Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Joinville"

Rogério vira jogador-chave e dos gols importantes no JEC

15 de novembro de 2014 0
Rogério marcou o primeiro gol do JEC. Foto: André Podiacki

Rogério marcou o primeiro gol do JEC. Foto: André Podiacki

Rogério deixou a Portuguesa no final de 2013 a caminho de Criciúma. O lateral-esquerdo esperava uma sequência de jogos em um time de Série A. Porém, poucas foram às oportunidades. Quem deu oportunidades para Rogério voltar a jogar foi o Joinville. Com problemas na lateral depois da lesão de Wellington Saci e instabilidade de Bruno Costa o JEC trouxe Rogério.

No Tricolor do Norte, virou titular e jogador de gols importantes. De cabeça marcou contra o Avaí e Bragantino. Neste sábado, de perna esquerda abriu caminho para a vitória do JEC em casa contra a Ponte Preta, colocando o Joinville na liderança da Série B.

— Feliz, passei um momento difícil no Criciúma e acho que é um dos únicos times que não consegui jogar. Fui um pouco menosprezado. Mas futebol tem disso não dá certo em um lugar dá no outro. Pelos os gols que estou fazendo esse momento é especial na minha carreira, vamos continuar com o pé no chão. E demos um passo muito grande — disse o lateral na saída do campo.

Reposta em campo

Os jogadores do JEC ficaram mordidos com as declarações de Alexandro antes da partida na Arena. Nelas, o atacante da Macaca dizia que viria à Santa Catarina para vencer o Joinville.

Depois de bater o adversário direto na luta pelo o título por 3 a 1, o goleiro Ivan desabafou:

— Eu quero falar para o Alexandro que o Coelho não tem medo de mordida de Macaca. É difícil jogar aqui dentro e futebol se ganha no campo. A gente não fica falando, a gente vem aqui e faz.

PodiCast 7º edição - O futebol catarinense no Campeonato Brasileiro

29 de maio de 2014 1

Em três anos como técnico profissional, Hemerson Maria tem a chance de ganhar seu segundo título do Catarinense

24 de março de 2014 1
Hemerson Maria está em sua segunda final do Catarinense. Foto: Leo Munhoz

Hemerson Maria está em sua segunda final do Catarinense. Foto: Leo Munhoz

Esta temporada é a terceiro de Hemerson Maria com treinador de futebol profissional. Depois de um belo trabalho nas categorias de base do Figueirense e do Avaí o técnico ganhou uma oportunidade no comando do Leão no Catarinense de 2012. Maria substituiu o demitido Mauro Ovelha. A diretoria não tinha expectativas de classificar para as semifinais do Estadual, mas a equipe de Hemerson Maria não apenas conseguiu chegar a fase decisiva como também ficou com o título, batendo na final seu maior rival, o Furacão.

Com o Joinville o treinador disputa sua segunda edição do Campeonato Catarinense. E com uma rodada de antecedência sua equipe está classificada para a decisão. O JEC sonha com o título, já que desde 2001 não conquista o torneio de Santa Catarina. Maria sabe da pressão que tem nos ombros, mas confia no seu trabalho e no grupo, pois uma coisa que o técnico sabe administrar é o elenco. Os jogadores gostam de Hemerson Maria, seja pelo seu jeito humilde ou pela sua postura amigável.

Nascido em Florianópolis, mas criado na Procasa, em São José, Hemerson Maria sempre teve o sonho de ser um grande jogador. Foi atleta da base do Figueirense, mas aos 23 anos desistiu de ser atleta por entender que lhe faltava técnica. Decidiu continuar no esporte e virou treinador. Trabalhou por aproximadamente por 10 anos na base do Alvinegro até ir para o Avaí. Hoje, luta para consolidar a carreira de técnico, que é tão difícil quando a de um jogador, e conquistar mais um título do Catarinense seria importantíssimo.

Associação de Clubes de SC prepara campanha enaltecendo sucesso do futebol catarinense

08 de dezembro de 2013 1

Santa Catarina terá três time na elite do futebol brasileiro em 2014 _ Criciúma, Chapecoense e Figueirense. O estado será o segundo com mais clubes na Série A, atrás apenas de São Paulo, com cinco representantes. Além disso ainda tem Avaí e Joinville na Série B. Um grande resultado para SC que cresceu demais nos últimos 10 anos.

