Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Diguinho do Figueirense não é o primeiro jogador a mudar de nome

03 de julho de 2013 1

Diguinho agora é Rodrigo. Foto: Luiz Henrique/FFC

Na coletiva do Figueirense na terça-feira o meia Diguinho pediu para ser chamado de Rodrigo, seu nome. O atual camisa 10 do Furacão pediu para a imprensa e torcida abandonar o apelido e começarem a chamar ele pelo nome.

— Não que eu me incomode com o meu apelido, Diguinho, mas gostaria que eu pudesse ser chamado como Rodrigo. Não é que não tenha dado certo, mas eu conversei com a minha família, minha esposa e também com o meu empresário. O meu nome foi escolhido por uma pessoa muito especial, o meu avô, que eu já não tenho mais então, quem sabe eu comece a brilhar com o meu nome agora — pediu o jogador.

Isso não é uma novidade no futebol brasileiro. O meia Lucas da Seleção e PSG quando foi revelado pelo São Paulo era chamado de Marcelinho. O meio-campo começou a jogar futebol na escolinha do Marcelinho Paulista e o apelido ficou. Depois de estrear pelo profissional do Tricolor Paulista o jogador pediu para ser chamado de Lucas.

— Foi um pedido meu para o clube mudar o nome na camisa e da inscrição do campeonato, porque quero que as pessoas comecem a me chamar pelo nome próprio e não pelo apelido. Isso foi incentivado pelos meus pais também, que sempre sonharam em ver o Lucas jogando pelo São Paulo — afirmou na época.

No Figueirense teve um caso parecido. Rudnei era chamado pelo técnico e companheiros de time como Buiu, na época o time pediu para a imprensa chamar o atleta apenas pelo nome. Outro caso parecido foi o de Dentinho no Corinthians que quando teve as primeiras oportunidades no time paulista começou a ser chamado pelo técnico Paulo Carpegiani pelo nome Bruno Bonfim.

— Ele tem um nome muito bonito. Já falei para ele mudar. Dentinho só se for entre aspas — afirmou em 2007 o treinador Carpegiani.

Comentários (1)

  • JUNIOR diz: 18 de agosto de 2013

    Ao que me lembre teve outros jogadores que mudaram de nome tempos atrás, jogando pelo Figueirense.
    De Carlos Alberto passou para GATO, e o Sandro Hiroshi mudou para BEBÊ e foi jogar no time fraldinha, lembram disso?
    O primeiro hoje joga no Joinville, o segundo já deve estar no juvenil ou nos júniores.

Envie seu Comentário