Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Top 5: promessas que não vingaram no futebol brasileiro

16 de maio de 2013 0

Lenny era uma das promessas do futebol brasileiro. Foto: Diego Redel, BD, 03/04/2011

A Chapecoense contratou na quarta-feira, e deve apresentar nesta quinta, o atacante Tiago Luís. Esse mesmo jogador em 2008 foi uma das grandes apostas da base do Santos. O problema de Tiago foi ser comparado pelo jornal Marca, da Espanha, como o Messi brasileiro. Torcida e dirigentes tinham enorme expectativa com Tiago Luís, que não se concretizou. Por isso o Top 5 de hoje é para lembrar promessas do futebol brasileiro que não vingaram.

Tiago Luís: Há cinco anos o atacante do Santos era uma das grandes promessas da base do futebol brasileiro. Inclusive o time santista renovou seu contrato por cinco temporadas, que terminou no início de 2013. Porém, depois de ser apelidado de Messi brasileiro pelo jornal Marca, da Espanha, a carreira do atacante não decolou. Ele não jogou mais pelo Santos e foi emprestado para o time português União de Leiria, Ponte Preta, Bragantino e Mirassol.

- Todo mundo fala do Messi, mas a comparação não foi culpa minha. O jornal colocou porque quis e porque viu alguma qualidade em mim. Mas, pegou o rótulo e acabou prejudicando – disse Tiago Luís ao jornal Lance em janeiro.

Celsinho: Em 2005 a grande joia da Portuguesa era Celsinho. O jovem jogador de 17 anos foi o destaque da equipe que quase conseguiu o acesso para a Série A. Com longos cabelos, o meio-campo foi comparado a Ronaldinho Gaúcho. Vendido para o Lokomotiv, da Rússia, não conseguiu repetir as boas atuações e foi negociado com o Sporting Lisboa. Ainda com contrato com o time português foi emprestado para o Estrela Amadora, também de Portugal, voltou para a portuguesa e passou peloTârgu Mures, da Romênia. Desde 2012 está no Londrina, longe dos holofotes.

Keirrison: O atacante foi avassalador nos primeiros anos da carreira profissional. Pelo Coritiba foi o artilheiro do Brasileirão em 2008 com 21 gols, ao lado de Washington e Kléber Pereira. Foi negociado com o Palmeiras e manteve a média de gols e chamou a atenção do Barcelona que o contratou por 15 milhões de euros.

Keirrison nem teve a oportunidade de jogar pelo Barça e foi emprestado para o Benfica, sem muitas chances na temporada seguinte foi emprestado para a Fiorentina, da Itália. Com a camisa roxa jogou 12 partidas e marcou dois gols. Em 2010, foi emprestado para o Santos onde teve mais chances de atuar, mas o faro de artilheiro não era mais o mesmo e em 2012 o jogador foi emprestado para o Cruzeiro. No time mineiro marcou apenas um gol em oito jogos. No dia 22 de março o clube mineiro liberou o atacante para voltar ao Coritiba. De volta para casa, Keirrison tinha tudo para brilhar, mas uma lesão no joelho direito o afastou dos gramados.

Lenny: O rápido atacante apareceu no futebol brasileiro em 2006 pelo Fluminense. Em minutos foi alçado como a nova promessa brasileira. Do Tricolor Carioca foi para o Braga, de Portugal, onde não conseguiu repetir as boas atuações. De volta ao Brasil defendeu o Palmeiras onde demorou muitas partidas para finalmente marcar o primeiro gol. Em 2011, chegou no Figueirense.

No time catarinense teve uma sequência de lesões e muitas polêmicas. Jogou apenas poucos minutos e foi liberado pelo time. Depois do Alvinegro, acertou com o Desportivo Brasil e foi emprestado para o Boa Vista, do Rio de Janeiro. No início do ano acertou com o Ventforet Kofu, do Japão, mas nem chegou a jogar. Com um mês de contrato foi mandado embora.

Kerlon: O jogador do drible da foca. Kerlon ficou conhecido por colocar a bola na cabeça e passar pelo marcador fazendo embaixadinhas com a cabeça. Foi assim pela Seleção sub-20 e pelo Cruzeiro. Negociado com o Chievo, da Itália, ficou pouco tempo no time de Verona e foi vendido para a Inter de Milão, que o emprestou para o Ajax, da Holanda, para ganhar experiência. No entanto, sofreu uma grave lesão e ficou muito tempo parado. Em 2011, foi emprestado para o Paraná, onde não teve muitas chances. Na sequência jogou no Nacional-MG e em 2012 foi negociado com o Fujieda, do Japão, onde está até agora.

Envie seu Comentário