Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Felipão e Tite: táticas de sucesso no Grêmio

24 de outubro de 2008 44

Desde que o 3-5-2 do Celso Roth foi descoberto pelos adversários do Grêmio neste Brasileirão, e o técnico tricolor passou a testar alternativas ao esquema original que tanto sucesso fez no 1º turno, o sistema tático adotado por ele se tornou pauta diária de debate. Jornalistas, torcedores, e até mesmo outros treinadores participam com suas análises. O blog Prancheta se junta a esta troca de idéias, sempre com a intenção de proporcionar aos leitores um fórum para conversar sobre táticas de futebol – tendo neste post o Grêmio como enfoque.

O dilema vivido por Roth apimenta duas vertentes: os defensores do 3-5-2, e os adeptos do 4-4-2. Conversando com o editor de Esportes do clicRBS – o Márcio Gomes, que também escreve aqui no Prancheta – surgiu a idéia de analisarmos dois sistemas táticos diferentes dentro deste debate, mas ambos de extremo sucesso no Grêmio: um 3-5-2 (campeão da Copa do Brasil com Tite), e um 4-4-2 (o multicampeão da década de 90 com Felipão).

Não se quer com isso propôr a Roth que se inspire em um destes dois sistemas. Em cada caso, tanto Felipão como também Tite adotaram táticas adeqüadas ao grupo de jogadores que eles comandavam. Assim como fez o próprio Roth quando elaborou o 3-5-2 atual. Felipão e Tite foram felizes nas escolhas, e com inteligência criaram movimentações defensivas e ofensivas responsáveis por títulos e grandes momentos do clube – tudo aliado à qualidade dos atletas nas duas épocas.

Comecemos pelo 4-4-2 do Felipão. Ao contrário do que se diz, o lateral Roger não era um “terceiro zagueiro”. Ele era um lateral-esquerdo que priorizava a defesa, mas muitas vezes buscava a linha de fundo para cruzar no ataque. Ele se posicionava pouco atrás da linha dos volantes Dinho e Goiano quando Arce se tornava um ponta-direita. Era um lateral mais defensivo, sem ser um zagueiro legítimo.

Eu presumo que Felipão adotou este sistema quando perdeu Emerson, por lesão, e precisou escalar dois articuladores canhotos: Arilson e Carlos Miguel. Dessa forma, Felipão centralizou Arilson, abrindo o corredor direito para Arce e Paulo Nunes. E abriu Carlos Miguel mais à esquerda, o que permitia a Roger ser um lateral mais posicionado. Às vezes Felipão invertia os “pontas”, passando Paulo Nunes para a esquerda e Miguel para a direita, jogando nas diagonais.

O desafogo era a bola na área para Jardel, tanto com Miguel e Roger cruzando da esquerda, como também com Paulo Nunes e Arce pela direita. Dinho e Goiano apareciam pouco no ataque, dando segurança à dupla de zaga. Um sistema inteligente, bem coordenado, com domínio do meio-campo e boas saídas pelos lados.

Já em 2001, Tite passava por muitos problemas. Começou em um 4-4-2 com dois volantes “detestados” pela torcida: Eduardo Costa e Anderson Polga. Nada dava certo. E então, como contava com laterais muito ofensivos (Rubens Cardoso e Anderson Lima), Tite optou por uma improvisação que seria no futuro a chave de seu sucesso: Anderson Polga foi transformado em líbero.

Polga não se resumiu ao simples “zagueiro da sobra” do 3-5-2 à brasileira. Enturmava-se com o meio-campo, passando à frente da linha de zagueiros ou cobrindo os alas. E Tite contava ainda com o onipresente Tinga, um jogador que preenche bem o setor marcando e atacando com vivacidade. Ao lado dele, Zinho articulando e também marcando, a exemplo de Tcheco neste ano.

