Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Rafa Benítez descobre um novo Gerrard

23 de março de 2009 14

Heat Map de Gerrard na partida Liverpool 5 x 0 Aston Villa.

De início, eu critiquei esta decisão do técnico do Liverpool: adiantar Gerrard. Foi uma decisão compulsória, forçada pela carência de atacantes no grupo dos Reds. Robbie Keane não emplacou e foi devolvido ao Tottenham, Kuyt e Babel se firmaram como alternativas para as asas da linha de meio-campo (tornaram-se wingers, ou meias-extremos, como queiram), Ngog precisa de tempo, e a direção não contratou mais ninguém.

Apenas com Fernando Torres, Rafa Benítez se viu forçado a apostar em algum jogador de meio-campo para auxiliar o centroavante espanhol. Escolheu Gerrard. À época, achei que ele estaria sacrificando o melhor jogador do time em uma função que exige contato físico e muito mais movimentação. Afinal, Gerrard se tornou um dos melhores jogadores do mundo atuando como meio-campista centralizado na linha de meio-campo do 4-4-2 britânico do Liverpool.

Hoje, entretanto, recorro ao Heat Map que a ESPN produziu da partida Liverpool 5 x 0 Aston Villa, domingo – pela Premier League – para colocar em debate a análise tática de Gerrard nesta nova função. Ou melhor: funções. Primeiro, cabe explicar o que é o Heat Map: esta ferramenta aponta os locais onde o jogador tocou na bola, em uma escala que vai do verde (não tocou), passando por amarelo (tocou), laranja (tocou muito) e vermelho (fincou pés, praticamente, de tanto tocar na bola). Voltando ao Gerrard, eu disse funções, ao invés de função. Vejamos:

Reparem nos três setores em destaque que circulei em vermelho na imagem do post, onde há há pontos em laranja – ou seja, Gerrard atuou muito por ali. O camisa 8 do Liverpool desempenhou simultaneamente três funções distintas – auxiliou Riera na asa-esquerda de meio-campo; articulou a equipe de maneira centralizada, como fazia em sua tática individual de origem; e jogou dentro da área, em diagonal da direita para o meio, fazendo parceria a Fernando Torres, como um segundo atacante (El Niño atuou da esquerda para o meio).

Eu assisti ao jogo. Gerrard não para em campo. Está liberado por Rafa Benítez para se posicionar onde o momento exigir. A preferência é pela função de segundo atacante, para evitar o abandono de Fernando Torres. Mas, na essência, Gerrard atua com liberdade entre a linha de meio-campo e Fernando Torres, aproximando-se dos meias-extremos, dos meias centralizados, e do centroavante, em um sistema tático que pode ser descrito como 4-4-1-1.

Seria melhor – é evidente – que o Liverpool contasse com um atacante de alto nível, para ter Gerrard em sua posição original (assim eu prefiro) – vindo de trás, com espaço para seus lançamentos precisos, e perigosíssimos chutes de média distância. Mas, dadas as circunstâncias, e os resultados obtidos, é inegável que está dando certo esta nova estratégia de Rafa Benítez. A equipe se resguarda defensivamente (Gerrard auxilia no combate mais do que um eventual atacante), sem perder a força ofensiva – Gerrard entra na área pela direita, Torres pela esquerda, e os wingers continuam apoiando simultaneamente.

Minha dúvida é: o sucesso se repetirános jogos da Liga dos Campeões contra o Chelsea, agora que não é mais novidade? O segundo atacante de ofício pode fazer falta. Mas, sem ele no grupo, Rafa Benítez vai de Gerrard ao lado de Fernando Torres. Uma boa possibilidade de êxito é a supremacia no meio-campo, caso Gerrard recue para buscar jogo, se Guus Hiddink mantiver no Chelsea o 4-3-3 com três meias muito centralizados – o Liverpool igualaria com Xabi, Mascherano e Gerrard, vencendo pelos lados com Kuyt e Riera sobre os laterais. Aguardo este confronto tático com grande ansiedade.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (14)

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 23 de março de 2009

    Mascherano, Alonso, Riera e Kuyt formam uma linha no meio? É isso? Abraços.

    Resposta do Cecconi: Isso Carlão, pelo menos contra o Aston Villa, o Rafa Benítez jogou com Kuyt pela direita, Xabi Alonso e Mascherano centralizados, e Riera pela esquerda. Riera fez um jogo sensacional. Na defesa, foi Arbeloa pela direita, Skrtel e Carragher de zagueiros, e Fábio Aurélio na esquerda. Gerrard jogou à frente da linha de meio-campo, e Torres foi o centroavante. Abração!

  • Michel Costa diz: 24 de março de 2009

    Olá Eduardo!
    Muito interessante esse Heat Map. A UEFA já tinha utilizado algo semelhante para definir quantos kms cada jogador correu e em que faixa do gramado ele mais atuou.

    Na ocasião, gostaria de convidá-lo para uma visita ao meu blog onde, com sua permissão, utilizo um esquema tático do Preleção para demonstrar como o Gerrard tem jogado atualmente.
    Abraços e minha gratidão.

