fenadoce são as que se sobressaíram, já que possuem maior capacidade de produção, além de fornecerem um tubérculo com melhor  tamanho e mais aceito pelo produtor.

A produção das mudas é de responsabilidade da Frutiplant, em Cerrito Alegre, sob a responsabilidade de Claudiomar Ficher. O produtor rural interessado deve entrar em contato com a Frutiplant para a aquisição das plantas que geram tubérculos de, em média, 300g, cada.

* Acadêmica de Jornalismo (UCPel)

Comente aqui
19 mai14:39

Universidade Federal de Pelotas aposta na sustentabilidade para preparar profissionais agrícolas

Nestor Tipa Júnior, Canal Rural

A Universidade Federal de Pelotas é uma das principais do Rio Grande do Sul. Localizada em uma região de grande tradição agropecuária, o curso de agronomia busca manter um projeto pedagógico voltado à sustentabilidade e com embasamento científico.

Atentos ao momento que vive o setor, eles buscam também incentivar a gestão tecnológica, sempre com uma visão holística da agricultura. O coordenador do Curso de Graduação de Agronomia da UFPel, Edemar Rossetto, explica que o objetivo é formar um profissional com uma visão crítica e com criatividade para a solução de problemas.

– O perfil do nosso egresso com o nosso projeto pedagógico é para formar um profissional que tenha uma visão crítica e também criativa tanto na identificação quanto na solução de problemas. Visa também a formação de um conhecimento humanístico, científico e tecnológico –salienta.

O contato com o mercado se dá com os estágios realizados no final do curso. Segundo Rossetto, o mercado está demandando profissionais qualificados, mas que ainda preservem o conhecimento das técnicas e com uma visão sustentável.

– O mercado exige cada vez mais profissionais qualificados e sem perder a noção do todo. Exige um profissional com uma visão holística. E a tendência hoje é a agricultura de precisão, sempre dando uma atenção especial para a sustentabilidade.

O coordenador do curso informa que, com o ingresso no Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, o perfil dos alunos mudou. Antes era um perfil mais do campo, mas que agora tem agregado também alunos oriundos de meios urbanos. A UFPel oferece também o curso de medicina veterinária para assentados da reforma agrária.

Comente aqui
13 mai12:12

Expoarroz acaba nesta sexta-feira

Acaba hoje a segunda edição da Expoarroz. Até agora 20 mil pessoas já passaram pela feira. Vinte e três indústrias estão expondo o arroz produzido no Brasil para corretores e compradores extrangeiros. A Expoarroz acontece no Centro de Eventos Fenadoce e abre às 14h.

Confira a programação do último dia da Expoarroz:

14h: Palestra “O armazenamento hermético na cadeia produtiva do arroz: eliminação de perdas e manutenção da qualidade durante a armazenagem e transporte”.

Palestrante: Tom de Bruin, Sales and Marketing VP

Entidade promotora: Grain Pro, Inc

Local: auditório 1 – Centro de Eventos

Acesso livre

15h: Palestra “Riscos e Oportunidades para as Culturas do Arroz, Soja e a Pecuária na Metade Sul do RS”.

Palestrante: João Antônio Lapolli – engenheiro agrônomo – área de análise econômica e riscos de mercado.

Entidade promotora: Sicredi

Local: auditório 1 – Centro de Eventos

Acesso livre

Comente aqui
09 mai19:20

Expoarroz começa nesta terça-feira

De terça até sexta-feira o Centro de Eventos Fenadoce, em Pelotas-RS, estará recebendo a segunda edição da Exposição Internacional do Arroz. A feira, que reúne instituições pertencentes aos mais diversos elos da cadeia produtiva do arroz, procura consolidar-se como um ambiente focado na realização de negócios.

Diferentemente de outras feiras e exposições do setor, que contam com programação extensa de shows, mostras culturais, artesanatos e entretenimento, buscando representar uma comunidade, a Expoarroz é uma feira de caráter internacional que busca integrar a cadeia produtiva do arroz em um só evento, proporcionando debates e discussões em todos os elos dessa cadeia.

