Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Barcelona segue a escola Cruyff de 4-3-3

18 de janeiro de 2009 6

O 4-3-3 do Barcelona conta com apenas um volante, dois meias, um lateral-apoiador, e três atacantes velozes. Tudo originado de um conceito de futebol que vigora desde as categorias de base

Estava devendo aqui no Preleção um post sobre a equipe que está tendo o melhor desempenho entre os campeonatos nacionais de primeira linha na Europa: o Barcelona. Líder do Campeonato Espanhol, este final de semana o Barça afundou o La Coruña com uma goleada de 5 a 0.

O assunto é oportuno para contextualizar a história do clube. O Barcelona segue o conceito que na Espanha se chama “Escola Cruyff”. É uma filosofia de futebol trazida ao clube pelo craque holandês, primeiro como jogador, depois como treinador, que alia inteligência dos jogadores com padronização tática.

No Barcelona, o 4-3-3 é quase uma norma estatutária, assim como o 4-4-2 britânico no Manchester United ou no Liverpool. Este é o sistema tático predominante desde as categorias de base. Nos profissionais, qualquer que seja o treinador escolhido, o sistema tático predileto é o nostálgico e belíssimo esquema com três atacantes.

E agora fica mais fácil manter o conceito de Escola Cruyff – jogadores com capacidade para compreender várias funções, e sistema 4-3-3 – quando o técnico se criou na própria casa. Guardiola começou a carreira de jogador no Barça, onde aprendeu a filosofia tática do clube, e agora inicia a jornada de técnico pelo mesmo caminho.

Por isso hoje o Barcelona assombra o futebol espanhol – e defensivistas de todo o Mundo que se perguntam “quem é que marcar?” – com seu arrojado 4-3-3. Todos marcam e tentam tirar espaços dos adversários, mas o Barça gosta mesmo é de jogar. Ter a bola.

Não há marcação melhor do que manter a posse de bola. Afinal, o óbvio nos diz que o detentor da bola não pode levar gol – a não ser que chute contra o próprio. Trocando passes, movimentando-se e criando espaços, os jogadores do Barcelona alcançaram 64% da posse de bola contra o La Coruña. Repito: 64%. Em um 4-3-3 composto no meio-campo por apenas um volante típico, tendo um lateral-apoiador pela direita, dois meias de aproximação, um centroavante nato e outros dois atacantes habilidosos e velozes.

O Barcelona marca o adversário não o deixando ver a bola. Com 64% de posse de bola, por exemplo, o clube catalão criou 21 oportunidades de gol. O La Coruña, com seus mirrados 36%, criou uma só. O goleiro Valdez não fez nada além de bater tiros de meta. O Barça cometeu apenas oito faltas. Jogou com a bola. Sua marcação é propôr o jogo, manter a posse e insistir no campo do adversário – com ou sem ela, articulando-se ou pressionando a saída.

A estratégia de Guardiola dentro do sistema 4-3-3 é praticamente a mesma herdada de Rijkaard, com atacantes de “pés invertidos”. Onde atuava Ronaldinho Gaúcho – na esquerda – está Henry, enquanto Messi segue aberto na direita. Ambos fazem diagonais na direção de Eto`o. Xavi atua na articulação da para o meio, próximo de Messi e do ultra-apoiador Daniel Alves. Na esquerda, Abidal sobe menos, assim como o meia Keita. Yaya Toure segura as pontas de volante, com a zaga bem adiantada.

Messi fez um gol, Henry e Eto`o marcaram dois cada. Só o Barcelona jogou. E no 4-3-3 com três atacantes legítimos, dois meias, um lateral-apoiador e um volante. Uma escola de futebol ao mesmo tempo nostálgica e atual, quebrando os paradigmas de quem associa segurança defensiva ao número de defensores colocados à frente da área, e não ao volume de jogo, à posse de bola e à insistência pela vitória. Conceito inteligente e eficiente, ousado e competitivo.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (6)

  • Luis Aguiar diz: 11 de outubro de 2009

    Ainda veremos algum corajoso utilizando esse esquema simples. 4-3-3. Só!
    Não se utiliza pq é muito simples, e não possibilita o exercicio da imaginação do técnico, nem dá margem pra comentários longos, que demosntrem sua capacidade de analise tática á imprensa, e sua capacidade de criação. Os técnicos deveriam ser pintores! Capacidade de criar sempre…
    Questiono: de que adianta 5 no meio campo, se o adevrsário não estiver lá! eu uso 4-3-3…O proble é do adversário!

  • Otávio diz: 19 de janeiro de 2009

    Eduardo, faz o esquema do Grêmio no 3-5-2 aí com: Victor, Ruy, Léo, Réver, R. Marques, Fábio Santos, W. Magrão, Tcheco, Souza, Alex Mineiro e Reinaldo. Parabens pelo Blog, tá excelente!

  • joão Vitor diz: 19 de janeiro de 2009

    Não acredito que o Nilmar deva ser um ponta. pra min ele é um atacante que joga em diagonal. Com a saida de Edinho a solução mais simples é colocar um outro 1º volante (Sandro, paulinho, Magrão, Danni) ou fazer

  • Leitor Atento diz: 18 de janeiro de 2009

    Eduardo, o Cruyff também usava muito o 343, que também é comum na Holanda, vide o Ajax dos 90, inclusive quanto tomou 4×0 para o Milan do Capello em 94. Mas falando em jogar com atacantes com pé trocado, eu sempre imaginei o Internacional jogando num 4231 seguindo mais ou menos essa idéia. Com Nilmar na ponta esquerda, entrando em diagonal e não como homem de referência, onde não rende tanto. Com Alex e D`ale revezando na direita. Olha a imagem no link da `página` e diz o que acha. Abração.

  • Pablo diz: 21 de outubro de 2009

    “…quebrando os paradigmas de quem associa segurança defensiva ao número de defensores colocados à frente da área, e não ao volume de jogo, à posse de bola e à insistência pela vitória. Conceito inteligente e eficiente, ousado e competitivo.”
    Isso é futebol!

  • Dionata diz: 19 de outubro de 2009

    E o Grêmio no 4-3-3? sempre fui apaixonado por esse esquema, é o estilo bonito do futebol arte, jogando pra cima, querendo fazer gols, não a mesmisse dos toques de lado…Claro que são necessários jogadores de uma melhor qualidade mas o trio da frente poderia ser Jonas pela esquerda e D. Costa na direita (pés invertidos) Maxi Lopez centralizado…meio com Roca, Tcheco e Souza..laterais não apoiariam tanto, pois se perde um pouco na marcação do meio..bom é uma idéia neh! Abraço, excelente o blog!

Envie seu Comentário