Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Como joga o Barcelona campeão espanhol

20 de maio de 2009 17

Diagrama tático do Barça mostra o 4-3-3 com jogadores próximos, e muita passagem para jogar - dos laterais, dois meias, e dos atacantes

Com os posts sobre o Manchester United e a Inter de Milão, abrimos a série de análises dos sistemas táticos preferenciais das equipes campeãs nacionais. Agora, é a vez de apresentar para o debate o Barcelona, que levantou o troféu na Espanha.

O Barcelona atua no 4-3-3. O sistema tático mantido por Guardiola faz parte de uma filosofia tática implantada no clube desde a “escola Cruyff”, há quase três décadas. O Barça se utiliza deste sistema, qualquer que seja o treinador, desde as categorias de base até o time profissional.

E os resultados comprovam que é possível sim aliar qualidade com competitividade. Mesmo no 4-3-3, o Barcelona não é um time “faceiro” – como dizem os defensivistas gaúchos – vulnerável, exposto ou fraco defensivamente. A estratégia, com diversas táticas de grupo interligadas, privilegia a compactação da equipe, tanto com a bola, como também na marcação.

Paulo Autuori, em entrevista à Sportv ontem, utilizou o Barcelona como exemplo de um conceito que na Espanha se chamam “pequenas sociedades”. O Barcelona joga todo com triângulos. Notem no diagrama tático que ilustra o post que sempre há três jogadores próximos, em qualquer setor. Só para exemplificar, na direita dá para pegar Puyol-Alves-Touré, Alves-Touré-Xavi, Alves-Xavi-Messi, Xavi-Messi-Eto`o, Messi-Eto`o-Alves…e vale o mesmo para o meio, ou para a esquerda. Triângulos interligados, mantendo a equipe compacta, articulada com a bola (propícia a tabelas curtas, e velocidade) e fechada sem ela.

Na defesa, Daniel Alves apoia mais do que Abidal, mas os dois laterais passam bastante da linha da bola. Yaya Touré é o único volante, cobrindo os dois lados. Na articulação, Xavi joga à direita, e Iniesta à esquerda. E no ataque, Guardiola também não mexeu na estratégia dos pés invertidoso canhoto Messi aberto na direita, e o destro Henry na esquerda, ambos puxando diagonais em direção aos meias e ao centralizado Eto`o, e abrindo ao mesmo tempo o corredor para o apoio dos laterais.

Sem a bola, todos marcam. Mas o principal sistema de marcação do Barcelona é jogar. O time marca com a bola. Como? Mantendo a posse, valorizando trocas de passes, movimentação, compactação – dentro da filosofia das “pequenas sociedades” (uma definição interessante para tática de grupo) – o Barcelona impede o adversário de jogar. Em média, segundo os scouts da ESPN, o Barça mantém nessa temporada posse de bola próxima dos 70% por jogo. Setenta por cento do tempo impedindo o adversário de jogar, sem para isso escalar outro zagueiro, mais volantes, recuar linhas e posicionar-se defensivamente.

O Barça joga. Nos outros 30%, mantém os triângulos compactos, e marca. É claro que contar com jogadores de alta qualidade técnica ajuda a manter o 4-3-3 e a estratégia da escola Cruyff. Mas o Barcelona, há muito, é o exemplo que dá certo, do futebol que alia qualidade com resultado, e que deve dar muita insônia para treinadores e comentaristas que vêem no futebol um esporte “defensivo”.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (17)

  • RYK RESTINGA diz: 20 de maio de 2009

    É ESSE O TIME QUE VAI JOGAR COM O GR~EMIO EM DEZEMBRO?PARECE BEM MELHOR QUE O DE 2006!PELO MENOS AGORA ELES TEM UM MATADOR NA FRENTE!

  • Nicolau Frota diz: 20 de maio de 2009

    Olá Eduardo! Novamente elogio-o pelo texto escrito mas gostaria de lhe pedir responder, a seguinte questão:Você acha possivel, a não ultilização de um volante de marcação, (tulio(gremio sandro (inter) num esquema como esse para a entrada de um meia já que como Você sizno texto a principal caracteristica da equipe nesse esquema é manter, a posse de bola??

