Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O 4-3-3 pelos lados do Schalke 04

07 de novembro de 2009 2

Diagrama tático do Schalke 04

Hoje no empate fora de casa com o Bayern em Munique (1 a 1) o Schalke 04 atuou em um clássico 4-3-3. Mas com um detalhe: mesmo com dois articuladores, a estratégia do clube alemão foi jogar pelos lados.

No posicionamento inicial, os dois meias ofensivos formaram com o volante defensivo um triângulo alto. Matip. no vértice baixo, guarneceu a defesa, centralizado à frente da linha de quatro. Rafinha, pela direita, e Moritz, na esquerda, formam a linha de articuladores, completando o setor.

Mas Rafinha abre pelo lado, somando-se ao atacante Farfan e ao lateral Höwedes. Na esquerda, acontece o mesmo com Moritz, o atacante Sanchez e o lateral Schmitz. Acredito que a estratégia tenha pelo menos duas justificativas.

A primeira: o Schalke conta com um centroavante de área – Kevin Kuranyi. Triangulações pelos lados são essenciais para abastecer o “camisa 9″ com cruzamentos e aproximações. E a segunda: hoje o Bayern atuou no 4-4-2 em duas linhas.

Rafinha e Moritz abrindo o triângulo sem a posse de bola formavam um paredão compacto, com o recuo de Sanchez e Farfan, a partir da intermediária defensiva. O Bayern teve quase 70% de posse de bola, mas criou pouco. E na estratégia de abrir o jogo, os contra-ataques do Schalke sempre encontraram espaços mal-ocupados pela defesa anfitriã. Um com o controle da bola, sem objetividade; outro sem a posse, mas incisivo.

O interessante da análise sobre o Schalke é ver que há uma diversificação de sistemas táticos na Bundesliga. Já vimos o Hamburgo em duas linhas, o Bayern com um confuso 3-6-1 (e hoje foi duas linhas), e o Borussia em um 4-4-2 extremamente ortodoxo. Entre todos, assistir a uma equipe no 4-3-3 sempre nos permite imaginar que a inversão da pirâmide levando todos para trás ainda encontra resistência.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (2)

  • Filipe Nunes diz: 8 de novembro de 2009

    Faltou explicar essa última frase (que deve ser inspirada no livro do Jonathan Wilson).

    Não vi o jogo, mas pelo que vc escreveu as funções de Farfan e Sanchez me lembram as desempenhadas por Dentinho e J. Henrique. Atacantes com a bola (4-3-3), sem a bola se alinham com o meio-campo (4-5-1).

  • Lucas Benvegnú Zambon diz: 8 de novembro de 2009

    Cecconi, Não sei se tu concordas comigo, mas acho essa tática 4-3-3 uma variação bem próxima ou 4-5-1, a única diferença é o posicionamento dos “wingers” ou atacantes de ponta. Certo?

    Resposta do Cecconi: mudam algumas coisas como o posicionamento inicial – atacantes no 4-3-3 jogam a partir de uma ou duas linhas à frente dos meias no 4-5-1; tem ainda aspectos das funções (incluindo quem marcar, e como marcar). Sem contar que os atacantes fecham mais para a área que os wingers. Abraço.

Envie seu Comentário