Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Roth define um líbero, e Grêmio vence

11 de março de 2009 75

Réver se adiantou à dupla de zagueiros do Grêmio, transformando-se em um líbero eficiente, e apresentando uma bela variação tática no 3-5-2 do Grêmio

Depois de um ano tendo como sistema tático preferencial o 3-5-2, e estratégia “à brasileira” – utilizando o terceiro zagueiro como homem da sobra – Celso Roth pela primeira vez (se a memória não está me traindo) definiu no Grêmio a tática individual do líbero.

Réver adiantou-se à dupla Léo-Rafael Marques, jogando em boa parte do jogo contra o Boyacá Chicó como um primeiro volante. Exatamente o que faz o líbero: posiciona-se como zagueiro ou meio-campista, conforme a circunstância de cada jogo. Tática individual empregada no Palmeiras de Luxemburgo, com Edmilson, e cuja ausência sempre questionei no 3-5-2 do Grêmio.

Hoje Celso Roth fez a análise correta do adversário. Como já havia sido debatido aqui em duas oportunidades, o Boyacá tem duas características principais dentro de um 4-5-1: a centralização das jogadas, na busca do único atacante fixo; e a organização de Tapia, um articulador também centralizado, na linha intermediária.

Somados estes dois fatores, a utilização de um “homem da sobra” era desnecessária. O Grêmio teria três zagueiros para marcar apenas um atacante fixo; e poderia perder o controle do meio-campo, cedendo espaço para Tapia comandar o Boyacá. E dentro desta análise tem outro ponto positivo para a estratégia de Celso Roth: a fragilidade defensiva do Tricolor às costas dos alas.

Este problema também foi muito discutido aqui no blog Preleção. Com três zagueiros e um volante, o Grêmio não havia definido com precisão a cobertura pelos lados, tornando-se vulnerável em contra-ataques nas ausências defensivas de Ruy e Fábio Santos.

Adiantar Réver corrigiu a falta de cobertura. Primeiro, porque exigiu posicionamento mais disciplinado dos alas gremistas – Ruy apoiou com maior insistência, enquanto Fábio Santos foi um lateral típico. Segundo, porque o Grêmio tinha dois jogadores na proteção à frente da área – Réver e Adilson, assessorados ainda por Tcheco – o que possibilitava a cobertura simultânea de ambos os lados, e mais um jogador para marcar Tapia.

Essa organização defensiva também concedeu mais liberdade para Souza, que jogou como um ponta-de-lança, encostado nos atacantes, e frequentemente dentro da área adversária. Não à toa o Grêmio empilhou chances de gol – apesar do desperdício quase cômico em alguns lances – porque Souza pôde jogar próximo de Jonas, Alex Mineiro (depois Herrera).

Adiantar Réver, e utilizá-lo como um volante – pronto para retornar à sobra se fosse necessário (como um líbero) – parece uma atitude simples. E foi com esta estratégia que Roth neutralizou as principais virturdes do Boyacá Chicó. A vitória gremista pode ser atribuída em grande parte a esta inovação tática do Grêmio. Sim, é uma inovação, porque em um ano de 3-5-2 com Celso Roth, repito, adiantar Réver não foi uma hipótese concretizada durante toda uma partida em nenhum jogo sequer.

Eu preciso perguntar: porque só agora adotar uma estratégia que parecia tão óbvia, e eficaz, dentro do 3-5-2???

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (75)

  • Vitor hausen diz: 12 de março de 2009

    Acredito que a estrategia do Roth em 2008 era diferente. Ele liberava um dos zagueiros (geralmente o Leo) para avançar como um lateral, permitindo que o ala se juntasse ao meio ou ao ataque`. Não era um 3-5-2 quadradão feito o do Muricy. Esse sim, usa 3 zagueiros FIXOS la atrás. Não me agrada. Acho que o Rever deve ser efetuado como volante, e quero ver o Maylson no lugar do adilson!

    Resposta do Cecconi: Sim Vitor, exatamente, já comentamos sobre isso aqui no Preleção – os avanços de Léo pela direita e Réver pela esquerda no 3-5-2 de 2008. Sobre o São Paulo, se tu puxar pela memória, vai lembrar de um time que fez o mesmo – Muricy liberava o zagueiro Breno pelo lado direito. Nos dois casos, não gosto, porque é intempestivo e ocasional. Ontem, Réver se posicionou como volante em todo jogo, não apenas com a bola – em uma arrancada pelo lado, por exemplo. Dessa forma é mais efetivo e qualificado. Abração!

  • felipe diz: 12 de março de 2009

    consegui ir em boa parte dos jogos do gremio no olimpioco, e assitindo de la vi o roth utilizar o rever varias vezes como primeiro, empurando o rafael para segundo e deixando o magrao mais a frente, principalmente quando o gremio tinha a posse de bola.

  • Alfredo Bonessi diz: 12 de março de 2009

    Contra o Boitata não se pode condenar ninguém.Foi um jogo adverso,num local adverso,com uma condição adversa,uma situação adversa.Nova salada de fruta que deu certo,mas só dará desta vez.Adilson pela esquerda,Rever na cabeça da area e Souza resolveu jogar.Com 7 minutos de jogos os atletas já estavam de boca roxa.Tudo ou nada.A unica coisa de bom, alem da vitoria, foi a retirada daquela camisa cinza,negativa e horrorosa que deve logo ser incenerada.Foi substituida pela verde- limão,do Palmeiras.

