Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

As paredes de Alex Mineiro

26 de março de 2009 14

No diagrama tático, em destaque está a área de atuação do centroavante Alex Mineiro, fazendo a parede para os alas e para Jonas

Não há no momento jogador mais contestado no Grêmio, acredito, que o centroavante Alex Mineiro. Isso porque o camisa 9 protagoniza um dilema: contratado para fazer gols (o que não aconteceu até agora), ele está participando apenas da preparação de jogadas.

Hoje, pode-se caracterizar Alex Mineiro como um “meio-pivô”. Certamente, a participação dele fazendo “a parede” para as infiltrações dos alas e do companheiro de ataque Jonas é uma determinação tática do técnico Celso Roth. Está dando certo. Mas Alex Mineiro executa apenas metade da função.

Não sei se isso também faz parte da orientação do treinador, ou se deve a alguma deficiência técnica momentânea que ele apresenta: Alex Mineiro não gira sobre o marcador. A tática individual do pivô, função nascida do futsal, tem duas atribuições: fazer a parede, e girar para sair de frente para o gol. O camisa 9 do Grêmio tem realizado apenas a primeira parte, por isso o chamei de “meio-pivô”.

Jogando nesta função, Alex Mineiro se movimenta em uma faixa muito restrita de campo, delimitada pelas linhas laterais da grande área, e com uma profundidade de poucos passos, entre a meia-lua e a marca do pênalti - como está destacado em azul no diagrama tático que ilustra o post. É dali que partem suas contribuições nas tabelas curtas – principalmente com Ruy – mas também com Fábio Santos e Jonas – assim nasceu o primeiro gol do Grêmio contra o Aurora. Alex Mineiro recebe, devolve de primeira e “pifa” o companheiro.

Não vi ainda uma estatística específica sobre isso, mas acredito que o Grêmio deve ter estes números – que, na teoria, amparam a titularidade do Alex Mineiro: suponho que ele tenha participado ativamente, na “construção da parede”, de pelo menos metade das oportunidades de gol criadas pelo Grêmio na temporada. Um excelente meio-pivô. Falta, agora, fazer gols. Girar sobre o marcador, apresentar-se para outras jogadas que não apenas um toque curto.

Para esclarecer o que eu acredito que esteja faltando para Alex Mineiro aliar a boa capacidade de servir os companheiros com a marcação de gols – fato que vai pesar na concorrência pela camisa 9 com Maxi López e Herrera – peço a vocês que reparem, no vídeo abaixo, em uma jogada do centroavante botafoguense Reinaldo.

O trecho do vídeo, retirado do site globoesporte.com, está entre 1min47seg e 1min55seg. Reinaldo recebe a bola, e ao invés de se acomodar em devolver, fazendo a parede, ele gira rápido sobre a marcação e bate de primeira. Exatamente o que está faltando para Alex Mineiro. Confiram:

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (14)

  • William diz: 26 de março de 2009

    Ótima leitura, realmente isso que falta pro Alex. Cecconi, achas que ele pode exercer a função do Tcheco, eventualmente? E o Ruy tche, nos últimos 5 jogos parece que não acerta um passe, enganou a todos? Abraço!

    Resposta do Cecconi: olá William. Não sei se ele já jogou mais recuado, acredito que pela pouca mobilidade dele, não seja um perfil adequado para o meio-campo. Sobre o Ruy, na carreira dele fica evidente que é um jogador normal – cresce em times ajustados, e cai junto com times normais. Ele deve oscilar conforme a fase de toda a equipe. Abraço!

  • Cartonauta diz: 26 de março de 2009

    Na minha opnião o problema do meio pivô é que a bola não volta para o Mineiro. Se revermos os chutes do Jonas (que consagraram os goleiros) vamos ver que o Mineiro estava livre e em melhores condições para finalizar, mas o Jonas sempre se precipita e finaliza mesmo de longe. Não acha?

    Resposta do Cecconi: é uma boa análise. Celso Roth tem esclarecido pouco esta movimentação de ataque nas entrevistas. Gostaria de saber do treinador do Grêmio qual a orientação precisa – recebe e conclui, ou recebe e procura novamente Alex Mineiro? Boa pergunta. Abração!

  • Stefano Roberto Silva Hildebrandt diz: 27 de março de 2009

    Cecconi! Sempre acompanho seus post e acho que tem muito conhecimento. No entanto nesse caso específico não concordo totalmente…No caso com o Reinaldo, ele já está dentro da grande área, e o Alex está buscando muito o jogo na intermediária, ficando distante pro arremate. E também muitas vezes ele aparece quase no meio de campo abrindo o jogo para os alas, o que no caso teria de ser uma função mais apropriada para o Tcheco, deixando assim mais liberdade para finalizar.

  • Rafael diz: 26 de março de 2009

    Esses giros são um convite à ruptura de ligamentos do joelho, não?

