Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Capitão, líder e decisivo. Futebol de Marquinhos cresce e junto com ele o Avaí na Série B

27 de setembro de 2014 0
Foto: Charles Guerra

Foto: Charles Guerra

Na segunda-feira, Marquinhos completa 33 anos. Desses, mais de 14 foram dedicados ao Avaí. Por isso, a Ressacada é a segunda casa dele. No Estádio Aderbal Ramos da Silva ele se sente a vontade.

Marquinhos não comanda apenas a equipe dentro de campo, mas, também, o torcedor na arquibancada. Se ele esbraveja com a arbitragem os avaianos também reclamam. Se ele faz um belo passe que não é aproveitado, a torcida também fica chateada.

Quando ele pega a bola para cobrar um pênalti o torcedor fica confiante. Foi assim aos 18 minutos do primeiro tempo quando Anderson Lopes foi derrubado dentro da área. Marquinhos pegou a bola, ajeitou e já tinha avaianos se preparando para comemorar o gol.

• Veja o gol de pênalti de Marquinhos:

O gol marcado por Marquinhos foi o seu 48º na Ressacada e agora ele precisa marcar mais sete para se tornar o maior artilheiro da história do estádio azurra, ultrapassando Décio Antônio.

Na reta final da Série B, o capitão azurra assumiu a responsabilidade de comandar um elenco enxuto e jovem. Líder de assistências na Segundona, com 10 passes para gol, Marquinhos amadureceu e aprendeu a comandar sua equipe, tanto que mesmo sem ver seu time ser derrotado há 12 rodadas o camisa 10 mantém os pés no chão:

— Estamos formando um time que tem a “cara do acesso”, mas temos que manter os pés no chão, algo que é difícil. Pé no chão e humildade não prejudica ninguém. A nossa obrigação é colocar o time na Série A e não ser campeão, isso é dever do Vasco — analisou na saída do campo em entrevista ao repórter Fabiano Linhares, da rádio CBN Diário.

Envie seu Comentário