  • Pedro diz: 12 de março de 2009

    O Roth só fez isso por que, teoricamente, o Boyacá só tinha um atacante, e manter 3 zagueiros pra combater 1, é piada né. Como sabiam que iam querer o pescoço dele se mantivesse 3 zagueiros, adiantou o Réver, e esse, desempenhou muito bem a função. Parabéns ao Roth, ao Réver e ao Grêmio como um todo.

  • André diz: 12 de março de 2009

    Não dá mais para aguentar o Tcheco!Ele não corre em campo!Para mim, aquela função deveria ser exercida pelo Makelele que é rápido e marca fortemente.

  • Pedro Cademartori diz: 12 de março de 2009

    Olá Cecconi.
    O Roth, por incrível que pareça, armou a equipe do Grêmio muito bem. O Réver tem boa saída de bola e passa com qualidade, pois já atuou como volante no Paulista.
    O 3-5-2, por momentos, transformou-se num 4-4-2 com o Adílson fazendo o papel de 2º volante, invertendo posição com Tcheco.

    Porém, eu não gosto de ver o Tcheco como volante. Ele é meia ofensivo. O Souza deveria fazer uma função mais recuada, pois nós perdemos a qualidade do último passe que o Tcheco possui.

  • celso diz: 12 de março de 2009

    Porque jogamos contra uma equipe poderosa como todas da Libertadores…e ainda acho q cometemos injustiça com o Roth…afinal, quem gostaria de ter o plantel que temos? Dá-lhe tricolor!!!! Sempre e sempre!

  • Cristian diz: 12 de março de 2009

    Respondendo à pergunta: porque só agora o Grêmio enfrentou esse tipo de adversário. Mas será que até quando o Grêmio vai bem, sobra pro Roth? Posso estar enganado, mas acho que essa foi uma das melhores atuações do Grêmio, jogando fora, na altitude, pela libertadores. Incluindo a era Felipão. Parem com as cornetas e deixem o homem trabalhar!

  • Paulo Rech diz: 12 de março de 2009

    Olá!! Qual seria a melhor dupla de ataque para o Grêmio melhorar essa fase de não fazer gols??? Sei que ainda temos o Maxi se fortalecendo, mas do jeito que está nõ vamos muito longe??? Qual o melhor esquema tático para continuarmos vencendo??? Grato

    Resposta do Cecconi: Olá Paulo, tudo bem? Sem ter uma amostragem de Maxi pelo Grêmio, para mim a dupla de ataque é Jonas e Herrera. Abração!

  • Gilberto H. diz: 12 de março de 2009

    Entao…Este esquema é o que denomino: 2-6-2 e que pode se ajustar no transcorrer do jogo em quase todos os outros esquemas. Se mantiver a ideia e adequar o jogador a partida em jogo, a alegria voltara a torcida tricolor…Mas gosto de brincar com ideias de antanho, tipo: beque de espera, centro medio,medio volante, meia armador meia de ligação ponta de lança e centro avante porque elas remetem a caracteristicas de jogador necessarias em cada partida.

  • borracho diz: 12 de março de 2009

    Nao acredito q tem gente criticando o Adilson!! O guri ta jogando muito!! Pra mim ele eh muito melhor q o William Magrao, q so foi bem no gauchao e tinha o Rafael Carioca pra concertar os erros dele no brasileiro. Alem disso o Adilson eh Gaucho e Gremista de verdade, nao eh atoa q ele eh um dos poucos q se indiguina quando o time esta mal e parte pra cima do adversario (muito bem dada aquela paulada no Guinazu no Grenal, todos gremistas q estavam no xiqueiro aplaudiram ele).

  • leandro diz: 12 de março de 2009

    da-lhe roth!!
    ainda bem para os colorados que há um boyacá no caminho do gremio. Já pensou se eles perdem? mandam o roth embora e contratam jogadores que preste. Deusmelivre!

  • Beto Buss diz: 12 de março de 2009

    Parem de questionar o Adilson, deixem jogar e teremos mais um volante de 10 mi de Euros. Futebol é simples Cecconi, o problema é quando o treinador quer aparecer mais que o time. “Ele” tem deixar este time jogar, sem inventar e deixar aparecer quem tem que aparecer… os jogadores! A camisa do Gremio é maior que este cidadão, ele precisa entender isso!! Ninguem fala que ele “matou” o Gremio na estreia sacando o Jadilson quando o Gremio tinha um a mais e precisava jogar pelos lados…

  • mauricio tricolor diz: 12 de março de 2009

    Cecconi, não freqüência em seu blog, mas leio todos os dias. Fico muito feliz em poder ler comentários táticos a respeito do futebol, coisa muito rara hoje em dia, apesar de termos bons comentaristas na RBS (o que não é válido na globo, com exceção do Falcão). A respeito do jogo, também sou fã desse tipo de esquema com verdadeiro líbero. Discordo dos colegas a respeito do Réver, acredito que ele possui bom toque de bola e sabe ir à frente. Abraços

  • Richard diz: 12 de março de 2009

    Eduardo, tudo bem?
    queria fazer uma pergunta “critica” sera q nao ta na hora de existir um futebol mais moderno no brasil? Com as fomosas duas linhas de quatro?? sem ter aquele volantao defensivo com doi volantes saindo pro jogo?
    abrço

  • Alessandro Stanga diz: 12 de março de 2009

    Não consegui chegar à uma conclusão. Ou o Fábio Santos tava muito mal ontem, dando muito espaço pro adversário, ou o Adilson foi ineficiente na cobertura do lado esquerdo. Me apavorava cada vez que éramos atacados pela esquerda e via-se um rombo e tamanha facilidade para realizar jogada por aquele lado. Seria a falta de um 1o. volante da função?