— A partir do Século XXI o estado entrou no ritmo do pelotão de frente e desde que o Brasileirão começou a ser jogado no sistema de pontos corridos, em 2003, sempre teve representante na Série A — destacou o presidente da SCClubes e do Figueirense, Wilfredo Brillinger.

Nesta segunda-feira você verá nas tevês catarinenses essa propaganda (abaixo) do SCClubes. Ela enaltece o feito catarinense. Assista:

Figueirense é o último catarinense vivo na luta pelo acesso na Série B

18 de novembro de 2013 5

Na terceira rodada da Série B, os quatro times de Santa Catarina formaram o G-4. Momento histórico, mas que não refletia a realidade. Trinta e três rodadas depois apenas a Chapecoense está garantida na Primeira Divisão e dos três times restantes só o Figueirense mantém chances matemáticas de acesso à Série A.

A probabilidade de acesso do Furacão, que era de 35%, caiu para 15,8%, segundo o matemático Valdir Medeiros, o Kmarão. O torcedor alvinegro começou a fazer contas na ponta do lápis logo depois do apito final em Itápolis, onde o Figueirense empatou com o Oeste por 2 a 2, no último sábado.

O torcedores de Avaí e Joinville podem estar decepcionados, mas era improvável imaginar que ao fim da Segundona mais de dois times catarinenses conseguissem o acesso. Alguém morreria na praia.

A Chapecoense foi uma surpresa, mas que durante a competição mostrou força suficiente para consolidar o segundo lugar. Já o Leão, o JEC e o Furacão viveram altos e baixos e desperdiçaram pontos importantes contra equipes que hoje estão rebaixadas ou na luta contra o Z-4.

Para os alvinegros resta torcer e secar os adversários. Enquanto isso, o Verdão assiste de cima a luta do Furacão por uma vaga.

Figueirense fica mais distante do acesso, após empate por 2 a 2

O Figueirense chegou muito pressionado a Itápolis (SP). As vitórias de Sport, Ceará e Icasa aumentaram sua responsabilidade. Vitória significaria força na briga pelo acesso, no entanto, aos 15 minutos do segundo tempo, o goleiro Tiago Volpi falhou e permitiu o gol de empate do Oeste. O 2 a 2 deixou o Furacão a três pontos do G-4. Subir agora é questão de vencer e torcer por tropeços.

O Figueirense aposta na força da torcida no Orlando Scarpelli. Foto: Cristiano Estrela

O Figueirense aposta na força da torcida no Orlando Scarpelli. Foto: Cristiano Estrela

O Alvinegro é obrigado a vencer as duas últimas rodadas e ainda torcer para os três times a sua frente — Ceará, Icasa e Sport — perderem. É difícil, mas a equipe não joga a toalha.

— Dá (para subir) porque podemos chegar a 62 pontos. Mas os times da frente têm jogos difíceis e vamos torcer por um tropeço. Nós acreditamos porque já passamos por momentos complicados — analisou Vinícius Eutrópio.

Na sexta-feira, o Figueirense enfrenta o ASA, às 19h30min no Scarpelli.

Júlio Rondinelli acredita que a base do Avaí pe boa para 2014Foto: Daniel Conzi

Júlio Rondinelli acredita que a base do Avaí pe boa para 2014. Foto: Daniel Conzi

Avaí espera eleição para começar a definir a próxima temporada

A derrota por 1 a 0 para o América-RN acabou com qualquer chance matemática de acesso do Avaí. Agora, resta ao clube lamentar a oportunidade perdida e começar a se preparar para a próxima temporada. O investimento foi grande com contratações importantes como a do ídolo Marquinhos, do volante Eduardo Costa e do meia Cleber Santana. No entanto, o resultado em campo não ocorreu como o esperado.