Por essas razões, o acesso à feira é restrito a convidados da coordenação e dos expositores, e é possível apenas mediante credenciamento, a ser realizado na entrada do evento. Segundo o coordenador Fernando Estima, o objetivo não é barrar o público, mas sim garantir que esse público seja de pessoas interessadas nos assuntos abordados e tecnologias expostas na feira.

- Com o credenciamento, é possível que o expositor saiba, no momento em que a pessoa entra no seu estande, se está falando com um produtor, industrial ou representante comercial, por exemplo – completa.

Outro dos grandes objetivos da feira é a promoção do arroz brasileiro no mercado interno e externo, além da construção de oportunidades de acesso ao mercado brasileiro de tecnologias e produtos estrangeiros. Neste sentido, serão realizados eventos paralelos que abordarão desde a pesquisa de sementes e insumos e técnicas de cultivo até a busca por novos mercados para o arroz brasileiro no cenário internacional.

Os cerca de 200 expositores estarão divididos por área de atuação, entre: Indústrias e engenhos; Indústrias de equipamentos para armazenagem e beneficiamento do produto; Máquinas e implementos; Logística; Instituições financeiras; Serviço e comércio; Insumos, sementes, adubos e fertilizantes; e, entidades de pesquisa e tecnologia.

Atenção especial às cooperativas

Apesar de se constituírem parte importante da cadeia produtiva de diversos cultivares agrícolas, inclusive o arroz, as cooperativas de produtores não têm grande costume de expor em eventos setoriais.

Para mudar este cenário, a Expoarroz 2011 preparou um espaço dedicado exclusivamente às cooperativas arrozeiras, tenham elas arroz como único produto ou trabalhando também com outros como soja ou milho. Em parceria com a Associação Rural de Pelotas (ARP) e a Federação das Cooperativas de Arroz do Rio Grande do Sul (Fearroz), foi criada a Área das Cooperativas, com espaço para abrigar até seis entidades do ramo.

Segundo o presidente da ARP, Ricardo Vinhas, é fundamental a participação dessas instituições em todos os eventos ligados ao ramo, tendo como objetivo, entre outros, abertura a novos mercados.

1 comentário
02 mai16:42

Secretário de Agricultura fala sobre vacinação contra aftosa no JA

Começou neste domingo (1º) a primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa em 2011 no Rio Grande do Sul. Até o final do mês, a Secretaria Estadual da Agricultura espera imunizar quase a totalidade do rebanho de bovinos e bubalinos, de 14,3 milhões de animais. Um total de 3,8 milhões será imunizado com doses distribuídas gratuitamente pelo governo do Estado, beneficiando 270 mil produtores enquadrados no Pronaf com rebanho de até 50 cabeças por família.

Nesta segunda-feira (2) o Jornal do Almoço Pelotas recebeu ao vivo no estúdio o secretário estadual de agricultura, Luiz Fernando Mainardi. Na entrevista ele falou sobre a vacinação da aftosa e também sobre medidas para atender produtores atingidos pelas enxurradas e a situação dos produtores de arroz, que reclamam do baixo preço pago pelo produto no mercado.

>> Vídeo: Assista ao JA desta segunda-feira (2) no site da RBS TV.






Comente aqui
02 mai11:15

Curso ensina produtores a ingressar no mercado de exportação

Em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a Associação Rural de Pelotas (ARPel) e a Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pelotas (AEAPEL), promovem em Pelotas nos dias 9 e 10 de maio o 16º AgroInt, Curso de Integração do Agronegócio para Exportação. O evento acontece no auditório da AEAPEL, no parque da Associação Rural de Pelotas, e integra, pela primeira vez, a programação da Expoarroz.

O AgroInt é um evento oficial do Ministério da Agricultura, promovido pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do MAPA. O principal objetivo do projeto é qualificar os profissionais de instituições que apoiam o agronegócio, formando multiplicadores com conhecimento em integração para exportação, além de servir para aprofundar os temas apresentados no AgroEx, cuja 36ª edição teve lugar também no parque da Associação Rural de Pelotas, durante a 84ª Expofeira.

Na programação da 16ª edição, disponível na íntegra no site da Expoarroz, serão abordados temas como integração contratual, formas de agregar valor ao produto, linhas internacionais de financiamento ao agronegócio, exigências sanitárias e fitossanitárias do mercado internacional, produção orgânica e exportação de produto local. As palestras ficarão a cargo de representantes de diversas secretarias e departamentos do MAPA, além de instituições como Banco do Brasil e Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (NEMA).