  • borracho diz: 12 de março de 2009

    Eh evidente q teve dedo da direçao nesse time e isto so prova q ele nao merece ser tecnico do Gremio e ganhar absurdos R$ 250 mil so pra humilhar a torcida! E tambem q o 4-4-2 ou 3-5-2 com libero eh o melhor esquema! Alex Mineiro mais uma vez nao jogou nada, Herrera e Jonas devem ser titulares por enquanto. Cecconi, tu nao achou q o time ficou um pouco recuado? talvez por causa da altitude fosse melhor esperar eles trazerem a bola, mas em CNTP isso nao pode causar problemas?

    Resposta do Cecconi: Oi Borracho. Não achei o Grêmio muito recuado, mas sim com pouca posse de bola em alguns momentos. Ainda assim, teve contra-ataque – coisa que não aconteceu no último Gre-Nal. Abraço!

  • Leonardo diz: 12 de março de 2009

    No meu ponto de vista, falta ao Grêmio um bom (ou ótimo) preparador físico, pois para mim, visivelmente o Grêmio não mostra aquela força absurda que sempre foi sua aliada nos anos de conquistas. Mesmo não sendo melhor tecnicamente do que alguns adversários, o Grêmio sempre foi mais forte do que estes, e não é o que parece este ano. Acho que o Beto Ferreira não é o melhor nome para este cargo. Precisamos urgente de um preparador físico para transformar nossos jogadores em leões. Abração.

  • felipe diz: 12 de março de 2009

    tenho absoluta certeza que não partiu do Celso Roth essa “inovação”, e sim de uma outra pessoa que influencio nessa alteração.

  • Luiz Carlos Knopp diz: 12 de março de 2009

    Parabéns, mais uma vez, pelo comentário. Penso que o Celso Roth assimilou o comentário/análise que fizestes com relação ao modo de atuar do Boyacá Chicó e dipos o Grêmio em campo da forma mais inteligente para enfrentar o adversário. O placar final não traduziu a imensa superioridade do tricolor.

  • Marco Antonio Mari diz: 12 de março de 2009

    Olá…Sua análize foi muito bem feita Eduardo.Concordo com tudo o que disse, o Grêmio jogou bem, mas gostaria de ressaltar não por sua causa, mas pela generalidade, a implicancia que se tem com o Roth.Acho que companheiros seus da mídia fazem esse terror por serem colorados…Não vi até agora motivos plausíveis para essa crise que foi criada pela imprensa, manifestada pelos colorados e persuadidas por alguns Gremistas… ademais, parabenizo-lhe pela crônica. Marco Mari

    Resposta do Cecconi: Olá Marco, tudo bem? A característica do blog Preleção é fazer a análise pontual de cada jogo. E apesar de sermos todos apaixonados por futebol – e torcedores (também sou um torcedor) – tento ao máximo me abster de qualquer paixão na análise, seja ela favorável ou contrária a algo ou alguém – fiz esses dias um post sobre isso. Abração!

  • JASSON diz: 12 de março de 2009

    FICA ROTH!!!!! FICA ROTH!!!!! GANHOU UMA SOBREVIDA MAS CÁ ENTRE NÓS ESSE BOICOCHÁ NÃO EXISTE COMO TIME DE FUTEBOL….. MAS O IMPORTANTE QUE CELSO ROTH AGORA É UM HERÓI.

  • augusto genz diz: 12 de março de 2009

    cecconi, nao acha que pra quem nao apoiou muito o fábio santos tomou muita bola nas costas? qual foi o problema? o próprio fábio santos ou a cobertura?

    Resposta do Cecconi: Olá Augusto, tudo bem? Acho que o problema é o Fábio Santos. Não vejo nele nada mais além de um jogador bastante comum, ofensiva ou defensivamente. Mas, sem Jadilson, ele pode jogar – merecendo sempre atenção e cobertura no setor. Abração!

  • Felipe Tricolor diz: 12 de março de 2009

    É preciso demonstrar coerência e não ser comentarista de resultado,nem torcedor passional.Muito dessa vitória,infelizmente,deve ser creditada a ruindade surpreendente desse tal Boitatá.Essa vitória de hoje é que nem quimioterapia:o câncer pode reaparecer a qualquer momento.Engana-se quem quer… Roth está seguindo o padrão cíclico dele, enganando os incautos para matar o Grêmio mais lá na frente.Foi que nem no ano passado contra o SP,porém,depois,já sabemos o final desse filme.

