Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A visita de Arthur Friedenreich, o primeiro craque brasileiro, a Florianópolis

22 de maio de 2013 0

O primeiro craque do brasileiro pisou em Florianópolis no dia 27 de maio de 1941. Arthur Friedenreich esteve em Santa Catarina, mas não jogou bola. El Tigre viajava a trabalho como inspetor da cervejaria Antarctica, já que tinha pendurado as chuteiras em 1935 depois de defender o Flamengo.

O jornal A Gazeta noticiou assim a estadia do jogador na Capital:

“Em serviço de seu cargo (inspetor da Cia. Antartica), encontra-se nesta capital o sr. Arthur Friedenreich, glória do futebol nacional.

O distinto visitante tem sido alvo da administração da mocidade esportista da Ilha, que vê em Friedenreich o modelo da verdadeira fibra na prática do esporte rei.

Recordar as façanhas desenvolvidas em canchas nacionais pelo ‘reio do futebol’, é relembrar cenas surpreendentemente emocionantes.

A justa e merecida fama conquistada nos áureos tempos, foi além dos limitados campos de nossa Pátria, inda às terras longínquas das Americas e Europa, onde conquistou o cognome de ‘El Tigre’.

A presença de Friedenreich em nossa capital constitui a recordação sincera das velhas páginas do nosso futebol, que encheram de glórias e troféus o esporte nacional.

Em palestra mantida com amigos e admiradores, declarou em presença do sr. Aderbal Ramos da Silva, denodado presidente da Federação, que sentia bastante não dispor tempo suficiente para entrar em contacto com os esportistas da capital; mas, prontificou-se, ao retornar de sua viagem ao sul, a ficar uma semana à disposição dos amigos. E, a convite de sr. Aderbal Ramos da Silva, aceitou a incumbência de ser juiz, em nossas canchas, numa partida de futebol.

Se se realizar o que ouvimos durante a palestra entre aqueles senhores, teremos oportunidade de aplaudir em nossos gramados a figura do mais impressionante futebolista brasileiro de todos os tempos, o grande ‘El Tigre’, que aterrorizava, os keepers europeus na conquista de memoráveis louros para o nosso futebol.”

Quem foi Friedenreich

Problemas financeiros fizeram o alemão Oscar Friedenreich deixar Blumenau e embarcar para São Paulo, terra das oportunidades. Nela conheceu Matilde, uma lavadeira negra com que se casou. Desse casou nasceu no dia 18 de julho de 1892 um menino mulato, de olhos verdes, batizado como Arthur Friedenreich.

Na Seleção Brasileira disputou o Campeonato Sul-Americano de seleções em 1919. Marcou o gol da vitória em cima dos uruguaios e deu o título ao Brasil. Foi nessa disputa que ganhou o apelido El Tigre. Por causa dessa conquista Fried ganhou de Pixinguinha uma música em sua homenagem. Como já foi contato no primeiro post do Sexta de música.

Foi no dia 29 de maio de 1919 quando Friedenreich virou o primeiro herói do futebol brasileiro. Depois de empatar a final da Copa Sul-Americana por 0 a 0, a partida teve que ser definida na prorrogação. Após 30 minutos extenuantes o placar continuou igual e foi preciso de mais uma prorrogação para definir o campeão. E logo aos três minutos do primeiro tempo, Neco invadiu a área pelo lado direito e quase na linha de fundo cruzou para Heitor, que chutou para o gol. O goleiro uruguaio Saporiti defendeu e no rebote Friedenreich marcou o gol da vitória verde e amarela.

Depois de ver a vitória brasileira no Estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro, Pixinguinha compôs o clássico choro 1 x 0. Em 1993, a música receberia letra feita pelo mineiro Nelson Ângelo no disco “A vida leva”. Na gravação ele dividiu o vocal com Chico Buarque.

Envie seu Comentário