  • Nicolau Frota diz: 20 de maio de 2009

    Eduardo, volto a lhe escrever w aproveito para lhe agradecer enmençamente a resposta ontem…
    Gostaria de lhe pedir sua opinião para essa pergunta,:ultilizando o sistema do barcelona do texto, Vale a pena ter um volante de marcação,(tulio(gremio,pierrePalmeiras) ou é mais vantajoso a ultilização de um meia , seguindo a linha de que a principal marcação do sistema é a posse de bola??Obrgado.

  • leonardo diz: 20 de maio de 2009

    isso é bem diferente que o tite burro joga,,ele gosta de 4 zagueiros e mais 3 volantes que nao chegam na frente so servem para defender,,é muito burro esse tite,,e falo isto antes do jogo de hj conra o flamengo,,,

  • Michel Costa diz: 20 de maio de 2009

    Eduardo, Você acha correto dizer que, com a bola, o Barça varia o seu 4-3-3 para um 3-4-3? Quem acompanha os catalães já deve ter notado que o Daniel Alves ocupa o meio-campo na maior parte do tempo. Assim, na minha opinião, essa alternativa tática deveria ser citada com maior frequência. Abraços.

    Resposta do Cecconi: oi Michel, tudo bem? Apesar de ser um apoio muito constante, vejo nas subidas do Daniel um movimento natural do lateral, ainda que o Abidal faça isso com menos frequência. O Daniel vai e volta, não fica parado na faixa de campo do meio. Mas posso estar enganado. Abraço.

  • Daniel diz: 20 de maio de 2009

    Como única ressalva, a qualidade técnica não apenas ajuda mas é fundamental nesse processo. Na final da Copa do Rei, por exemplo, o Keita jogou e não o vi errar um passe durante o jogo todo, sendo a evolução de um triângulo para o subsequente rápido e vertical demais. Coisa que o Inter não consegue fazer(ou não conseguiu fazer ainda em partidas de maior nível técnico), penso que, principalmente, pela qual qualidade inferior de seus jogadores.
    Parabens por fazerem o melhor Blog de futebol do País

  • Carlos Pizzatto – Blog do Carlão diz: 20 de maio de 2009

    Eduardo, você acha que Nilmar poderia jogar na posição que Messi joga no Barça (e exercer a mesma função)? Na tua visão, Nilmar poderia ser um ponta num trio de ataque?

    Resposta do Cecconi: certamente que sim Carlão. Tanto ele como também o Taison. Na verdade o Nilmar já joga assim no Inter, só que pelo lado direito. O Taison aberto na esquerda, como o Henry – e ambos sempre nas diagonais, pelo chão. A diferença é a ausência do camisa 9 centralizado, porque o Inter não atua no 4-3-3. Mas acredito que o Tite pode lançar mão desse artifício, se achar necessário, tirando um volante para a entrada do Alecsandro. Abraço.

  • Vinícius Guerreiro diz: 20 de maio de 2009

    Uma variação muito boa que o Barça ainda faz quando precisa do resultado, é tirar Abida e colocar um zagueiro. Liberando o Daniel Alves e tornando o time em um 3-4-3 mais ofensivo. Porque Daniel Alves apoia muito bem pelo lado direito, em diagonais ou jogadas de linha de fundo!

  • Vinicius diz: 20 de maio de 2009

    blog maneiro =D, cara seria bom se você fizesse uma análise dos times do Guus Hiddink, Russia, Coreia, Australia e PSV, do Chelsea ja tem, eu sou torcedor do Chelsea e me amarrei no trabalho dele… queria ver analises de outros trabalhos dele, e tambem do mourinho na epoca do Chelsea abraços

    Resposta do Cecconi: olá Vinicius, tudo bem? Sou grande fã do Guus, para mim o melhor técnico de futebol do mundo. Adorei tuas sugestões, mas será bastante difícil atendê-las porque eu precisaria ter acesso a vídeos – de preferência íntegras – de jogos destas equipes. Mas, além do Chelsea, dá uma busca no site que tem uma análise da Rússia – um pouco superficial – mas lembro de ter feito. Abraço.