    Resposta do Cecconi: Olá Felipe, tudo bem? Compreendo a tua análise. Mas o perfil do blog Preleção, como expliquei para outro leitor, é a análise tática jogo-a-jogo. Hoje o Grêmio foi bem taticamente, e assim foi feita a análise. Concordo contigo, entretanto, que o histórico do trabalho do Roth demonstra que existe possibilidade grande de oscilação logo ali na frente – recaídas, erros de escolha e táticas exageradamente defensivistas. É um risco, acredito, calculado pelo Grêmio. Abração!

  • Fernando diz: 12 de março de 2009

    Olha acho que mais uns 4 ou 5 treinos já podem jogar um grenal de novo e talvez com alguma chance maior de ganhar… hahahahahahahahahahaha!

  • Sandro diz: 12 de março de 2009

    Celso Roth é um bom estrategista. No entanto, o que provoca a ira da torcida tricolor e não só da imprensa, como colocam alguns, são suas preocupações defensivas em jogos que o único resultado que interessa é a vitória. Como dizia o mestre Telê Santana, a melhor defesa é o ataque. Roth pensa o contrário, e, por isso, sofremos tanto.

  • Cezar diz: 12 de março de 2009

    Eduardo, não podemos nos enganar com o Gremio, pois daqui a pouco vem invenções do BURROTH.É muito ruim este B.Chicó.Qualquer um dos times do C.Gaucho ganha deles lá. Deram sobre vida para o BURROTH ontem, mas até quando? Se a direção não qualificar o elenco(volante e zagueiro),vamos passar a 1ª fase e morrer no mata-mata. Espero que os episódios acontecidos da torcida contra o BURROTH sirva de lição para esta direção fraca, omissa e amadora. Ainda há tempo para mudanças.Chega de explicações.

  • Domingos Bermudes Ramis Neto diz: 12 de março de 2009

    Olá. Realmente, coincide esta análise tática com o que foi apresentado no jogo, ontem. Eu venho dizendo isso, desde que o Réver foi contratado: chegou o sucessor do Anderson Polga. E ontem, ele mostrou isso. Aliás, o que me incomoda no Roth é a teiomsia e a falta de humildade. Réver já deveria ser um líbero desde o ano passado. Ao meu ver, agora, o time pode encaixar de vez. Ataque ideal é Maxi e Alex Mineiro. Afinal, são 2 bons atacantes. Jonas e Herrera têm fôlego estrela pro 2° tempo.

  • artur miranda diz: 12 de março de 2009

    FORA ROTH! MANDEM O ROTH EMBORA ENQUANTO AINDA TEMOS CHANCE NA LIBERTADORES! FORA ROTH!

  • Gremista do Paraná diz: 12 de março de 2009

    Olha, gosto muito dessa forma tática de jogar sim, apenas me preocupa a capacidade do jogador para a função. Acho que o Réver tem muita qualidade, mas prefiro ele como zagueiro pelo lado esquerdo. O melhor que vi jogar nessa função de líbero, nos últimos tempos, foi o Martinez, no Palmeiras do ano passado. Acho que o Grêmio deveria buscar um jogador com essa característica.

  • CECON diz: 12 de março de 2009

    Cecconi, percebe-se tua força na midia,pense o que vou te dizer:pra jogar no 3 5 2,temos de ter um libero de verdade,e 5 no meio campo mas que saiam jogar e também marcar.O gremio é um queijo suíço atualmente, jogar c/time amador é fácil. VITOR TIEGO(LD) CONTRATAÇÃO, REVER E O MENOS PIOR(JADILSON OU F.SANTOS) MAURICIO, ADILSON E KLEBERSON(FLA OU RENATO )E SOUZA, HERRERA E MAX LOPES.3 MEIO CAMPO QUE SABEM JOGAR E MARCAM, LIBERANDO SOUZA LIVRE E SOLTO PRA SERVIR OS 2 ATACANTES, SIMPLES NÃO?

  • Junior diz: 12 de março de 2009

    Srs.dirigentes, se não quizerem tirar o Roth fiquem c/ ele, agora pelo amor de Deus, contratem.Precisamos de um zagueiro e 1 volante e 1 meia esquerda, vamos tentar ganhar alguma coisa, vamos invEstir seu Kruger, esse podre do TECHO não dá mais, é velho e pipoqueiro, não enxergam isso e no mesmo caminho está A.Mineiro, e o glorioso Jonas, esse sim é matador, mas matador de galinha.VAMOS CONTRATAR, VAMOS CONTRATAR DIRETORIA MEDIOCRE.

  • Giovani Stone diz: 12 de março de 2009

    Olá, definindo melhor este esquema. não seria o famoso 4-3-1-2? Sendo Souza o 1. Apropósito, qual era o esquema utilizado por Roth quando ele lançou o ronaldinho? não era o 4x3x1x2?

  • Felipe Spolavori diz: 12 de março de 2009

    Bom dia Cecconi, parece que o Celso Roth descobriu as características de alguns jogadores, como colocar o Souza a se dedicar a criação junto aos atacantes,pois o Souza ñ sabe marcar e quando colocado para fazer o jogo sujo ele desaparece do time, colocando o Tcheco mais na marcação, pois este é muito lento para sair jogando de trás, e colocar o Réver para fazer a ligação da defesa com o meio-campo, apesar de ser como Tcheco(lento), agora Fábio Santos só toma bola nas costa e marca de muito longe

  • Joao Sebastiao diz: 12 de março de 2009

    Tua análise tá correta e é interessante ter essa variação do 3-5-2 pro 4-4-2, ainda mais que o Réver já atuou como volante! Só precisa avisar ele que ele não é o Rafael Carioca e não tem toda aquela habilidade pra sair jogando! Mas a verdade mesmo é uma só, ontem, podia ter sido 3-5-2, 3-6-1, 3-7-0, 4-3-3 ou qq outro esquema que não tinha como perder. O Boyacá Chicó não existe e me assusta imaginar a ruindade do tal Aurora que conseguiu perder em casa pra esse time! Mais uma moleza pro Roth!

