Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ole, Fábregas!

15 de agosto de 2009 12

O velho conhecido 4-5-1 do Arsenal, com Fábregas circulando na região de articulação, e Van Persie-Bendtner invertendo as funções

Quem não viu, recomendo vasculhar a internet em busca de, pelo menos, um bom compacto de Everton 1 x 6 Arsenal. Hoje, o camisa 4 dos londrinos ensinou como joga um articulador nato. Fábregas comandou no gramado o abate do anfitrião Everton, como fazem os toureiros espanhóis nas arenas de areia.

Arsene Wenger manteve o sistema tático 4-5-1 que o caracteriza à frente do Arsenal. Também denominado por alguns analistas de 4-2-3-1, em função do desenho de meio-campo – dois volantes guarnecendo uma linha de três meio-campistas. Apesar dos desfalques, e do descrédito, em função das perdas no elenco e das raríssimas contratações, o Arsenal deve ter dado um grande salto nas casas de apostas britânicas após esta goleada histórica fora de casa.

No meio-campo, Wenger elegeu a dupla Denilson-Song, o primeiro à esquerda, o segundo na direita, para desempenhar o combate. Os dois volantes protegeram a linha defensiva, cobriram laterais, fecharam a frente da área e se revezaram no ataque. Denilson saiu mais, e marcou o primeiro – belíssimo – gol da partida. À frente deles, um articulador centralizado e dois wingers pelos lados. Um atacante fazendo o pivô. Nestas duas frases, com uma grande novidade.

Wenger contrariou a lógica e inverteu Van Persie e Bendtner. Com mais características para jogar pelo lado, embora já tenha sido atacante e organizador no Arsenal, Van Persie foi o atacante-pivô. E Bendtner, um centroavante de referência, assumiu a função de meia-extremo pela direita, com Arshavin na esquerda. Deu certo. O Arsenal apostou bastante nas viradas de jogo pelo alto, com Clichy e Arshavin acionando Bendtner, que de cabeça escorava para Van Persie.

Mas o maestro foi Fábregas. Embora vestindo a 4, o espanhol deu uma aula de como ser um camisa 10. Organizador nato, típico, tradicional, conforme manda o manual. Fábregas centralizou a articulação da equipe, pelo chão, com técnica, visão de jogo, e um elemento primordial para seu sucesso na função: o toque de primeira.

Fábregas parecia em um treinamento em campo reduzido. Brincou de não dominar a bola. Recebia e passava no mesmo toque. Prática que exige muita visão periférica para observar a movimentação dos companheiros. A visão periférica se caracteriza pela fixação do olhar em determinado ponto ampliando a percepção. Quem a domina, ao mesmo tempo olha para a bola e para o deslocamento dos companheiros. Antecipa, desta forma, a jogada que executará. Antes da bola chegar, sabe onde vai lançar. O que permite o toque de primeira. E para fazer isso, não pode ser comum. Tem que ser diferenciado. Tem que estar acima da média.

Quando a bola vinha dos volantes, Fábregas já acionava um dos wingers. Quando vinha dos lados, completava a inversão ou chamava o pivô de Van Persie. Sempre de primeira. Tocando e saindo para oferecer alternativa de retorno da bola. Sincronia de movimentos que desestruturou a marcação do Everton. Ninguém achou Fábregas. Que teve tempo ainda, apresentando-se para completar jogadas que iniciava, de marcar dois gols.

Outra boa credencial do Arsenal foi a bela apresentação do zagueiro belga Vermaelen. Impecável na zaga, e artilheiro na frente – fez um. Gallas e Eduardo, que saiu do banco, fecharam o placar. Embora com o mesmo sistema tático do ano passado, Wenger conseguiu dar uma revigorada no seu 4-5-1 com a inversão de Van Persie e Bendtner, e com a valorização de Fábregas no meio-campo.

Há um desconto. O Everton foi mal. Mas não se pode eximir de culpa um clube que aposta no “segundo escalão” do futebol mundial. Suas referências são um belga (Felaini), um sul-africano (Pienaar) e um australiano (Cahill). E quem escala o limitado Jô para ser o único atacante, convenhamos, está pedindo para não fazer gol.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (12)

  • Augusto diz: 16 de agosto de 2009

    Eu assisti esse jogo. Fabregas joga muito!!!
    ACORDA MEIRA!! TRAZ O FABREGAS!!!