No ataque, sem referência. Warley não deu certo, e Tite optou por jogadores de velocidade – Luiz Mário e Paraíba. Ambos entravam na área e chamavam os alas para as tabelas e as diagonais. Zinho e Tinga cuidavam da segunda bola. Enquanto isso, Eduardo Costa era um verdadeiro portão à frente da área, com cadeado batido e corrente. Ali, ele bloqueava as jogadas centrais junto com Polga, liberando os zagueiros para cobrir os lados quando necessário. Outro sistema bem planejado.

Está aberto o debate. Conto com os comentários de vocês.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (44)

  • Nestor Augusto Possa Júnior diz: 23 de abril de 2009

    Eu escalaria o Grêmio num 4-4-2, parecido com o esquema tático de Felipão nos anos 90, sendo: Victor, Ruy(liberaria para chegar ao ataque), Léo, Rafaél Marques e Fábio Santos(lateral um pouco mais contido). Réver(1ªfunção do meio campo), Adílson(2ª função do meio campo, com boas chegadas à frente e cobrindo os espaços de Ruy) Tcheco(jogando centralizado, armando e ajudando na defesa) e Souza(aberto na esquerda). Douglas Costa(quase como um ponta esquerda) e Máxi López(referência no ataque).

  • 321 diz: 25 de outubro de 2008

    que saudades desse time do felipao….

  • sandro carvalho diz: 25 de outubro de 2008

    Continuando…Já Felipão,o melhor técnico brasileiro…Deu um show de estratégia e doutrinou seus jogadores,a um nível muito alto de determinação e raça dentro de campo.A articulação com zinho e tinga protegida por eduardo costa e polga foi uma das melhores que ja vi dentro das quatro linhas.Claro que o ataque fluia pelas laterais sendo concluído pelos fantásticos jardel e paulo nunes. Acredito que o gremio nao tera êxito no final do campeonato.Pois seu técnico parece estar perdido.

  • Marcelo diz: 26 de outubro de 2008

    (segue), os 4 do meio campo seriam jogadores mais técnicos mas que ñ abdicassem da marcaçao no seu setor assim como os atacantes que teriam que pressionar a saída de bola. O time ficaria assim: Victor, Paulo Sérgio(marca melhor que o Mattioni),Léo,Pereira e Réver(ñ vai ter que apoiar),Souza(direita), Magrao,Tcheco e Douglas Costa(esquerda), Marcel(Morales) e Perea(Reinaldo). Souza e Douglas abririam o jogo e Tcheco teria mais espaço no meio, Grêmio campeao…

  • Daniel diz: 25 de outubro de 2008

    Parabéns pelo blog!!
    Os comentários e a análise das formações são de extrema objetividade e clareza !!!
    Abraços

  • Paulo diz: 25 de outubro de 2008

    ai td bem, mas só q o esquema q o Roth estava usando nesse campeonato, era um pouco diferente q o 3-5-2 original, eu particularmente acho bom o esquema. Acho q ele deveria seguir utilizando ec.

  • Clóvis Alberto de Pinho diz: 25 de outubro de 2008

    Parabéns pela análise. Eu acho que esses esquemas todos, dependem muito dos jogadores à disposição dos técnicos. Naquela época, havia menos qualidades que dispomos hoje. O Roth, infelizmente não consegue manter um esquema de jogo, mesmo substituindo, e tendo, as peças necessárias. A leitura do jogo para na teimosia dele, infelizmente. Mas vamos ser campeões assim mesmo. Dá-lhe tricolor.

  • Carlos Alberto diz: 25 de outubro de 2008

    Parabéns pela matéria. Bela análise! De fato, o Roger nao era um terceiro zagueiro como alguns comentaristas dizem. Ele sobia menos que o Arce mas era lateral. Quanto ao atual time do Gremio, acho que está caindo de maduro a formacao ideal. 4-5-1, com Tcheco, Souza e Douglas no meio. Lembra do time do Mano? Com tcheco, hugo e leo lima (ramon). era um time bem ofensivo. outra coisa, na lateral tem que voltar o Pico urgente. Nao da mais pra emprovisar o Thiego!