  • Cesar Augusto Hoerlle diz: 12 de março de 2009

    Esse é o grande problema: deu certo. O Roth ñ é mau treinador, apenas teimoso. Ainda vai arrumar um lugar p/o Diogo.

  • Luis Fernando Rubin Salles diz: 12 de março de 2009

    Para mim o Grêmio jogou num 4-4-2 clássico. Duas linhas de quatro e dois atacantes. A prova disso é que os laterais subiram pouco.

  • Silney diz: 12 de março de 2009

    Pelo menos o Réver é bem melhor que o Diogo. O Roth só acerta quando está pressionado. Quando está bem, começa a inventar. Por isso: Fora Roth! Vamos contratar um técnico que está caindo de maduro: Eduardo Cecconi.

  • Renato diz: 12 de março de 2009

    Que saudade do Rafael Carioca, hein? Ele foi e ninguém veio prá 1ª função…e agora sem o Magrão até o meio do ano também.

  • BRUNO OLIVEIRA diz: 12 de março de 2009

    O COMENTARISTA NAO VIU O MESMO JOGO Q EU VI

    O ADILSON NAO JOGOU AO LADO DO TCHECO! MAS SIM EM SUA FRENTE… TCHECO MARCAVA NA MEIA CANCHA E O ADILSON PARECIA UM TERCEIRO ATATACANTE… FICA ROTH [irony]

  • Pedro diz: 12 de março de 2009

    Ele tem lido o teu blog, certamente.

  • joão diz: 12 de março de 2009

    fora Roth! não perdeu esse jogo, mas o próximo vai perder, com certeza! vá embora o quanto antes, Roth! o GRÊMIO necessita encarar os jogos como OPORTUNIDADES DE GOLEAR ADVERSÁRIOS. o Celso arROTH insiste em baixar a auto-estima dos jogadores gremistas, incentivando-os a pensarem que são ruins e limitadíssimos tecnicamente. isso faz com que errem tanto. FORA ROTH! contratem logo o RENATO PORTALUPPI, o Paulo Porto ou o sorveteiro ali da esquina!

  • Vagner Müller diz: 12 de março de 2009

    Olá Cecconi, concordo com você. Eu estava pensando sobre a não utilização do libero no ano passado, e acho que a diferença está mais nas caracteristicas dos alas nesse ano, ou estou enganado? Outra coisa, tu não acha que o Réver estava correndo muita atrás da bola, as vezes ele dobrava a marcação e deixava o homem dele passar? não gostei disso, mas acho que o time jogou bem, principalmente se levarmos em conta a altitude, tinha jogador precisando de guindaste pra voltar no segundo tempo. abraço.

  • VOLNEI diz: 12 de março de 2009

    CECCONI PORQUE TU ACHAS QUE O ROTH INSISTIA EM QUERER JOGAR NO 3 6 1.O R.CABEÇÃO EM PARTIDAS FACEIS JOGA UMA BARBARIDADE MAS CONTRA TIME FORTE ESSE CARA É UM E.T COMO L.D, PORQUE NÃO MARCA NINGUEM ACONTECENDO A MESMA COISA C/ F.SANTOS(DUAS AVENIDAS)C/TCHECO ( VELHO E PODRE) E SOUZA( CHEIO DE FIRULAS) COMO TER CONSISTENCIA DE MARCAÇÃO NO MEIO CAMPO SE SÓ ADILSON MARCA.AGORA SE TU COLOCAR 1 VOLANTE QUE SAIBA JOGAR(NÃO DIOGO) PORQUE NÃO MAURICIO DO FLU AÍ TEREMOS MOVIMENTAÇÃO DE MARCAÇÃO.

  • Daniel Machado diz: 12 de março de 2009

    Cara, gosto muito dos teus comentários. Porém, queria saber como tu fala que o Grêmio vence antes de terminar o jogo? Que loucura é essa?

    Resposta do Cecconi: oi Daniel, tudo bem? Na verdade, eu fiz o texto durante o jogo. E publiquei no momento do apito final. Te dou a certeza mais absoluta de não ter cometido a imprudência de publicar o texto antes do apito final, ainda mais com um escanteio a favor do Boyacá aos 49min50seg…Abração!

  • fabian diz: 12 de março de 2009

    Perfeita a análise. O único problema é que o Rever vive uma gigantesca crise técnica. Acho que o esquema funcionou, mas talvez não seja o Rever o líbero ideal. Quem sabe o Thiego?

    Resposta do Cecconi: Ola Fabian, tudo bem? Concordo que o Réver não vive seu melhor momento – e também não me incluo entre os que o acreditaram ser um dos melhores zagueiros do país - por isso não estou muito decepcionado com ele. Não criei grandes expectativas. Mas hoje ele foi bem, seguro e competente no combate. Abração!

