Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Jogador brasileiro marca gol na Romênia e manda torcida calar a boca; lembre outros casos

23 de outubro de 2013 0
Leandro Tatu depois de mandar a torcida calar a boca ainda xingou o companheiro de time. Foto: Daniel Mihailescu/AFP

Leandro Tatu depois de mandar a torcida calar a boca ainda xingou o companheiro de time. Foto: Daniel Mihailescu/AFP

Aos 10 minutos do segundo tempo o técnico Laurentiu Reghecampf chamou o brasileiro Leandro Tatu, antes do jogador entrar em campo a torcida do Steaua Bucareste, da Romênia, não perdoou e vaiou o atacante. Sem simpatia da torcida o atleta canarinho entrou em campo e marcou o gol do empate aos 43 minutos do segundo tempo e evitou a derrota do Steaua em casa contra o Basel, na última terça-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

Ao marcar o gol do Steaua o brasileiro incomodado pediu que a própria torcida se calasse. Se não bastasse, Tatu ainda começou uma calorosa discussão com o zagueiro polonês Szukala e a língua usada é a portuguesa. Não vou transcrever o que ele disse, porque é impublicável.

Aproveitando a situação vou lembrar alguns casos em que após um gol o jogador xingou a própria torcida.

1 — Romário, sempre ele

Em 2002, em uma goleada por 5 a 1 do Vasco sobre o Bangu pelo Torneio Rio-São Paulo, Romário mostrou o dedo do meio para sua própria torcida após marcar um de seus dois gols. Como de costume na época, mais uma vez não houve qualquer tipo de punição ao Baixinho.

2 — Dodô nem aí para a torcida

Após surgir como uma das grandes promessas do futebol brasileiro em 1997, o atacante Dodô vivia com problemas com a torcida do São Paulo. O atacante era alvo da torcida que pegava no pé do jovem atacante. No empate em 2 a 2 com o Guarani pelo Campeonato Paulista de 1999, Dodô perdeu a paciência e comemorou seu gol mandando uma banana para a torcida do tricolor.

3 — Elton e Amaral na Série B

O Vasco venceu o Vila Nova por 4 a 1 na Série B de 2009, em São Januário. O volante Amaral, hoje no Criciúma, marcou o segundo gol cruzmaltino no jogo e comemorou com a mão no ouvido e pediu silêncio. Após o gesto, alguns torcedores vaiaram o jogador cada vez que ele tocava na bola. No mesmo dia o atacante Elton foi outro que, ao marcar um gol, fez sinal de silêncio para alguns torcedores.

— Estávamos devendo uma boa apresentação ao nosso torcedor, já que não vínhamos fazendo jogos bons. Essa vitória foi para lavar a alma. A torcida tem que entender que somos os líderes do campeonato. As coisas não vinham acontecendo como a gente quer, mas o torcedor tem que estar do nosso lado. Algumas vezes, isso não tem acontecido — lamentou na época o atacante Elton.

Bônus: Robbie Fowler cheirando a linha

Essa comemoração não foi em resposta ao torcedor do próprio time, mas foi muito polêmica. Robbie Fowler comemorou o seu gol pelo Liverpool em um clássico contra o Everton, na Premier League de 1998/99 (Liverpool 3×2 Everton), cheirando a linha de fundo. A celebração foi uma resposta à acusação dos torcedores do Everton, que diziam que Fowler usava cocaína. O treinador Gerard Houllier tentou amenizar a polêmica, afirmando que o jogador estava comendo grama. A comemoração de Fowler rendeu ao atleta quatro jogos de suspensão e uma multa de € 44 mil.

• Assista o vídeo da comemoração

Você lembra de algum outro caso de jogador que mandou a torcida do próprio time calar a boca?

Envie seu Comentário