Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O Barça não sabe jogar sem três atacantes

06 de maio de 2009 7

Iniesta pisou em praticamente todos os pontos do gramado no campo ofensivo, flutuando da direita para a esquerda, onde se fixou no 2ºtempo

É incrível como a ausência de Henry desestruturou a conclusão das jogadas do Barcelona hoje, dia no qual a equipe catalã conseguiu uma épica classificação à final da Champions League empatando com o Chelsea por 1 a 1, em Londres. O gol foi marcado por Iniesta aos 48min do 2ºtempo, premiando o jogador que precisou se sacrificar em função da vocação tática ofensiva.

Guardiola sistematizou o Barça em um 4-4-2, sem referência na área. Eto`o abriu na esquerda, ocupando o lugar deixado por Henry, e Messi se manteve na ponta-direita. Mas o treinador optou por não escalar o terceiro atacante, modificando a estratégia.

O Barça acrescentou um “líbero” ao meio-campo. O time continuou com o triângulo do setor – Busquets de primeiro volante, Xavi na armação pela direita, e Keita na esquerda. E o talentoso Iniesta jogou sem posição fixa, aproximando-se do jogador com a posse de bola – ora na direita com Messi, ora na esquerda com Eto`o, ora pelo meio com Xavi e Keita. Não deu certo.

Durante todo o primeiro tempo, o Barcelona conseguiu repetir uma de suas principais virtudes – alcançou 70% de posse de bola. Mas controlou a partida entre-intermediárias, sem profundidade. Ou seja, a saída da figura centralizada fez a equipe abdicar de sua segunda principal virtude – a criação massiva de oportunidades e conclusões a gol.

No 2ºtempo, Guardiola redesenhou o 4-3-3. Ele centralizou Eto`o e improvisou Iniesta – aquele que já havia se sacrificado pelo novo sistema – como um atacante aberto na esquerda. Afinal, depois de toda a tradição criada desde a escola Cruyff – confiram no post em destaque na coluna da direitao Barça demonstra que não sabe jogar fora do 4-3-3. Mas, perdendo o jogo, e precisando do empate, o Barça começou a se desesperar batendo e voltando no paredão do Chelsea.

Na imagem que ilustra o post eu reproduzo o Heat Map de Iniesta, publicado no site da ESPN. E as marcas amarelas e laranjas pelo campo inteiro demonstram que ele realmente flutuou de lá para cá. A maior incidência de pontos laranjas na esquerda são consequência de sua fixação pelo setor no 2ºtempo.

A estratégia de Guus Hiddink no Chelsea parecia ter obtido um sucesso irrecuperável. Ele bloqueou os lados, impedindo as diagonais e infiltrações dos atacantes, com as dobradinhas Cole-Malouda na esquerda, e Bosingwa-Anelka na direita. E manteve a marcação sob controle no meio-campo, trazendo o adversário para um setor “embolado” – apesar de não ter a posse de bola, não permitia ao Barça chutar a gol. No abafa, ele só permitiu ao adversário acertar o alvo uma vez. E não deve ter acreditado no que seus olhos insistiam em afirmar.

Segundo a estatística da partida, o Barça deu apenas um chute a gol. Aos 48min do 2ºtempo. Com Iniesta, em uma jogada toda “desorganizada” – Messi na esquerda, ele pelo centro. E o meia espanhol acertou um balaço. O gol da classificação. Iniesta leva o Barcelona à final de Roma contra o Manchester recebendo do imponderável a recompensa pela aplicação tática.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (7)

  • Bernardo Hausmann diz: 7 de maio de 2009

    Gostei muito do barça hj, mesmo jogando fora de ksa foi ofencivo como sempre. Uma aula de futebol. Ganhou quem mereceu, afinal, destruir é muito mais facil que construir, e o barça tentou construir muito mais q o chelsea. Pena que estao bastante desfalcados na zaga pra enfrentar o manchester. Adoro o estilo de jogo do Barça, mas acho q n final vai dar Mancherter, tem mais time e mais jogadores que podem decidir. Qual tua opiniao pra final eduardo?

    Resposta do Cecconi: Bernardo, meus palpites de resultado são sempre furados. Mas vou escrever sobre isso na sequência, acredito que vai ser um jogo de ataque (Barcelona) e contra-ataque (ManU), com os espanhóis mantendo sua estrutura tática, e Ferguson alterando o time para ser mais defensivo. Abraço.

  • Leonardo da Rocha Botega diz: 6 de maio de 2009

    O Henry fez muita falta hoje. O Barcelona, apesar da grande posse de bola só deu perigo em dois chutes, um do Messi e do gol do Iniesta, no resto do tempo ficava cruzando na área sem ter referência para o cabeceio. Melhorou com a entrada do Borjan que abriu pela esquerda e deixou o meio para o Iniesta e para o Xavi (o cerebro da esquipe, mas que hoje não conseguiu jogar como sempre joga, pois o Toure foi pra zaga e deixou de ser o volante do primeiro passe no meio campo). Foi um jogo heróico

  • Rafael Tricolor diz: 7 de maio de 2009

    O Chelsea foi bem na defesa, acho que o erro deles foi deixar de segurar o resultado. Em vez de aproveitar que estavam classificados e com um jogador a mais, deveriam tocar mais a bola, deixar o tempo passar e botar o Barça na roda. Mas não, continuaram atacando, querendo fazer o segundo gol e deram sorte pro azar.

  • Erik diz: 7 de maio de 2009

    O Chelsea deu uma aula de marcacao. Quantas linhas haviam? Pela televisao fica dificil mas eles marcavam sob pressao depois tinha outra linha ainda no campo do Barca, depois sempre quatro cercavam a bola, se ia pra direita ou pra esquerda. Todos foram pra cima da bola na grande area e deixaram o Iniesta livre (havia 4 jogadores no Messi). Acho que o lampard ou o Terry nao acompanharam o Iniesta.. Em todo o caso pra quem acredita nos “Deuses” do futebol ontem ele fez justica a temporada do Barca

  • vicente camargo diz: 6 de maio de 2009

    xavi tambem correu muito nesse meio campo,o chute premiou o futebol ofensivo em vez do defensivo

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 6 de maio de 2009

    A movimentação do camisa 8 foi insana. Haja pulmão!

  • ricardo souto diz: 7 de maio de 2009

    cara nao li seu texto, mas nao concordo com o titulo.. nao se esqueça q o jogo era contra o chelsea, uma das melhores defesas do mundo com um dos melhores goleiros da atualidade. nao seria fácil de qualquer forma.

Envie seu Comentário