Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O Inter campeão invicto de 1979

03 de março de 2010 18

Hoje compartilho com vocês no blog Preleção uma análise tática bastante interessante, que encontrei na Revista 30 Anos, comemorativa ao aniversário do tricampeonato brasileiro invicto do Inter, de 1979. É a descrição de como aquela equipe de Ênio Andrade jogava, em resgate histórico importantíssimo realizado pelos jornalistas Felipe Prestes e Luís Eduardo Gomes, baseados em entrevistas com os jogadores daquela conquista.

Segundo a Revista 30 Anos, o Inter de 1979 jogava no 4-4-2, e não no 4-3-3. Isso porque Mário Sérgio atuava como o quarto homem do meio-campo. Ele não era um ponta-esquerda, mas sim um jogador de articulação que “puxava” para o meio, abrindo o corredor para o apoio do lateral Claudio Mineiro.

Do outro lado, quem ocupava a direita ofensiva era o ponta Valdomiro. Ele recebia o assessoramento de outro meia, Jair, mais ofensivo que Mário Sérgio, mas ainda jogador do meio-campo. Segundo eles relatam na Revista 30 Anos, ambos trocavam muito de posição: ora Jair passava pela ponta e Valdomiro recuava, ora mantinha-se a configuração original.

Falcão era um segundo volante “carrilleiro”, apoiador, que se aproximava de Mário Sérgio. Restava a Batista ser o protetor da linha defensiva, um volante central responsável pelas coberturas das duas laterais, e pela segurança aos avanços de Falcão. Na frente, Bira era o jogador de referência, mas também com movimentação, principalmente para a esquerda.

É muito importante este tipo de resgate histórico amparado em fatos, como já fizemos aqui graças à participação do amigo Renato Zanata no post sobre o Estudiantes de 1983. Parabenizo os amigos da Revista 30 Anos por este documento histórico que eu uso para colocar o sistema tático do Inter de 1979 em debate.

Comentários (18)

  • Cléo Taquara diz: 3 de março de 2010

    Quantos jogos?Assim vai continuar sendo o único invicto mesmo!!!

  • Adriano Rech diz: 3 de março de 2010

    Por isso q sempre digo: se um time tem bons jogadores q são regulares o esquema passa a ser secundario. os jogadores de hj em dia são mto irregulares ao meu ver, ora jogam mto bem mas no jogo seguinte somem em cpo ou só fazem besteiras. era um time bem ofensivo pelo equema mas recheado de jogadores acima da média. vc q é mestre em esquemas me diga pq os times pararam de jogar com pontas? o fut de hj em dia é chato e mto retrancado vc não acha? e parabens pelo blog ele é ótimo.

  • Paulo diz: 3 de março de 2010

    Eduardo

    Venho fazer uma sugestão. Sei que o Inter do campeonato brasileiro de 1997 não foi vencedor, mas apresentou algumas partidas excelentes do ponto de vista da eficiencia. Gostaria de ver uma análise sua a respeito daquele ano.

    Abraço

  • Luís Eduardo diz: 3 de março de 2010

    Opa Eduardo,

    Sou um dos autores da revista Invicto 79, fico feliz que tenha gostado da revista. Tiramos o modelo da prancheta a partir de um desenho que o grande Valdomiro fez para nós.

    abraço,
    Luís Eduardo Gomes

  • douglas diz: 3 de março de 2010

    Um esquema simples, que privilegiava cada peculiaridade de cada jogador. Grande Enio Andrade!! Creio que se os tecnicos primassem pelas caracteristicas de cada jogador e pela organização de seus times, não teriamos tantos Silas e Fossatis por aí!!!!

  • Lu Parhan diz: 3 de março de 2010

    Apesar do foco do blog ser ‘análises táticas’ e esta posição não ser tão determinante, ainda assim, penso que deverias citar o goleiro. Afinal de contas, estará acrescentando mais um registro , pois o ‘blog’ é também uma ótima fonte de informação.

  • Daniel diz: 3 de março de 2010

    Cecconi,

    que belo esquema para montar o inter de hoje, faltando apenas um jogador para a posição de carillero do Falcão, que penso não ter no plantel atual pela insuficiência de Guinazu. Por esse motivo que ainda considero o 4 2 3 1 com Marquinhos e Taison pelos lados e Giuliano/Andrezinho/D’alessandro na faixa central o esquema que mais se encaixa.

    Não consigo entender com nenhum treinador fixa o Sandro na primeira função de meio com função exclusiva de marcação, esse fator para mim é o preponderante para manter o time com 3 zagueiros ou sugerir um inter frágil no sistema defensivo com 4 na linha defensiva (Indio e Bolivar é uma dupla de zaga confiável). Penso que criou-se um conceito de que o Sandro é excepcional volante e na verdade nas funções defensivas, sim, é, porém nas ofensivas deixa muito a desejar.

    Que pensas?

    Abs

  • Capitão Al diz: 3 de março de 2010

    O Internacional de 75 e 76 jogava no 4-3-3, com pontas bem abertos, Valdomiro e Lula.

  • Samuel Ritter diz: 3 de março de 2010

    Entrar no teu blog pra ver notícia do inter??? E do inter da década de 70???? que decepção!!!

