Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Teremos um Grêmio inglês?

22 de agosto de 2009 32

Diagrama tático do Grêmio, na hipótese de se confirmar o 4-4-2 em duas linhas com Souza, Douglas Costa e Tcheco/Eduardo Cecconi

Como Autuori não descarta escalar simultaneamente Souza, Tcheco e Douglas Costa, sem abrir mão dos dois atacantes, não é absurdo pensar que o Grêmio pode adotar o 4-4-2 em duas linhas contra o Atlético-MG, neste domingo. Hipótese que já cogitei algumas vezes aqui no blog Preleção, e até certo ponto defendi para que fosse ao menos testada no Grêmio.

Talvez o Grêmio atue no 4-4-2 britânico. Souza e Douglas Costa seriam os meias-extremos da linha de meio-campo (chamados de “wingers” na Inglaterra por se posicionarem nas pontas da “asa” – “wing” em inglês). E Tcheco seria o jogador responsável pelo vai-vem, fazendo a transição da defesa para o ataque (também na Inglaterra, função conhecida por “box-to-box” – “área-a-área”, em inglês).

Souza e Douglas Costa reúnem as características clássicas exigidas pela tática individual do winger. São velozes, gostam de driblar e encarar a marcação individualmente, sabem cruzar e atuam preferencialmente pelo lado do campo. Tcheco também apresenta os requisitos básicos de um box-to-box: sabe marcar, tem inteligência tática, bom passe, visão de jogo, e capacidade de compreender a hora de cadenciar, e a hora de acelerar a saída de bola. E os três sabem concluir de média distância.

Autuori já estabeleceu um 4-4-2 que eu chamo de “quase-alinhado” no Grêmio. Mas Tcheco não se dá bem pelo lado, e com Adilson e Túlio centralizados, a única saída de bola é a passagem de Adílson, sem que ambos consigam fazer a distribuição de lado a outro. Na comparação com o 4-4-2 britânico, o time perde linha de fundo e aproximação pelo meio com os atacantes.

Com funciona a articulação neste sistema? Não há um articulador, um organizador, um “camisa 10″ como no futebol brasileiro tradicional. A organização é descentralizada. O time roda a bola de lado a outro, troca passes, busca espaços sem que alguém necessariamente seja o responsável pela orquestração. Gira de lado a outro da linha.

Há várias alternativas de movimentos ofensivos. A mais usual é o avanço dos meias-extremos pelos lados, para cruzar na área; outra é a inversão de lado destes mesmos meias-extremos, proporcionando as diagonais para o chute com o pé invertido (canhoto na direita, destro na esquerda); uma terceira possibilidade é o passe vertical do meia-central direto para o atacante girar e concluir; tem também uma quarta, o avanço dos meias-centrais para pegar a segunda bola na entrada da área; e tantas outras mais, certamente.

Bem, tudo isto na teoria, é lógico. O texto do blog aceita todas as minhas ideias. Restam saber duas coisas: se Autuori vai mesmo escalar este time, e distribuir estas funções para Souza, Douglas e Tcheco; e se nesta formação o Grêmio conseguiria aliar desempenho e resultado. Torço para que dê certo, por ser um admirador deste sistema e desta estratégia. Acredito que o Grêmio sentiria a falta de Maxi López, para a jogada aérea, para o pivô sobre a zaga – para praticamente todos os movimentos ofensivos. Ainda assim, tem boas chances de melhorar a produção da equipe.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (32)

  • Fábio diz: 23 de agosto de 2009

    Interessante a análise. Concordo que com Tcheco teremos mais qualidade e velocidade do que com o Túlio. Com certeza, nesta formação Máxi fará muita falta. Vamos ver o resultado e quem sabe manter este esquema.

  • Baldur diz: 23 de agosto de 2009

    O Tcheco não tem velocidade para fazer a jogada de lado.Mas me parece o jogador mais qualifidado no futebol brasileiro para fazer o box-to-box.Se as jogadas de linha de fundo aparecerem,será uma pena que o Maxi não esteja em campo…mas tomara que dê certo.Antes o time estava pesadão demais na transição para o ataque e dava tempo para o adversário se recompor,então a maior posse de bola acabava resultando em nada.Torço muito para que o Autuori tenha achado o caminho.