  • GERSON diz: 20 de maio de 2009

    NÃO DEIXA O BURROTH E O ROSPIDE VER ESTE TEU DIAGRAMA!!QUAQUAQUAQUA

  • leonardo diz: 21 de maio de 2009

    cecconi,,voce nao acha que o Tite esta levando mais sorte do que juizo???graças a deus o inter passou,mais todo esse sufoco é culpa do tite mesmo,foi assim na sul americana tbm,,ele é muito retranqueiro e nao sabe jogar com as laterais.

  • Rodrigo Leão diz: 20 de maio de 2009

    continuando…

    Sobre posse de bola, acho que seria legal tu expor para a galera o treinamento, muito usado na europa, chamado five-a-side. Tem até um especial da nike com o Wenger, muito interessante, em que ele diz uma frase semelhante a tua “enquanto o adversário não tiver a posse (da bola) ele não poderá fazer gols”.

    Abraço!

  • Rodrigo Leão diz: 20 de maio de 2009

    Sobre a variação do esquema do Inter para o 4-3-3 do Barça, acho que a alteração mais indicada (para manter um equilibrio) seria a saida do Dale para entrada de um centro-avante (avançando o “1″ para centro-avante) e a substituição do Magrão pelo Giuliano (velocidade e precisão de passe).

  • Claudio diz: 20 de maio de 2009

    Que espetáculo de formação tática. Perfeitamente simétrica! É uma pena que o inter, que possui muita qualidade, nao joge dessa forma.

  • Elias diz: 21 de maio de 2009

    Oi Cecconi!
    Se puder, faz uma análise do Defensor que ganhou hoje do Boca na Bombonera!
    Se não estou errado, eles jogaram com duas linhas de 4 marcando muito bem o Boca e explorando os contra-ataques!
    Um abraço!!!

  • marcio minuzzi diz: 23 de maio de 2009

    Cecconi, parabéns pela iniciativa e pelo conhecimento. Quanto ao Barcelona, o fato de os atacantes penetrarem em diagonal a área adversária, dificultou tremendamente o trabalho ofensivo do time frente ao Chelsea, postado com muitos jogadores de defesa e meio-de-campo, fechando a área. O Barcelona é um grande time, mas não possui o arremate de média distância e a jogada de fundo, com cruzamento rasteiro ou alto. Cecconi, ainda, tem alguns livros sobre tática e técnica para indicar? valeu!

    Resposta do Cecconi: olá Márcio. Minha bibliografia é esparsa, muitos poligrafos. Vou tentar reunir um bom número de títulos e sugerir aqui no blog. Valeu!

  • Vinicius diz: 19 de março de 2010

    só depois de quase um ano que eu lembrei que eu tinha comentado nesse post HUAUHAUHA
    valeu Cecconi, eu vi a analise da Russia, realmente tem que fazer uma busca profunda e tal rpa achar, eu achei do PSV em um site portugues, tu deve conhecer “planeta do futebol” de luís fretas lobo, fala de futebol em vários paises, achei muita coisa interessante, inclusive sobre o Guus, e sim, é um dos melhores do mundo, pra mim só não é melhor que o Mourinho, apesar de ser bem ofensivo o Guus, se adapta ao time, não tenta fazer descer seu estilo goela à baixo igual Van Gaal entre outros, pode ver as diferenças, o Guus comandando squadras holandesas tinha a classica escola laranja, de posse de bola, circulação de jogo, no Chelsea ele ja se adaptou ao estilo do time, jogando um estilo mais direto, porem no chão, não era um time de bola longa como a noruega de Olsen, mas tambem não era de toques de lado como o Arsenal de Wenger

Envie seu Comentário