Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A utilização do futebol como ferramenta de propaganda do governo na Argentina

11 de abril de 2013 1

Julio Grondona e Cristiano Kirchner na assinatura do contrato do Fútbol para Todos. Foto: Divulgação

O futebol tem uma relação muito próxima com a política. Na Argentina, por exemplo, desde 2009 a presidente Cristina Kirchner utiliza o esporte mais famoso do mundo como ferramenta de propaganda do governo.

Em agosto de 2009, o governo argentino finalizou a compra dos direitos de transmissão por 600 milhões de pesos, na época aproximadamente 287 milhões de reais. Com esse montante teve fim a greve dos jogadores que ameaçava o início do Apertura, primeiro turno do Campeonato Argentino. A ameaça veio em 21 de julho com o então secretário da FAA, Futbolistas Argentinos Agremiados:

— Se os clubes não pagarem todas as dividas com os jogadores, o Torneio Apertura não começa.

Para resolver o problema dos clubes e jogadores o presidente da AFA, Asociación del Fútbol Argentino, Julio Grondona propôs um aumento do preço do sistema pay-per-view. No dia 3 de agosto, Torneos y Competencias (TYC) e Televisión Satelital Codificada(TSC), grupo esportivo do jornal Clarín, tentaram a última cartada para resolver o impasse oferecendo quarenta milhões de pesos para que os clubes pagassem as dividas com seus jogadores e, assim, pudesse ter início o Torneio

Apertura. Porém, Néstor Kirchner, marido de Cristina e ex-presidente argentino, e Julio Grodona já tinham acertado a venda dos direitos para o governo(Televisão Pública) por 600 milhões de pesos. Assim nascia o Fútbol para Todos com esquema de transmissão de três dias e com jogos em horários diferentes para que a TV Pública pudesse passar todas as partidas de graça.

Com esse gesto o governo não ganhou apenas simpatia dos torcedores como também um grande canal de propaganda. Durante os jogos a publicidade para os feitos do governo é grande. Outro que saiu fortalecido foi o presidente da AFA, Julio Grondona, que está no poder desde 1979. Grondona é tão hábil politicamente que passou por governos de ditadura, de transição e o atual governo de Cristina Kirchner.

Ditadura também usou o futebol como publicidade

Essa não é a primeira fez que o governo argentino utiliza o futebol como canal de publicidade. Durante o período de ditadura na Argentina Jorge Rafael Videla usou do mesmo artifício, mas não para propaganda interna e sim externa. A intenção foi mostrar uma Argentina moderna, pujante e não violenta como era a ditadura de Videla.

Em 1978, a Copa do Mundo desembarcou na Argentina. Apesar de campanhas na Europa para o boicote ao mundial, que teve como mais importante adepto o craque Johan Cruyff da Holanda, que não jogou a Copa, o evento foi um sucesso de publicidade para a Argentina.

Comentários (1)

  • Diego luiz da silva diz: 11 de abril de 2013

    é verdade eu ja vi essa “propaganda” em alguma lugar desse tempo e espaço nao sei aonde , sera que vamos voltar aos anos 70 espero que nao
    se anda para frente e nao para tras

Envie seu Comentário