Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ainda há defesa para os três volantes no Inter?

27 de fevereiro de 2009 15

A solução tática mais lógica para o Inter é a definição do 4-4-2 com dois volantes e dois articuladores

Aqui no blog Preleção, assim que Edinho foi para o Lecce, pediu-se a entrada de um atacante no lugar do volante centralizado. À época, uma enxurrada de conceitos conservadores pedindo a manutenção dos três volantes – um centralizado, dois na segunda linha – ocuparam os espaços de interatividade. Não seria prudente, dizia-se, jogar tão “faceiro”.

Eu não gosto da palavra “faceiro”. Ela deprecia qualquer estratégia que não conte com a figura do volante centralizado, supervalorizando a função que ele exerce. Limita-se demais o debate quando em nome de uma convicção, qualquer alternativa não é sequer cogitada. É simplista demais associar segurança defensiva ao número de zagueiros e volantes, assim como é simplista demais associar ofensividade ao número de atacantes. É preciso ter posse de bola, tanto para obter sucesso defensivo (quem tem a bola não sofre gol), como para agredir (quem tem a bola consegue se articular de maneira organizada).

Mas a imposição – que partiu até da diretoria colorada – pela escalação de três volantes está se mostrando ineficaz no Inter. Demorou, mas o conceito começa a ser revisto em função da própria negociação de Alex, que abre a possibilidade para a permanência de Taison na equipe.

Contra a Ulbra e contra a o Novo Hamburgo, o Inter se aprisionou. Tornou-se burocrático, previsível. O volante centralizado permanece recuado, os dois volantes da segunda linha não conseguem dar conta de toda a demanda, e o único articulador – D`Alessandro – sobrecarrega-se. A situação é agravada pela limitação ofensiva do lateral-direito Bolívar, escalado como um lateral-base – como Tite conceitua – priorizando as atribuições defensivas.

Mas o próprio Inter tem a solução para romper o grilhão tático: o 4-4-2 convencional. A simples entrada de Andrezinho – não se discute aqui o nome, mas sim a função desempenhada – no lugar de um volante equilibra o Inter. Contra Ulbra e Novo Hamburgo o Inter com dois articuladores não se tornou vulnerável, ou “faceiro”. E conseguiu retomar o controle perdido do meio-campo, aumentou e qualificou a posse de bola, conferiu objetividade à articulação, e incrementou a criação de jogadas.

Hoje, a solução tática para o Inter encaminha-se para o 4-4-2, com Sandro (ou Magrão) de primeiro volante, mais à direita; Guiñazu de segundo volante, mais à esquerda; um lateral-apoiador (Kléber) e um marcador (Bolívar); Andrezinho e D`Alessandro na articulação, invertendo o lado preferencial de acordo com a conveniência, e aproximando-se dos atacantes sem abdicar da marcação; e dois atacantes, que podem ser Nilmar e Taison pelos lados – também invertendo quando necessário – para abrir as defesas e receber passes nas diagonais, ou Taison recuado para a armação e Alecsandro na figura do centroavante centralizado. O simples. O básico. O feijão-com-arroz. O diferencial, em um sistema convencional com estratégia equilibrada, é alcançado pela técnica dos jogadores – que tendem a render mais neste sistema.

Ou depois dessa amostragem ruim do Inter obstinado no conceito anti-faceirice ainda há quem defenda os três volantes, associando qualidade ao número de defensores? Posse de bola é a questão primordial do futebol moderno. E para se ter posse de bola, não é necessário escalar três volantes.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (15)

  • HELOÍSA PIRES diz: 28 de fevereiro de 2009

    CECCONI.OBRIGADA PELA “MEIA” RESPOSTA!…BRINCADEIRINHA!…ESTOU SATISFEITA!…MAS EU TE FIZ A PERGUNTA SOBRE A COMPARAÇÃO ENTRE O ÉDERSON E O GIULIANO,PORQUE EU FIQUEI MUITO CHATEADA QUANDO ELE FOI EMBORA DO INTER.DEPOIS,EU O ACOMPANHEI,COMO PUDE,JOGANDO PELO NICE.ESTAVA MUITO BEM!…AGORA, NO LYON, ELE ESTÁ JOGANDO DEMAIS!…PÔXA!…E LEMBRAR QUE ELE FOI EMBORA DAQUI SEM CHANCE DE SER TITULAR!…AGORA, PRESSINTO QUE CHEGOU ESSE JOGADOR -GIULIANO- QUE,PARA MIM,IRÁ PREENCHER ESSA INJUSTA LACUNA.