  • Miguel Guadagnin diz: 25 de outubro de 2008

    Acredito que fizeste análises corretas dos 2 esquemas. Em minha opinião, tanto o esquema de Felipão, qto o de Tite têm 1 ponto em comum esquecido por Roth: um defensor que junta-se ao meio-campo nos combates defensivos e que subia ao ataque qdo percebia espaço. Leo e Thiego fizeram isso no início do brasileiro e rendeu gols. Esse fator surpresa é importante. Ele deve manter 3 zagueiros, mas um tem de subir. Victor; Leo, Pereira, Rever; Felipe, Magrão, Carioca, Tcheco, PSergio; Douglas e Reinaldo

  • Camilo diz: 25 de outubro de 2008

    Poxa, esse blog é muito bom! Acho que o pessoal lê e tem vergonha de admitir, porque todo mundo diz que entende tudo de futebol. Que nada! Eu, to aprendendo bastante! Mas gostaria de análises de times consagrados do meu INTER! Que tal?

  • Marcio Dias diz: 25 de outubro de 2008

    Tô gostando muito desse blog, entendo que o Roth contra o Sport Recife tentou fazer mais ou menos o modelo do Felipão, não deu certo porque o Grêmio não possui um volante muito defensivo como era o Dinho, os volantes do Grêmio jogam em linha se revezando no ataque, ai que foi o problema, ninguem cobria o Douglas,e sobrava para ele acompanhar o lateral,no 2º tempo o WM virou 1º volante,o Carioca ala-esquerdo, e o Douglas centralizado,ou seja,durante o jogo teve uma “salada tática”.abraço!

  • TRICOLOR RAIVOSO diz: 26 de outubro de 2008

    0 3-5-2 do Roth era mais pra 5-3-2. Não perdia o Meio porque o time estava compactado. Na verdade, tem que acertar o time com o que tem de melhor, e conforme o adversário, e manter uma defesa equilibrada. Um time com 3-6-1 ou 4-5-1 domina o meio fácil contra o Grêmio. Por isso tem que adaptar conforme o adversário. Pra mim contra o Cruzeiro, devem jogar os melhores. Carioca, Magrao, Souza, Tcheco, Douglas Costa. 3-5-1 ou 4-6-1. Pra não perder o meio e tomar calor.

  • Jair diz: 26 de outubro de 2008

    Está chegando o final do campeonato e o treinador do Gremio parece estar perdido. O funcionamento do sistema de jogo que ele adota (5-3-2) tem provocado calafrios na torcida, parece sempre que falta um jogador ou dois no meio de campo, que é onde se ganha jogos. Se ele quiser insitir com esse esquema deficiente, ao menos adiante a marcação e pressione o time adversário no campo deles. Busque a vitória e não retranque o time. Falta muito pouco para ganhar o campeonato, não perca a oportunidade.

  • eric diz: 25 de outubro de 2008

    Muito boa as análises.
    No entanto, apenas uma observação, o polga n foi colocado de líbero no 1.ºano do 3-5-2, pois era o Galvão. Nesse 1.ºano, ele foi stopper pela esquerda e, qdo da saída do E. Costa, passou a ser o 1.º volante.
    O Polga passou a líbero qdo o Galvão saiu do time no 2.º ano, foi qdo a defesa passou a ter Marinho, ele e o Claudimiro, mais tarde o Roger.
    Qto ao time do Felipão, o Roger realmente sempre foi lateral, apenas ele fechava por dentro, como deve fazer um bom lateral

  • Marcelo Barbosa da Rosa diz: 25 de outubro de 2008

    Que saudades destes momentos, mas tratava-se de outra época. Acho que o Tcheco teria condições de fazer parte destes grupos e talvez o Rafael Carioca, mas o restante do time atual do Grêmio brigariam por um lugar no banco. O time do Felipão tinha 11 bons jogadores, acho que o Celso hoje tem mais grupo, os reservas atuais equivalem mais aos titulares que naquela época. Ambos os times tinham vários jogadores que jogavam nas duas áreas, o time do Roth parou de fazer isso no segundo turno.

