Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Shakhtar se beneficiou da cautela de Zico

20 de março de 2009 3

Shakhtar valoriza os avanços pelos lados, com Srna e Fernandinho, ambos municiando a dupla de atacantes de área

Eu pretendia, a pedido de leitores do blog Preleção, colocar em debate o sistema tático implantado por Zico no CSKA. Mas com a vitória do Shakhtar Donetsk por 2 a 0, eliminando os russos, achei mais conveniente falarmos sobre o time ucraniano.

Há algum tempo acompanho à distância o Shakhtar. A equipe joga no sistema tático 4-4-2, tendo como principal estratégia o equilíbrio de forças pelos lados. O time ucraniano apoia com a mesma força na direita e na esquerda, buscando a dupla de atacantes de referência com cruzamentos constantes.

Ontem, além dos massivos ataques por ambos os lados, o Shakthar também adotou como estratégia a marcação-pressão no campo do CSKA, adiantando os meias-extremos e os atacantes. Jogando em casa, e precisando vencer depois da derrota por 1 a 0 na Rússia, não restava outra alternativa.

Cabe ressaltar que Zico ajudou. Ele mantém no CSKA um sistema que utilizava no Fenehrbaçe em jogos decisivos – o 4-5-1, com apenas um atacante fixo, dois meias pelos lados, e três volantes (um centralizado e dois pelos lados), com defesa em linha. Para piorar, a estratégia é extremamente defensiva, com marcação recuada, muita distância entre os meias e o isolado Vágner Love, e total falta de ambição – reparem, quem puder, no segundo gol do Shakhtar. Eu contei na área do CSKA oito jogadores do time de Zico, mais o goleiro. OITO SE DEFENDENDO DENTRO DA PRÓPRIA ÁREA. Não podia dar certo.

O Shakhtar conta com o talendo de Srna, um meio-campista que atua como uma espécie de ala pela direita. Ele recebe cobertura do volante mais recuado para poder apoiar, em dobradinha com Jadson, o meia-extremo do setor. Pelo outro lado, quem apoia é Fernandinho, em excelente fase. Eles municiam na área Luiz Adriano e Gladkiy. Nesta formação, Marcelo Moreno, William e Ilsinho perderam espaço.

A comparação proporcionada pela estatística comprova o contraste entre uma equipe escalada e planejada para vencer, e outra destinada ao fracasso: o Shakhtar teve 63% de posse de bola, e criou 12 oportunidades de gol – concluindo 7 em gol, e teve 9 escanteios. Já o CSKA cauteloso de Zico manteve a bola consigo em apenas 37% do tempo, criou somente três oportunidades – com um único e mísero chute a gol, e teve 3 escanteios. O jogo se deu todo no campo do CSKA, que não teve saída qualificada de contra-ataque pelo espaço – reitero – entre as linhas recuadas e o único atacante.

Mais uma vez, o defensivismo sepulta a estratégia de um treinador brasileiro. O Shakhtar avança na Copa da Uefa, onde vai enfrentar o Olympique de Marselha. Vou acompanhar o desempenho desta equipe modesta, mas bem distribuída, e com alguns jogadores tecnicamente razoáveis, mas briosos – como o capitão Srna.

Como foi o primeiro jogo no qual realmente prestei atenção no Shakhtar, conto com a colaboração de quem puder trazer outras análises táticas do time ucraniano…

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (3)

  • Douglas diz: 21 de março de 2009

    Cecconi, esse Srna, que citaste, é o mesmo que enfrentou o Brasil, jogando pela seleção croata, na estréia da copa de 2006. Ele fez uma boa partida, e foi o destaque do jogo por sinal. Abraço

    Resposta do Cecconi: exatamente, Douglas. Sou um admirador do futebol do Srna. Gostei muito dele também pela seleção da Croácia na última Eurocopa, ano passado. Abração!

  • Lucas Ritzel diz: 23 de março de 2009

    O Shakthar tem uma legião de brasileiros que saíram muito jovens daqui. Lembrei vendo o esquema que o Fernandinho no Atlético PR em 2004 fazia a função de ala (muito bem desempenhada, por sinal), naquele time do Levir. Saiu muito cedo, e pelo que parece vem jogando mais na frente (sua função de origem).
    E o Zico, mostrando que não tem tanta estrela assim em partidas de mata-mata (ou só `mata`, caso da Copa do mundo).

  • eduardo diz: 23 de março de 2009

    td bem cecconi? nao acompanho o shaktar… mas fiquei impressionado com os 3 brasileiros que estao no banco… como esta a fase deles?? e o atacante que citaste na escalaçao gladkiy, o que justifica a escolha dele sobra a de marcelo moreno! valeu! abraço

    Resposta do Cecconi: oi Eduardo, tudo bem? Sobre o Ilsinho, o problema dele é ter duas opções ruins – ou competir com o Srna, o que é inviável hoje (o croata é mais jogador), ou atuar em uma linha adiantada de meio-campo, o que talvez ele não tenha se adaptado. Willian é reserva há bastante tempo, acho que não se encaixou no clube ainda. E Marcelo Moreno vinha sendo titular, também estranhei a ausência dele. Acho que está lesionado, porque nem no banco ele ficou neste jogo contra o CSKA. Abração!

Envie seu Comentário