O presidente da ARPel, Ricardo Vinhas, destacou a oportunidade para empresas da região participarem de um evento promovido pelo Ministério da Agricultura de forma gratuita.

- É um curso totalmente voltado para empresas que estão interessadas em exportar, pela abrangência das palestras. É bastante prático, os palestrantes são pessoas extremamente experientes – afirmou.

A Expoarroz busca, com a confirmação do AgroInt, proporcionar o acesso a informações sobre o mercado internacional, estratégias de marketing internacional de promoção comercial, instrumentos jurídicos, conceitos e métodos para integração visando à exportação. O evento será aberto a cooperativas, associações, sindicatos, universidades, secretarias municipais e demais instituições de apoio ao agronegócio, especialmente as ligadas à cadeia orizícola.

Segundo Vinhas, o AgroInt é importante para a feira porque o desenvolvimento da cadeia do arroz passa atualmente pela exportação.

- Nossa expectativa é de grande procura pelo evento, e estamos de portas abertas para colaborar com o desenvolvimento do comércio exterior na região – conclui.

O evento é gratuito e para participar os interessados devem preencher a ficha de inscrição que está disponível na administração da ARPel e no site www.expoarroz.com.br. A entrega da ficha deverá ser realizada, em horário comercial, preferencialmente até o dia 6 de maio na sede da ARPel, na avenida Fernando Osório, 1754. Mais informações podem ser obtidas na Associação Rural de Pelotas, pelo telefone (53) 3223-0594.


Comente aqui
28 abr17:27

Expoutono acontece até domingo no parque da Associação Rural

Sabrina Ongaratto, RBS TV Pelotas

A movimentação é intensa no parque da Associação Rural de Pelotas. Esta quinta-feira (28) foi dia de receber os animais que participam da 32ª edição da Expoutono, que termina no domingo (1º) com um leilão que deve contar com a participação de 30 animais.

A exposição organizada pelo Núcleo de Criadores de Gado Jersey e pela Associação Rural de Pelotas neste ano vai contar apenas com a participação da raça Jersey. O gado holandês entra no parque só para os leilões, que acontecem no fim de semana.

A mostra de gado leiteiro levou até o parque Ildefonso Simões Lopes  65 exemplares de expositores da região Sul do Estado. A expectativa dos organizadores em relação aos negócios é grande. A média por animal esperada é em torno de R$ 3,5 mil a R$ 4 mil.

Comente aqui
27 abr16:50

Ex-Chefe da Unidade de Pelotas toma posse como diretor da Embrapa

Chefe-geral da Unidade Clima Temperado (Pelotas/RS) de 2008 até meados deste mês, Waldyr Stumpf Júnior foi empossado diretor-executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Wagner Rossi, em solenidade realizada na última terça-feira (26), em Brasília. A solenidade de posse fez parte das comemorações do aniversário de 38 anos da Embrapa.

A nova Diretoria-Executiva é composta por três membros e terá um mandato de três anos. Maurício Lopes assumiu a diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento e Vânia Castiglioni a de Administração e Finanças.

O grupo foi selecionado após um processo seletivo coordenado por um Comitê de Busca específico e focado no mérito técnico e administrativo. Nomes de diferentes regiões do Brasil formavam a lista de indicados. O Conselho de Administração da Empresa pré-selecionou três opções para cada cargo. A decisão final foi tomada pela Presidência da República.

- É uma satisfação, uma honra muito grande, ter participado do processo e ter chegado ao fim com a nomeação – comenta Stumpf Júnior.

Para o novo diretor, a questão da segurança alimentar será um de seus principais desafios.

- Uma das grandes preocupações da presidente Dilma [Rouseff] passa pela produção de alimentos. A questão da pobreza passa pela segurança alimentar e, cada vez mais, o tema é uma questão estratégica – expõe.

Com o país fortalecendo sua posição de referência mundial na produção alimentar, o diretor analisa que “ainda há um contingente de pessoas passando fome no mundo e, de alguma forma, o Brasil e a Embrapa precisam ter um papel importante neste cenário”.


