Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

A pequena loucura de Maradona

08 de junho de 2009 12

Diagrama tático simula os dois posicionamentos da Argentina. O primeiro, sem um meia-extremo; e o segundo, com as alterações necessárias, que deram resultado

Na partida da Argentina contra a Colômbia, assisti a um posicionamento que presumo seja inédito no futebol, ou pelo menos no futebol recente. Maradona posicionou a equipe anfitriã em um sistema 3-4-3 que pode ser traduzido, para quem gosta de quatro algarismos na descrição tática, em um 3-3-1-3. Com um detalhe: enviesado para a esquerda.

Em comparação com seu 3-4-3 anterior, Maradona fez uma troca: Verón por Maxi Rodriguez. Mas não posicionou La Brujita do Estudiantes na extrema direita da linha de meio-campo, como fazia com Maxi. Sem alterar o posicionamento dos outros jogadores do setor, colocou Verón à frente desta linha – agora com três jogadores – fazendo a ligação do meio com o trio de atacantes.

Assim, Maradona abriu um buraco no lado direito da equipe. Gutiérrez permaneceu como meia-extremo pela esquerda, Mascherano como meia-marcador centralizado à esquerda, e Gago como meia-marcador centralizado à direita. Sem meia extremo. Retirado Maxi, Maradona não reposicionou os outros três jogadores do setor. Simplesmente colocou Verón mais adiantado, e pronto.

Logo ali, na clareira argentina, a Colômbia conta com seu apoio mais efetivo. É na esquerda de ataque que a Colômbia faz dobradinha entre Armero e Marín. Por ali, mais à frente, Rentería abre para receber e fazer a diagonal. E ali a Argentina não tinha ninguém para marcar. Maradona deixou os zagueiros Díaz e Demichelis absolutamente expostos ao apoio de Armero, Marín (dono do jogo no 1º tempo) e Rentería. Gago tentava fazer a cobertura, chegando sempre atrasado – justificadamente, pois precisava sair do meio campo até o lado.

No intervalo, Maradona consertou. Reconstituiu o 3-4-3 com uma troca simples: Gago por Zanetti. E o veterano argentino, que já foi zagueiro e lateral com Maradona na seleção, atuou como o meia-extremo. E Verón foi recuado para a posição onde estava Gago, como meia-marcador sem a bola, e apresentando-se para a articulação, distribuindo o jogo e organizando a Argentina.

O primeiro resultado foi este: Marín morreu na partida. Tanto que foi substituído logo em seguida. Zanetti parou o setor produtivo da Colômbia. A Argentina venceu com um gol de escanteio, sem relação com a troca, mas correu menos riscos e controlou melhor a partida.

E uma constatação a partir da escalação e da mudança, é esta: Verón ganha espaço com Maradona na Argentina. O técnico da seleção sempre disse que faria a equipe jogar em função de Riquelme. Após a briga com o camisa 10 do Boca Juniors, ficou sem articulador, mas nunca escondeu sua preferência pela presença de um organizador, do centralizador da articulação, em seu time. Verón começou a ser convocado para a reserva, aos poucos foi entrando, e contra o Colômbia viu Maradona arriscar uma variação tática toda voltada ao seu protagonismo. Não deu certo, mas quem saiu do time foi Gago.

Verón ficou. É titular. Será ele o camisa 10 pretendido por Maradona?

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (12)

  • Felipe Albernaz diz: 9 de junho de 2009

    Os comentários gremistas exalam dor de cotovelo! Mas concordo, não tem que levar o D`alessandro, quero o bem do Inter e não quero o bem da Argentina! Vi o jogo e tenho uma opinião, o ataque de 3 baixinhos não vai funcionar, sem corpo para disputar a bola longa, ficou fácil para Colombia ganhar a segunda bola. O jogo de aproximação e ultrapassagens também não porque os wingers não tinha velocidade para ter vantagem contra os laterais da colômbia, é uma seleção refém de lampejos individuais.

  • Alberto diz: 9 de junho de 2009

    LAMENTÁVEL.

    Só isso a dizer, Maradona conseguiu o impossível: matar uma seleção tecnicamente sensacional com um esquema absolutamente confuso até para ele, duvido que saiba explicar o que fez no sábado, e mais uma vez, assim como foi contra o equado quando atuou com apenas 1 zagueiro de origem (Lembra Cecconi?) o time se safou graças ao talento individual dos seus jogadores. É uma pena, pois se continuar assim veremos mais uma vez a queda precoce de uma grande seleção.

  • Diego Souza diz: 8 de junho de 2009

    A Argentina esta muito “torta” no esquema tático. Veron não é jogador para ficar como único articulador! O articulador que Maradona procura para acertar a seleção argentina está no Beira-Rio: D`alessandro! Mas, por sorte dos colorados, se criou no River! Equanto Maradona não convocá-lo, a Argentina não será a Argentina clássica com seu “canhoto xarope” organizando o time. Mas quando convocá-lo, será um time fortíssimo, como esta seleção sempre foi! Ou faça as pazes com Riquelme! haha.. Abraço!