  • airton ribeiro diz: 23 de março de 2009

    O Cecone da pra ti mandar emails para o Tite, pode ser que ele se inspire na formaçãotatica do Liverpool, desse treinador R. Benetiz que pra mim no momento é um dos melhores, senão o melhor da europa, que forma extraordinaria de jogar desse time, aquele abafa ja na saida de bola dos adversarios, as jogadas pelos lados do campo bá., Se o Tite visse esses jogos se inspiraria para melhorar o time do inter.

  • João Henrique diz: 24 de março de 2009

    Eduardo, eu entrei no site pra ver o Heat Map da partida e acho que esse ponto laranja na marca do pênalti não foi as entradas em diagonais, mas sim os pênaltis cobrados. Os dois pontos amarelos que estão a frente do ponto laranja na marca do pênalti foram de onde Gerrard chutou duas vezes – uma em cada ponto. Pra comprovar é só você acessar o Shots and Gols do Liverpool e ver os de Gerrard, exatamente nesses dois pontinhos amarelos ele vai dar um chute ao gol de cada.Abs

  • Niqui diz: 23 de março de 2009

    Belo post, Cecconi. A evolução do Gerrard é semelhante à de Alex no Internacional. Apenas dicordo de vc qdo diz que o inglês rende mais no meio. Acho que agora ele finalmente pôde dar vazão à toda sua capacidade. Forte abraço!

  • Richard diz: 24 de março de 2009

    cecconi, gerrard esta jogando muito. hernanes eh quase um gerrard brasileiro. volante de origem. agora armando as jogadas muito bem. gerrard seria um meia atacante? fazendo a primeira pressao com fernando torres? um pouco a frente do meio campo? abraço!

    Resposta do Cecconi: certamente, Richard, aliando as duas funções – organização e conclusão – ele pode ser considerado um meia-atacante. E de primeira categoria. Abração.

  • Matheus diz: 24 de março de 2009

    Essa função desempenhada pelo Gerrard e esquema tático do Liverpool se assemelha à usada pela seleção francesa na copa de 2006, em que Zidane passou a jogar mais avançado flutuando à frente da linha de meio campo e auxiliando o Henry.

  • Antonio diz: 24 de março de 2009

    Não é de hoje que Gerrard é um dos jogadores mais completos do futebol mundial. Mesmo na época em que Lampard concorria a bola de ouro ou outro troféu parecido, Gerrard já era muito melhor.

  • João Henrique diz: 24 de março de 2009

    O ataque do Liverpool – Torres e Kuyt – realmente não é consistente, Gerrard acabou sendo mais sobrecarregado que o comum – normalmente ele joga mais pela meia e direita – nessa partida já que Torres não teve boa atuação. Devido a grande qualidade de Gerrard ele é capaz de executar com êxito 3 funções se necessário, – só não concordo com a das entradas em diagonais,acho que ele entrou mais verticalmente mesmo. Em relação a partida o Liverpool mereceu, eles entraram pra ganhar já o Aston pra per

  • Lucas Marasca diz: 23 de março de 2009

    Parabéns pelo blog Cecconi….é interessantíssima essa análise tática que você faz…concordo plenamente.
    Quanto ao Liverpool, é uma aula de tática a cada partida, pra mim é o time mais organizado taticamente do mundo….perto dele acho que só o Barcelona, 2 times que se defendem bem e rapidamente atacam com quantidade e qualidade. Anotem, Gerrard melhor do mundo de 2009, ele merece!

  • fernando diz: 24 de março de 2009

    aquela marca laranja que tem no meio da área nao é porque ele atuou por ali, e sim porque ele bateu dois penaltis, ele nao atuou da direita para o centro como tu disse

    Resposta do Cecconi: olá Fernando, tudo bem? Não sei se dois pênaltis cobrados sejam suficientes para deixar a marca laranja na área em quase 75min em que ele ficou em campo. Assisti a todo o jogo e Gerrard entra muito na área, principalmente pela direita, já que o Torres joga pela esquerda. Abração.

  • Leonardo da Rocha Botega diz: 23 de março de 2009

    É importante destacar o papel do Mascherano como cão de guarda dos zagueiros. Contra o Real Madrid, o Gerrad me deixou tonto de tanto que se movimentou. Ao meu ver, o Liverpool tem o futebol mais bonito de Europa nessa temporada.

  • fernando diz: 24 de março de 2009

    muito bem sacado, eduardo. o esquema está funcionando bem, é talvez a melhor fase do liverpool nas últimas duas temporadas, mas a impressão que eu tenho é a mesma que a sua. parece que, ofensivamente, o time já está na sua capacidade máxima. numa situação q tenha q correr atrás (perdendo o 1o jogo do chelsea, por ex), não consigo enxergar muita solucão pro benitez. acho o babel muito fraco (só joga bem depois dos 25 do 2o tempo…rsrs) e o gerrard não pode criar pra passar pra ele mesmo, certo?

  • Gilson Gustavo diz: 24 de março de 2009

    Seu blog já está nos meus Favoritos e pretendo olhá-lo com bastante calma, mas me diga uma coisa: onde encontro o Heat Map no site da ESPN Brasil?

    Resposta do Cecconi: oi Gilson. Essa ferramenta não tem em todos os jogos. Vai em Soccer, depois Live Score, depois procura o jogo que tu quer. Entra em Match, depois em Match Action, aí vai abrir o campinho verde, e terá a opção do Heat Map. Dos clubes ingleses, sempre tem. Ah…o site é espn.com Abração!

Envie seu Comentário