Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Rigidez germânica no Borussia Dortmund

30 de outubro de 2009 7

Diagrama tático do Borussia Dortmund

Há muito eu não assistia a jogadores tão obstinados em manter o posicionamento inicial. Hoje o Borussia Dortmund bateu o lanterna Hertha Berlim na Bundesliga utilizando-se de um 4-4-2 em duas linhas com táticas individuais extremamente ortodoxas. Uma equipe que aplica a natural rigidez germânica à estratégia de jogo.

O Borussia atua no 4-4-2 em duas linhas, mas com dois laterais fixos à base defensiva. Tanto Owomoyela na direita quanto Dede na esquerda apoiam pouco. Preferem seguir ligados às suas zonas delimitadas, mesmo que a equipe tenha a posse de bola. A linha de defesa poucas vezes se desfaz.

Na segunda linha, acontece o mesmo com os volantes. Sahin e Bender priorizam o combate e movimentam-se mais na caça ao adversário do que na saída de jogo. Formam com os zagueiros e os laterais-base um bloco defensivo de seis jogadores rigidamente posicionados.

A situação sobrecarrega os wingers – Tinga na direita, e Valdez na esquerda. Hoje, Tinga ficou no banco para Blaszczykowski, mas conferi as fichas e os Heat Maps das rodadas anteriores, e o ex-jogador de Grêmio e Inter atuou mais vezes do que o concorrente. Notem que Tinga não é um apoiador central, posição que o consagrou na dupla Gre-Nal, pelo vigor empregado no vai-vem, na marcação e na armação.

Apesar da sobrecarga, o Borussia tem equilíbrio. Na estatística de hoje, a equipe variou as jogadas em pouco mais de 30% para cada lado, e o restante para o meio. A estratégia principal é utilizar os wingers no abastecimento dos dois homens de área: Barrios e Zidan.

Lucas Barrios é aquele mesmo que se destacou pelo Colo-Colo recentemente. Joga muito. Ele e Zidan são jogadores que se movimentam, e se revezam na área. Combinam as duas características. E o Borussia os procura insistentemente.

Mas a rigidez é tanta que, curiosamente – ou então, não por acaso - os dois gols do Borussia sairam de bola parada. Sem criatividade para variar taticamente, e muito obstinado em seguir à risca o posicionamento inicial (o que restringe a movimentação) o Borussia marcou em um pênalti, e uma cobrança de lateral.

Não sei se Tinga vai recuperar o lugar no time titular, nem se ele seguirá atuando como winger. Mas como esta foi uma das únicas partidas disputadas hoje, e há esta curiosidade – uma nova função para Tinga – achei interessante trazer o Borussia Dortmund ao debate no blog Preleção.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (7)

  • Gilmar Merlo diz: 31 de outubro de 2009

    Faz um análise do Cruzeiro de Adilson Batista líder do segundo turno.
    Tambem acho que se encaixaria no 4-4-2 britânico e até no 4-4-1-1, no primeiro, Guerrón e Gilberto como Winger, M. paraná e Fabrício como meias centrais, fazendo o box-to-box; e no segundo Gilberto como meia com a posse de bola (seria o Giggs hoje no Man. Utd), Abraços ai Cecconi curto muito seu blog.

  • Gustavo F. Barbosa diz: 31 de outubro de 2009

    Interessante observar o comprometimento tático dos jogadeores europeus. Não defendendo o sistema, não criticando, apenas achei por bem citar. Muitas vezes falta isto aos jogadores que atuam no Brasil, maior comprometimento estratégico. Gostei do post, abraço.

  • Floriano diz: 31 de outubro de 2009

    Tite fazendo escola!!

  • Emerson diz: 3 de novembro de 2009

    Esse Zidan, que apareceu na Copa das Confederações joga muita bola. É bom saber que o Tinga continua bem. E o Dedé, como está seu desempenho?

  • gremista da palhoça diz: 31 de outubro de 2009

    Esta visão leva em consideração a questão tática de forma estrita, mas tem-se que aliar aí o planejamento, que abrange um campeonato em seus dois turnos. A lição tática necessariamente só pode começar pela rigidez, para depois partir para as variações de forma paulatina. Acho fundamental uma administração disso, no sentido em que um time deve manter um crescimento contínuo dentro do campeonato, atingindo o seu ápice apenas na reta final. Eu não vejo ninguém com esta abordagem por aí.

  • mauricio burmann diz: 31 de outubro de 2009

    eduardo, desde o ano passado tento comprar uma camiseta da borussia e não consigo, vc teria uma indicação de comom proceder?

  • Cléber Farias diz: 31 de outubro de 2009

    Boa tarde Cecconi!

    Interessante este posicionamento do Tinga, porém ele se caracterizou por ser um box-to-box e acredito que se o mesmo tivesse a característica do chute jogaria até na Seleção Brasileira. O que voc~e acha Cecconi?

    E outro aasunto eé se você irá participar do 5º Ciclo de Palestras no Futebol, organizado pelo Professor Márcio Corrêa, que irá ocorrer no colégio Anchieta? Eu e meu pai iremos se pudermos nos encontramos la para trocar umas idéias.

    Abraços,

Envie seu Comentário