  • Juliano diz: 25 de outubro de 2008

    Pô, Cecconi, parabéns. Finalmente alguém da imprensa que se dá conta de que o Roger era um puro e simples lateral-esquerdo que atacava um pouco menos, nunca um terceiro-zagueiro. Cansei de ver o Roger indo à linha de fundo e cruzando pra área. O Roger só foi virar terceiro-zagueiro mais tarde.

  • Baldur diz: 25 de outubro de 2008

    Contra o Cruzeiro,fora de casa,manter o 3-5-2,mas um zagueiro tem que preencher o meio campo qdo o time ataca(Rever)e os atacantes devem ser velocistas(os dois) ou um atacante mais o Douglas Costa(que pode tb preencher o meio de campo).A raposa vai vir com tudo pra cima,deixa chegarem até a divisória do campo e aí tirar os espaços e matar o jogo no contra-ataque.Acho que não é jogo pro Morales,prefiro o Reinaldo(que provou que tem liga!!).

  • sandro carvalho diz: 25 de outubro de 2008

    espaço pequeno…Enfim …a tabela é muito ingrata com o tricolor. Nao posso deixar de dar um pitaco no outro lado..Parece que o boca vai ser desclassificado pelo esquadao vermelho..Já o brasileirão…sonhar é bom,mas a libertadores é missão quase impossível.Esta determinacão vai servir pra aumentar as chances na sul americana.O trio atacante do internacional,talvez ,encontre concorrência na europa.pois aqui nas americas,ele é soberano.

  • JORGE ROCHA diz: 25 de outubro de 2008

    com todo rspeito, mas penso diferente, TITE nada, o cara era o PAULO PAIXÃO, vale o mesmo para ABEL, INTER CAMPEÃO DA LIBERTADORES= PAULO PAIXÃO

  • Kauê diz: 25 de outubro de 2008

    Minha nossa. Que timaços!!!!

  • Deivis Ronan diz: 25 de outubro de 2008

    Tchê eu concordo com o que diz o Cacalo. Volta TUDO como estava. Chamando de volta: Pico, Paulo Sérgio. Reemontando o time que obteve sucesso no 3-5-2 no primeiro turno. É hora de mobilização GERAL. E nada de vaiar no estádio. 1/2 a zero = 3 pontos, me serve. E dalhe Grêmio.

  • sandro carvalho diz: 25 de outubro de 2008

    Acredito que celso roth está em um dilema astronômico.Sua incapacidade de mudar e manter o rendimento da equipe é infelizmente sua principal característica.O 352 gremista talvez vai ser salvo com o lançamento de douglas costa,jogador de extrema técnica q pode desequilibrar uma partida.Mas ainda é cedo p/ afirmar que vai ser um craque. Titi tem suas limitações,basta ver sua trajetória no internacional.Acredito que ele deu sorte no time campeão da copa do brasil.As coisas foram se encaixando.

  • Nicolás Mega diz: 25 de outubro de 2008

    A leitura das táticas está coerente com a movimentação dos times. Mas tenho algumas ressalvas. No esquema do Felipão, o Roger não ia à linha de fundo: os cruzamentos eram da intermediária. Ele subia até o espaço liberado pelo C.Miguel, diminuindo os espaços no meio e apertando a saída de bola. Quando C.Miguel e P.Nunes viravam pontas (invertiam de lado), o Dinho centralizava, como um líbero, e o Arilson era solto. O Goiano fechava as costas do Arce. Mas o time era sempre virado para a direita.

  • Vitor Hausen diz: 25 de outubro de 2008

    A análise do 4-4-2 tá ótima.

    Quando ao 352, não era bem assim. O Anderson Lima jogava mais recuado, quase como um lateral, e o cardoso quase nao voltava, as vezes surgindo de ponta. O Paraiba jogava no meio do ataque e voltando pra compor meio e armar, e o luis mário fazia a correria do contra-ataque. O sistema não era simétrico como está no desenho. Atacava diferente pelos dois lados.

    Vale analisar tambem a marcação pressão que esse time fazia. Sempre havia 2 marcando o adversario com a bola.