  • Leonardo diz: 22 de agosto de 2009

    O Grêmio até poderá sentir a falta de Maxi, mas não da para esquecer q temos El Ciclón PEREA hehe abraço Cecconi

  • Cecon diz: 22 de agosto de 2009

    Pra que funcione esse esquema o Tcheco tem de sair, além de lerdo e travado não vai aguentar o puxão, o Gremio precisa de um 2o.volante( MALDONADO) e tirar essa ingua do Jonas aí c/certeza nosso meio iria destroçar; ADILSON MALDONADO (dois marcadores lado a lado )PESSALI( o distribuidor,pensador do meio campo,encostando no Max),pela direita SOUZA e pela esquerda D.COSTA(cruzando e fechando os lados do campo)e M.LOPES. A defesa ideal VITOR MATIONE M.FERNANDES REVER E LUCIO.Não tem pra ninguém.

  • Bruno Henrique Stein diz: 22 de agosto de 2009

    Grande tática. Troque Perea por Maxi e Collaço por Lúcio e temos um time.

  • ALan diz: 23 de agosto de 2009

    Cara sempre leio os teus posts, e vejo essa tática parecidissima com o q o Estudiantes joga, com o Veron fazendo o q o Tcheco irá fazer? Ou estou equivocado? Alguns posts atrás, tu escreveu sobre o Veron. Olha acho q tem tudo pra dar certo, pois no Brasil ninguém joga assim, e qdo há algo diferente sempre tras resultados, espero q não sejam negativos, ehehe, pq tá braba a acoisa. Abraço e legal teus posts.

    Resposta do Cecconi: exatamente, Alan. O Estudiantes joga no 4-4-2 em duas linhas. E Verón é o box-to-box. Excelente comparação. Abraços.

  • Blog do Carlão – Futebol é nossa área diz: 23 de agosto de 2009

    Será que Tcheco tem gás para fazer este vai-e-vem contra o veloz Atlético-MG? Se bem que Verón, por exemplo, não é nenhum adolescente. Aliás, neste esquema Tcheco faria o papel que Verón faz no Estudiantes, correto?

    Resposta do Cecconi: fala meu bruxo. Certamente, Tcheco seria o Verón do Grêmio. Mas não vejo na intensidade física prerrogativa básica para esta função. Ela requer muito mais inteligência do que energia. Se tu analisar geograficamente, é um espaço curto de movimentação – de uma intermediária a outra, sem se deslocar pelos lados. Ele correria muito menos do que corre hoje atuando pelo lado do campo, ou se fosse eventualmente um volante cobrindo laterais. Abraços.

  • Matias Schuler Guenter diz: 22 de agosto de 2009

    Perfeito!!!

    Ja defendo essa ideia a muito tempo!!!
    Souza e Douglas aberto jogando em velocidade, Tcheco e Adilson vindo pelo meio!!!
    Com Lucio e Mattione nas laterais ficaria perfeito!!! Muita velociade, muita jogada de linha de fundo e Maxi empilhando gols!!!
    Leandro gosta de buscar jogo, encaixaria perfeitamente no esquema tb!!!!

  • Júnior Albuquerque diz: 23 de agosto de 2009

    Boa tarde, Cecconi. Também gosto dessa formação mas acho, não sei porque, que ele nao vai usar ela. Acho que ele vai ser o mesmo quadrado de sempre, só uma troca de peças. Pra mim o principal problema do Grêmio é a saída de bola. Perdemos muita posse de bola assim e sofremos “ataques desnecessários”, talvez com Tcheco recuado isso melhore um pouco. A única qualidade ofensiva do Adilson é que ele carrega bem a bola, o passe e a finalização não são elas coisas. O que tu acha? Abraço.

    Resposta do Cecconi: olá Júnior. Infelizmente, estás certíssimo. Autuori acaba de anunciar o time sem Douglas, e com Thiego. Nada de 4-4-2 em duas linhas. Abraços.

