Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de julho 2010

Para quem vem...

26 de julho de 2010 8

Rápidas dicas da língua inglesa! Saiba os sons do alfabeto em inglês. Parece besteira, mas esta parte das aulas do básico que você provavelmente ignorou (falo porque me serve o chapéu!), no exterior vai te fazer muita falta. Seu nome, por exemplo, você terá que soletrar inúmeras vezes por aqui – tudo é “Can you spell?” Então, desde já não esqueça que A é “ei” , E é “i” e I é “ai”, all right?

No inglês Americano, justamente o que aprendemos no Brasil, não preciso nem dizer que muitas palavras diferem do Britânico – aqui elevator é lift, trash é rubish, e assim por diante. Mas foque sua atenção também em evitar gafes. Por exemplo, quando não entendemos algo, instintamente dizemos “What??”  Para os Britânicos, tal atitude não soa nada bem, é como se estivesse respondendo grosseiramente. Você deve dizer “Sorry?” ou “Pardon?”, que com certeza será melhor interpretado.

A propósito, Londres é o “samba no crioulo doido” de sotaques – indiano, turco, espanhol, italiano, chinês, japonês, i… Portanto, não exite em pronunciar um “sorry” para assimilar a informação.

Quando for pedir algo, do tipo uma bebida, não diga “I want a can of Coke”. A maneira educada é “Can I have a can of coke?” ou “I would like a can of Coke”.

Conforme for me lembrando, vou fazendo o registro por aqui…

Internauta, não esqueça que o espaço está aberto para contribuições!

Mamães cangurus!

23 de julho de 2010 5

Olhando no ângulo que eu estava sentada no ônibus, era difícil discernir. Mas, com atenção, eis que me deparo com uma curiosa cena… …uma moderna mamãe, com seu filhinho na carrier baby, cheia de sacolas e lendo um livro, enquanto o pequeno aproveitava o aconchego! Por aqui é muito comum as mamães usarem este recurso para carregarem seus filhos. Algumas até colocam eles nas costas!! A explicação é óbvia –  mãos livres para os outros afazeres da rotina – já que uma grande parte utiliza transporte público-, e a segurança do pequeno sempre juntinho. Mas confesso que às vezes me dá uma angústia ver que a criança pendurada e a mamãe ocupando suas duas mãos! Oh my God, vai que solta alguma alça, sei lá… Enfim, a moda “mamãe canguru” aqui em Londres está com tudo!

A magia de Alice

20 de julho de 2010 6

Tudo começou em meados do século 12, quando o rei Henrique II ordenou que os jovens ingleses voltassem de Paris para concluir seus estudos na Inglaterra. Mas Henrique não quis que o destino fosse Londres, já que estudante era sinônimo de rebeldia e contestação. Foi então que Oxford floresceu.

A cidade onde o escritor Lewis Carroll – consagrado por ter concebido a imortal “Alice no País da Maravilhas” - estudou e lecionou é absolutamente instigante. Não apenas por ter mais do que o dobro de idade do Brasil, mas por respirar esta cultura antiga o tempo todo.

O turismo em Oxford é intenso. Agora no verão europeu, então, é muito comum se deparar com um mar de gente ocupando todos os espaços. Filas e mais filas. Todos curiosos para vivenciar a mágica energia que a cidade de 115 mil habitantes transmite.

Nossa aventura começou na estação de Paddington, ainda em Londres. Eu e alguns dos colegas do meu curso de inglês nos encontramos por lá e fomos comprar as passagens de trem para Oxford. Quanto maior o número de tickets, maior o desconto. Entre sete pessoas, por exemplo, ganhamos um desconto de 61 pounds por todos os tickets, que custaram 79 pounds em vez de 140. No total, 11,37 pounds de ida e volta para cada um. Algo em torno de 30 reais. Em uma hora de viagem, chegamos.

A cidade pode ser conhecida a pé, e a estação é perto dos principais pontos turísticos.

Dá uma olhada em algumas fotos e acompanhe meu relato no vídeo. O lugar que inspirou Lewis Carroll a escrever Alice não é realmente mágico?

Informações relevantes…

Tudo pode ser feito a pé. A estação é perto dos principais pontos turísticos. Um dia antes, tracei os pontos relevantes que gostaria de conhecer na cidade. Um guia para o viajante na Europa foi um bom aliado.

The University Church of St. Mary the Virgin. Fascinante pela história, a igreja de 1280 tem como destaque a sua torre de 124 degraus, que leva a uma fascinante vista da cidade de Oxford. A entrada custou 3 libras, sem desconto para estudante.

Christ Church College. Cenas do filme Harry Potter foram gravadas no clássico Salão de Jantar. O local é o mesmo onde o escritor Lewis Carrol , autor de Alice no País das Maravilhas, foi educado, e posteriormente lecionou matemática. Para o ingresso, o valor é de 5 libras, para estudantes, 3,50.

