Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Bons duelos esperam o Inter no Maracanã

13 de maio de 2009 8

Flamengo joga no 3-5-2 brasileiro, com três zagueiros, dois alas abertos, um volante, dois apoiadores e dois atacantes

Entre todos os times usuários do 3-5-2 à brasileira – em uma espécie de epidemia tática nacional - o Flamengo tem uma das saídas de jogo mais rápidas. A característica dos jogadores de meio-campo torna o time treinado por Cuca muito veloz quando recupera a bola e faz a transição para o ataque.

No 3-5-2, o Flamengo atua com um volante (Willians) e dois apoiadores com muita mobilidade (Ibson pela esquerda e Kléberson na direita). Essa dupla auxilia os alas, também velozes – Léo Moura e Juan – passando da linha da bola e apresentando-se para o jogo.

Provavelmente hoje Cuca vai tentar armar investidas duplas sobre os lados do Inter: Léo Moura e Kléberson sobre Kléber; Juan e Ibson em cima de Bolívar. E estas parcerias podem se transformar em triangulações caso os atacantes Everton – na esquerda – e Emerson aproximem-se, saindo da área. Destaque para Everton, jogador de altíssima velocidade e coragem para jogadas individuais. Já Emerson disputa posição com Josiel, ambos criticados pelos gols desperdiçados, e fica mais posicionado na área.

Com isso, acredito que assistiremos no Maracanã a pelo menos dois duelos diretos, de altíssima qualidade entre os envolvidos: Guiñazu contra Kléberson, e Magrão contra Ibson. Com e sem a bola os apoiadores colorados estarão encaixados – marcando ou sendo marcados – com os apoiadores flamenguistas. E os quatro têm características semelhantes, embora os colorados sejam mais vigorosos, e os flamenguistas mais rápidos.

Com a bola, o Inter tem pelo menos duas boas alternativas para superar o Flamengo (podem existir outras, é claro): a passagem de Sandro, e as diagonais da dupla Nilmar-Taison. Vejamos:

Sandro foi importante no último enfrentamento com o Grêmio, não apenas na marcação. Como o 3-5-2 brasileiro costuma fazer marcação individual, e deixa apenas três jogadores no meio-campo, na teoria (e na prática) ninguém espera ver Sandro chegando à frente. Willians deve pegar D`Alessandro, enquanto Guiñazu e Magrão estarão recebendo combate de Kléberson e Ibson. Quem marca Sandro? Provavelmente, quando o Flamengo definir a resposta, ele já estará na área rubro-negra. É uma boa pedida.

E Nilmar-Taison podem se beneficiar da instabilidade da zaga do Flamengo. O 3-5-2 com o improviso do volante Airton foi adotado por Cuca exatamente em função dos problemas defensivos – agravados com a saída de Fábio Luciano. Nas diagonais, Nilmar e Taison se infiltrariam entre o zagueiro do lado e o da sobra, dificultando a definição sobre quem vai dar o primeiro combate, momento crucial para os atacantes do Inter tomarem a frente da jogada para concluir.

Se Cuca repetir o sistema tático e a estratégia com os quais vem comandando o Flamengo – a escalação projetada pela imprensa local é esta do diagrama tático que ilustra o post – é dessa forma que vejo as possibilidades defensivas e ofensivas para o Inter. Mas, acima de tudo, o principal para o colorado será assumir uma postura firme, sem recuar ou abdicar da posse de bola em nome da cautela.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (8)

  • leonardo diz: 14 de maio de 2009

    Final de jogo e o que se viu foi um gato e rato. Uma proposta de marcação individual que surgiu efeito no trio colorado (mas se não desse sorte era um balaio), sendo o carrapato do D`alessandro ovacionado pela torcida e o flamengo jogando exatamente como tu descreveste.. e com a tal válvula de escape Ronaldo Angelin. Fora a inutilidade do ataque flamenguista aliado ao medo de chutar e o inter compactado na defesa com o insano Guiñazu, mas dependendo muito de lançamentos pros velocistas. abraço

  • Wagner diz: 13 de maio de 2009

    É, tens razão…mais um motivo para o Inter largar este posicionamento obsoleto e armar uma linha, principalmente para evitar o 2 1 nas laterais..deixa o Sandrão um pouco mais recuado e faz uma linha com Taison, Magrão, Guiña e D`Ale…pode ser com os extremos invertidos…e aí Cecconi, o que achas?

    Resposta do Cecconi: Wagner, não vejo no Inter atual a formação de uma boa linha. Isso poderia ser feito com Bolaños, que era extremo pela esquerda no 4-4-2 britânico da LDU. Acho que D`Alessandro não faria bem essa função, teria de jogar pelo meio, como fazia o Gerrard na linha do Liverpool. Abraço!

  • antonio diz: 13 de maio de 2009

    OBS.: o ronaldo angelim, canhoto, joga pela esquerda, inclusive é uma valvula de escape em alguns momentos… abraçao

  • Wagner diz: 14 de maio de 2009

    De novo não entendeste…a questão era o jogo de hoje…D`Ale numa extremidade talvez até evitasse perder tantas bolas, pois não receberia sempre de costas, além do bloqueio ser melhor…de novo o mcampo em losângo foi mal…o principal até foram as individualidades…Taison e D`Aless

  • Alvair diz: 13 de maio de 2009

    Muito bom seu blog. Na minha opinião, o Inter poderia utilizar a qualidade técnica do Kléber para avançar pela esquerda nas costas do Leo Moura, que vai muito à frente. Como o mesmo costuma cortar muito para o meio em diagonal, Sandro poderia fazer a cobertura sobre esse jogador. Seria uma boa saída para o Inter. Ou então colocar o Taison para jogar bem aberto na ponta, explorando tmb esse buraco. O mais importante é que provavelmente o Inter ganhará o meio campo com 4 x 3 jogadores no setor.

  • André Rocha diz: 13 de maio de 2009

    Prezado Eduardo,

    Vou dizer aqui o mesmo que escrevi no blog de Mauro Beting:

    Para a marcação encaixar dos dois lados, basta Juan centralizar um pouco e pegar Magrão, com Ibson avançando e fechando o avanço do Sandro. Desta forma, o 4-3-1-2 do Inter bateria com o 3-1-3-3, em números, da equipe de Cuca. Willians pega o D`Alessandro, o trio de zaga marca Taison e Nilma, Léo Moura e Éverton batem com os laterais colorados e Kléberson marca Guiñazu. E vice-versa.

    Abraço!

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 13 de maio de 2009

    Acho que D`Alessandro leva vantagem sobre Williams. Por isso acho que Kléberson vai meio que ficar na linha de Williams, para cobrí-lo, e Ibson um pouco mais avançado, centralizado, batendo de frente com Sandro.

  • Gabriel Santos Rodrigues diz: 14 de maio de 2009

    Tite mexe no Jeito de jogar e deixa torcedores frustrados!
    Por que motivo o tite prefere abdicar da posse de bola, do controle do jogo ofensivo pra priorizar a marcação?
    fazendo assim uma linha de 3 volantes e mudando o que dava certo com 1volante o Sandro e com Magrão e Guiñazu á frente deste auxiliando na marcação e fazendo assim com que o D`Ale não fique sozinho.Ele não ta jogando bem pq não tem quem toque a bola com ele!
    Vele a pena mudar tanto o jeito de jogar so por ser fora de casa?

Envie seu Comentário