Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Fla aposta no resgate do camisa 10

13 de outubro de 2009 18

Diagrama tático do Flamengo

Com Cuca, o Flamengo atuava no 3-6-1. Sistema que, pelas marcações individuais das quais tanto já falei aqui, desorganiza-se facilmente, e prescinde do meio-campo para se articular. Nos 3-5-2/3-6-1`s brasileiros, a saída de bola qualificada se dá pelos lados, ou na bola longa. É difícil se encontrar um camisa 10. Um organizador.

Andrade assumiu o Flamengo, e aos poucos concluiu com mérito uma transição para o 4-4-2 praticamente convencional no Brasil. Dois volantes e dois meias ofensivos. E entre estes meias, um camisa 10. Um organizador. Um articulador à moda antiga. Aquele jogador que faz a equipe pensar. O cérebro.

Petkovic veste a camisa 43, mas no Flamengo ele é o 10. Atua de maneira centralizada, recuado em comparação aos volantes adversários, para ter espaço e tempo de observar, analisar, pensar, decidir e agir. É ele quem movimenta todos os grupos táticos do Flamengo, com lançamentos, passes curtos, viradas de jogo, e principalmente diagonais pelo chão para os atacantes.

Esse post não é uma análise específica de Petkovic. Mas sim uma referência ao meia com característica de articulador. No 3-5-2/3-6-1, é mais importante o meia ser um ponta-de-lança, um definidor, que pega a “bola quebrada” pelo atacante que recebe a ligação direta (segunda bola) e chega de frente para concluir. Outros sistemas, como as duas linhas ou o 4-5-1 europeu preferem meias de velocidade para jogar pelos lados. Mesmo quando um jogador reúne as características que o definem como o camisa 10, esta tática individual é pouco utilizada, e ele acaba desempenhando outra função.

No Flamengo, um clube que deveria ser proibido em estatuto de jogar no 3-6-1 – porque reúne a aura de uma escola de futebol, como a Holanda e o Barça no 4-3-3, a Inglaterra no 4-4-2 em duas linhas – o camisa 10 é imprescindível. É assim que o Flamengo historicamente joga. Provavelmente, os meias formados na base sonham em vestir a 10 do Zico e atuar como cerebrais organizadores. Andrade, que jogou ao lado do Zico, sabe que não dá para abdicar desta figura.

O Flamengo tem uma tradição tática. É o 4-4-2, com um camisa 10. Andrade foi coerente com a história do clube, e está obtendo êxito ao apostar em Petkovic para a função. Essa organização central beneficiou ainda Zé Roberto, que aprendeu a atuar como um segundo atacante de pé invertido na diagonal para o meio. E o time está longe de ser “faceiro”, afinal, os laterais apoiadores Leo Moura e Juan contam com a guarnição de dois volantes pegadores, e ainda com o auxílio do meia Everton.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (18)

  • antonio diz: 13 de outubro de 2009

    Será que ele está jogando muito, ou os marcadores que não estão sabendo marcar? Até o Ronaldo pesadão faz o que quer com os marcadores.

  • Emerson diz: 14 de outubro de 2009

    Mas isso só foi possível com a chegada do Pet. Antes o Cuca jogava no 3-6-1 e sem um camisa 10 pq ele não existia (contrariando a tradição do Fla). Assim, com a chegada do Pet é que foi possível montar esse esquema.

  • Filipe Nunes diz: 14 de outubro de 2009

    É um alívio ver um time deixar os esquemas com marcação individual e 3 zagueiros e ganhar um armador ou volante a mais no meio-campo.

    Cecconi, os técnicos usam 3 zagueiros e alas pq não têm mais “cérebros” em seu time ou existem poucos “camisas 10″ pq usam 3 zagueiros?

  • Tuiuan Almeida Veloso diz: 13 de outubro de 2009

    Cecconi, inverte o Everton e o Juan, no jogo contra o São Paulo, o próprio Andrade afirmou que o Juan era meia

  • Paulo Colorado do DF diz: 13 de outubro de 2009

    Assisti ao jogo do Fla, antes do desastre do Inter contra o CAP. O Pet comandou de forma consciente a virada do Flamengo, sempre incentivado pela torcida, e com muita raça dos jogadores, que se desdobraram em campo e mataram o SP. Fiquei com inveja da disposição dos caras, pois não vejo a mesma atitude no colorado.

  • Anderson Fraga diz: 13 de outubro de 2009

    Tanto é que é o time mais organizado e competente das últimas rodadas…

  • Fabio M diz: 13 de outubro de 2009

    Cecconi, você não acha que os meias-centrais do esquema 4-2-3-1, como Gerrard no Liverpool, podem exercer essa função de “camisa 10″?

    Sei que o Gerrard rende melhor ao atuar de meia-central num 4-4-2, mas visto ser este o esquema preferido do Benítez, ele poderia exercer essa função. Isso se não for “exilado” no ataque como tem acontecido recentemente.

  • luiz diz: 14 de outubro de 2009

    Li q o MS quer os melhores jogando. Qdo. tiver todo mundo à disposição, os melhores: Lauro, Bolaños, Bolivar(ld direito), Sandro(líbero), Eller(ld esquerdo) e Kleber. Guina, Giuliano e Andre. Dalle e Alecssandro. Sairia um zagueiro e colocaria o Sandro no lugar. Tem altura, sabe sair jogando e sabe defender. Testaria o Bolaños(tem velocidade e sabe jogar) na ala direita. Giuliano, no meio, rende mais. Atualmente, na minha modesta opinião, esses são os melhores. Demais, um banquinho!