O projeto 2014 só deve começar depois da eleição do novo presidente, que será realizada no dia 20 de novembro. Mesmo assim, o gerente de Futebol, Júlio Rondinelli, acredita que o Leão tem uma boa base para começar 2014.

— Temos hoje, diferentemente do ano passado, um número significativo de atletas, entre eles o Marquinhos, Cleber Santana, o Eduardo Costa, o Diego, com contrato para o ano que vem. Então não é chegar no final do ano, mandar todo mundo embora e correr para contratar. O Luciano apareceu muito bem, o Diego Jardel, enfim, vários jogadores têm contrato com o Avaí e podem ainda representar o clube em alto nível — declarou após a partida.

Joinville inicia projeto 2014 liderado pelo cartola César Sampaio

O Joinville parecia ter jogado a toalha quando efetivou Sergio Ramirez no cargo de técnico. Afinal, depois de investir em Ricardo Drubscky, o presidente Nereu Martinelli parecia não acreditar mais no acesso. No entanto, depois da vitória por 1 a 0 sobre o Figueirense no Orlando Scarpelli, na 31ª rodada, a esperança voltou. Porém, mais uma vez quando precisava decidir em casa o JEC decepcionou seu torcedor.

Leo Franco (E), gerente de futebol do JEC ao lado de César Sampaio, superintendente. Foto: Rodrigo Philipp

Leo Franco (E), gerente de futebol do JEC ao lado de César Sampaio, superintendente. Foto: Rodrigo Philipp

Uma vitória em cima do Oeste (SP) teria mantido o Joinville mais vivo na luta, porém quase sem chances o Tricolor perdeu para o São Caetano por 3 a 2 e deu adeus as últimas esperanças.

— Vários fatores se somaram para que talvez nós fossemos castigados. Houve desacertos e você sabe, a bola acaba punindo, serve como lição. Com certeza já há uma movimentação por parte da direção, para nós mudarmos algumas maneiras de trabalhar — defendeu o treinador Ramirez.

O planejamento de 2014 começou com a contratação do superintendente de Futebol César Sampaio. Esta semana o trabalho do cartola deve ser intensificado na análise do grupo.

Avaí tem o terceiro melhor aproveitamento do segundo turno da Série B; Chapecoense é a nono, JEC o décima primeiro e Figueira décimo segundo

30 de outubro de 2013 3

Nem a derrota para o Atlético-GO tirou o Avaí do G-4. Com 53 pontos o Leão é o primeiro time no grupo de classificação para a primeira divisão. Resultado da ótima campanha no returno. A equipe azurra é a terceira que mais fez pontos no segundo turno. Se a gente considerar apenas o returno o Avaí está em terceiro.

Mas o que garante o Leão nessa briga foi a recuperação do time no final do primeira turno. Terminar a fase inicial com 30 pontos foi importante. O Leão continua na luta e precisa de pelo menos mais 12 pontos para chegar aos 65 pontos, número que o matemático Valdir Medeiros, o professor Kmarão, calcula como os ideias para o acesso.

Os outros catarinenses

Tanto Joinville como a Chapecoense caíram sete posição comparando um turno ao outro. Mas que mais perdeu foi o JEC, que deixou a quarta posição para figurar em 11ª. Já o Verdão continua bem na competição graças aos 40 pontos conquistados do primeiro turno.

O Figueirense perdeu quatro posições, o que mostrou a inconstância do Alvinegro. Se você olhar apenas a classificação de pontos do segundo turno verá que o Furacão está mais próximo da zona de rebaixamento do que do acesso.

Curiosidades

O ABC fez uma campanha de recuperação no segundo turno. Seu aproveitamento seria o sexto se a tabela só contasse os pontos do returno. Do outro lado o Boa Esporte estaria na zona de rebaixamento, a equipe mineira chegou a ser um dos candidatos do acesso, mas com a péssima campanha do segundo turno ficou para trás.

Confira a classificação apenas com os pontos conquistados nos turnos na imagem abaixo. Se quiser espiar como está a classificação real da Série B é só clicar aqui.

tabelass

Informações da 28ª rodada da Série B

08 de outubro de 2013 0

As terças-feiras de 2013 têm sido bem agitadas para Santa Catarina, afinal, quatro times estão na disputa da Série B e todos têm chance de acesso. Por isso, os torcedores de Avaí, Chapecoense, Figueirense e Joinville se acostumaram a guardar a terça à noite para as super rodadas da Segunda Divisão.