  • Paulo R T Sanchotene diz: 12 de março de 2009

    Cecconi, tu mesmo respondeste a pergunta final que fizeste: porque o Grêmio jogou contra um time com UM atacante (e depois, com 10 jogadores). Um abraço.

  • Carlos Fernando diz: 12 de março de 2009

    Perfeita a análise e correta a disposição tática. É claro e evidente que os Alas do Grêmio deste ano são melhores do que os do ano passado. Mas, se o Ruy e o Jadilson ou Fábio Santos fossem mais qualificados, o Grêmio teria mais eficácia. A destacar também, a má condição física do Tcheco e do Alex Mineiro (não suportam uma partida inteira). Quanto aos gols perdidos, acho que deve ter mais treino de finalizações, com a goleira sem nenhuma barreira ou goleiro.Devem treinar com o gol vazio.

  • Renato diz: 12 de março de 2009

    As respostas possíveis à tua pergunta:

    1 – Roth lê o teu (excelente) blog.
    2 – Parece que os jogadores começaram a dar mais pitacos e isso pode ter influência na decisão.

    Ano passado seríamos campeões brasileiros se aproveitasse o Réver dessa forma.

    Individualmente, tirando uma pisada de bola (digamos que foi a altitude), que atuação do Adílson. E tem gremista que insiste em menosprezar nossos talentos.

    Agora um pouco de paz na casa gremista, por favor!

  • borracho diz: 12 de março de 2009

    E pra corrigir essa pouca posse de bola, nao seria melhor mudar de vez pro 442 com mais um volante de verdade(Orteman ou Maylson)? Pior foi a entrevista do Roth dizendo q o time nao treina ha 1 mes(ta explicado pq ele fecha os portoes) e q ele mudou 4 vezes de esquema no jogo(?!). Bah, nao da pra aguentar um cara desses ganhando 250 mil q ainda por cima precisa de ajuda da direçao pra montar um bom time. A vitoria sobre o fraco Boyaca foi a excessao da regra, eh um erro continuar com o Roth!

  • Rudson diz: 12 de março de 2009

    “Eu preciso perguntar: porque só agora adotar uma estratégia que parecia tão óbvia, e eficaz, dentro do 3-5-2???” A Resposta é lógica: Não foi adotada antes, pois o técnico é o Roth. O que nós conseguirmos ver em 45 minutos pra ele fica claro em meses ou anos. Diga-me uma coisa: Você acha que teriamos sucesso com a mesma escalação e esquema de ontem, porém com Herrera na frente e Douglas no lugar do Theco? O Theco é muito limitado, passa e cruza bem. SÓ ISSO, NADA MAIS.

  • Pedro diz: 12 de março de 2009

    Tudo muito bom, tudo muito certinho. O Roth quando não inventa…Mas também não dá pra esquecer a falta de qualidade do Boyacá. Poucos bons jogadores, estratégia ingênua e preparo físico sofrível. Ponto pro Rotho, mas o que vimos ontem não é a verdadeira Libertadores.

  • ROGERIO WITT MENGER diz: 12 de março de 2009

    bom dia cecconi sei que o outro time nao existe mas como o é que ele ganhou de 3 a 0 do outro time la da bolivia ; mas eu ontem nao sabia se torcia pelo o gremio ou para perder e o adeus de roth o homen é muito burro e teimozo na semana em casa quando nao pode jogar o theco porque nao colocou o douglas costa pra testa ;mas ele prefere o peladeiro do makelele.um abraço cecconi

  • Lucas diz: 12 de março de 2009

    Perfeito… Isso aí mesmo…. Só que como que o Roth não vê que pode fazer isso no Gauchão também??? Ou até no Brasileirão, contra qualquer time…

    Ontem o Grêmio teve aproximação, um-dois, ataque, contra-ataque… Só faltou, novamente, gols… Tá difícil hein, mas daí não é culpa do Roth

  • Paulo Grado diz: 12 de março de 2009

    Eduardo, isso daí não fica mais como um 4-3-1-2 típico, já que o Rever embora nominado como um zagueiro, trabalhou como um primeiro volante enquanto o Adilson fez a segunda função? Interessante pq muda a estrutura tática sem precisar substituir? Abraço

    Resposta do Cecconi: Olá Paulo, tudo bem? Certamente, o que se viu foi sim um 4-3-1-2. E como tu bem observa, a presença de um líbero permite esta variação tática sem se recorrer ao banco de reservas. Para retomar o 3-5-2, bastaria recuar Réver. Assim se aproxima do modelo tático ideal, seja qual for a escolha numérica – variar sem queimar substituições, apenas modificando o posicionamento de jogadores versáteis. Abração!

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 12 de março de 2009

    Réver é 3 em 1: zagueiro da sobra, cabeça-de-área e líbero.

    Resposta do Cecconi: é verdade, Carlos. Ainda não havíamos tido essa oportunidade de observar o Réver durante todo um jogo atuando à frente da defesa. E ele se saiu bem. É um jogador cuja versatilidade pode – e deve – ser utilizada sempre, permitindo variações táticas sem queimar substituições. Abração!

