Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O primeiro dia do resto de nossas vidas

06 de julho de 2011 0

Há dois posts atrás eu contei pra vocês sobre meu casamento. Foi um casamento normal, apesar de algumas adaptações como o fato de irmos embora em carros separados, por exemplo, mas diferente mesmo foi o dia seguinte.

Eu e a patroa passamos a primeira noite de casados num Hotel (no mesmo que a família dela estava hospedada, inclusive no mesmo andar – coisa de Camila), acordamos e, ao contrário de um casal normal que sai do hotel junto e provavelmente vai viajar, eu fui embora e a Ca ficou. Talvez pensem “nossa, mas que homem insensível”, mas não teve jeito. Nós dois estávamos com visitas, cada um na sua casa, com programas diferentes e eu ainda preciso de ajuda pra muita coisa, então, foi a melhor maneira que encontramos pra passar nosso primeiro dia de casados tranquilos.

A Ca tinha combinado um passeio de barco com a família dela pra mostrar a Orla de Porto Alegre e eu e minha família fizemos um almoço em casa. Claro que seria muito divertido juntar todo mundo mas eu tenho um pouco de medo dessa história de barco e ainda achei que o famoso Cisne Branco, que faz passeios pelo Rio Guaíba aqui em Porto Alegre, não tivesse acesso pra mim. Quebrei a cara! Entrei em contato com o Cisne Branco através do site (clique aqui) e a informação que me passaram é que sim, tem acesso para cadeirantes! Claro que nem tudo são flores e não tenho como ir ao banheiro, por exemplo, mas se em vários barzinhos e restaurantes não tem banheiros adaptados, eu não poderia realmente imaginar que num barco tivesse. Só de saber que um dia, se eu tiver coragem, posso dar um passeio pela orla de Porto Alegre, já fico feliz!

Isso sim realmente é importante, afinal, logo logo sediaremos uma Copa do Mundo e num evento desse porte espera-se acessibilidade universal… certo?? Sinceramente tenho dúvidas se isso vai funcionar não só aqui em Porto Alegre como nas outras cidades também, mas pelo menos por aqui o passeio de barco está garantido.  (Em outro post também vou falar sobre acessibilidade dos aeroportos)

Outra coisa que andei pesquisando, até pela experiência que passei lá do outro lado do mundo, foi o Ônibus Turístico aqui de Porto Alegre e sim, ele também é acessível!! Fiquei muuuito feliz porque, acreditem, em Paris, a cidade mais visitada do mundo, o Ônibus Turístico não é acessível (mais um post garantido, que vocês vão ficar horrorizados!).

Aqui nós temos duas linhas: Linha Turismo Centro Histórico e a Linha Turismo Zona Sul. Se você ficou interessado pelos passeios, clique aqui para maiores informações.

Agora, claro… eu posso passear no Ônibus Turístico e no Cisne Branco mas não consigo me imaginar fazendo turismo pelas ruas do centro de Porto Alegre. Lá sim esqueceram que existem pessoas que não podem pular os buracos das calçadas e precisam de auxílio pra atravessar a rua porque rampa não existe e, quando tem, algum bonitinho faz o favor de estacionar o carro bem na frente, como se já não bastasse roubar minha vaga especial…

Realmente, apesar do ótimo exemplo em alguns aspectos, Porto Alegre ainda deixa muito a desejar quando o assunto é acessibilidade universal. Já melhorou muito, confesso, mas ainda tem muito que fazer.  Bem, ainda temos 3 anos!! Vamos nos mexer!

Bookmark and Share

Envie seu Comentário