Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O motorista de ônibus francês que virou jogador profissional com 26 anos

11 de junho de 2013 0

Desmarets no Deportivo La Coruña

Pouco mais de 20 quilômetros separam o centro de Paris do aeroporto da cidade, são aproximadamente 30 minutos de ônibus. Esse trajeto era feito todos os dias por Yves Desmarets, até ele conhecer o técnico de futebol Luis Norton de Matos.

Demarets era motorista de ônibus e sua vida mudou completamente em 2006. Com 26 anos ele era atacante do Red Star Football Club 93, time da quarta divisão do futebol francês. A jornada dupla era pesada. O atacante treinava três vezes na semana, das 18h às 20h e nos fins de semana entrava em campo. Já de segundo a sexta ele vestia seu uniforma e à 1h da manhã saí dirigindo seu ônibus. Tempos complicados, que ficaram no passado.

“Eu pensei que era uma piada”, declarou Demarets sobre a proposta de Luís Norton de Matos. O técnico português assistiu a uma partida do atacante pelo pequeno time da capita francesa e fez uma oferta irrecusável, pelo menos para quem sonha em jogar profissionalmente. Luís Norton queria o forte atacante no Vitória de Guimarães.

A proposta mexeu com Demarets, mas antes de tomar sua decisão ele conversou com sua esposa e mãe. O contrato era apenas de seis meses e se não desse certo teria jogado tudo para o alto, ele não tinha garantias de que daria certo. No entanto o francês tinha mais do que sorte, ele tinha qualidade e determinação.

- A minha mãe e a minha esposa ficaram muito contentes, mas disseram para eu ir a Portugal com calma ver se o clube era bom, se iria dar certo. Não conhecia bem Portugal e quando cheguei vi que não era o país velho que mostravam e falavam em França me tranquilizei. É um país que tem muitos jovens e é muito bonito – disse Demarets em entrevista ao jornal Record, de Portugal, em 2007.

Yves Desmarets pelo Red Star

Os seis meses de Demarets no Vitória de Guimarães viraram quatro anos. Com contrato assinado ele realizava um sonho de infância e mudava a história de sua vida. Ele não precisava seguir a trilha do anonimato que seu pai percorreu como taxista em Nova Jersey, nos Estados Unidos.

- Quando cheguei no Vitória de Guimarães e vi o complexo esportivo… Na França, poucas equipes têm instalações como o Vitória. Então quando cheguei ao estádio, uau. Estava habituado a jogar para 200, 300 pessoas e aqui concretizei um sonho. Espero que o sonho não pare de crescer – projetou o atacante em 2007.

E esse sonho não parou. A carreira de jogador não é fácil de seguir. Depois de sair do Vitória de Guimarães o jogador não teve muita sorte no Deportivo La Coruña, com lesões, e também no Kerkyra, da Grécia. Mas, sua temporada do Belenense na última temporada em Portugal foi razoável. Agora, Demarets procura um novo clube, quem sabe no Catar. Mesmo assim com quase 34 anos o jogador de 178cm realizou um sonho há poucos dias.

Em 8 de junho Yves Hadley Desmarets entrou em campo pela primeira vez com a camisa do Haiti. Apesar de ter nascido na França, seu pai é haitiano e ele quis defender o país que sua vó materna ainda mora. E não tinha estreia melhor do que enfrentar a atual campeã do mundo, a Espanha. A vitória foi da Fúria por apenas 2 a 1, com certeza mais uma vitória para Desmarets.

- Desfruto do futebol mais que meus companheiros porque meu caminho foi diferente – garante Desmarets, que não fechou portas para vida e continuou perseguindo seu sonho.

• Confira um golaço de Deamarets com a camisa do Vitória de Guimarães:

*Essa história escutei do Paulo Calçade no Linha de Passe, da ESPN Brasil, de ontem.

Envie seu Comentário