  • Bernardo Hausmann diz: 27 de fevereiro de 2009

    essa formação poderia ate mesmo ter sandro, guiña, magrao e D`ale, fazendo apenas com q ou magrao ou guiña fikem mais na marcação para o outro apoiar mais. No entanto, acho q o melhor seria a entrada de andrezinho (pelo q ja mostrou ate agora) ou giuliano (pelo q mostrou na seleção) no lugar de magrão. Giuliano tem a minha preferencia, pois marca mais q andrezinho, alem de ser mais veloz, e é exatamente velocidade e movimentação q estão faltando ao inter. O q acha Eduardo? Abraços

    Resposta do Cecconi: exatamente Bernardo, a circunstância – opção e falta de alternativas – por um lateral que apoia pouco impede o sucesso dos três volantes. E já que o lado direito não tem um lateral ofensivo, é melhor tirar um dos volantes. Acho que o Giuliano se encaixaria sim, até porque o D`Alessandro gosta de jogar pela direita. Só não relacionei no post porque o Tite ainda não deu muitas chances para ele. Abraço!

  • valdecir piber fao diz: 1 de março de 2009

    Ola cecconi,concordo plenamente com esta escalação´é a minha tambem.A unica diferença que eu contrataria outro lateral direito o bolivar nao da e muito lento e enrolado,um~lateral mais dinamico que joga de area a area e nao fica so marcando a traz.Gosto muito das tuas analises sobre esquema tatico, muuito boas.um abraço.

  • Marcos diz: 4 de março de 2009

    esta é exatamente a formação tática que eu penso do inter, até mesmo o posicionamento do taison

  • RODRIGO LA ROQUE diz: 27 de fevereiro de 2009

    perfeita a a esplanaao..
    parabéns..

  • victor vaz diz: 27 de fevereiro de 2009

    Olha discutir formação do Inter é perder tempo, parece que o time não treina, não tem defesa,não tem jogada de meio campo , os jogadores parecem perdidos em campo, fica um amontoado na zaga trocando bola, sem nenhuma objetividade, a mim me parece que o time não tem (treinador) ou tem mais gente escalando jogador. Vamos sobreviver da individualidade do Nilmar e doi Taison. Um time caríssimo sem um padrão de jogo é preciso apresentar um jogador para o outro. Assim não se ganha nada esse ano.

  • Henrique diz: 27 de fevereiro de 2009

    Logo aos 10 minutos de jogo me veio esta escalação, na verdade até antes do jogo pois imaginaria que o inter ficaria muito mecânico do jeito que estava. Com o Andrezinho, e não me refiro somente a função(como terceiro homem) mas também ao jogador o Inter se torna muito mais leve e as jogadas parecem sair com muito mais naturalidade, é um jogador que sempre aparece para receber a bola e sabe o que fazer com ela, isso faz com que o Taison não precise vir buscar jogo, o que não sabe fazer. Abraço

  • Hierro Martins diz: 27 de fevereiro de 2009

    O Sandro é o novo Edinho. A diretoria tenta apostar nele como fez com o zagueiro Titi, que por sinal é muito ruim. O time do Inter tem duas exelentes possibilidades para entrar no lugar do Sandro. Um mais experiente, como Andrezinho, e um jovem jogador, como Giuliano. Tendo um dos dois como titular da equipe jogando ao lado dos outros que estao, estaremos bem melhor. Outra troca que temos que fazer é tirar o Kleber e botar Marcelo Cordeiro, que esta louco para jogar.

    Resposta do Cecconi: olá Hierro, tudo bem? Tu coloca duas possibilidades interessantes. Manter o Magrão e substituir o Sandro pelo meia – com o Giuliano de alternativa. E outra, que não citei no post, mas que também vejo como cada vez mais concreta: a entrada de Marcelo Cordeiro, em melhor fase – me parece - que o Kléber, para compensar a presença do lateral-marcador na direita. Acho que com o Cordeiro o time apoiaria mais. Abração!

