Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "Liga dos Campeões"

PodiCast 6º edição - A decisão da Liga dos Campeões entre Real Madrid e Atlético de Madrid, e uma entrevista com o catarinense Filipe Luis

22 de maio de 2014 4

Neste sábado às 15h45min Real Madrid e Atlético de Madrid decidem o título da Liga dos Campeões. Um clássico de Madri na final do campeonato de clubes mais importantes do mundo. Para discutir sobre essa grande partida conversei com meu colega de Diário Catarinense, Gustavo Mesa.

Além disso, temos uma pequena entrevista com o catarinense Filipe Luis, que está neste final defendendo o Atlético.

Edição, produção de áudio: André Podiacki | Locução: JB Schüler

Apresentação: André Podiacki
Convidado: Gustavo Mesa

Confira outras edições do PodiCast:

1ª edição: A mistura do futebol com a música
2ª edição: A convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo
3ª edição: Vozes do Rádio, Miguel Livramento o manezinho que não fica em cima do muro
4ª edição: O MMA em Santa Catarina, um papo sobre luta
5º edição:  O vôlei em Santa Catarina vai voltar a disputar títulos?

Jogador brasileiro marca gol na Romênia e manda torcida calar a boca; lembre outros casos

23 de outubro de 2013 0
Leandro Tatu depois de mandar a torcida calar a boca ainda xingou o companheiro de time. Foto: Daniel Mihailescu/AFP

Leandro Tatu depois de mandar a torcida calar a boca ainda xingou o companheiro de time. Foto: Daniel Mihailescu/AFP

Aos 10 minutos do segundo tempo o técnico Laurentiu Reghecampf chamou o brasileiro Leandro Tatu, antes do jogador entrar em campo a torcida do Steaua Bucareste, da Romênia, não perdoou e vaiou o atacante. Sem simpatia da torcida o atleta canarinho entrou em campo e marcou o gol do empate aos 43 minutos do segundo tempo e evitou a derrota do Steaua em casa contra o Basel, na última terça-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

Ao marcar o gol do Steaua o brasileiro incomodado pediu que a própria torcida se calasse. Se não bastasse, Tatu ainda começou uma calorosa discussão com o zagueiro polonês Szukala e a língua usada é a portuguesa. Não vou transcrever o que ele disse, porque é impublicável.

Aproveitando a situação vou lembrar alguns casos em que após um gol o jogador xingou a própria torcida.

1 — Romário, sempre ele

Em 2002, em uma goleada por 5 a 1 do Vasco sobre o Bangu pelo Torneio Rio-São Paulo, Romário mostrou o dedo do meio para sua própria torcida após marcar um de seus dois gols. Como de costume na época, mais uma vez não houve qualquer tipo de punição ao Baixinho.

2 — Dodô nem aí para a torcida

Após surgir como uma das grandes promessas do futebol brasileiro em 1997, o atacante Dodô vivia com problemas com a torcida do São Paulo. O atacante era alvo da torcida que pegava no pé do jovem atacante. No empate em 2 a 2 com o Guarani pelo Campeonato Paulista de 1999, Dodô perdeu a paciência e comemorou seu gol mandando uma banana para a torcida do tricolor.

3 — Elton e Amaral na Série B

O Vasco venceu o Vila Nova por 4 a 1 na Série B de 2009, em São Januário. O volante Amaral, hoje no Criciúma, marcou o segundo gol cruzmaltino no jogo e comemorou com a mão no ouvido e pediu silêncio. Após o gesto, alguns torcedores vaiaram o jogador cada vez que ele tocava na bola. No mesmo dia o atacante Elton foi outro que, ao marcar um gol, fez sinal de silêncio para alguns torcedores.

— Estávamos devendo uma boa apresentação ao nosso torcedor, já que não vínhamos fazendo jogos bons. Essa vitória foi para lavar a alma. A torcida tem que entender que somos os líderes do campeonato. As coisas não vinham acontecendo como a gente quer, mas o torcedor tem que estar do nosso lado. Algumas vezes, isso não tem acontecido — lamentou na época o atacante Elton.

Bônus: Robbie Fowler cheirando a linha

Essa comemoração não foi em resposta ao torcedor do próprio time, mas foi muito polêmica. Robbie Fowler comemorou o seu gol pelo Liverpool em um clássico contra o Everton, na Premier League de 1998/99 (Liverpool 3×2 Everton), cheirando a linha de fundo. A celebração foi uma resposta à acusação dos torcedores do Everton, que diziam que Fowler usava cocaína. O treinador Gerard Houllier tentou amenizar a polêmica, afirmando que o jogador estava comendo grama. A comemoração de Fowler rendeu ao atleta quatro jogos de suspensão e uma multa de € 44 mil.

• Assista o vídeo da comemoração

Você lembra de algum outro caso de jogador que mandou a torcida do próprio time calar a boca?

Bayern de Munique x Borussia Dortmund: a quarta final da Liga dos Campeões entre times do mesmo país

21 de maio de 2013 0

Foto: Odd Andersen/AFP

No próximo sábado acontece no Estádio de Wembley, em Londres na Inglaterra, a final da Liga dos Campeões. A maior competição de clubes do mundo foi criada na temporada 1955/56 e teve domínio do Real Madrid, que venceu as seis primeiras edições. O confronto do próximo dia 25 será a primeira final entre clubes da Alemanha. É o jogo entre os dois melhores times daquele país: Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Porém, essa não é a primeira vez que equipes do mesmo país se encontram em uma final de Liga dos Campeões.