Hoje, o dia promete ser tenso. Isso porque todas as partidas são complicadas. Chapecoense e Figueirense têm que buscar pontos longe de casa. A situação do Verdão do Oeste é mais confortável. Com 52 pontos, a equipe do técnico Gilmar Dal Pozzo conta os dias para o acesso, mas enfrenta o América-MG, que dentro do Estádio Independência quer a vitória para continuar sonhando com o G-4.

O Figueirense precisa recuperar os pontos perdidos para o Atlético-GO em casa contra o líder da competição, o Palmeiras. O JEC recebe o ABC. Apesar de a equipe potiguar lutar para não ser rebaixada, dentro de casa, bateu o poderoso Palmeiras. Aliado a isso, o Joinville não vive bom momento.

Na Ressacada, o Avaí enfrenta o Sport, adversário direto pelo acesso, e uma vitória coloca o a equipe catarinense dentro do G-4.

Aproveito para publicar aqui o que está nas páginas do Diário Catarinense, onde pedimos para setoristas dos quatro clubes catarinense analisarem os jogos.

palfiga

Fabiano Linhares, setorista do Figueirense  da rádio CBN Diário

O que pode ajudar?
O Figueirense enfrenta um Palmeiras muito desfalcado. Sem a zaga titular, e principalmente sem Valdivia, o Verdão chega com muitos problemas. Além disso, o volante Rodrigo Souto vai fazer sua estreia como titular. No último jogo, ele entrou no segundo tempo e deu muita qualidade ao meio de campo. Souto é um jogador experiente e pode ajudar os mais novos. Ele vai estar na criação e o atacante Artur vai ajudá-lo, acredito que isso é um erro. O técnico alvinegro poderia usar outro meia nessa função.

O que pode dificultar?
Além da qualidade do Palmeiras, que mesmo com desfalques não será uma equipe fácil de ser batida, o Figueirense chega desentrosado. Mais uma vez, o técnico Vinícius Eutrópio teve que mexer no time por causa de lesões. Artur, por exemplo, acabou de chegar ao time, é um atleta jovem e terá que fazer uma função de criação de jogadas. O garoto terá bastante pressão contra um adversário complicado.

Palmeiras
A equipe paulista tem vários desfalques. Eguren, Valdivia e Henrique foram convocados por suas respectivas seleções. O zagueiro Vilson está suspenso. Já o atacante Leandro está liberado e o técnico Gilson Kleina deverá contar com o lateral-direito Luís Felipe, o lateral-esquerdo Juninho e o atacante Vinicius, que deve ficar como opção no banco.

amareciachapecampo

Cleiton César, repórter e narrador da RBS TV em Chapecó

O que pode ajudar?
A Chapecoense está muito bem preparada fisicamente, o trabalho de do preparador físico do clube, Anderson Paixão, é impecável. Outro fator importante é o entrosamento da equipe. Gilmar Dal Pozzo tem uns 15 jogadores que se revezam na equipe e por isso acredito que as ausências de Fabiano, André Paulino e Nenén não devem ser sentidas pelo time. Além disso Bruno Rangel vive uma fase incrível e se ele tiver chances de marcar não vai perder.

O que pode dificultar?
O América-MG não é um adversário fácil. A equipe do técnico Silas venceu as duas últimas e continua na briga por uma vaga no G-4. Por isso, e para não se distanciar, o time mineiro vem com tudo para cima da Chapecoense. O Coelho deve optar por um esquema ofensivo que privilegie o perigoso Bady, um jogador rápido e de muita qualidade. O Verdão pode e deve aproveitar os desfalques do América-MG que não poderá contar com Andrei, Jaílton e Willians.