  • Murilo diz: 25 de outubro de 2008

    Como jogava bola Mauro Galvão heim? saudades

  • GAÚCHO GREMISTA diz: 25 de outubro de 2008

    Como foi dito, o esquema depende das características dos jogadores. Observe-se, o Warley não deu certo, em razão disso, mudou-se o esquema. Assim, parece que o ROTH teria que voltar ao que era no primeiro turno, quando tudo deu certo, pois os jogadores ainda estão aí, lembre-se, o ROGER foi substituído pelo TCHECO com ganhos. Eis a questão, será que o título está vinculado ao mesmo esquema e aos mesmos jogadores do 1o. turno? Se for isso, o GRÊMIO está com a mão na taça.

  • Maurício diz: 25 de outubro de 2008

    Apesar de não ser fã do esquema com três zagueiros acho que o Roth podia se espelhar no esquema de tite para a reta final do gauchão, uma vez que modificaria pouco o time, com isso roth deveria tentar jogar com Reinaldo e Perea (como fez no último jogo), pois o time com três zagueiros precisa de atacantes que se movimentam muito, para que o esquema possa dar certo. Mas Roth tem um problema sério nesse esquema, que é a ausência de um ala esquerda qualificado.

  • Samuel Ritter diz: 25 de outubro de 2008

    O Roth é um bom treinador, ele tira leite de pedra com jogadores medianos. Mas quando se dá a ele bons jogadores, atletas criativos, ele fica se saber o que fazer. O Roth se nega a criar um esquema tático em função de um ou dois jogadores, o que os impede de terem o melhor rendimento.

  • Marcelo diz: 26 de outubro de 2008

    O problema do Grêmio ñ foi jogar no 4-4-2 e sim foi jogar com as linhas muito separadas, o sucesso deste esquema é justamente fazer com que as linhas estejam próximas e assim é muito mais fácil de marcar o adversário e ter o controle do meio campo além de chegar no ataque com muito mais gente com possibilidade de finalizar as jogadas. Com o grupo atual do Grêmio o mais lógico seria jogar no 4-4-2 com os 4 da defesa ficando mais fixos devido a que ñ temos bons laterais,(continua)

  • sandro carvalho diz: 25 de outubro de 2008

    troquei os técnicos…..

  • Joao Sebastiao diz: 26 de outubro de 2008

    Com base no material humano que temos, está na hora de adotar um esquema que deu certo com o Mano até ficar manjado: 4-5-1. É só pegar o 4-4-2 do Felipão e alterar um pouco recuando o “Paulo Nunes” para fechar com 3 meias. O time ficaria: Arce = Matione; Rivarola = Léo; Adilson = Pereira; Roger = Réver; Dinho = Carioca; Goiano = Makelele; C.Miguel = Souza; Arilson = Tcheco; P.Nunes = Douglas; Jardel = Morales!

  • Lucas diz: 12 de março de 2009

    Fizeste boas análises. A principal delas no que diz respeito ao posicionamento de Róger, no esquema de 1995. Ele não era zagueiro, como muitos falam. Estão errados quem pensa assim. Ele foi um Excelente lateral. Na época completo, indiscutível. Marcava como um volante e chegava no flanco com a técnica de um grande ala. Gostei de tuas análises. O GRÊMIO atual precisa apenas estabelecer este padrão de jogo 3-5-2, com variações, e mantê-lo. Força ao Grupo do GRÊMIO e vamos rumo ao TRI da América.

  • luis alberto busin diz: 16 de março de 2009

    Caro amigo parabéns pelo blog. Gostaria apenas de ressaltar que o goiano jogava mais pela esquerda que o dinho, tanto que quando chegou o fabinho para substituir o dinho ele teve que jogar na direita não se adaptando muito bem. Um abraço.

  • Samuel diz: 10 de novembro de 2008

    Gostaria de saber quem é o responsável pelo blog. Tenho muito interesse em ler sobre esquemas táticos e gostaria de dicas de literaturas.

  • Shoio diz: 1 de maio de 2009

    Fora a comparação do maestro Zinho c/ o pipoqueiro do Tcheco está td certo!

