Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O Wolfsburg que Réver vai encontrar

29 de janeiro de 2010 8

Hoje o Wolfsburg, futuro time do ex-zagueiro gremista Réver, empatou com o Hamburgo – 1 a 1, pelo Campeonato Alemão. Excelente oportunidade para falarmos sobre esta equipe que no ano passado conquistou seu primeiro título da Bundesliga, mas que nesta temporada enfileira maus resultados.

O Wolfsburg atua no 4-4-2, com meio-campo em losango. A estratégia aplicada a este sistema tático, entretanto, é bastante defensiva. Josué, primeiro vértice da figura geométrica, joga poucos metros adiante da linha defensiva. Ele se posiciona centralizado na intermediária, movimenta-se pouco, atendo-se exclusivamente à proteção dos zagueiros, e à cobertura das diagonais ofensivas dos adversários. Na linha defensiva, os laterais também apoiam pouco.

Com cinco jogadores prioritariamente defensivos, o Wolfsburg sobrecarrega os meias criativos. Na segunda linha do losango, Gentner e Hasebe abrem pelos lados. Eles reprisam os carrilleros argentinos, ou os box-to-box ingleses, como é comum nos 4-4-2′s em losango: sem a bola, marcam e combatem no auxílio ao volante central; com a bola, apoiam pelos lados e tentam chegar na área adversária.

Misimovic é o cérebro da equipe, praticamente abandonado na tarefa de distribuir as jogadas. Na frente do articulador do Wolfsburg, há uma dupla que beirou a genialidade na temporada passada: o brasileiro Grafite à direita, e o bósnio Dzeko à esquerda. Sou grande fã de Dzeko. Ele e Grafite aliam força física e tempo de bola para as disputas pelo alto - como centroavantes, e velocidade, explosão e técnica para as jogadas que partem de fora da área para dentro - como atacantes de movimentação.

Réver deve rivalizar por posição com o italiano Barzagli, que atua pelo lado esquerdo – assim como Réver e, portanto, é quarto zagueiro. Barzagli é considerado o herdeiro de Cannavaro na seleção Azzurra. Faz 29 anos em maio, e além do Wolfsburg – onde atua desde 2008 – já passou por Chievo e Palermo. É um jogador técnico, assim como o ex-gremista: em 19 jogos na Bundesliga 2009/2010, levou apenas dois amarelos, e nenhum vermelho. Mede 1,86m e pesa 79kg. Estava no grupo campeão mundial da Itália na Copa de 2006.

Além de se preparar para a disputa com um jogador de certo prestígio na Europa, Réver precisa estar atento para algo ainda mais importante: ele será muito exigido. O posicionamento inicial dos jogadores, e a estratégia aplicada ao 4-4-2 em losango, fazem do Wolfsburg uma equipe muito recuada e defensiva. Desta forma, é natural que o adversário tenha mais posse de bola, e consequentemente crie muitas chances de gol.

No empate de hoje, o Wolfsburg teve apenas 30% de posse de bola. Passou 70% do jogo sendo atacado. A bola passa muito tempo no campo do atual campeão alemão. Réver precisará, caso ganhe a disputa com Barzagli, atuar em estado de alerta constante. A bola vem por cima, por baixo, por todos os lados. Talvez esta estratégia explique a má fase da equipe na Bundesliga: quem atrai o adversário e abre mão da posse de bola corre o risco de perder pela insistência.

Afinal, a melhor maneira de frear um adversário é manter a posse de bola, e não esperar por ele.

Comentários (8)

  • Maicon diz: 29 de janeiro de 2010

    Primeira vez que leio sua coluna sobre análise tática.
    Fiquei pasmo, voce faz uma leitura muito boa taticamente.
    Essa estrutura de time me lembrou muito à do Inter do ano passado com Magrão e Guina no meio, formando o meio em losango.
    Ótimo texto, parábens.

  • O Wolfsburg que Réver vai encontrar – clicEsportes | News News News diz: 30 de janeiro de 2010

    [...] Mais: O Wolfsburg que Réver vai encontrar – clicEsportes Posted by admin on jan 30th, 2010 and filed under Esportes, News. You can follow any responses [...]

  • Marcelo Padilha diz: 30 de janeiro de 2010

    Ótima análise Cecconi, entretanto o fato do Wolfsburg ter jogado como VISITANTE contra uma das sensações da Bundesliga esse ano e um adversário melhor colocado na tabela não faz dessa análise uma estratégia adotada ao invés de um padrão de jogo ? Abraços

  • Edson Filipe diz: 30 de janeiro de 2010

    Ele pode atuar como 1º volante também, como já fez algumas vezes no Grêmio.

  • Yuri diz: 30 de janeiro de 2010

    É cecconi meus temores se confirmaram e sinceramente não assisto mais jogo do grêmio até que tragam um treinador de verdade estou mais que cansado de 3-5-2 e 3-6-1 isso é esquema de time pequeno e treinador pequeno eu sinceramente entrego as todas as fichas o grêmio esse ano não ganha nada enquanto o silas for treinador e eu não perco mais meu tempo com o time enquanto o mesmo ainda for comando por ele um abraço e estou bastante triste mais me vejo sem saida não suporto mais a falta de futebol que estão implantando no grêmio é so chutão um abraço e desculpe o desabafo

  • Cauê diz: 30 de janeiro de 2010

    “…atua pelo lado esquerdo, portanto é quarto zagueiro…”. Nada a ver uma coisa com a outra.
    Resposta do Cecconi: Caue, então procura ler mais sobre o assunto. O termo quarto-zagueiro refere-se ao primeiro jogador que se tornou, obviamente, um quarto jogador na linha defensiva. Foi recuado do meio-campo PELO LADO ESQUERDO. E, desde então, o zagueiro da esquerda no Brasil é chamado de QUARTO-ZAGUEIRO, e o da direita, de ZAGUEIRO CENTRAL – porque ele ficava no meio antes do recuo do 4º. Contra os fatos não dá para brigar.

  • MARCOS diz: 31 de janeiro de 2010

    Quando tu vai falar sobre o novo esquema do inter com o Fossati???
    Estou esperando! moro no mt e não tenho muitas informações sobre
    a nova cara do inter, gostria de saber…
    Obrigado!
    PS: pra não perder a corneta: do grêmio com o silas tu já falou, e bastante!!

  • Emerson diz: 1 de fevereiro de 2010

    Acho que o rever vai se dar bem no futebol alemão, pq ele tem o estilo da bundesliga raça tamanho, futebol bem pegado…Sobre o companheiro aí de cima que critica o Silas falando de esquemas, ele está errado na minha opinião … Acho que nosso futebol precisa de ideias novas de treinadores novos ja estou cansado de ouvir na imprensa que bons tecnicos são apenas Vanderlei, Felipão, Murici, pra mim são pessoas ultrapassadas em conceito futebol ps: esqueci o Autuori (teorias) que passou por aqui cheio de marra e não ganhou nada foi pior que o Rospide, Dou como exemplo treinador do Inter (Fossati), tava fora do brasil e me parece um cara muito atualizado em futebol!!!!!Abraços parabéns por sua coluna.

Envie seu Comentário