Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Os talentos que você - e o dirigente do seu time - deve ficar de olho no Sul-Americano sub-20

09 de janeiro de 2013 0

O Campeonato Sul-Americano sub-20 de seleções tem dessas coisas. Em uma edição, o artilheiro é Cavani. Na outra, Neymar. Entre elas, Walter. Por isso, nem sempre quem se destaca terá futuro garantido em clubes. Mas fechar os olhos para talentos em formação é burrice.

O blog Pratas da Dupla, então, decidiu preparar um especial com os destaques das 10 seleções envolvidas no torneio para que você garimpe quem poderia reforçar o seu clube. E – se tiver como – ajudar os dirigentes a fazer buscas inteligentes para acrescentar futebol ao elenco de Grêmio e de Inter.

Nesta quarta começam os jogos do grupo A, da Argentina, anfitriã da competição. Serão dois atletas de cada seleção, totalizando 20 no torneio. Pode não dar em nada. Mas vale ficar esperto. Saibam quem são as pérolas das cinco equipes envolvidas na disputa:


Argentina

O desempenho fraco nas últimas edições alerta o país para a revelação de novos talentos. Mas eles não são tão escassos. O ponto forte são os quatro meias habilidosos que servirão a Vietto, do Racing, único atacante. Entre eles, Lanzini, que volta à Argentina após passagem apagada no futebol brasileiro.

Juan Manuel Iturbe (Porto): fez o primeiro jogo oficial com 16 anos no Cerro Porteño, do Paraguai. Lá ficou por três anos, ajudando na conquista do campeonato nacional de 2009, até ser comprado pelo Porto (foto). A curiosidade é que o portenho já passou pelas seleções de base argentina e paraguaia. E não é só pela estatura a comparação com Messi (reparem no camisa 7 da foto de abertura). A canhotinha habilidosa também impressiona. Hoje seria difícil contar com ele. Está emprestado ao River Plate.

Álan Ruíz (San Lorenzo): do Gimnasia La Plata chegou ao San Lorenzo no ano passado outro jovem driblador. A agudez nos lances deram a ele vaga no time titular do clube e da seleção – inclusive com a camisa 10. Outro jogador que chama a atenção pela precisão com a perna esquerda.


Chile

A seleção chilena teve como melhor participação a campanha vice-campeã de 1975. Mas o objetivo não é o título. Os chilenos querem revelar talentos que para recuperar o futebol da seleção do país, caído há mais de uma década. Com o desempenho dos Universidads nos últimos anos, podem surgir de dentro do território esses reforços. Atenção a Castillo e Mora também.

Igor Lichnovsky (Universidad de Chile): titular aos 18 anos, já chama a atenção do Chelsea. É zagueiro que sabe antecipar, de bom posionamento e tempo de bola.

Diego Rubio (Sporting): o atacante (foto) passou por Católica e Colo-Colo antes de chegar ao futebol português. Atualmente joga pelo time B do Sporting, mas já foi chamado para a seleção principal de seu país. É filho de Hugo Rubio e sobrinho de Ivan Zamorano. Se algum clube quiser buscá-lo, terá de desembolsar cerca de 30 milhões de euros.


Colômbia

A Colômbia foi a última campeã antes dos três títulos consecutivos do Brasil. O destaque daquela seleção era Hugo Rodallega, que hoje atua no Fulham. Aquele título, além de ter sido o primeiro de uma geração que culminou na atual, foi na competição que tinha um tal de Lionel Messi na seleção argentina. Agora, a ideia é manter o patamar alcançado pela seleção principal. Olhovo vivo também em Sebastian Perez e Brayan Perea, que podem despontar.

Juan Fernando Quintero (Pescara): o meio-campista joga a Serie A, na Itália, pelo Pescara. O atleta, que passou por Envigado e Atlético Nacional em sua terra-natal, já foi cortejado por outros times da elite italiana e pelo Manchester United. É meia de armação e bate bem com a perna canhota. Chama a atenção também o aproveitamento nas cobranças de bola parada.

Jhon Córdoba (Jaguares): o centroavante (foto) saiu do Envigado para substituir Jackson Martinez no Jaguares do México. Segue a trajetória do atacante do Porto e de Radamel Falcao Garcia. Calma, não digo que terá o mesmo futebol. Apenas que segue o mesmo caminho entre clubes. O Drogba de Chiapas é mais alto e menos movediço. Ainda assim é o deleite dos mexicanos e dos colombianos com a camisa 9.


Paraguai

Se avançar à fase final já terá feito um campeonato melhor que o do ano retrasado.

Brian Montenegro (Tacuary): surgiu como atacante talentoso, assinou contrato com o West Ham no início de 2012, mas não vingou. Retornou ao Paraguai e agora tentará chamar a atenção no segundo Sul-Americano seguido.

Rodrigo Alborno (Internazionale): participou da conquista do NextGen e a Primavera italiana. Foi emprestado ao Novara para ganhar experiência. Defensor alto, chamou a atenção pelo Libertad, marcando dois gols – apesar da breve passagem.


Bolívia

Fez apenas um ponto na última edição. Único destaque foi Darwin Ríos, do Blooming. Deve sobrar no grupo, junto ao Paraguai.

Alex Pontons (Pro Vercelli): destaque da base desde o sub-15 (foto), foi contratado pelo Milan, mas emprestado ao Pro Vercelli, da segunda divisão, para ganhar experiência. Foi outro destaque da última Primavera italiana.

Pedro Azogue (Oriente Petrolero): meia articulador, receberá as bolas e as fará chegar a Pontons. Já jogou Copa Sul-Americana e amistosos.

Envie seu Comentário