  • Gabriel diz: 9 de junho de 2009

    Concordo. A Argentina é uma dos poucos países do mundo que dispõem de dois jogadores com essa característica de pensar e organizar o jogo e que, para tanto, precisam de um esquema que possibilite esse protagonismo.
    Se com o Riquelme não dá, tem de ser com o D`Alessandro. Mas para isso, Maradona teria de abrir mão do meio-campo com quatro homens em linha e formar um losango no meio campo…

  • Diego Souza diz: 9 de junho de 2009

    Como sempre tem gente que, ao invéz de analisar e apreciar a beleza do futebol, de um esquema tático bem posto, quer puxar richas de torcidas até aqui no preleção! Poxa vida gente, vamos analisar os esquemas e os jogadores e vamos ter um pouco mais de respeito com a opinião das pessoas! Existem blogs específicos para as “guerrinhas” irracionais de vocês!

  • DANIEL R SANTOS diz: 9 de junho de 2009

    CECCONI, POR MAIS QUE AS IDEIAS DE MARADONA SÃO MUITO MALUCAS, O INTERESSANTE É OBSERVAR QUE ELE TEM CORAGEM. POIS NÃO ACREDITO QUE ALGUM TREINADOR DO BRASIL FARIA ISSO COM UM TIME DA PRIMEIRA DIVISÃO DO CAMP BRASILEIRO, QUANTO MAIS NA SELEÇÃO. E ENTRE ERROS E ACERTOS, ACREDITO QUE ELE CONSIGUIRÁ ENCONTRAR UMA FORMA INTERESSANTE DE JOGAR, E QUE SE FOR RAPIDO, PODERÁ SER A GRANDE SURPRESA DA AFRICA DO SUL

  • pico de menezes diz: 9 de junho de 2009

    pelo jeito q os portoalegrenses falam…eles são os intelectuais do futebol…mas há uns meses atrás o Roth era oc cara!! ganhar grenal que é bom…nada.

  • Evandro diz: 9 de junho de 2009

    É brabo aturar colorado tchê! Agora eles tão inventando desculpa pra não convocação do D`alessandro. Ficam dizendo q o Maradona não convoca a pimentinha quente deles pq se criou no River Plater. Fosse este o critério q o Maradona usasse, o Mascherano (este sim grande jogador) não seria convocado regularmente, e nem seria um dos xodós do técnico.
    *** INVENTEM OUTRA DESCULPA, PRA IRREGULARIDADE E INSTABILIDADE EMOCIONAL DO CRAQUE DE VOCÊS. ***

  • Fred Silveira diz: 11 de junho de 2009

    Olha como é o futebol:sábado o Diego inventou e ganhou,hoje entrou com o time certinho e perdeu,muito por culpa de seus atacantes,que perderam todos os gols possíveis e imagináveis.Meu primo argentino me pergunta se eu sei o motivo do Messi jogar na seleção deles muito menos do que joga no Barça,alguém já viu esse filme? eu já,hehehe.Apesar do calendário complicado,acho que a Argentina vai se classificar.Sou gremista,mas tanto o Guinazu qto o Dale poderiam figurar ao menos no grupo.Abraços!

  • Diego diz: 9 de junho de 2009

    Colorado comentando, é brabo…
    D`Alessandro não tem calma para ser um organizador da seleção, sabe pegar a bola, sair correndo e achar alguém.
    Verón enxerga mais o jogo e tem mais controle da bola…

    D`Alessandro é muito afobado ainda.

  • Fabio Henrique diz: 9 de junho de 2009

    Legal, o Veron jogando com pensador. Daqui a pouco o Maradona melhora ainda mais o time convocando o Batistuta. Basta ele brigar com o Messi.E pro gol podia chamar o Goycoechea, de 1990…
    Bah, tchê, o Maradona tá pior que o Dunga.

  • Cristian Oliveira diz: 9 de junho de 2009

    Eduardo, o Gallardo ou o Aimar não teriam chances nessa Seleção do Maradona? São mais experientes e jogam muito mais que o D`Alessandro. Fariam uma boa parceira com o Verón ali na meia cancha.

    Resposta do Cecconi: olá Cristian. Sobre o Aimar não sei te dizer, acompanhei poucas partidas dele nesta temporada. Mas o Gallardo acredito que não. Ele estava na reserva do River, em uma fase tipo a do Marcelinho Carioca no Santo André – com habeas corpus para se movimentar pouco, arriscar lançamentos e chutes de média distância. Acredito que, entre as opções que tu apresenta, a melhor seja o Aimar. Abraço!

Envie seu Comentário