Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

O Inter de Fossati sem três zagueiros

16 de março de 2010 25

Acompanhei ontem o coletivo comandado por Jorge Fossati, dos titulares disponíveis para o treino, contra os juniores colorados. E o treinador escalou o Inter no 4-4-2, com variações, abrindo mão dos três zagueiros pela primeira vez em 2010 quando se trata dos titulares (sei que ele usou o 4-4-2 contra o Veranópolis, mas eram os reservas). Entretanto, faltavam zagueiros no treino – Fabiano Eller e Bolívar estiveram no Departamento Médico, enquanto Juan e Wágner Silva realizaram treino leve para se recuperar do confronto com o VEC, no dia anterior.

Neste 4-4-2, o Inter começou com duas linhas de quatro. Na primeira, Bruno Silva e Kleber foram os laterais, com Índio e Sorondo formando a dupla de zaga. À frente deles, os volantes Sandro e Guiñazu. Pelos lados, bem abertos, Giuliano na direita e Edu na esquerda. Sem a bola, a dupla de meias-extremos colorados recompunha a linha com os volantes, e com ela ambos disparavam na direção da linha de fundo.

O time se completou com Kléber Pereira de segundo atacante, e Alecsandro de centroavante. Kléber Pereira desempenhou uma função complexa, abrindo pela direita com a bola – aproximando-se de Giuliano, enquanto Kleber e Edu formavam a dobradinha na esquerda; sem a bola, ele recuava centralizado, como um meia, para marcar o primeiro volante adversário.

Por muitas vezes, este recuo me passou a impressão de uma variação para o 4-5-1 em duas linhas, com Kléber Pereira de enganche (ou enlace, como fala Fossati) – desdobrado em 4-4-1-1. Na segunda parte do coletivo, Fossati sacou Kléber Pereira, colocando Marquinhos. E, com o meia-atacante em campo, outras variações se configuraram.

A mais evidente foi a passagem para o 4-5-1 com dois volantes e três meias ofensivos, desdobrado em 4-2-3-1. Isso porque Marquinhos recuou ainda mais na comparação com Kléber Pereira, enquanto Giuliano e Edu configuraram um posicionamento inicial alinhado ao novo companheiro. Nesta formação, o trio movimentou-se intensamente. Por muitas vezes Giuliano foi para a esquerda ou para o meio, Edu centralizou ou foi para a direita, e Marquinhos fez o mesmo.

A estratégia principal foi a inversão com uso da bola longa. Bruno Silva ou algum dos zagueiros fazia a virada para a esquerda, pelo alto, encontrando Edu e Kleber passando. Os jogadores depois falaram que Fossati quer o Inter “abrindo o jogo” com estas inversões, porque espera um Cerro-URU fechado e recuado.

Na entrevista coletiva após o treino, Giuliano disse que Fossati pediu aos jogadores a consolidação de uma linha de três meias, com Alecsandro na referência. Revelação que casa com a constatação do parágrafo acima, e nos deixa cheio de dúvidas sobre o Inter que enfrentará o Cerro-URU na próxima quinta-feira.

A principal é: qual será o sistema? Fossati abriu mão dos três zagueiros porque não contou com Fabiano Eller no treinamento, ou porque reconsiderou sua predileção pelo 3-5-2? Mas, se ele desistiu dos três zagueiros, vai optar pelo 4-4-2 em duas linhas, com Edu de segundo atacante e D’Alessandro aberto na esquerda, ou pelo 4-2-3-1? Nesta segunda hipótese, D’Alessandro seria o meia central responsável pela aproximação com Alecsandro, tendo Edu e Giuliano pelos lados, ou este papel é de Edu, um jogador “mais atacante”? Dúvidas que compartilhei em conversas com vários setoristas de fundamento, como o Alexandre Alliatti, o Fabrício Falkowski, o Carmelito Bifano e o Leandro Behs.