Somente na temporada 1997/1998 a Uefa permitiu a participação de mais de um clube por país abrindo a possibilidade de uma final entre times de mesma nação. E os espanhóis foram os pioneiros. Na temporada 1999/2000 o Real Madrid encarou o Valencia no Stade de France, em Saint-Denis.

Os Merengues eram comandados por Vicente Del Bosque e disputavam pela 11ª vez a final da Liga dos Campeões. O time de Roberto Carlos, Redondo, Raúl e Helguera bateu o Valencia de Cláudio Lopes e Kily Gonzáles por 3 a 0, com gols de Fernando Morientes, Seteve McManaman e Raúl. Conquistando seu oito título.

Três anos depois da final espanhola foi a vez dos italianos decidirem a Liga. No Old Trafford, na Inglaterra, Milan e Juventus não conseguiram sair do empate de 0 a 0. Depois de 120 minutos a partida foi decidida nos pênaltis. A grande estrela da final foi o goleiro Dida. O brasileiro defendeu três penalidades (Trezeguet, Zalayeta e Paolo Monteiro), assim o Milan venceu por 3 a 2 e se sagrou campeão da temporada 2002/2003, levantando a taça pela sexta vez.

Depois de espanhóis e italianos os ingleses chegaram a final da Liga dos Campeões. Em campo a tradição do Manchester United contra o time do russo Roman Abramovitch. O Chelsea chegava a final da temporada 2007/2008 de forma inacreditável. A temporada começou com José Mourinho, mas depois de desentendimentos do português com o milionário Abramovitch o técnico deixou os Blues. O israelense Avram Grant assumiu o time e conseguiu levar a equipe de Londres para a final da Liga.

No Estádio Lujniki, em Moscou na Rússia, Cristiano Ronaldo abriu o placar para os Diabos Vermelhos, mas Frank Lampard deixou tudo igual. Com o empate também na prorrogação, a decisão foi para os pênaltis. O capitão Terry escorregou em uma das cobranças de pênalti colocando a bola longe do gol. No fim o goleiro Van der Sar defendeu a cobrança de Anelka, isso já nos pênaltis alternados, colocando um ponto final na partida e garantindo o título do Manchester United.

O jogo do próximo sábado promete muitas emoções. O Bayern de Munique conta com Frank Ribery, Muller, Mário Gomes, entre outros atletas e atualmente é apontado como a melhor equipe do mundo. Do lado do Borussia Dortmund tem jogadores como Mario Gotze, já negociado com o time de Munique, e Lewandowski.

O primeiro encontro entre PSG e Barcelona na Liga dos Campeões, em 1995

02 de abril de 2013 4

Matéria do jornal El Mundo Deportivo sobre a eliminação do Barcelona pelo PSG em 1995. Foto: Reprodução

A partida de hoje entre Paris Saint-Germain e Barcelona pelas quartas de final da Liga dos Campeões não é o primeiro confronto entre essas equipes na maior competição de clubes do mundo. Na temporada 1994/95 os dois times se encontraram na mesma fase.

Na época o craque do time de Paris era o brasileiro Raí que marcou um gol no jogo decisivo nos Parque dos Príncipes e ajudou na classificação do PSG para as semifinais. A primeira partida foi disputada no Camp Nou e teve o placar de 1 a 1, com gols de Igor Korneyev para o Barça e George Weah para o time francês.

No jogo da volta o PSG venceu o Barcelona de Guardiola, Hagi, Koeman e Stoichkov por 2 a 1 com direito a gol de Raí. Até hoje essa foi a melhor campanha do Paris Saint-Germain na Liga dos Campeões. A campanha só acabaria na semifinal, contra o Milan (que seria derrotado pelo Ajax, o grande campeão).

Olhando o jornal El Mundo Deportivo do dia 16 de março de 1995 fica evidente que o time que um dia foi reconhecido como Dream Team estava desmoronando. Um dos craques da equipe, o búlgaro Hristo Stoichkov, de temperamento explosivo, tinha um desentendimento com o técnico Johan Cruyff e alguns dias antes da partida decisiva contra o PSG declarou:

- É Cruyff ou eu.

A diretoria ficou com o treinador, que continuaria no comando do time catalão até o fim da temporada 1995/96.

Ficha técnica da partida decisiva:

15/03/1995 – PSG 2 x 1 Barcelona

PSG

Lama, Cobos, Colleter, Kombouaré, Raí, Le Guen, Bravo, Guérin, Weah, Valdo, Ginola.

Técnico: Luis Fernández

Barcelona

Busquets, Ferrer, Sergi, Koeman, Nadal, Bakero, Iván, Stoichkov, Eusebio, Hagi, Óscar

Técnico: Johan Cruyff

Gols: Bakero, aos 49, Raí aos, 27, e Guérin, aos 37 minutos do 2º tempo
Árbitro: Gerd Grabher.
Estádio: Parc dels Prínceps
Público: 45.574

• Assista ao gol marcado por Raí