Trajetória

O agora ex-chefe-geral da Embrapa Clima Temperado destaca a trajetória do processo de gestão na Unidade como um dos fatores preponderantes que o levaram à Diretoria Executiva. Potencializar o sucesso registrado na área de transferência de tecnologia em Pelotas está entre os objetivos do novo diretor.

- Nós estamos levando uma experiência de sucesso da Embrapa Clima Temperado e da região Sul do País. O desafio é potencializar isto de uma forma institucional, buscando ações de transferência de tecnologia que permitam fazer as soluções da Embrapa serem apropriadas pelos agricultores – comenta.

- A Embrapa é uma empresa de inovação e queremos que ela, cada vez mais, atenda as demandas do Estado brasileiro – complementa.

Waldyr Stumpf Junior tem 33 anos de trabalho na área da pesquisa e está na Embrapa desde 1986. Engenheiro agrônomo formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1975, possui mestrado e doutorado em Zootecnia.

Na Embrapa Clima Temperado, foi chefe-adjunto de Desenvolvimento – 1996 a 1997 – e de Pesquisa e Desenvolvimento – 2003 a 2007. Desde 2008, ocupava a função de chefe-geral da Unidade.


Chefia da Unidade

Com a ida do atual chefe-geral para Brasília, a Chefia da Unidade será exercida interinamente pelo chefe-adjunto de Administração, José Dias Vianna Filho.

Um novo processo de seleção para a definição do novo chefe-geral deve ser encaminhando em breve. O futuro ocupante do cargo terá um mandato de três anos, prorrogáveis por mais três.

Comente aqui
26 abr15:22

Embrapa completa 38 anos

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) comemora neste dia 26 de abril seu aniversário de 38 anos. Uma extensa agenda de atividades está programada para celebrar a data. A apresentação solene da nova Diretoria Executiva pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Wagner Rossi, faz parte da lista.

Chefe-geral da Unidade de Climpa Temperado (Pelotas/RS) entre 2008 e 2011, o pesquisador Waldyr Stumpf Júnior é um dos três integrantes da nova direção. Stumpf Júnior foi nomeado diretor de Transferência de Tecnologia da Empresa.

O aniversário também conta com o lançamento, em Brasília/DF, de 22 novas tecnologias. Cultivares, softwares, sistemas, produtos e processos focados no desenvolvimento da produção agrícola serão lançados.

A data ainda terá a entrega do Prêmio Frederico de Menezes Veiga e o lançamento de livros e de publicações institucionais, como o Balanço Social e o Relatório de Metas do PAC Embrapa.


Histórico

Desde 1973, a Embrapa tem atuado na área de pesquisa e desenvolvimento buscando o avanço contínuo da agricultura brasileira. Ao longo desse período, a Empresa se solidificou no cenário nacional e externo na área de inovação e, atualmente, conta com 47 Unidades espalhadas por todas as regiões do Brasil – além de possuir estruturas no exterior.

Aos seus 38 anos, a empresa atua com o objetivo de assegurar a disponibilização de tecnologias aos agricultores, tanto no segmento empresarial quanto na agricultura familiar e de menor porte.


Clima Temperado

Em Pelotas, a Unidade de Clima Temperado da Embrapa é um centro ecorregional de pesquisa voltado para a produção em terras baixas. Sua origem remonta ao ano de 1938, quando foi criada a Estação Experimental de Viticultura, Enologia e Frutas de Clima Temperado.

Com a criação da Embrapa, em 1973, foram geradas duas Unidades Experimentais de Pesquisa de Âmbito Estadual (UEPAE) na região, denominadas Cascata e Pelotas. Entre 1983 e 1984 as estruturas foram transformadas no Centro Nacional de Pesquisa de Fruteiras de Clima Temperado (CNPFT) e no Centro de Pesquisa Agropecuária de Terras Baixas de Clima Temperado (CPATB).

A fusão, em 1993, do CNPFT e do CPATB originou a Embrapa Clima Temperado. Atualmente, a Unidade conta com três bases físicas – duas em Pelotas/RS e uma em Capão do Leão/RS.

Comente aqui