  • Marcelo Ferreira diz: 12 de março de 2009

    Prezado Eduardo,
    li dois comentáriso teus, um o pós grenal e este, são perfeitos, é o que se vê. Mas que o Grêmio hoje não é o maior candidato ao título da Libertadores hoje é simplesmente porque nossos atacantes não estão conseguindo fazer seu papel, pois seriam duas goleadas provcavelmente históricas, principalmente no jogo de hoje.Não gosto das experiências do Roth ele se perde quando insiste em suas idéias e vira um turrão! Mas que os jogadores tem que treinar mais finalização tem!

  • Pedro Cademartori diz: 12 de março de 2009

    Resposta ao Lucas de Catuípe:

    Não concordo contigo. O Réver é lento e não tem saída de bola? Ele começou como volante no Paulista e foi deslocado para a zaga. O passe dele é muito bom perto de muitos volantes que jogam nessa posição atualmente. Nem se compara a atuação dele hoje com a do Diogo, que só sabe bater e perder a bola.

  • borracho diz: 12 de março de 2009

    *CNTP-> Condiçoes Normais de Temperatura e Pressao.. Achei fraco esse time do Boyaca Chico mas mesmo assim o Fabio Santos tomou varias bolas nas costas, eh preciso corrigir isso tambem.

  • Gustavo diz: 12 de março de 2009

    PQ NAO MONTAR UM ESQUEMA Q FAVOREÇA AO ATAQUE?? Imagina se tivesse sido assim com o JARDEL?? O SP procura sempre o Washington o Borges…ateh o inter procura sempre o Nilmar..

    Ganhar com gol de falta nao me adianta..Fazer PRESSAO soh qdo o adversario ta com 1 a menos nao adianta…

    ROTH nunca vai ganhar nada…se chegar na final vai ser pela CAMISA e MERITOS DOS JOGADORES..

  • Lucas diz: 12 de março de 2009

    Cecconi, tu não acha que o Grêmio ainda precisava de um camisa 5, o típico volantão cabeça de área…o Réver é meio lento pra ser volante e não tem a qualidade pra sair jogando. Poderia ser contratado um agora, jogando no Gauchão e ser inscrito na 2ª fase da Libertadores. O que vc e o resto dos internautas acham?

    Resposta do Cecconi: Olá Lucas, tudo bem? Eu prefiro o 4-4-2 ao 3-5-2. Sobre o volantão, não sou um fã desta função. Em nenhum dos dois sistemas vejo o volantão como uma figura imprescindível. A não ser que seja um volantão de exceção, como poderia ter sido o Emerson, que está no Milan, por exemplo. Falta sim ao Grêmio um volante – seja ele primeiro, ou segundo – inquestionável, titular absoluto. Abração.

  • Bagual diz: 12 de março de 2009

    Cecconi, não foi um 4-4-2 disfarçado? E eu ainda tenho medo das invencionices de Roth. Daqui a pouco ele repete o 3-6-1, com o Douglas no meio mas dizendo que ele vai jogar na frente, junto com o centroavante, para dizer que é um 3-5-2. Será que pode?

    Resposta do Cecconi: Olá Bagual, tudo bem? Na verdade não foi nem disfarçado. Foi 4-4-2 mesmo. Esta é a característica do 3-5-2 com líbero. Dependendo da circunstância, ele pode ser volante o jogo inteiro, fazendo o time jogar no 4-4-2. Mas bastaria uma ordem de Roth para Réver recuar, e reconstituir o 3-5-2. Eu também temo pelas recaídas defensivistas do Roth, e não gostaria de ver o Douglas Costa muito avançado – ele é muito leve para o contato físico com zagueiros, e precisa de campo para desenvolver velocidade. Abração!

  • jorge moreira diz: 12 de março de 2009

    Larguem o pe do Celso ele vai ser CAMPEAO

  • Leonardo diz: 12 de março de 2009

    Por favor preciso que alguem fale no ar que o Grêmio não tem time para ganhar a libertadores e pelo amor de Deus imploro que faça um comentário sobre o Adilson ele é muito ruim ele não farda no São Jose e nem no Cerâmica de Gravataí e tem mais e extremamente necessário que o Grêmio contrate um zagueiro, um volante e um centroavante que chegue pra jogar. Leonardo.

  • Adriano diz: 12 de março de 2009

    Tática utilizada muito pela Bayern de Munich no passado mas geralmente tem um líbero que tem intimidade com a bola podendo até sair jogando. Isso nada mais é do que um revezamento do 352 e o 442 durante a partida.

    Resposta do Cecconi: exatamente Adriano. É mesmo simples assim. Um sistema que permite revezar do 3-5-2 para o 4-4-2. E é preferível, também concordo, ter um jogador tecnicamente muito qualificado – como fazia o Mathaus, no encerramento da carreira, sendo líbero da Seleção da Alemanha. Abração!

  • elaine diz: 13 de março de 2009

    concordo plenamente com o LEONARDO DE POA . URGENTE PREPARADOR FISICO. DIREÇAO MOBILIZEM-SE POR FAVOR. PREPARADOR FISICO.