Vale lembrar também que, além de Eller, Juan, Wágner Silva e Bolívar, Fossati não contou com diversos outros jogadores liberados para um treino leve em função da partida contra o Veranópolis, entre eles Nei, Taison e Andrezinho. O derradeiro sistema tático e a escalação definitiva serão definidos hoje, em treino fechado marcado para as 18h, no Beira-Rio. Apesar dos portões fechados, haverá entrevista coletiva de Jorge Fossati às 17h30min, transcrita junto com todas as informações de bastidores, no blog Pré-Jogo.

Comentários (25)

  • colorado diz: 16 de março de 2010

    o sistema eh bom, mas com estas uvas q estao escaladas, caso sejam elas, nao tem treinador nem esquema q façam milagre, tem q caga a pau o fossati se começar com essas feridas.

  • Ricardo Antunes diz: 16 de março de 2010

    Gostaria de saber pq o Fossati insite com o Bruno Silva, joga 10x menos que o Nei e tomamos o gol em cima dele contra o Independente.
    ATÉ AGORA NÃO ENTENDO ESSE TÉCNICO.
    AVISA QUE ELE NÃO TREINA MAIS O LDU, TIME PEQUENO QUE JOGA NA DEFESA.

  • Paulo diz: 16 de março de 2010

    Acho que esse esquema é o que melhor pode funcionar no Inter, desde que o segundo atacante não seja um centro avante, mas alguém como o Marquinhos, que tem mais mobilidade e técnica para se juntar aos meias e ajudar na articulação, e também sabe entrar na área.

  • Marcelo diz: 16 de março de 2010

    Porque adora postar taticas do Inter? em vez de preleção coloca ou ajuda no blog do colorado. como tem mais gremista no rs, fale mais do gremio tmbm.obrigado

  • Alexis diz: 16 de março de 2010

    Só digo uma coisa: há esperança.

  • Rafael H. Rabelo diz: 16 de março de 2010

    Cecconi,
    Para mim, a formação ideal do Inter é no 4-4-2, como terminou o ano passado: Pato; Bruno Silva, Bolívar, Eller e Kléber; Sandro, Guinazu, Giuliano e D’Alessandro; Marquinhos e Alecsandro.
    Entretanto, ser for para jogar no 3-5-2 do Fossati, minha preferencia é o 3-2-3-2 a saber: Pato; Bolívar, Sorondo e Eller; Sandro e Guinazu; Giuliano, D’Alessandro e Kléber, Marquinhos e Alecsandro.
    Que te parece?

  • Gilvan diz: 16 de março de 2010

    Bom dia, eu gostei da formatação do 4-5-1 ou 4-2-3-1, se for escalado da seguinte maneira. Pato, Ney, Bolívar, Eller e Kléber; Sandro e Guinazu; Giuliano, D´Ale e Andrézinho; Alecsandro. Acho esta escalação consistente denfensivamente, com posse de bola no meio campo, com jogadores que vem de traz com capacidade de finalização e ainda capacidade de deixar Alecsandro na cara do gol. Privilegia um meio campo altamente técnico, rápido e finalizador aliado a consistência de marcação com André e Giuliano mais os dois volantes atras. Os alas terão de subir alternadamente, mas pode subir com cobertura dos volantes. Gostei mesmo, acho que é a melhor opção que temos hoje, visto que não temos um segundo atacante confiável.

  • Gilson diz: 16 de março de 2010

    Bom, colocando o Bolivar no lugar do Indio ou Sorondo, Andrezinho no lugar do Edu e o D´Ale, no lugar do Kleber Pereira, penso ser esta a melhor escalação do Inter HOJE.

  • João Gabriel diz: 16 de março de 2010

    Tchê, tuas análises sempre são ótimas. Percebe detalhes na movimentação dos jogadores que passam desapercebidos na maioria das vezes pela torcida e cronistas em geral. Parabéns pelo trabalho.