  • borracho diz: 14 de outubro de 2009

    Bah, e pensar q o Petkovic poderia ter vindo de barbada pro Gremio, ninguem acreditava mais nele (alem disso o Gremio ja apostou em coisa pior..). Alguem q acompanha os jogos do Flamengo sabe como esta indo o Maldonado?

  • daniel diz: 14 de outubro de 2009

    o jogo contra o sao paulo mostrou que o time sabe se postar taticamente nao se desesperou com o gol sofrido , injustamente já que o sao paulo nao atacava e se defendia , incrivel mais parecia o jogo contra o liverpol.
    o pet nao marca nem faz sombra , ele é o tipico camisa 10 … com atacante inteligente ele enfia uma bola atras da outra .

  • Elias diz: 14 de outubro de 2009

    Oi Eduardo! Tu não achas que o Grêmio deveria jogar nesta formação, com o Tcheco sendo o 10 e o Souza no lugar do Everton???

    Resposta do Cecconi: seria uma boa pedida, quem sabe no futuro o Autuori não tenta. Abraços.

  • Roberto diz: 14 de outubro de 2009

    Cecconi, o Tcheco é o jogador gremista com as melhores características de armador. No entanto, joga de meia que abre pela direita. O time não teria melhores possibilidades se ele jogasse de 10? Afinal, embora lento, sabe fazer a bola andar e ler o jogo.

  • Leonardo diz: 13 de outubro de 2009

    Assim como no Grêmio está se quebrando a tradição histórica do time aguerrido. Seja em 442,352, sei que não concordas Cecconi, mas em qualquer esquema o Grêmio tem que ser aguerrido. DEVERIA ESTAR ESCRITO NO ESTATUTO.

  • daniel diz: 14 de outubro de 2009

    o jogo contra o sao paulo mostrou que o time sabe se postar taticamente nao se desesperou com o gol sofrido , injustamente já que o sao paulo nao atacava e se defendia , incrivel mais parecia o jogo contra o liverpol.
    o pet nao marca nem faz sombra , ele é o tipico camisa 10 … com atacante inteligente ele enfia uma bola atras da outra .

  • França diz: 13 de outubro de 2009

    Pois é, e pensar que os cerebrais doutores dirigentes do tricolor da Azenha, com suas vastíssimas experiencias em ir do nada a lugar nenhum, não viram que Pet, Marcelinho Paraíba, Paulo Bayer, etc., estavam à disposição, e o que é pior, com os 2 últimos oferecendo suas experiencias e qualidades ao clube e sendo recusados.
    E pior ainda, arrumaram uma Prima Donna européia para atuar como técnico.
    Larguei!!!!!

  • Michel Costa diz: 14 de outubro de 2009

    Salve, Eduardo. Olha, respeitosamente, gostaria de fazer algumas observações no esquema rubro-negro. Na verdade, o Fla começou a partida num 4-2-3-1 com o Zé Roberto pela direita, o Pet pelo meio e o Juan na esquerda. No 2º tempo, Juan foi sacado (voltava de contusão) e com a entrada de Toró, o time da Gávea passou a jogar num 4-3-1-2, com Willians, Maldonado e Toró atrás de Pet e com Zé Roberto pela esquerda e mais adiantado, como um segundo atacante mesmo. Abraço.

    Resposta do Cecconi: olá Michel. Na verdade esse post não fala especificamente sobre o jogo com o São Paulo, tanto que o Adriano está no time. Fiz um dia grama com base em jogos anteriores. Este contra o SP eu não assisti. Se Andrade fez essas alterações táticas, sempre mantendo o Pet centralizado, mais ainda confirma a lógica da valorização do organizador no pensamento do técnico do Fla. Abraços.

  • Alberto diz: 14 de outubro de 2009

    Cecconi, o Posicionamento do Willians e do Everton estão errados, o Everton joga na faixa esquerda do meio campo e o Willians pelo lado direito. Ví o meio Campo do FLA sábado como um Diamnond, tanto que o Everton trocava constantemente de posição com o Juan e o Willians apoiava muito pelo lado direito. Zé Roberto jogando de atacante mesmo, pelo lado esquerdo. E Petkovic armando pelo meio. A meu ver esse diagrama que você montou está incorreto. Abraço.

    Resposta do Cecconi: olá Alberto. Vou te responder a mesma coisa que falei para o Michel. Na verdade esse post não fala especificamente sobre o jogo com o São Paulo, tanto que o Adriano está no time. Fiz um dia grama com base em jogos anteriores. Este contra o SP eu não assisti. Se Andrade fez essas alterações táticas, sempre mantendo o Pet centralizado, mais ainda confirma a lógica da valorização do organizador no pensamento do técnico do Fla. Abraços.

  • Ademir Neissinger diz: 13 de outubro de 2009

    Edu, esse esquema do FLA nao seria quase um 4.2.3.1? uma vez que Everton pela direita e Ze Roberto pela esquerda combinam com os otimos laterais Juan e Leo Moura? Tendo o Pet a incombência de “fluir” o jogo pelo meio, e em willians e maldonado dois cães de guarda da defesa!? Gosto muito de ver o Flamengo jogar ultimamente, o time é qualificado, se tivesse estrutura estaria brigando pelo titulo! Que você acha?

    Resposta do Cecconi: Ademir, acredito que o Zé Roberto está atuando em uma faixa mais adiantada em comparação com o 4-5-1. Por isso eu o caracterizo como atacante. Abraços.

Envie seu Comentário