  • Guilherme Müller diz: 13 de março de 2009

    “”porque só agora adotar uma estratégia que parecia tão óbvia, e eficaz, dentro do 3-5-2???””
    A resposta me parece clara. Porque o Réver é o nosso único zagueiro seguro. Leo e Rafael não passam segurança nenhuma, o Heverton é muito verde ainda e o Thiego recém está voltando. Então fica explicado o receio do Roth de tirar o melhor zagueiro que temos da zaga.

  • Alex Brum diz: 14 de março de 2009

    Eu concordo com o esquema do roth apesar das críticas que estão usando contra ele, agora parece que acertou o time e gostaria de ver o thiego jogando gosto dele, tem raça.

  • sandro diz: 13 de março de 2009

    Obrigado,Cecconi.Embora eu goste do volantão,concordo com você.Toda regra tem exceção. Os motivos para a pergunta são dois.Penso que alguns jogadores podem mudar,mas esse,para o Grêmio, é o melhor esquema,do meio para trás.E outra,goste-se ou não de volantes posicionados,é de se admitir que nem todos são brucutus. Esse,para mim,hoje,é o grande mal da cultura futebolística brasileira.Jogar todos os primeiros volantes numa vala comum e chamá-los de brucutus.Ou não seria assim?

    Resposta do Cecconi: sim Sandro, não dá para rotular. Foi isso o que eu disse antes, qualquer excesso – na crítica ou na defesa – já começa errado na análise de futebol. Abração!

  • sandro diz: 13 de março de 2009

    Continuando,Cecconi.Disse que sou a favor do chamado cabeça de área,que,muitas vezes,recua mesmo para a zaga e pouco vai ao ataque,mas,nem por isso,precisa ser brucutu,pois penso que um jogador com virtudes defensivas e uma capacidade de fazer o jogo andar com passes,não pode ser chamado de brucutu.Você não acha que há um conceito equivocado hoje sobre volantes, onde somente são apreciados os volantes ofensivos e os do estilo do Réver nesse jogo são pouco valorizados e chamados brucutus?

  • Mau – grenalzito.blogspot.com diz: 18 de março de 2009

    Bicho… ou tu sabe muito ou tu é muito persuasivo… heeheh

    parabéns!

  • Sancho diz: 13 de março de 2009

    Se querem preciosismo, o Grêmio estava num: 2-1-4-1-2.

    2: Leo e R. Marques
    1: Rever
    4: Ruy, Tcheco, Adílson e F. Santos
    1: Souza
    2: Jonas e Alex

    Como bem disse o Cecconi, foi um 3-5-2 com o líbero à frente da linha de zaga. Só porque estava à frente, não significa que estivesse no meio-campo. Além disso, os alas eram nitidamente alas. Não estavam jogando de laterais.

    Um abraço.

  • sandro diz: 13 de março de 2009

    Cecconi,certa vez,comentei e não me deste resposta,no sentido de que gosto de times com um volantão fincado e um que vá à frente,sem que isso signifique volante brucutu e citei o exemplo de Caçapava e Falcão,no Inter.Ao mesmo tempo que acho que é possível jogar com 3 atacantes.Para mim,o Réver e o Adílson foram um exemplo.Um mais fixo,outro mais à frente, e nem por isso,são brucutus.O primeiro volante,centralizado,para a cobertura,desarme e início das jogadas de ataque e outro mais livre.

    Resposta do Cecconi: Olá Sandro, tudo bem? Eu sou fã de volantes – acho a posição mais completa do futebol “ocidental” – sem contar o 4-4-2 britânico, que não utiliza volantes como nós os conhecemos e conceituamos. Mas não gosto de volante demasiadamente posicionado, como tu sugere – mesmo que ele não seja brucutu. Em todo caso, essa avaliação tem que ser feita caso-a-caso, time a time, porque em muitas equipes dá certo. Como eu já disse aqui no Preleção, não gosto de me apegar a amores ou rejeições, porque no futebol sempre há espaço para exceções. Abração!

  • giovani stone diz: 13 de março de 2009

    O esquema diante do Chicó não seria o famoso 4-3-1-2 bem copero? Parecido com o do Boca de Bianchi onde riquelme era o 1? Bianchi dizia: “para jugar contra brasileños hay que poner 3 delante de la defensa” Não era este o esquema utilizado por Roth quando ele lançou o ronaldinho, o 4x3x1x2, sendo o r.gaucho o 1? está parecendo, não acha?

  • sandro diz: 13 de março de 2009

    Cecconi: Eu assisti o jogo pelo SportTV e acho que tua análise está, mais uma vez, correta. Mas, penso que deixou de ser um 3x5x2, para ser um 4x4x2. O Réver foi 1º volante, o Adílson, segundo e com dois meias. Com o reposicionamento dos alas, que viraram laterais, embora o Ruy apoiasse mais e muito mais. Na realidade, penso que foi um 4x4x2, sem mudar a escalação. Está certo que é uma questão apenas de números, mas o que você pensa sobre isso, Cecconi?

    Resposta do Cecconi: estás corretíssimo, Sandro. Eu só chamei de 3-5-2 com líbero, porque esta é a tendência natural deste sistema desde que Réver seja o primeiro volante – contar com a alternativa de seu recuo assim que a partida exigir. Nos últimos 5min de jogo, com uma leve pressão do Boyacá, se bem lembrares Réver se juntou a Léo e Rafael dentro da área, rebatendo e marcando novamente como um zagueiro. Abração!

Envie seu Comentário