  • Rafael Dorneles diz: 3 de março de 2010

    Poxa muito legal este post!!
    Poderia fazer mais posts deste tipo, sobre times gaúchos que foram marcantes na história. Ou até mesmo dos que não devem ser seguidos como exemplo!

  • Ronei diz: 3 de março de 2010

    Eduardo. Pelo post dá pra ver que o time era “canhoto”. Provavelmente, o João Carlos era mais “lateral”, fazendo a cobertura e fechando a zaga qdo o Claudiomiro tava no ataque e o time perdia a bola. Mas, pela qualidade do lado direito da frente, o time não ficava “capenga”. Imagina esse meio-campo fazendo pressão sobre a zaga… Uma roubada de bola era fatal… Bah, posso estar imaginando coisas, mas isso aí parece uma espiral girando em sentido horário. Pensando no Falcão, eu penso o Mario Fernandes da mesma forma. Ele é esguio, controla bem a bola, tem qualidade de passe e visão de jogo. Poderia ser um perfeito box-to-box, como foi o Falcão. Hoje em dia, os treinadores não são mais ousados… Eles preferem “manter o resultado” do que “fazer o resultado”. Abraço.

  • Ronei diz: 3 de março de 2010

    Eduardo. Desculpe postar agora esse comentário. O Grêmio do Silas parece que tá se encaminhando pro 4-2-2-2. Pensando bem, até pode ser bom no ataque: triangulação baixa entre zagueiros e volantes com aproximação dos meias pra sair pro ataque pelas extremidades do campo. Isso aconteceu no 1o. tempo com o Mario. Porém, na retomada, os meias precisam ter características de marcação, do contrário os volantes ficam de cara pros inimigos. A foto do posto ilustra bem isso… Se a triangulação baixa não funciona, dá tudo errado. Por isso, é necessário atletas com passe qualificado na saída de bola e que os meias percebam isso e se aproximem dos volantes. Por outro lado, a foto ilustra que os atacantes estão fora dela, ou seja, eles não estão compactados (como eles dizem) e uma roubada de bola no meio é quase fatal (ainda bem que o N. Hamburgo não é o Santos do Neymar). O Santos fez isso exaustivamente com o Corinthians no último jogo, roubada de bola e pum… No segundo tempo o Mano concertou, mas era tarde demais. Voltando ao tricolor: a posse de bola é imprescindível pra isso funcionar, deve ser proibido perder a bola no meio-campo. Outra coisa, uma vez no ataque, seriam 2 atacantes, 2 meias e pelo menos um ala, com pelo menos um volante chegando de trás (Fábio mais provável). Mas isso tudo pressupõe qualidade, o que não foi mostrado na final. Será que vai dar certo? Tomara. Abraço.

  • LEANDRO diz: 4 de março de 2010

    o INTER NÃO PODIA JOGAR ASSIM? Bolivar, Indio. Juan, Kleber como em 1979 apenas Cleber avança da defesa, Sandro, Guinhazu, D’ale, Giuliano, Taison e Alecsandro D’ale E um jogador de articulação que “puxava” para o meio, abrindo o corredor para o apoio do lateral Kleber outro lado, quem ocupava a direita ofensiva o ponta Taison, recebe o assessoramento de outro meia, Giuliano, mais ofensivo que D’ale, mas ainda jogador do meio-campo. Segundo eles , ambos trocando muito de posição: ora Giuliano passa pela ponta e Taison recuava, ora mantinha-se a configuração original. Guinhazu, poderia ser Falcão tranquilo mas com menos ofensividade ajudando mais Sandro na marcação teria td pra dar certo gente

  • Duka diz: 4 de março de 2010

    Não…juro que não entendo…30 seleções que vão disputar a copa jogaram ontem…e tu faz mais um post do inter?

  • Carlos Alberto Petersen diz: 4 de março de 2010

    Eduardo!
    Tu que és o cara que mais entende de futebol aí na RBS, faça uma matéria sobre o seguinte assunto: qual a posição ideal para o Mário Fernandes???
    Ele joga muito, é diferenciado, mas não é zagueiro, muito menos lateral. Provoque um debate a respeito. Onde ele deve ser fixado?
    Abraço!

  • josé carlos diz: 5 de março de 2010

    É,este feito deve ser comemorado de novo, pois ano passado já o tinham comemorado.Mas eu desculpo o repeteco, afinal estes piás colorados que imitam a GERAL DO GRÊMIO,nunca viram o inter ser campeão brasileiro,tem gente que já morreu e não viu!!! UFA, mas agora com certeza, irão comemorar os 31 ANOS do último título do campeonato brasileiro. COISAS DE CHOROLADOS !!!

  • Roberto diz: 7 de março de 2010

    Que saudades do Ênio Andrade!!! Se fosse vivo, que time ele estaria treinando?

  • Paulo diz: 8 de março de 2010

    Eduardo

    Não sei o que pensas desse Inter que vimos contra o São Luiz. Me parece que o esquema do Fossati não vai funcionar enquanto ele não se concientizar que precisa jogar com dois armadores ao invés de dois atacantes. O Andrezinho estava sempre sozinho, e o jogo só fluiu quando entrou o Tiago Humberto. Não concorda? Ninguém se aproximando do armador, ele vai ser uma alvo fácil para a marcação adversária e, consequentemente, jogo fica amarrado.

Envie seu Comentário