América-MG
O técnico Silas não poderá contar com o zagueiro Jaílton e o volante Andrei Girotto, que estão suspensos. Willians também não joga. No entanto, retornam o zagueiro Vitor Hugo e o goleiro Matheus, que cumpriu suspensão de três jogos do STJD.

avaisportcampo

Janniter de Cordes, setorista do Avaí da Rádio CBN Diário

O que pode ajudar?
O grupo tem que seguir o esquema montado por Hemerson Maria. Não mudar o estilo de jogo tem sido um ponto positivo da equipe avaiana. Outro fator que pode ajudar é a torcida. Os avaianos estão empolgados pelo momento da equipe. O estádio não deve estar lotado por causa do horário (21h50min). Márcio Diogo é dúvida e eu acredito que ele só deve ser usado se estiver 100% fisicamente. Caso contrário, não Betinho deve continuar no time. Com Luciano no meio de campo Marquinhos pode ter mais espaço.

O que pode dificultar?
O grande desafio do Avaí é superar a ansiedade. Essa é a primeira vez que o clube está próximo de entrar no G-4 e os jogadores têm que administrar a tensão para não se prejudicarem. Nesse momento vale a experiência dos líderes do grupo: Diego, Eduardo Costa e Marquinhos. Nesses jogos importantes, a equipe costuma crescer e isso pode ajudar. O Sport é um adversário que vem em bom momento e, por isso mesmo, uma vitória mudaria a situação do clube da Capital.

Sport
Os pernambucanos estão com problemas para montar a defesa. Sem Pereira, Oswaldo e Vinicius Simon, vetados por contusão, o técnico Geninho não poderá escalar Gabriel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Aílson deve formar dupla de zaga com Toby.

 

jecabc

Lucas Balduino, repórter do jornal A Notícias

O que pode ajudar?
Além de precisar fazer a sua parte dentro de campo e vencer o ABC, o Joinville ficará de olho nos outros jogos da 28ª rodada da Série B. Apesar de ser improvável que o Tricolor retorne ao G-4 ainda hoje, a equipe pode se aproximar da zona de acesso se Avaí e Sport ficarem no empate. No entanto, se for para alguém sair vitorioso do confronto, é melhor que o Avaí vença, assim, o Sport não abre vantagem na briga. Outro confronto que interessa ao JEC é entre América-RN e Paraná, no Rio Grande do Norte, onde um tropeço da equipe paranaense não cairia nada mal.

O que pode dificultar?
Se o Joinville já não vinha atuando bem diante de sua torcida, agora, que a cobrança é maior, a situação pode ficar ainda pior. A torcida vem reclamando do time, que não vence há cinco partidas. O Tricolor vai entrar em campo com a obrigação de conseguir um bom resultado contra o ABC, que venceu as suas últimas quatro partidas – inclusive o líder Palmeiras, na última rodada. A pressão será uma inimiga a mais da equipe joinvilense, que pode ver as chances de acesso diminuírem drasticamente em caso de um novo revés.

ABC
A equipe potiguar não vai ter o atacante Gilmar, que foi vetado após sentir lesão na coxa no jogo contra o Palmeiras, no sábado. Pingo deverá ser seu substituto.

Dos cinco grandes clubes catarinenses, apenas a Chapecoense não gostou da nova fórmula do Estadual

04 de outubro de 2013 0

A nova fórmula do Campeonato Catarinense agradou Avaí e Figueirense. E foi principalmente a data de início do campeonato que mais agradou os superintendentes dos dois clubes.

O Estadual vai começar no dia 26 de janeiro, o que dará aos clubes pelo menos 25 dias de pré-temporada, algo raro nos últimos anos.

— Esse foi o fator mais importante na escolha da fórmula do campeonato e vamos ter tempo para fazer uma pré-temporada que é fundamental hoje para os clubes que disputam o campeonato nacional — analisou Rodrigo Pastana, superintendente de Esportes do Figueirense.

O superintendente de Esportes do Avaí, Enio Gomes, também alertou que esse novo formato do Catarinense vai possibilitar um maior tempo para a recuperação dos gramados.

— A nossa sugestão inclusive era que o campeonato começasse no dia 2 de fevereiro. Porque não é apenas a questão da preparação física. Nós temos uma dificuldade que é o gramado. Então agora teremos dezembro e janeiro para deixar o gramado em condições para o Catarinense e para o restante da temporada — disse Enio Gomes.

