Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Clássico"

Jogadores contam o que viram no primeiro gol do Figueirense

03 de novembro de 2013 3

Após o clássico 404, o repórter Felipe Pereira entrevistou os jogadores alvinegros envolvidos no lance do primeiro gol. A vitória de 4 a 0 do Figueirense nasceu assim:

- Fui pra bola porque o professor sempre pede que o primeiro escanteio do lado inverso eu bata. Bati com o lado de dentro do pé e coloquei um pouco de força na bola porque senão (a bola) vai no primeiro pau e a zaga do Avaí afasta. Depois que bati virei torcedor – descreveu o lateral Wellington Saci.

Confira o que o autor do gol viu clicando nos ícones na imagem de Cristiano Estrela.

Confira também o vídeo dos bastidores do clássico:

Comparação: o que mudou em Avaí e Figueirense do primeiro para o segundo clássico da Série B

01 de novembro de 2013 1

Coloco aqui no blog matéria que fiz para a edição desta sexta-feira do Diário Catarinense com o repórter Tiago Pereira. O clássico está chegando, é no domingo às 17h e ainda tem ingressos a venda.

Muita coisa mudou desde o último clássico entre Avaí e Figueirense, a começar pelo momento das equipes. No dia 10 de agosto, pela 14ª rodada do primeiro turno, o Figueira era o quinto colocado, enquanto o Leão ocupava a 12ª posição. Foi a partir da vitória por 3 a 1, em pleno Orlando Scarpelli, que o time azurra arrancou rumo ao G-4. Já o Alvinegro entrou em declínio e demitiu Adilson Batista duas rodadas depois. Vinícius Eutrópio, que assumiu o comando, é uma das caras novas para a revanche nesta Série B. Além dele, outros sete atletas não jogaram o primeiro duelo. Pelo lado avaiano, apenas duas novidades. Veja quem ganhou e quem perdeu espaço.

Confira nas galerias a baixo o que mudou em Avaí e Figueirense. A lógica da galeria é mostrar quem saiu do time e quem deve ficar com a vaga na partida de domingo.

Avaí

No Leão pouca coisa mudou. Apenas dois jogadores mudaram, o que pode ser o porque do bom momento da equipe azurra. Diego, Ricardinho, Alex Lima, Bruno Maia, Aelson, Eduardo Costa, Marquinhos, Cleber Santana e Márcio Diogo continuam no time titular.

Figueirense

No Alvinegro muitas mudanças, começando pelo banco de reservas. O técnico Adilson Batista foi demitido e Vinícius Eutrópio assumiu o cargo. No Figueirense provavelmente André Rocha, Maylson, Wellington Saci, Tchô e Rafael Costa continuam na equipe titular.

Todos os clássicos entre Avaí e Figueirense disputados no dia 3 de novembro

31 de outubro de 2013 1

Domingo, 3 de novembro, às 17h, Avaí e Figueirense entram em campo para o clássico 404. Essa será a quarta vez na história do confronto entre as equipes da Capital que a partida será disputada em um 3 de novembro. A primeira vez foi em 1935 em uma partida do Campeonato da Cidade e a última foi em 1985 no Campeonato Catarinense.

Nesses três confrontos a vantagem é do Furacão. São duas vitória e um empate. O jogo de domingo será o primeiro disputado na Ressacada. As outras partidas foram disputadas no Adolpho Konder e no Orlando Scarpelli.

Minha fonte de pesquisa foi o livro Figueirense x Avaí – O clássico de Florianópolis, do historiador Jairo Roberto de Sousa.

Clássico 32 – 3/11/1935 – Campeonato da Cidade

Figueirense 2 x 1 Avaí

FIGUEIRENSE

Pereira, Fred, Arnaldo, Carlos, Carioca, Haroldo, Pijon, Paraná, Ivo, Tião, e Calico

Técnico: Hercílio Poli

AVAÍ

Boos, Nito, Betinho, Zé Macaco, Chocolate, Aquino, Galego, Medeiros, Sapo, Zequinha e Daniel

Técnico: Não informado

Gols: Calico (F), Daniel (A) e Pijon (F)
Árbitro: Antônio Rodolfo de Paiva
Local: Estádio Adolpho Konder

Curiosidade: Essa foi a única vez que uma partida no dia 3 de novembro foi disputada no Estádio Adolpho Konder. Além disso foi o primeiro clássico nesta data.

