Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

River Plate, o corajoso uruguaio

13 de novembro de 2009 10

Diagrama tático do River Plate uruguaio

Não é fácil hoje sustentar-se no 4-3-3. São raros times. Alguns poucos na Itália, como o Napoli. Na Inglaterra o Aston Villa chega à esta variação. Na Espanha, o Barcelona. Na Alemanha, o Schalke 04. O Corinthians venceu a Copa do Brasil neste sistema, embora muitos vejam nele o 4-5-1 (ou 4-2-3-1). E no Uruguai, o responsável pela “coragem” tática em meio à avalanche de defensivismo é o River Plate.

Ontem, contra a LDU, o River Plate jogou no mais legítimo 4-3-3. E com uma formação de meio-campo muito parecida com a do Napoli. Não há um desenho de triângulo, como no sistema original. Os meias posicionam-se alinhados, logo à frente do quarteto defensivo. Logo não. Muito à frente.

Dessa forma, o River Plate abre a articulação pelos lados. Conta com o apoio dos laterais e de seus meias que atuam lateralizados. As duas duplas se aproximam dos atacantes. Formam triangulações ofensivas muito incisivas, com constante movimentação, inversões, passagens em diagonal, sempre procurando espaços de forma inteligente. Vale lembrar que toda a teoria tática do futebol se baseia na ocupação de espaços. Faz bem este papel o River.

Na frente, o destaque é o corta-luz. O centroavante Puppo praticamente não toca na bola. Ele concretiza um pivô diferente. Recua, mas sem segurar a bola na parede. Passa boa parte do jogo fintando com o corpo, saindo da bola, abrindo as pernas para a passagem dos passes, sempre procurando beneficiar algum companheiro que faça a diagonal no espaço criado quando recuou trazendo um zagueiro. Foi ho show de corta-luzes. Perdi as contas, mas passou de dez.

Mas o River, com três atacantes muito avançados, três meias ofensivos, e laterais apoiadores, pratica este 4-3-3 corajoso às custas de muita abnegação. Os jogadores do River correm o tempo inteiro. Preocupam-se em, na transição da posse para a perda (contra-ataque adversário) reagrupar as linhas rapidamente. Compactar, tirar espaços, retornar ao posicionamento original.

No segundo tempo, muitos deles – exaustos – caíam vitimidos pelas cãibras. Foi uma atuação de exceção. Tática, pela postura ofensiva rara no futebol sul-americano. Técnica, pelas triangulações recheadas de corta-luzes, toques curtos, infiltrações com bola no chão, e física. Valeu a pena parar para assistir.

Vale lembrar que tem o jogo da volta, no Equador, e a LDU passa pelo saldo qualificado com um simples 1 a 0, depois de levar 2 a 1 do River no Centenário. Mas torcerei para que o pequeno time uruguaio resista à altitude e novamente seja corajoso.

*Por estar envolvido em várias atividades, não pude fazer anotações no jogo de ontem. Guardei tudo na memória. Portanto, se houver algum equívoco na numeração ou na disposição de algum atleta, conto com o auxílio de vocês para agregar informações ao debate.

Postado por Eduardo Cecconi

Comentários (10)

  • Leonardo sander diz: 14 de novembro de 2009

    Para mim o inter poderia jogar no 4-3-3/4-5-1, com: Muriel;Arilton,Bolivar,F.Eller e Kléber;Sandro,Guiñazu e Giuliano(fazendo mais ou menos o faz o Verón no Estudiantes);Marquinhos(fazendo a diagonal),Léo(fando mais ou menos o q este centro-avante do River plate-URU faz)e Edu(fazendo a diagonal e invertendo a posição com o marquinhos e vice-versa).
    O Que tu acha Cecconi?

  • jonathan diz: 14 de novembro de 2009

    O inter deveria se envergonhar!! Deveriam colocar todos os jogadores do inter pra olhar esse time jogar! É uma aula de superação, vontade de jogar e de ganhar!!
    Futebol é isso!!! Abaixo as retrancas! E viva o futebol bem jogado ofensivo!
    É a prova de que a coragem de ganhar vale a pena!
    E que o medo de perder é ridiculo.

  • Lucas Ritzel diz: 14 de novembro de 2009

    Só a titulo de curiosidade. O zagueiro Ronaldo é gaúcho de Osório e jogou no Esportivo no Gauchão de 2008.

  • INTERminável COLORADO diz: 14 de novembro de 2009

    GOSTARIA DE VER MEU INTER JOGAR NESTE SISTEMA 4-3-3. LAURO/ BOLIVAR-SORONDO-ELLER-KLEBER/ SANDRO-GUIÑAZU-GIULIANO / EDU-ALECSANDRO-DALESSANDRO ; VARIANDO PARA UM 4-4-2 OU 4-5-1; TERÍAMOS MARCAÇÃO NO MEIO SEGURANDO OS DOIS VOLANTES E HAVERIA ARTICULAÇÃO DO MEIO PARA O ATAQUE. É ISSO. O RIVER JOGA SEMPRE EM DIREÇÃO AO GOL, É VERTICAL, PORÉM, ERRA MUITO NO ÚLTIMO PASSE, DANDO CONDIÇÕES AO CONTRA ATAQUE ADVERSÁRIO. FOSSE UM TIME MAIS TÉCNICO E SERIA UM BELO TIME…

  • bruno diz: 14 de novembro de 2009

    mt boa a analise
    acho q por causa dos “corta-luz” de puppo e q cordoba tem feito tantos gols

    a estrategia e clara, o puppo recua atraindo um zagueiro e o cordoba avança nesse espaço vazio…

  • Pedro Souto diz: 15 de novembro de 2009

    Faltou citar o mentor disso tudo. Juan Ramon Carrasco, com seu “tique tique”, é aventureiro, mas vem surpreendendo a todos no Uruguay.

  • Lucas Benvegnú Zambon diz: 14 de novembro de 2009

    Hj ou ontem, o Felipão comentou que a tática preferida dele é o 4-3-3 por incentivar a qualidade individual. Eu, particularmente, também gosto desse esquema quando se tem jogadores rápidos e habilidosos no ataque. E um dos motivos de eu gostar desse esquema é que proporciona variações simples e eficientes. Tu concordas??

    Resposta do Cecconi: Lucas, eu acho que o Felipão está de sacanagem. Se ele diz isso, porque NUNCA jogou no 4-3-3…hehehe…dizer não adianta, tem que fazer. Eu gosto deste sistema sim, segundo o Mourinho é o que proporciona a melhor ocupação de espaços. Abraços.

  • Walter diz: 16 de novembro de 2009

    Cecconi, se tu te recordares o técnico deste River(Carrasco) foi treinador da seleção Uruguaia e no jogo da eliminatória passada aqui no Brasil teve a ousadia e coragem de atacar nossa seleçao e ir para cima no 1º tempo. Pela qualidade de nossos jogadores levou 2 de conta-ataques. NO 2ª tempo fez alteraçãos táticas e conseguiu o empate. É considerado um técnico meio maluco no Uruguai mas ousadia e coragem é com ele mesmo.( E foi um excelente meia armador, jgou na seleção no Mundialito do Uruguai

  • Francisco Szydloski diz: 20 de novembro de 2009

    Faz um favor!? Analisa agora a goleada tomada de 7 a zero, hehehehhe.
    Mesmo!! Me surpreendi com a falta de pressão exercida pelo River uruguaio…

  • Nicolas diz: 21 de novembro de 2009

    Futebol ofensivo sempre eficiente. Esse 7×0 foi um golpe de azar, hehehee.

Envie seu Comentário