Sandro Pallaoro, presidente da Chapecoense. Foto: André Podiacki

Sandro Pallaoro, presidente da Chapecoense. Foto: André Podiacki

Se o formato agradou a dupla da capital e também Criciúma e Joinville, que votaram favoráveis a proposta da Associação de Clubes de Futebol Profissional de Santa Catarina (SCClubes), a Chapecoense propôs um formato diferente.

A proposta perdedora foi sugerida pelo Metropolitano, Chapecoense, Brusque, Atlético-Ib e Marcílio Dias. A ideia da proposta de número dois era disputar o campeonato em turno e returno e os quatro primeiro colocados disputaram semifinais e final.

— Nós queríamos o turno e returno sem tem campeão de turno. Isso daria uma possibilidade maior de todos os clubes chegarem as semifinais. O grande barato do Campeonato Catarinense é que qualquer time pode ser campeão. E essa fórmula aprovada acho ela suicida, porque você vai disputar um turno. Os quatro classificados para o quadrangular vão brigar pelo título, os outros seis não. Então acho que o torcedor não vai para o estádio e vai desmotivar o torcedor. É um risco muito grande, porque equipes grandes do estado podem ficar de fora desse quadrangular, até pelo o que a gente viu nos últimos anos — explicou o presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro.

Informações da 26ª rodada da Série B

01 de outubro de 2013 3

Dever de casa

Em um campeonato de pontos corridos, vencer em casa é obrigação para a equipe que quer subir. A Chapecoense sabe muito bem disso e tem um dos melhores aproveitamentos da Série B. Já o Avaí derrapou nos primeiros jogos em casa durante a competição, mas agora a Ressacada é um dos pontos fortes da equipe.

Na Arena Condá, o Verdão foi derrotado apenas uma vez, pelo surpreendente Icasa. Em Chapecó, a equipe de Gilmar Dal Pozzo quer usar a força da torcida para voltar a vencer. Nas duas últimas rodadas, duas derrotas e muita desconfiança. Por isso, contra o ASA, às 19h30min, a Chape quer mostrar sua força.

Já o Leão terá que rugir muito mais alto na Ressacada contra o São Caetano. Sem o maestro Cleber Santana, e seu substituto imediato Luciano, o técnico Hemerson Maria aposta na experiência e qualidade de Marquinhos.

Nivaldo volta ao gol do Verdão

O retorno do goleiro Nivaldo, depois de oito rodadas afastado em virtude de uma lesão no joelho esquerdo, é uma das novidades da Chapecoense para o confronto contra o ASA. Ele deve voltar no lugar de Juliano, que não foi bem contra o Paysandu. Outra mudança na defesa é a entrada de Tiago Saletti no lugar do zagueiro Rafael Lima, que está suspenso. No ataque, Tiago Luís volta ao time no lugar de Soares. Bruno Rangel, artilheiro da Série B, comanda o ataque do Verdão na Arena Condá.

chapecoasa

numeroschape

Beto é dúvida no ataque azurra

Sem Cleber Santana, lesionado, e Luciano, suspenso, Diego Jardel deve voltar ao meio de campo titular do Leão. No ataque, o centroavante Beto é dúvida. Na tarde de ontem, o jogador foi poupado do treino e trabalhou à parte com um dos preparadores físicos do time. Com uma pancada no tornozelo, o jogador ainda não sabe se vai a campo. Chance para Betinho, recém-contratado, o atacante já ficou no banco de reservas contra o América-MG e espera uma chance. Marquinhos será o comandante da equipe contra o Azulão.

