Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de outubro 2010

Litros e mais litros de pura alegria!

12 de outubro de 2010 6

Munique. A cidade mais popular da Alemanha, depois de Berlim, tem charme e carisma suficiente para ser palco da maior Oktoberfest do mundo. Se mexer na caixinha da história, vê-se o passado tenso da cidade – ela foi um dos principais centros do nazismo. E foi justamente nesta época que a comemoração foi abortada por 23 anos. Porém, desde 1945, ela acontece ininterrupta e colorida, e no mesmo local da sua origem – o parque Theresienwiese.  A festa, que nasceu para comemorar o casamento do Rei Luis I do estado da Bavaria com a Princesa Tereza da Saxônia em 1810, hoje é a mais esperada na Alemanha, e conta com a participação de cerca de 6 milhões de pessoas!
Outubro só mesmo no nome, pois, por aqui, ela começa em setembro e acaba na primeira semana de outubro. O motivo me foi explicado por legítimo alemão: o mês de outubro é mais frio, então é tempo da festa acabar. Faz sentido… Afinal de contas, de fria, a festa não tem é nada!!

Um dia na maior de todas!

Este ano, a festa aconteceu do dia 18 de setembro ao dia 03 de outubro. Como eu já estava em viagem por outros países da Europa, reservei pelo menos um dia para conhecer a mais famosa festa da cerveja!

Basicamente, a Oktober funciona da seguinte maneira – existem 14 tendas, ou cervejarias, localizados no parque chamado Theresenwiese. Fora delas, o participante encontra um parque de diversões, comida e lojinhas (caríssimas) de suvenires. A “manha” é chegar cedinho para conseguir uma mesa numa cervejaria, pois muitas delas já estão reservadas.
Então foi exatamente o que fizemos. Da estação central de Munique, chegamos em cerca de 10 minutos no parque.  Assim que saímos do metro, já demos de cara com a encantadora Oktobefest!

Tínhamos em mãos a indicação de três nomes de cervejarias como sendo as melhores: Augustiner Bräu, Schinken Festzelt e Schottenhamel. Sem perder tempo já achamos a primeira delas: Augustiner Bräu. Não paga-se para entrar, apenas o que você consumir. As portas abriram-se às 9h, e às 09:30 eu já estava sentadinha na companhia de centenas de alemães tomando o café da manhã mais exótico da minha vida: um litro de cerveja e uma fantástica Pretzel alemã! Cada cerveja custa ao bolso do visitante cerca de 9 euros.

Mesmo neste horário não foi fácil conseguir uma mesa, o salão da cervejaria já estava lotado. Acabamos sentando numa que tinha reserva, mas, como era só para às 17h, pudemos tomar conta.

Alegria é a palavra que descreve o local. Milhares – sim, cada tenda comporta cerca de 5 mil pessoas – de mulheres e homens de rostos perfeitos e alegres trajados a rigor coloriam o ambiente. Casais apaixonados, amigos de longa data, simplesmente estar na Oktober – tudo era motivo de brinde e de festa, uma energia contagiante!

Em meio ao respingo dos litros e mais litros de cervejas, carregados pelos fortes braços das garçonetes alemãs, se misturava o delicioso aroma de tradicionais comidas alemãs, que passaram a circular nas mesas pelas 13h – nesta hora já estávamos rindo a toa como melhores amigas das 4 mesas que nos rodeavam!

Aliás, as mesas tem também outra utilidade por lá. Palco. Isso mesmo. Depois das 17 horas, todos estão em pé nos bancos e nas mesas, dançando ao som da animada banda bavariense! E aquele que subisse nela e virasse o litro de chope, era saudado com aplausos e gritos.

Assim que a reserva chegou, saímos em busca de uma outra mesa. A receptividade dos alemães é tanta, que não faltou espaço para nos juntarmos e aprendermos os refrões das marchinhas alemãs!

Às 20 horas, já era impossível circular, as garçonetes andavam com ajudantes abrindo caminho. Pensamos em sair para conhecer outras tendas, mas fomos informadas que todas elas estavam cheias e que não permitiam a entrada de mais ninguém – então, optamos por curtir a festa até o final por ali mesmo!

A festa acabou para nós as 23h30min, depois de… Não sei ao certo quantos litros de cerveja e dores musculares de tanto rir! Saímos a tempo de pegar o último trem para o centro da cidade…

O dia que eu haviamos reservado ficou pequeno, pouco… Queríamos mais e mais! A verdade é que deixou um gostinho todo especial, e a certeza de que vale, e muito, a pena fazer parte da maior festa mundial da cerveja – a Oktoberfest!

Dicas:

Alimente-se – Já dizia minha avó que “saco vazio não para em pé”, o ditado para Oktober é “saco vazio passa mal” – todo mundo se alimenta por lá, ou as 14h está bêbado, sonolento e voltando para a casa. Aprenda com os alemães, não vimos nenhum deles passando mal – beba, sem pressa, e alimente-se, pois a graça está em ficar até o final!

Suvenires da festa você pode encontrar em vários locais da cidade. Evite deixar para comprar tudo lá, ou apenas uma lembrancinha pode custar o preço de dois litros de cerveja.

Não vá de mochilha – os seguranças não deixam você entrar na cervejaria com ela. Muitas pessoas tentam “levar” de lembrança os canecos da festa.

Mesmo que esteja frio na Alemanha, considere colocar por baixo de um bom casaco uma roupa leve, pois dentro das cervejarias o clima só esquenta! Se quiser sentir o real espírito bavariense, vista-se a rigor – pesquise preços no centro da cidade.

Cada uma de nós levou 50 euros – mas gastamos apenas 30, comemos um sanduíche, compramos água e cerveja.

Confira no vídeo os melhores momentos da maior festa mundial da cerveja! Minha amiga Paola fez jus a nossa presença lá e representou fazendo a mesa de palco também… Assite aí que esta parte é surpresa!!

Esta matéria é capa do Caderno Viagem do dia 12 de outubro! Confira já na sua Zero de hoje!!