Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Figueirense é o último catarinense vivo na luta pelo acesso na Série B

18 de novembro de 2013 5

Na terceira rodada da Série B, os quatro times de Santa Catarina formaram o G-4. Momento histórico, mas que não refletia a realidade. Trinta e três rodadas depois apenas a Chapecoense está garantida na Primeira Divisão e dos três times restantes só o Figueirense mantém chances matemáticas de acesso à Série A.

A probabilidade de acesso do Furacão, que era de 35%, caiu para 15,8%, segundo o matemático Valdir Medeiros, o Kmarão. O torcedor alvinegro começou a fazer contas na ponta do lápis logo depois do apito final em Itápolis, onde o Figueirense empatou com o Oeste por 2 a 2, no último sábado.

O torcedores de Avaí e Joinville podem estar decepcionados, mas era improvável imaginar que ao fim da Segundona mais de dois times catarinenses conseguissem o acesso. Alguém morreria na praia.

A Chapecoense foi uma surpresa, mas que durante a competição mostrou força suficiente para consolidar o segundo lugar. Já o Leão, o JEC e o Furacão viveram altos e baixos e desperdiçaram pontos importantes contra equipes que hoje estão rebaixadas ou na luta contra o Z-4.

Para os alvinegros resta torcer e secar os adversários. Enquanto isso, o Verdão assiste de cima a luta do Furacão por uma vaga.

Figueirense fica mais distante do acesso, após empate por 2 a 2

O Figueirense chegou muito pressionado a Itápolis (SP). As vitórias de Sport, Ceará e Icasa aumentaram sua responsabilidade. Vitória significaria força na briga pelo acesso, no entanto, aos 15 minutos do segundo tempo, o goleiro Tiago Volpi falhou e permitiu o gol de empate do Oeste. O 2 a 2 deixou o Furacão a três pontos do G-4. Subir agora é questão de vencer e torcer por tropeços.

O Figueirense aposta na força da torcida no Orlando Scarpelli. Foto: Cristiano Estrela

O Figueirense aposta na força da torcida no Orlando Scarpelli. Foto: Cristiano Estrela

O Alvinegro é obrigado a vencer as duas últimas rodadas e ainda torcer para os três times a sua frente — Ceará, Icasa e Sport — perderem. É difícil, mas a equipe não joga a toalha.

— Dá (para subir) porque podemos chegar a 62 pontos. Mas os times da frente têm jogos difíceis e vamos torcer por um tropeço. Nós acreditamos porque já passamos por momentos complicados — analisou Vinícius Eutrópio.

Na sexta-feira, o Figueirense enfrenta o ASA, às 19h30min no Scarpelli.

Júlio Rondinelli acredita que a base do Avaí pe boa para 2014Foto: Daniel Conzi

Júlio Rondinelli acredita que a base do Avaí pe boa para 2014. Foto: Daniel Conzi

Avaí espera eleição para começar a definir a próxima temporada

A derrota por 1 a 0 para o América-RN acabou com qualquer chance matemática de acesso do Avaí. Agora, resta ao clube lamentar a oportunidade perdida e começar a se preparar para a próxima temporada. O investimento foi grande com contratações importantes como a do ídolo Marquinhos, do volante Eduardo Costa e do meia Cleber Santana. No entanto, o resultado em campo não ocorreu como o esperado.

O projeto 2014 só deve começar depois da eleição do novo presidente, que será realizada no dia 20 de novembro. Mesmo assim, o gerente de Futebol, Júlio Rondinelli, acredita que o Leão tem uma boa base para começar 2014.

— Temos hoje, diferentemente do ano passado, um número significativo de atletas, entre eles o Marquinhos, Cleber Santana, o Eduardo Costa, o Diego, com contrato para o ano que vem. Então não é chegar no final do ano, mandar todo mundo embora e correr para contratar. O Luciano apareceu muito bem, o Diego Jardel, enfim, vários jogadores têm contrato com o Avaí e podem ainda representar o clube em alto nível — declarou após a partida.

Joinville inicia projeto 2014 liderado pelo cartola César Sampaio

O Joinville parecia ter jogado a toalha quando efetivou Sergio Ramirez no cargo de técnico. Afinal, depois de investir em Ricardo Drubscky, o presidente Nereu Martinelli parecia não acreditar mais no acesso. No entanto, depois da vitória por 1 a 0 sobre o Figueirense no Orlando Scarpelli, na 31ª rodada, a esperança voltou. Porém, mais uma vez quando precisava decidir em casa o JEC decepcionou seu torcedor.

Leo Franco (E), gerente de futebol do JEC ao lado de César Sampaio, superintendente. Foto: Rodrigo Philipp

Leo Franco (E), gerente de futebol do JEC ao lado de César Sampaio, superintendente. Foto: Rodrigo Philipp

Uma vitória em cima do Oeste (SP) teria mantido o Joinville mais vivo na luta, porém quase sem chances o Tricolor perdeu para o São Caetano por 3 a 2 e deu adeus as últimas esperanças.

— Vários fatores se somaram para que talvez nós fossemos castigados. Houve desacertos e você sabe, a bola acaba punindo, serve como lição. Com certeza já há uma movimentação por parte da direção, para nós mudarmos algumas maneiras de trabalhar — defendeu o treinador Ramirez.

O planejamento de 2014 começou com a contratação do superintendente de Futebol César Sampaio. Esta semana o trabalho do cartola deve ser intensificado na análise do grupo.

Comentários (5)

  • dalton diz: 18 de novembro de 2013

    Tá na UTI!!! Dependendo de combinação seu falecimento será na será missa de sétimo dia do AVAÍ!!!!

  • Telmo diz: 18 de novembro de 2013

    Realmente ficou difícil para o meu FIGUEIRENSE. Olhando a tabela times como a Chapecoense e Palmeiras iram jogar contra o Icasa e o Ceará. Esse dois times já estão classificados para a série A e não vão ter mais obrigação de ganhar. Difícil mesmo e acho quase impossível.

  • Everton – Chapecó diz: 18 de novembro de 2013

    Cara… não tenho nada com isso, mas o Avaí ainda espera ter algum resultado extra com os jogadores que tem???
    Os caras estão praticamente o ano todo jogando juntos e ainda há esperança que apresentem um futebol melhor???
    Sinceramente acho que isso é “história pra TAINHA dormir”…

  • Mauricio aldo sardá diz: 18 de novembro de 2013

    Parabéns a chapecoense há cinco anos construindo seu patamar,Figueirense e Avaí que se espelham na Chapecó,uma casa para se construída começa no Alice se e não pelo telhado ficaram todos para atrás até o ano que vem.

    ( casa começa a ser construída pelo o Alice se e não pelo telhado.)fique alerta.

  • MAURINO BASTOS diz: 18 de novembro de 2013

    Ah, meu amigo Saci!! O que foi aquilo na falha do primeiro gol?
    Ah, meu amigo Volp!! Não é assim que se segura uma bola. Já fui goleiro ( na várzea) e sei o que acontece quando os atacantes descobrem essa falha. Acho que pelo menos deves ter aprendido. “Quando não se aprende no amor, aprende-se na dor”. E foi isso que aconteceu. Mas tem futuro. Só deve treinar melhor esse fundamento. “ALÔ PREPARADOR DE GOLEIRO ALVINEGRO!!!!!”
    Com todos os problemas do ano, fomos longe demais.

Envie seu Comentário