avaisaoesquema

numerosavai

Cartão de visitas

Se fazer pontos dentro de casa é obrigação, pontuar longe do seu domínio é o diferencial para chegar ao G-4. Todas as equipes que estão atualmente no grupo de classificação à primeira divisão possuem boas campanhas fora de casa. O JEC é um desses times. A equipe de Ricardo Drubscky já venceu seis partidas fora da Arena Joinville, o que garantiu a equipe dentro do G-4 nas últimas rodadas depois de maus resultados.
Já o Figueirense é uma ótima visita, quase não incomoda. Em 11 jogos, venceu apenas dois. Empolgados pelas duas vitórias em casa, jogos difíceis e vencidos na raça, o time viajou para Varginha (MG) em busca da primeira vitória longe do Orlando Scarpelli sob o comando do técnico Vinícius Eutrópio.
O Sport, adversário do JEC, já perdeu três partidas em casa e chega desfalcado do seu principal volante, Anderson Pedra. O Furacão chega com boas chances de vitória contra o Boa Esporte. A equipe mineira perdeu três em Minas.

Jussani retorna ao time titular

O JEC viajou até Recife com mudanças. Diego Jussani volta à zaga, no lugar de Rafael, depois de cumprir suspensão. No meio de campo, Wellington Bruno continua fora, lesionado. Marcelo Costa comanda o time que conta com o artilheiro Lima, que reclamou que as bolas não tem chegado redondas para a finalização. o meia Diego Oliveira, recém-contratado do Juventude, é uma das opções para o segundo tempo, já que o meia Ricardinho foi emprestado ao Criciúma. O Joinville não vence a três rodadas, mesmo assim continua no G-4, mas as gordurinhas estão acabando e se for derrotado pode perder a quarta colocação.

sportjoinville

numerosjec

Figueirense com cinco desfalques

O Figueirense chega remendado a Minas Gerais. Contra o Boa Esporte, o time tem cinco desfalques. Além de não poder contar com Douglas Marques, suspenso, o técnico Vinícius Eutrópio terá mais quatro ausências. Maylson, Nem, Wellington Saci e Marcelo Toscano não viajaram com a delegação alvinegra por estarem vetados pelo departamento médico. Assim, o volante Paulo Roberto fará sua estreia. No ataque, uma dúvida: Jonatan e Éverton Santos brigam por uma vaga. O volante Tinga corre por fora e pode ser uma surpresa do técnico Vinícius Eutrópio, que pode colocar o atleta no ataque.

boafigueira

numerosfiga

Informações e curiosidades dos times catarinenses na 13ª rodada da Série B

06 de agosto de 2013 3


CHAPECOENSE

Problemas:
Anderson Pico, Paulinho Dias, André Paulino e Dão não participaram do último treinamento antes do jogo, apesar de relacionados para a partida de logo mais eles dependem de liberação do departamento médico para entrarem em campo.

Time provável (4-4-2)
Nivaldo; Glaydson (Fabiano), Rafael Lima, André Paulino, Anderson Pico; Wanderson, Augusto, Paulinho Dias, Athos; Fabinho Alves e Bruno Rangel

Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Últimos cinco jogos: VEVDV

ATLÉTICO-GO

Problemas:
O lateral-esquerdo Denner e o atacante Ricardo Jesus estão machucados e em tratamento no departamento médico do clube. O volante Marino cumpre a suspensão automática.

Time provável (4-4-2)
Márcio; Rafael Cruz, Artur, Ednei e Diego Giaretta; Renan Foguinho, Bida (Dodó), Jorginho e João Paulo; Diogo Campos (Juninho) e Rafael Gladiador

Técnico: Gilberto Pereira (interino)

Últimos cinco jogos: DVDDD

Arbitragem:
Antônio Denival de Morais, auxiliado por Moisés Aparecido de Souza e Rafael Trombeta (trio do PR)

Histórico de confrontos:
As equipes nunca se enfrentaram

Curiosidade:
A Chapecoense não perde jogando em casa (ou com o mando de campo) desde o dia 17 de novembro de 2012 quando perdeu na semifinal da Série C para o Oeste de Itápolis (SP).