Clássico 204 – 3/11/1974 – Campeonato Catarinense

Figueirense 1 x 1 Avaí

FIGUEIRENSE

Nilson, Pinga, Nelson, Moenda, Casagrande, Sérgio Lopes, Moacir (Caco), Zé Carlos, Marcos, Luís Éverton e Jací

Técnico: Lauro Búrigo

AVAÍ

Rubnes, Jaíco, Arí Prudente, Vilela, Orivaldo, Lourival, Zenon, Paulo Graça (Veneza), Toninho (Paulo Roberto), Juti e João Carlos

Técnico: Zezé Ferreira

Gols: Vilela (A) e Caco (F)
Árbitro: Dalmo Bozzano
Local: Estádio Orlando Scarpelli

Curiosidade: Esse foi o primeiro clássico apitado por Dalmo Bozzano, o juiz que mais vezes comandou o clássico da Capital, 41 jogos.

Clássico 292 – 3/11/1985 – Campeonato Catarinense

Figueirense 1 x 0 Avaí

FIGUEIRENSE

Braulino, Everaldo, Ozires, Carlos Alberto Batata, Hamilton, Vanuza, Cléo (Edson Nerí), Osmarí, Sérgio Luíz, Joel (Albeneir) e Abel

Técnico: Borba Filho

AVAÍ

Carlos Alberto, Roberto Teixeira, Sérgio Márcio, Fred, Miranda, Belmonte (Dudu), Júnior, Flávio Roberto (Branco), Catatau, Décio Antônio e Nelsinho

Técnico: Lauro Búrigo

Gol: Joel (F)
Árbitro: Dalmo Bozzano
Local: Estádio Orlando Scarpelli

Curiosidade: Esse foi o17ª clássico que Albeneir disputou, o atacante do Figueirense ficou no banco de reservas e entrou na segunda etapa.

Memória SC: o árbitro que expulsou todos os jogadores em uma clássico entre Avaí e Figueirense

09 de agosto de 2013 5

Nahas cercado pelos atletas de Avaí e Figueirense. Foto: Arquivo

Heber Roberto Lopes é o árbitro do clássico 403. Depois de muito polêmica e reclamação pelo Figueirense após o jogo com o Joinville onde Ronan Marques da Rosa desagradou muito a comissão técnica e a diretoria alvinegra, o Furacão pediu árbitro de fora para apitar Figueirense e Avaí neste sábado às 16h20min, no Orlando Scarpelli. A CBF colocou o paranaense Heber, e o árbitro agradou os dois lados mesmo ele sendo do quadro da Federação Catarinense de Futebol (FCF).

Arbitragem sempre foi alvo de muitas críticas em clássicos em todo o mundo, mas com certeza é raro encontrar um juiz como Gilberto Nahas. Em 31 de março de 1971, ele expulsou 22 jogadores no clássico 181.

O jogo ficou conhecido como o Clássico da Vergonha por ser um amistoso em homenagem aos sete anos do regime militar no Brasil. Mas o jogo terminou aos 10 minutos do segundo tempo depois uma briga generalizada, não sobrou ninguém dentro de campo: os 22 jogadores foram expulsos e a partida ficou no 0 a 0.

A confusão começou quando o centroavante Cláudio, do Figueirense, e o zagueiro Deodato, do Avaí, se desentenderam numa disputa de bola e começaram a brigar. Antes que o árbitro da partida, Gilberto Nahas, conseguisse tirar os dois de campo, os demais jogadores partiram para a violência.

— Não tinha o que fazer. Simplesmente eu peguei o cartão vermelho, girei no ar para todos os lados e disse ‘tá todo mundo expulso’ — relembrou Gilberto em entrevista ao jornal Hora de Santa Catarina em abril de 2008.

Outra versão seria que a briga começou por uma disputa amorosa. Um jogador do Figueirense e outro do Avaí disputavam o amor da mesma mulher.

Problemas com os militares

Contam que os militares que estavam sendo homenageados ficaram irritados com Gilberto Nahas por ele ter acabado o jogo com apenas 10 minutos do segundo tempo e por isso foram ao vestiário pressionar o árbitro. Como era sargento da marinha, ele recebeu recados do almirante, seu comandante, para que continuasse com o amistoso, até mesmo porque o governador estava presente no estádio. Não teve jeito.

— Eu disse que ali dentro de campo eu era a autoridade máxima e que tinha que cumprir as regras da Fifa — garantiu o ex-árbitro.