Em frente a entrada da Universidade, encontra-se a amável e apaixonante Alice´s Store. Uma loja dedicada à venda de produtos exclusivos da clássica história infantil “Alice no País das Maravilhas”. Me senti criança novamente, e não pude deixar levar para casa um exemplar do clássico.

O Museu de Oxford é incrível. Expõe artefatos arqueológicos e objetos da Idade Média. Vale a pena conferir. Entrada gratuita.

Outro lugar fantástico é a Bodleian Library. Fundada em 1602, a biblioteca, que faz parte da Universidade de Oxford, é uma das mais antigas da Europa. Para lá são enviados um exemplar de cada livro que é publicado na Grã-Bretanha.

O calçadão de Cornmarket Street é centro comercial da cidade. Bom para passear e fazer algumas comprinhas, mas nada que não se possa fazer aqui em Londres, em Oxford Circus – as lojas são praticamente as mesmas.

Não deixe de visitar as livrarias por lá. Se você quer bons livros de gramática ou dicionários da Oxford, vai encontrá-los com bons preços.

Quanto gastei com tudo?

Comprei um dicionário da Oxford, um livro da Alice, levei meu próprio lanchinho para uma economia extra, paguei passagem, entrada em Mary the Virgin e Christ Church. Total: 33 libras.

Sim, tem frutas em Londres!

14 de julho de 2010 5

Este post começa com uma foto especial…

…que se eu tivesse visto enquando planejava minha viagem, teria sido um problema a menos para me preocupar!!

O que quero dizer é que aqui tem frutas, verduras, tudo! E, por mais que não seja uma grande novidade, aqui vem a boa notícia: são acessíveis!

MAS você tem que saber onde deve comprar – não em supermercados, e sim em feirinhas e lojinhas de indianos , que aqui tem de sobra.

Vamos para a parte prática então: estas frutas são vendidas nas bacias, e cada bacia custa 1 pound – não dá para pensar em reais, já dizia uma amiga “quem converte, não se diverte” – você vai estar aqui com uma quantidade X em Libras para gastar (ou trabalhando e ganhando na moeda), e ponto!!

As uvas são simplesmente uma loucura: docinhas e sem semente!! Uma dica saudável e deliciosa que como todo santo dia é banana amassada, com aveia e mel!

Frutas que não aparecem na foto, mas que também tem de montão: pêssego, nactarina, morango e cerejas! Ah, mamão vi só uma vez, uns bem grandes, e meio caros, cerca de 4 pounds – aí deixei para depois!

Enfim, don´t worry, aqui você vai conseguir balancear sua alimentação com fresh fruits todo o tempo!

Eros é Espanha!!

08 de julho de 2010 5

A torcida espanhola por aqui é só festa. E não é para menos: pela primeira vez, a seleção está numa final de Copa do Mundo!

A alegria é tamanha que, no jogo da semi-final contra a Alemanha, os torcedores emocionados com a vitória acabaram por vestir o seu ponto de encontro com as cores do país – o famoso monumento Eros , em Picadilly Circus, exibe a esplendorosa bandeira espanhola, com o consenso dos policiais e a exaltação dos torcedores!

Uma ousadia e tanto, mas totalmente compreensível, não acham?

Confira um pouquinho deste histórico acontecimento!

This is London!

04 de julho de 2010 8

Esta foi a frase mais pronunciada pelos participantes do evento World Naked Bike Ride, que acontece oficialmente no mês de junho no  Reino Unido e em alguns outros países do mundo, como México e Grécia.

A dinâmica é a seguinte, centenas de pessoas nuas, sim, eu disse nuas, saem às ruas de bicicleta. O motivo – defender os direitos dos ciclistas e protestar contra os efeitos negativos de energias não renováveis e automóveis.

Quando soube do acontecimento, logo me organizei para poder ver de perto o que apenas havia ouvido “en passant”. Pois bem, para mim foi uma experiência inesquecível e enriquecedora – me deparar com tantas pessoas nem aí para mim, para as câmeras, para o mundo!!!!!

Enquanto eu acompanhava o começo do evento em Hyde Park, entre algumas risadas e outras conheci três fotógrafos brasileiros que vivem em Londres - o goiano Randes Nunes, o paulista André Stefano e o baiano Joas Souza.

Obviamente aproveitei a oportunidade para acompanhar esta exótica cobertura profissional. Segui com eles então até Tower Brigde, o último ponto de passagem dos ciclistas, num divertido passeio!

Por onde eles passavam não dava outra – o astral subia às alturas – no fundo, todos se questionam se teriam aquela coragem toda… E qual seria a sensação de andar literalmente NU de bicicleta!!! – calma família e namorado, London ainda não me subiu a cabeça!!!

Acompanhe pelo vídeo os acontecimentos e… DIVIRTA-SE!!