FIGUEIRENSE

Problemas:
Ricardinho e Bruno Pires foram expulsos contra o Joinville e desfalcam o time, o volante Nem também não joga por estar suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Provável time (4-4-2)
Tiago Volpi; André Rocha, Douglas Marques, Douglas Silva, Wellington Saci; Dener, Hildo, Maylson, Tchô; Ricardo Bueno e Rafael Costa

Técnico: Adilson Batista

Últimos cinco jogos: VDVDD

ICASA

Problemas:
Nenhum

Provável time (4-4-2)
João Ricardo; Neilson, Luiz Otávio, Naylhor e Carlinhos; Da Silva, Alex William, Radamés (Elanardo) e Chapinha; Juninho Potiguar e Adalgísio Pitbull

Técnico: Sidney Moraes

Últimos cinco jogos: DDVDV

Arbitragem:
Wagner Reway (MT), auxiliado por Ricardo Pavanelli Lanutto (SP) e Vitor Carmona Metestaine (SP)

Histórico de confrontos:
Jogos: 2│Vitória do Figueirense: 1│Empate: 0│Vitória do Icasa: 1

Curiosidade:
O primeiro jogo entre Figueirense e Icasa aconteceu há exatos três anos. No dia 7 de agosto de 2010, na Série B, o Furacão bateu o Verdão do Cariri por 5 a 1 no Estádio Orlando Scarpelli. Os gols foram marcados por Fernandes, Lucas, Reinaldo, Marcelo Nicácio e Roberto Firmino. Roberto Jacaré descontou para o time de Juzeiro do Norte.

BRAGANTINO

Problemas:
O volante Elias foi expulso na derrota para o Palmeiras na última rodada e desfalca o time. Diego Macedo recebeu o terceiro amarelo e também está suspenso. Além disso, o zagueiro André Vinícius e o volante Preto seguem no departamento médico.

Provável escalação (4-3-3)
Leandro Santos; Diogo Silva, Álvaro, Kadu e Léo Jaime; Carlinhos (Geandro), Glauber e Geovanni; Tiaguinho, Paulinho e Dudu (Cesinha)

Técnico: Vagner Benazzi

Últimos cinco jogos: EVDED

AVAÍ

Problemas:
Eduardo Costa com um desconforto muscular na coxa esquerda está no departamento médico

Provável time (4-4-2)
Diego; Ricardinho, Leandro Silva, Bruno Maia, Héracles; Rodrigo Thiesen (Alê), Diego Jardel, Cleber Santana, Marquinhos; Márcio Diogo e Reis

Técnico: Hemerson Maria

Últimos cinco jogos: EDDVV

Arbitragem:
Paulo H Schleich Vollkopf (MS), auxiliado por Eduardo de Souza Couto (RJ) e Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL)

Histórico de confrontos:
Jogos: 9│Vitórias do Avaí: 4│Empates: 3│Vitórias do Bragantino: 2

Curiosidade:
O Avaí nunca venceu o Bragantino no Nabi Abi Chedid. Até hoje foram quatro partidas com dois empates e duas derrotas.

PARANÁ

Problemas:
Felipe Amorim machucado está em tratamento no departamento médico e desfalca o Paraná.

Provável time (4-4-2)
Luis Carlos; Moacir, Anderson, Briner e Paulinho; Edson Sitta, Ricardo Conceição, Lucio Flavio e Rubinho; Léo e Reinaldo

Técnico: Dado Cavalcantti

Últimos cinco jogos: EVVEV

JOINVILLE

Problemas:
Ligüera sentiu um problema no joelho e está fora da partida. O meia será submetido a um exame de ressonância magnética para verificar se há lesão e qual a gravidade.

Provável time (4-4-2)
Ivan; Eduardo, Rafael, Sandro, Rafinha; Marcus Winícius, Augusto Recife, Wellington Bruno, Marcelo Costa; Edigar Junio e Lima

Técnico: Ricardo Drubscky

Últimos cinco jogos: EEDDV

Arbitragem:
Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN), auxiliado por Pablo Almeida da Costa (MG) e Marcos Santos Vieira (AM)

Histórico de confrontos:
Jogos: 5│Vitórias do Joinville: 2│Empates: 1│Vitórias do Paraná: 2

Curiosidade:
Adoílson abriu o placar para Paraná no dia 24 de fevereiro de 1991, no primeiro confronto entre os dois times. O empate do JEC saiu dos pés de Bandeira. Essa foi a partida de estreia do meia que deixou o campo elogiado.