  • Gerson diz: 22 de agosto de 2009

    O AUTUORI DEMOROU 3 MESES PRA VER O QUE VENHO DIZENDO DESDE O TEMPO DO BURROTH.O BURROTH JAMAIS FARIA O CERTO PQ ESTÁ CONVENCIDO DO ERRADO!MAS AINDA PRO LUGAR DO DOUGLAS COMO WINGER PELA ESQ. MAIS CERTO AINDA SERIA A ESCALAÇÃO DO JADILSON.ALÍ ELE SERIA UM JOGADOR FENOMENAL!MAS OS CEGOS QUE TREINAM O GRÊMIO NÃO VEÊM!E NO LUGAR DO TÚLIO O MALHOR JOGADOR QUE TEMOS É O JOILSON.MAS OS CEGOS TAMBÉM NÃO VEÊM.MAS TEM QUE TER JOGADAS ENSAIDAS E INSISTIR NA CONVICÇÃO.FICAR MUDANDO A CADA JOGO É PRA CEGO!!

  • Rodrigo Mércio diz: 23 de agosto de 2009

    Os Wingers seriam os pontas de lança dos anos 70? Os meias que se aproximavam dos atacantes? Normalmente nos anos 70 havia pelo menos um ponta de lança em cada time,pois haviam ponteiro dir. e Esq. além do CENTROAVANTE.Com passar dos anos e com a falta de ponteiros os times começaram a usar 2 pontas de lança e um “falso ponteiro” que fechava o meio junto com o falecido centromédio. Não sei se estou correto. Dê um toque ou corrija a vontade.

    Resposta do Cecconi: olá Rodrigo. Não vejo os wingers como os pontas-de-lança. Até porque ainda reconheço jogadores nesta função. Para mim, Diego Souza é o maior exemplo de ponta-de-lança – ele avança pelo meio, arma e conclui, conduzindo a bola. Já o winger atua pelo lado. Para mim, esta é a diferença. Abraços.

  • fernando diz: 23 de agosto de 2009

    cecconi, excelente leitura dessa possibilidade. acho q existe uma séria de problemas na execução, mas me entusiasmo com a idéia de poder dar certo. ok, nossos zagueiros são meio saidinhos (nunca é assim no 442 britânico) e esperar q o tcheco (de quem sou crítico contumaz) faça o box-to-box é mais ou menos como jogar na mega-sena, mas realmente, na teoria, o time parece bem armado. imaginas o magrão no lugar do atual camisa 10? e as laterais? Contando com todo mundo, como escalarias? abs!!

    Resposta do Cecconi: contando com todos, incluindo Magrão e Lúcio, o time do Grêmio para mim teria Victor; Mario, Léo (R.Marques), Réver e Lúcio; Túlio, Magrão, Tcheco e Souza; Herrera e Maxi. Aí não seria em duas linhas. Abraços.

  • Rafael diz: 23 de agosto de 2009

    Bah, tomara que dê certo mesmo!
    Eduardo, não rola uma análise tua sobre o Avaí? Será que o treinador Silas é tudo isso que tão falando mesmo?

  • Fabio diz: 23 de agosto de 2009

    Também espero ansioso para ver esse esquema em campo, e também lamento apenas a falta do Maxi! Acredito que mantendo esta escalação e com um ataque de Leandro e Maxi pode-se ter um time muito competitivo. Abraço! Grande blog.

  • Wagner – Cecconi…me tiraste a palavra da boca…é isto mesmo q pensei..ñ toh gostando, Autuori, está bem + adiantado do que no BRio diz: 22 de agosto de 2009

    A maioria pouco entende, por + q tu, eu e + uns poucos frequentadores do teu blog, passemos falando, o mcampo em linha ainda ñ entrou na cabeça da maioria..só ouvi isto..”Autuori recuou Tcheco pra 2ª do mcampo”..d cara já me veio isto..é q jogando em linha os centrais ñ são exatamente volantes, na realidade Tcheco ñ será “recuado”, ele ficará alinhado c Sousa e Douglas..nesta função, Anderson joga, e Alex tb..em linha ñ tem esta, “uns defendem e uns armam”..tdos da linha defendem e tdos atacam..

