Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Como posso trabalhar com crianças de a 1 a 7 anos em aulas de Informática?

14 de dezembro de 2012 Comentários desativados

Pergunta:

Gostaria de trocar ideias sobre aulas de informática. Como trabalhar com alunos de 1 a 7 anos na informática? Tenho internet na escola, é bem lenta, mas dá para pesquisar. Que sites são bons? O que dar de aula para os alunos? Minhas ideias já estão gastas. Peço ajuda.

De Vera Lucia Moschetta, 48 anos, professora de Canoas (RS)

Resposta:

O computador possui ferramentas muito ricas  para o  trabalho  pedagógico,  inclusive  sem a utilização da internet. Nesses casos,  é  preciso fazer o planejamento  de uso dos programas  geralmente já instalados na máquina. O sistema Windows possui ferramentas como o Power Point (Office), que pode ser trabalhado de diferentes formas.

- Linguagem oral e escrita: os alunos fazem um desenho (no computador ou na folha),  e o professor coloca-os à disposição dos alunos em um slide. Cada criança montará a sua história de acordo com suas ideias, podendo usar todas as figuras, escolher algumas e deletar outras. Depois,  a imagem é salva,  e cada aluno apresenta  sua composição aos seus colegas. A atividade poderá variar de acordo com a faixa etária e objetivos do professor.  Variações de uso desse programa se aplicam na “Hora do conto”: o professor pode escanear   um livro  para colocá-lo  no  Power  Point  – o que facilita o acompanhamento da leitura por todos os alunos – ou ainda propor a montagem de livros  com desenhos dos alunos, ajudando-os a escrever  a história correspondente.

- Conhecimento de Mundo: o Power  Point possui uma ferramenta chamada hiperlink . O professor pode produzir jogos de memória ou outros similiares , dando diferentes alternativas de resposta. O aluno clica numa dessas  respostas  e aparece, como retorno, uma  mensagem  ou dica do professor.  Trata-se de mais uma possibilidade de fazer um trabalho customizado, que respeita os diferentes ritmos do aluno, ao mesmo tempo que o orienta a avançar nas suas hipóteses. O trabalho do professor será produzir slides  com a matriz inicial e com as possíveis “respostas”,  as quais são inseridas através de hiperlinks.

Outro programa bastante usado como ferramenta pedagógica é o Paintbrush (Acessório do Windows). Com ele é possível analisar a topografia das letras e dos números  e trabalhar seus diferentes traçados. O programa também é eficiente para que se trabalhe a relação numeral X quantidade. O professor coloca  na tela os numerais  a serem representados, e os alunos desenham o número de elementos correspondentes.  A operação inversa também deve ser feita: dado um número de desenhos, os alunos deverão representar a quantidade através da escrita do numeral correspondente.

Num contexto de conexão de internet limitada, ou seja, em que não rodem sites com flash e shockwave, plug ins multimidia, a criatividade é a chave. Muitas atividades de texto colaborativo, construção de blogs e até mesmo sites podem ser feitas, visto que toda a produção é realizada “offline” e, posteriormente, o conteúdo pode ser disponibilizado na internet. Também é possível aplicar os conceitos de intranet para uso local e pedagógico. A plataforma MOODLE (software livre), tradicionalmente usada para Ensino a Distância, pode ser executada em uma rede interna, reforçando a ideia de construção colaborativa do conhecimento.

Já com internet banda larga, estável, com 10 MBits ou mais, as possibilidades são quase ilimitadas. É possível colocar algum projeto que esteja sendo trabalhado pelas crianças em um Site de Video Logs, com apresentações de trabalhos gravados em vídeo (como esquetes, por exemplo), mostrando as hipóteses e os resultados de alguma experiência feita em sala de aula. As aplicações são inúmeras. Basta haver clareza dos objetivos pedagógicos. As estratégias didático-pedagógicas que são possíveis com o uso da internet (consulta a sites, uso de aplicativos, etc) tem como limite apenas a criatividade!

Por Mônica Timm de Carvalho, diretora; Ana Margarida Chiavaro, coordenadora da Educação Infantil; e Luis Carlos Motta (supervisor de informática) equipe do Colégio Israelita Brasileiro

Não é possível comentar.