    Quanto ao esquema: acredito que com o D’Ale, Edu joga aberto na esquerda e o D’Ale faz a função desempenhada pelo Marquinhos (assim, mais recuado que o Kléber Pereira).

    Duas questões devem ocorrer para que funcione o time:

    O Kléber tem que subir mais pela esquerda, para não isolar o Edu (já que o D’Ale caí mais pela direita).

    O outro ponto é que, quando a jogada se desenvolver pela direita, o Edu deve chegar na área pelo outro lado. Da mesma forma com o Giuliano pela direita quando a jogada vier pela esquerda – sob pena de chegar com pouca gente na hora da conclusão.

    Gostei da idéia tática. No papel, parece um ótimo time.

  • Guilherme diz: 16 de março de 2010

    Ótima análise, como sempre. Tu é um dos poucos atualmente que prefere analisar os esquemas, os jogadores do que ficar inventando boatos, criando noticias exageradas só para chamar a atenção.

    Sobre o esquema… tomara, mas tomara mesmo que o Fossati reconsidere os tres zagueiros. O Inter é o time no país que está mais bem servido de meio-campistas, e é um desperdicio utilizar apenas o Giuliano ou o D’Alessandro. O Fossati deveria ao menos testar algumas vezes uma escalaçao que os aproveite melhor, seja num 4-4-2, com Giuliano e D’Alessandro, seja num 4-5-1, com D’Ale, Giuliano e Andrezinho ou o Edu.

  • SOLON diz: 16 de março de 2010

    Esta é a para mim a formação ideal, só entra d’ale no lugar do edu, e os zagueiro é só escolher quem estiver melhor, mas os atacantes não Há duvidas kleber P. e alecsandro,
    depois é so entrosar, e quero ver quem bate este time.
    abraço atodos

  • Carlos César de Azevedo Vieira diz: 16 de março de 2010

    Parece que enfim o Fossati começa a pensar em mudar o esquema tático do time, do 3-5-2 para o 4-4-2 ou coisa parecida. É uma excelente notícia. Só não gostei do Fernando Carvalho se contentando em o Inter ficar entre os seis melhores segundo colocados. Que pobreza, hein? Este tipo de pensamento mostra um paradoxo, quando se lê que a folha de pagamento do Inter é 38 vezes maior que a do Cerro-Uru. O Inter tem o dever de atropelar estes uruguaios e ser não só o 1° do grupo, mas brigar para ser o 1° colocado geral da Libertadores. Ou então manda todo mundo embora, pô. Se contentar com pouca coisa é coisa do nosso arqui-rival que comemora título de turno do gauchão. No Inter não pode haver esta pequenez. Espero que seja apenas um “blefe” do nosso eterno Presidente.

  • Aurelio Dumitru diz: 16 de março de 2010

    Eduardo, uma equipe de futebol se organiza, também, a partir de uma repetição. Repetição nos nomes e no desenho tático. Não é? Então porque essa idiotice de colocar time misto no compromisso tido como de segundo interesse, à título de preservar o melhor(?) time pro compromisso mais importante? Tem que jogar o mesmo time, dentro das condições normais, sempre! Seja o Gauchão, seja o rachão, seja o que for. Por isso que os times não engrenam ou custam a pegar. Medo de lesões? Ora, lesão pode acontecer em casa, no banheiro até…

  • Jair diz: 16 de março de 2010

    Ah como eu gostaria de ver atuando juntos Giuliano, D’Alessandro e Andrezinho!

  • Douglas Campos diz: 16 de março de 2010

    D’alessandro no lugar do Kleber Pereira, nãodá para jogar sem um jogador ofensivo

  • Douglas Campos diz: 16 de março de 2010

    Corrigindo: D’alessandro no lugar do Kleber Pereira. Não dá para jogar sem um jogador como ele!

  • O Inter de Fossati sem três zagueiros – Zero Hora | News News News diz: 16 de março de 2010

    [...] Mais:  O Inter de Fossati sem três zagueiros – Zero Hora Posted by admin on mar 16th, 2010 and filed under Esportes, News. You can follow any responses [...]