  • Eduardo diz: 23 de agosto de 2009

    Achei ótima esta idéia do Souza e Douglas fazerem as fucções dos WINGLERS.Só não concordo com o TCHECO executar o BOX-TO-BOX,pois acho que não tem preparo físico para esta tarefa. Não seria o caso de colocar o ADILSON nesta posição?

    Resposta do Cecconi: olá Eduardo. Não vejo no Adílson saída de bola e conclusão de média distância para ser o box-to-box. Ele só passa da linha da bola, nada mais. É mais volante, e menos box-to-box, a não ser que se qualifique tecnicamente. Abraços.

  • Guilherme diz: 23 de agosto de 2009

    Cecconi, sempre leio teu blog, mas nunca comento. Concordo bastante com tuas analises. Sempre achei tambem, que o Gremio poderia jogar nesse esquema, e seria uma boa testa-lo, e agora, com a contrataçao do lucio, o lado esquerdo ficar bem agudo, com lucio, e douglas costa. Só faria uma modificaçao: Colocaria o herrera no lugar do jonas. Tambem, outra variaçao, seria, colocar o douglas no lugar jonas, e o lucio no meia esquerda, com o collaço na lateral pra fechar mais ali. O que achas?

    Resposta do Cecconi: olha Guilherme, talvez dê certo Lúcio como o “winger” da segunda linha, mas Douglas Costa no ataque, não. Eu confesso que não vi ele ainda produzir nada que “justifique a fama” no meio-campo – que é a dele…no ataque, então, passa em branco. Abraço.

  • Iuri diz: 22 de agosto de 2009

    Pensei a mesma coisa quando ouvi a notícia, acho que de tanto debaterem isso aqui!
    É legal como a abordagem do Preleção está elevando o debate e nos oferecendo um intrumental para pensar taticamente (pelo menos pra mim). Parabéns!

  • César Toni diz: 24 de agosto de 2009

    Acho que o Tcheco não aguenta box-to-box, ou pelos iria cansar muito e comprometer tanto ofensivamente quanto defensivamente. Talvez Maylson seria uma boa opção, visto que o garoto tem porte e passadas largas. Além disso, a inversão de lados entre Douglas Costa e Souza buscando a finalização de média distãncia ou o passo em profundidade também seria uma boa alternativa.

  • pacato diz: 24 de agosto de 2009

    Interessante! Parabéns, de novo.

  • Lucas Benvegnú Zambon diz: 25 de agosto de 2009

    Acredito que esta tática seria a ideal a ser utilizada hoje, com o elenco que o grêmio tem, inclusive com a ausência de laterais ofencivos no elenco. Tanto Collaço como Mario são bem mais defencivos que ofencivos, o que ao meu ver é algo bem interessante neste esquema.

  • Leandro diz: 22 de agosto de 2009

    Boa projeção Cecconi. Acho excelente o recuo de Tcheco, pois como meia armador falta a velocidade como requisito para ele. Mas se essa formção visa as jogadas pelos flancos, não acha que haveria alguma dificuldade com Bruno e Túlio atuando pelas laterais? Um abraço.

  • Igor Rossoni diz: 23 de agosto de 2009

    Caro Eduardo,

    confesso que sou um grande admirador do 442 inglês,mas estou um tanto preocupado com a sua implementação no Tricolor. Primeiro, o Time, com os três meias, tem que estar compactado, fazendo a marcação na frente, o que não vejo o Grêmio fazer nos últimos jogos. Segundo, o Tcheco me preocupa sem a gola, não é mais garoto, sendo que a marcação exige mto mais da parte física. Por fim, os atacantes devem segurar a bola, com esse ataque, vai ser complicado.