  • cleber diz: 27 de fevereiro de 2009

    ótimo comentário!!parabéns

  • Flávio Louzada diz: 27 de fevereiro de 2009

    Isso, Cecconi. Tua análise, no meu modo de ver, é correta, principalmente quanto à possibilidade da escalação do Alecsandro ao lado do Nilmar, com o recuo do Taison para a meia, posição em que, na realidade, ele já vem jogando, pois só chega na frente vindo de trás. E é claro que quem deve sair é o Magrão, pois, apesar da boa técnica, mostra-se mais lento do que Guiñazu e Sandro. Por fim, dá-lhe XAVANTE na luta pela classificação na Taça Fábio Koff. Abraço.

  • Cristiano Schilling diz: 27 de fevereiro de 2009

    Gostei bastante do que mostrastes, mas não concordo em um aspecto: do jeito que mostrou o inter fica sem jogada no flanco direito…pois bolivar sobe muito pouco e andrezinho tende a afunilar pelo meio, é muito dificil ve-lo numa jogada de fundo. a unica alternativa seria o Taison pela direita, mas também acho que seria erroneo, pois é o jogador de melhor conclusão do inter no momento, e ele joga melhor chegando de trás…outro problema é o nilmar fincado na area, me da arrepios ver isso!

    Resposta do Cecconi: é verdade Cristiano, sem o apoio do Bolívar, e a centralização do Andrezinho, é o Taison quem ocupa o lado direito. Por isso eu o posicionei mais para trás. Ele fez boas jogadas contra o Novo Hamburgo, saindo da direita para o meio, com cruzamentos, linhas de fundo ou entradas na área. Tem que aguardar para ver se este time será mantido, e se vai dar certo. Valeu pelo comentário. Abração!

  • Evilasio diz: 28 de fevereiro de 2009

    Buenas!
    Vejamos: Para o Grenal- Tailson no meio e Alecsadro na frente…Posteriormente, Sacar o Bolivar (pelo amor de Deus!!),Meio com Sandro,Guina,Tailson e D`Ale, frente Alexsandro e Nilmar.Simples…Particularmente não creio que o Tite va fazer isso, assim mais um desempregado logologo.Abraço!!!

  • Bernardo Hausmann diz: 27 de fevereiro de 2009

    Olá Eduardo! Concordo com o teu raciocinio, porém, o acho q o inter poderia jogar com 3 volantes desde q tivesse laterais q apoiassem mto. Qdo o l. direito subisse, magrão tbm avançaria para ajudar nas tabelas, sandro cobriria as costas dos dois e guiña fechava o meio, podendo ocorrer a mesma variação na esquerda. Contudo, acho q o inter deveria jogar mais simples, um 1º volante, um 2º volante, um 3º homem de meio campo e um meia atacante. (continua)

  • HELOÍSA PIRES diz: 27 de fevereiro de 2009

    HHHUM!…GOSTEI!…MAS A MINHA INTERROGAÇÃO É PARA DOMINGO. COMO FICARIA ESSE ESQUEMA SEM O D`ALESSANDRO?…CECCONI!…MUDANDO DE ASSUNTO. TU NÃO ACHAS QUE O GIULIANO LEMBRA UM POUCO O ÉDERSON DE AGORA, MEIA QUE JÁ FOI DO INTER E HOJE ESTÁ NO LYON?

    Resposta do Cecconi: Olá Heloísa, tudo bem? Eu não tenho boa recordação do Ederson, se eu tentasse fazer a comparação não seria precisa. Tenho visto os jogos dele no Lyon, e ele me parece um meia-atacante que gosta de conduzir a bola, faz assistências e entra na área para concluir. É um bom jogador, sem dúvida. Abração!

  • Lauro diz: 27 de fevereiro de 2009

    Dai pessoal…o que mais me encomoda é ver que o tite com 6 meses ou mais no comando da equipe nao conseguiu dar uma cara de time ao nosso inter, nao temos um padrão tatico, nao temos jogadas pelo flanco, alias nao temos nada…O “grande” problema do tite era o alex, foi vendido e ai???? as atuações seguem muito abaixo do que se espera de uma equipe com atletas com altos salarios e que jogariam de titular em qualquer clube do brasil!
    ao invés de mandar embora o alex, mandassem o tite. é isso ai

Envie seu Comentário