  • Giovane diz: 15 de agosto de 2009

    Fabregas joga muito vi o jogo e fiquei impressionado com a visão de jogo do jogador espanhol, acho o arsenal um bom time se for bem organizado pode brigar pelo titulo do campeonato ingles não a unica coisa é que não entendo essa inversão do bendtner pelo van persie, acho esse bendter um jogador limitado seu ponto forte é o cabeceio, ja van persie é rapido e habilidoso e gosta de jogar pelas pontas, fergunson inverteu C.ronaldo e rooney na final da champions e deu no que deu

  • Alberto diz: 16 de agosto de 2009

    Cecconi, apesar da bela apresentação nao acredito que o Arsenal tem bala pra disputar o titulo, Bendtner é muito fraco(Ele ta jogando com a 52 essa temporada ?)e volantes de baixa capacidade. Eu escalaria esse time com o van Persie de Externo e o Eduardo como referencia quando estiver em plenas condições físicas, o que acha ? E também tem o garoto Wilshere que foi MUITO bem na pré-temporada(jogando pela meia direita) e o Capello ja deu pistas de convoca-lo para o English Team. Abraço.

  • V diz: 15 de agosto de 2009

    Fabregas deu show hoje. Nossa, jogou muito! Alem de tudo ele nao e um zero na marcacao e colabora muito para a defesa. Denilson esta se tornando a cada jogo um jogador completo. Um volante com uma tecnica invejavel.

  • fernando diz: 17 de agosto de 2009

    cecconi, tudo bem? vi tottenham vs liverpool hj, e me agradou o time dos spurs – claro, é um elenco médio, com alguma dificuldade ofensiva (keane em fim de carreira e os outros três que não são exatamente de 1a linha – apesar de eu achar o russo um jogador interessante). gosto muito do redknapp como técnico – simples, faz o q dá pra fazer e geralmente consegue equipes equilibradas… gostaria da opinião de um expert como vc…

    Resposta do Cecconi: olá Fernando. Vi o jogo tbm, o Spurs se armou no 4-4-2 em duas linhas, com dois belos wingers – Modric e Lennon. Mas é bom destacar que o Rafa Benitez continua estragando o Liverpool ao adiantar o Gerrard e fazer um 4-4-1-1 que isola o Torres. Abraços.

  • Nicolas diz: 15 de agosto de 2009

    Muito boa a análise. Olhei todo o jogo e foi por ai mesmo. O Fábregas em alguns momentos até parecia estar fugindo do jogo de tão rápido que passava a bola, um monstro! E a assistência que ele deu pro Denílson no primeiro gol foi nesse estilo. Recebeu a bola e imediatamente a tocou para o lado. … PS.: William Galas é o camisa 10, não o 20. PS2.: Como joga esse Vermaelen! Se manter as atuações terá sido uma ótima contratação por parte do Arsenal. No jogo não errou um bote sequer pelo que lembro

  • Yuri diz: 15 de agosto de 2009

    partima primorosa do fabregas mesmo, do arsenal em geral que continua jogando um futebol muito bonito e de toque de bola refinado (so eu achei meio barcelona?? lol)
    everton foi mal? na defesa achei que sim, bobeou nos 2 gols de cabeça, mas o time tentava.. trocava bons lançamentos e invertidas de campo (melhor que o palmeiras que vi hoje…), mas errava em seguir no meio. cesc, denilson, song e sagna faziam o combate imediato sufocando os toffees estilo barcelona. so acho que o saha é titular

  • Ramon diz: 16 de agosto de 2009

    A (má) supresa ficou por conta do Liverpool!

  • Thiago diz: 17 de agosto de 2009

    Are baba, o Fabregas deve ter ficado a semana assistindo videos do Veron e do Riquelme. Aí aprendeu como joga um jogador argentino nato, recebe e passa. Se continuar assim, vai ser titular da Espanha na Copa.

  • Allysson Barcelos de Lima diz: 16 de agosto de 2009

    eu trocariq o Bendtner pelo V.Persie nessa escalação aí, não acha que renderia mais Cecconi? Alias eu acho que o Titular la na frente deveria ser o Eduardo com V.Persie na ponta e Bendtner no banco. abraço

  • Daniel Seidel diz: 16 de agosto de 2009

    Qual será o segredo dos clubes espanhóis para formarem tantos jogadores de meio de campo tão qualificados? Além desse excepcional Fábregas, a Espanha conta com jogadores como Xabi Alonso, David Silva, o jovem Busquets, além é claro, de contar com do melhor volante e o melhor meia do mundo na atualidade, na minha opinião, que são Xavi e Iniesta.E nós aqui no Brasil temos que engolir jogadores como Gilberto Silva, Felipe Melo, Josué, Elano… Abraço à todos.

  • Tuiuan diz: 21 de agosto de 2009

    não acho o arsenal tão incrivel, os 6 a 1 sob o Everton dizem que o time é bom, mas o Everton teve uma das atuações mais ruins que já vi, personificado no Zagueirão Lescott, que tava mais com a cabeça no City que no Everton, e ainda pesa o fato de q como vc disse, tem o Jô no atk e sub-aproveita Fellaini, um baita volante d contenção e saída po jogo, botando ele + adiantado para atuar de 2º atacante por causa de sua altura. o Everton se reforçou muito pouco e deve ver a concorrência passar-los

Envie seu Comentário