    Grande Abraço

    Igor

  • Leonardo sander diz: 23 de agosto de 2009

    Cecconi,será que o inter pode jogar assim, nestas duas linhas de quatro?com:Lauro,D.silva,Bolívar,Sorondo e Kléber;Sandro,Guiñazu,Giuliano e D`Alessandro;Edu e Alecsandro.Ou em um 4-5-1,com:Lauro,D.silva,Bolivar,Sorondo e Kléber;Sandro,Guiñzu,Edu(Giuliano),Taison, D`Alessandro e Alecsandro.O que tu acha?

    Resposta do Cecconi: olá Leonardo. Para mim, são duas variações possíveis. Abraços.

  • Giovani diz: 22 de agosto de 2009

    Bem pensado. acho que vai dar pé este 442. A propósito teria como fazer um post sobre o FIFA 2009? Acredito que taticamente é o melhor simulador de futebol hoje. Tu ia gostar de ver pois na edição de táticas tu pode até ajustar o que o Autuori chama de “balanço do time” momento em que o time se desloca lateralmente durante as inversões de bola do adversário. Tem a postura de pressão, meia pressão e espera do adversário. passes, etc. durante o jogo. é fantástico. Bota um post de fifa aí! Abraço

  • gustavo diz: 22 de agosto de 2009

    Concordo. Acho uma boa opcao. Douglas joga na sua suposta funcao de origem e o tcheco mais atras ajudando na marcacao mas ainda fundamental na armacao das jogadas – funcao de um segundo volante britanico mesmo, nao apenas defensivo como no brasil. Maxi fara falta e tulio, se saira bem?
    valeu

  • Tomir diz: 22 de agosto de 2009

    Pode ser a solução deste timo por que não tem como este time jogar como jogou domingo,o soyza não jogou o grêmio parou e quando o time parou puxou o santos pre cima assim vai ser diferente com tulio apoiando mais que um lateral e Douglas Costa Partindo pra cima e chamando a marcação, eu tenho a certeza qeu vai dar rsultado essa forma…Vamo Grêmioooooo

  • Beto diz: 22 de agosto de 2009

    Tomara que ele teste mesmo, eh o meu esquema favorito por “abrir” o campo. Fica muito dificil se defender contra esse sistema especialmente para os times com 3 zagueiros (como o atletico).

  • Bill diz: 22 de agosto de 2009

    Cecconi.

    Concordo, inclusive creio que quando Maxi voltar este seja o melhor esquema para o Grêmio (não pensei ainda no Grêmio com lúcio na lateral…), pois resolveria nosso problema de falta de cruzamentos decentes para nosso 9. Só acho que Tcheco não cabe neste esquema pela sua atual condição física e histórica lentidão para ser o box-to-box. Este homem poderia ser Adílson, retornando Túlio ao meio e fazendo uma primeira linha de 4 pouco faceira (já que como muit

  • roberto diz: 23 de agosto de 2009

    Boa tarde Eduardo, parabens pela colocação,eu concordo com você acho que o grêmio pode produzir mais com essa formação, não esquecendo de se reogarnizar rapidamente quando estiver sem a posse da bola,gostaria de ver esta formação, jogando fora de casa com o Maxi no lugar peréa.

  • Daniel diz: 24 de agosto de 2009

    Cecconi, muito bom texto, como sempre.

    Acho que apenas esqueceste de ressaltar que neste 4-4-2 britânico o sistema só funciona porque os atacantes voltam muito para ajudar em tarefas de marcação, coisa que os atacantes brasileiros, infelizmente, não aprendem como fundamento.

    O estudiantes é um ótimo exemplo, já citado, veja como os atacantes deles são participativos e “buscam o jogo” constantemente.

    Veja times ingleses jogando: Desde os tempos de Alan Shearer, ou mais, atacante marca!

  • Roberto diz: 23 de agosto de 2009

    Perfeito, Cecconi. Este sistema me agrada também porque oferece ótimas possibilidades de contra-ataque. Quando o Willian Magrão estiver preparado para voltar, pode jogar no lugar do Tcheco, com vantagens para o time, em função da juventude, maior poder de marcação e, embora inferior neste quesito, também ter boa saída para o jogo?

Envie seu Comentário