    Resposta do Cecconi: olá Rafael, tudo bem? Acho que em qualquer movimento de impacto eles estão sujeitos a esse risco. Mas contam com todo um aparato de fisiologia preventiva para evitar. Eu, por exemplo, sou um peladeiro sem essa estrutura e rompi o ligamento cruzado anterior do joelho direito em uma jogada de combate. Para os jogadores, é da profissão este risco. Abração!

  • Vini diz: 27 de março de 2009

    Esse blog é mt fod#…

    Cara to até com pena de de ti quando começar o brasileirão… vai ter uma trabalheira… hehehehe

    abraço…

  • Gabriel diz: 27 de março de 2009

    Questiono se o Alex Mineiro não poderia jogar ao lado do Maxi Lopes. Perderia a vinda de trás que o Grêmio tem com o Jonas, mas haveria a possibilidade de a rigidez tática (que engessa o Alex Mineiro) ser quebrada por uma possível maior movimentação. Prefiro Herrera e Maxi, mas é inegável que o Grêmio é uma equipe que cria muitas oportunidades de gol e que elas se devem justamente por essa moviemntação que tu assinalaste (além do papel do Souza). Poderiam os dois jogarem lado a lado?

    Resposta do Cecconi: olá Gabriel, certamente que Alex e Maxi podem jogar juntos. Não os vejo hoje como a melhor dupla de ataque do Grêmio, mas eles podem sim jogar, em uma formação mais voltada às jogadas de área. Abraço.

  • Leonardo diz: 27 de março de 2009

    Ele não gira sobre a marcação, no momento do giro não há marcação nele, são dois zagueiros, um no meio da área e um no lado direito. Ele gira rápido e chuta antes dos zagueiros chegarem nele. Era só essa ressalva que eu gostaria de fazer. Até mais!

  • beto diz: 26 de março de 2009

    Alex Mineiro nao joga mais nada. No futebol, como em qualquer outro esporte de contato, a parte fisica importa muito. Ele ja eh um jogador pequeno que nao consegue usar tamanho e massa pra ganhar jogadas em espacos curtos portanto ele usada de rapidez e velocidade no giro. Ele nao consegue mais fazer isso porque TEM 32 ANOS! Tem que ir pra reserva urgentemente, sua falta de mobilidade ateh deixa o Jonas melhor que eh. (metade dos gols dele ano passado foram de penalty).

  • thiago diz: 27 de março de 2009

    o roth vai conseguir queimar mais um jogador… só que dessa vez um veterano! pq eu acho q essa inoperância do alex como centroavante que é se deve ao posicionamento passado pelo roth…

  • sandro diz: 27 de março de 2009

    Este blog,que,até cerca de um mês atrás, eu nem lia,para minha surpresa, está sendo o melhor do clicrbs.Mais uma análise correta sua e de um colega que disse que o Jonas,ao receber a bola,se precipita e conclui,em vez de devolver ao Alex,normalmente melhor colocado para a conclusão.Concordo plenamente e faço mais uma pergunta: Cecconi,você não acha que,se Jonas acertasse a metade dos gols que perde,Alex,em vez de ser criticado,seria saudado como o maior assistente da Libertadores?

    Resposta do Cecconi: Oi Sandro, tudo bem? É uma boa perspectiva. Se não apenas Jonas, mas Ruy também, ou Fábio Santos (como aconteceu em Erechim) aproveitassem mais as assistências do Alex Mineiro, talvez o centroavante não passasse por contestação tão grande. Abraço!

  • Paulo R. diz: 29 de março de 2009

    Sensacional muito boa essa analise !
    ele pifa todo mundo e ninguém devolve pra ele isso é foda !

  • Leandro Carneiro diz: 26 de março de 2009

    Mas qual seria o ataque ideal do Grêmio com este elenco atual? Não acho que o Jonas seja ruim, mas um time que pretende ser campeão o ataque é muito fraco.. E o Tcheco não está jogando nada, só jogou bem contra a Universidad… Assim só passa da primeira fase porque os adversários são fracos e sem tradição.

  • Paulo Grado diz: 27 de março de 2009

    No ultimo grenal bastou o Jonas servir ele invertendo a função e num belo chute colocado fez o gol mostrando que sabe finalizar com calma e precisão. O Jonas fica pifado o tempo todo e acerta 2 em 10. O Alex tem muita qualidade, mas parte da torcida e imprensa corneteira começam campanha pra queimar o jogador. Vc, em mais um belo post esclarece bem o que ele vem fazendo pelo time, e critica de forma bem fundamentada o que acha que o jogador poderia fazer a mais. Parabéns pela lucidez na análise.

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 26 de março de 2009

    Pois é, no Palmeiras ele fez um monte de gols, e no Grêmio está sendo pivô (ou meio-pivô, como você muito bem colocou).

    No entanto, para mim, Alex Mineiro é o melhor atacante do Tricolor, disparado.

Envie seu Comentário