  • Daniel Torres Sardo diz: 5 de novembro de 2009

    Boa reportagem, mas a diferença entre Tite, Felipão Roth e Autuori, são gritantes em competência e capacidade.
    Roth desde de 89 é um levantador de taças de café, é um Barrichelo, chega sempre depois do primeiro.
    Autuori, não é técnico para o Gremio, pode ser até para o Inter. Tecnico para o Gremio tem que ter a cara do time, diria que Renato Gaúcho tem essa cara.
    Não se vê mais velocidade, garra entusiasmo, são exemplos do marasmo do treinador.
    Sinto que Diretoria não observe isso e 2010!?!?

  • César diz: 2 de julho de 2009

    Só queria ler teus comentários sobre a maior revolução do futebol mundial em todos os tempos…preciso dizer quem foi ? Óbvio, o carrossel holandês de 74.Aquela foi a prova cabal do que decide um grande time dos demais. A conjunção de três fatores. Qualidade individual, adequação tática e capacidade de entrega/execução dos jogadores. Isoladamente nenhum destes fatores é decisivo. Abraço.

  • Alfredo Bonessi diz: 9 de setembro de 2009

    Felipão se defendia com 8 e atacava com 8 – Campeão.

  • MAGNUS LUIS OHSE diz: 28 de janeiro de 2009

    EU ACHO QUE O 4-4-2 É O IDEAL PARA O GRÊMIO NESTE MOMENTO, INSPIRADO NO 4-4-2 DE FELIPÃO, POIS TEMOS UM LATERAL QUE APÓIA MUITO (RUI), UM CENTROMÉDIO QUE CHEGA (MAGRÃO) DOIS MEIAS ARTICULADORES QUE CHEGAM MUITO, (TCHECO e SOUZA) E TEREMOS 1 ATACANTE DE MOVIMENTAÇÃO (ALEX MINEIRO) E 1 CENTROAVANTE DE ÁREA (MAXI LOPEZ). DEVERÍAMOS TER UM MEIA CANCHA XERIFÃO, ESTILO DINHO ou GUIÑAZU !!!!!

  • Marcelo Dal Pai diz: 27 de setembro de 2009

    Sensaciona! Parabénspela reportagem;é isso que nós apaixonados pelo futebol queremos ver sendo exposto pelos comentaristas de futebol.E infelizmente tem catar pacientemente pra achar uma reportagem informativa deste nível.

  • Rodrigo Fernandes diz: 12 de junho de 2009

    Eu escalaria o Grêmio assim:
    Victor, Léo, Rafa Marques, Réver e Fábio Santos;
    Túlio, Adílson (Não tem outro!), Tcheco, Souza;
    Douglas e Máxi.
    Léo como um lateral estilo ao que o Bolívar faz no Inter, já que ele chega bem na frente.
    No meio, um quadrado.

  • EDUARDO E diz: 13 de junho de 2009

    Perfeita a Análise. E esse é o 352 q dá certo. 1 volantão e 2 meias (e não o contrário – como felipão fez nas eliminatórias 2002 por exemplo). Tb precisa de 2 ótimos alas e 2 atacantes rápidos, sem referência.

  • Túlio diz: 14 de novembro de 2009

    com o time q o gremio tem hoje o ideal seria o 4-4-2 a diferença p time do felipao é teria-mos 2 jogaodres destros no meio teria q fixar o tcheco,e por favor coloquem o lucio em forma e o mario na direita, os volantes rock e adilson

  • Marcus Paulo diz: 5 de novembro de 2009

    Eu,ao contrário do Autuori,sou simpático ao sistema 3-5-2 e acho que o time do Grêmio atualmente poderia se encaixar nesse esquema.Time:Victor,Mário Fernandes,Réver,Rafael Marques;Souza,Adílson,W.Magrão,Tcheco,Fábio Santos;Jonas(Douglas Costa) e Máxi Lopes.Não é um super-time,mas acho que dá pra encarar.

Envie seu Comentário