  • Andre diz: 16 de março de 2010

    Boa análise. Chê, que tal uma análise sobre o Grêmio do Silas?

  • Lucas diz: 16 de março de 2010

    Olá, mais uma vez os parabenizo pela matéria, sou um fissurado em formações táticas, e sempre estou acompanhando o blog, parabéns!

    E comentando, vocês não acham que ficaria mais “rentável” utilizar o 4-5-1 ou(4-2-3-1), com o meio-campo de Giuliano pela direita, D’ale pela esquerda (ou vice-versa), com o Andrézinho mais recuado e centralizado, sendo no que, D’Ale e Giuliano, tem toda a liberdade para atacar, e assim como na tática apresentada por vocês, centralizariam quando possível?

    Parabéns mais uma vez… abraços. Lucas

  • Rafael diz: 16 de março de 2010

    1º.. quem é o cara que critica o Bruno Silva, dizendo que tomamos o gol em cima dele, contra o Independente. (ricardo antunes), nem sabia o que eles esavam no nosso grupo..hahah
    mas mfalando te esquema tatico, ontem postei no bolg no Zini, o 4-5-1.. gosto deste esquema e acho que o inter se daria muito bem com ele, pq ano passado giuliano fazia a função de 3º homem do meio campo, e ajudava na marcação.
    poderia ser ainda o 4-1-2-2-1 com:
    paro; Kleber, Fabiano eller, Indio, Nei; Sandro( ficando como volante e nao subindo muito),guina( pelo lado esquerdo) e giuliano (pelo lado direito, estes dois fechando o meio quando estivessemos sem a bola, fomando uma linha de tres no meio campo) Andrezinho ou marquinhos, D’ale (estes ajudando a marcar a saida de bola do adversario, Alecsandro no Ataque, seria um 4-3-2-1 quando estivessmos sem a bola e um 4-1-2-3 quando estivessemos no ataque…
    Temos que jogar como time grande, temos que atacar, o Ataque é a melhor defesa, temos que botar nossos laterias para cima do adversario para eles se preocuparem mais em defender do que atacar.
    Inter campão da América 2010

  • Ademir Neissinger diz: 16 de março de 2010

    Olá Cecconi, me diz uma coisa, você acha que seria muita retranca jogar no 4-2-3-1 com o Giu o D’ale e o Andrezinho e o Alecsandro na frente ? eu penso que para um jogo fora poderia se manter mais a posse de bola, e principalmente em função de o Taison e o Edu nao darem resultado.

  • Gil diz: 16 de março de 2010

    Esse sistema de jogo, na minha opinião, seria o ideal para o grupo de jogadores que o Inter dispõe.
    Gostaria de ver o Edu jogando como winger pela esquerda, posição que ele mais e melhor fez no Bétis.
    Essa sugestão do pessoal de contar com 3 meias (D’Ale, André e Giuliano) eu não concordo muito. Teremos muita posse, mas pouca passagem, característica que não me parecem ter os 3 jogadores, que são armadores, gostam de ter a bola, jogar com ela e não sem ela.
    De repente até o Kléber atuando como meia esquerda, é uma possibilidade também.
    Mas eu duvido muito que o Fossati altere o sistema de jogo que ele vem implantando.
    É uma pena.

  • Marcos (de Sapiranga, colorado). diz: 17 de março de 2010

    Sou daqueles que acham que a tatica deve se adequar ao plantel disponivel. Entao:

    Jogadores que deveriam ter lugar garantido no Inter, sem questionamento: Pato, Bolivar,Eller, Kleber, Sandro, Guinazu, D’Alessandro, Giuliano e Alecsandro.

    Indio e Andrezinho ja provaram o seu valor e tambem poderiam jogar tranquilamente nas vagas de Bolivar ou D’Alessandro, em caso de lesao, suspensao ou outra necessidade.

    Sorondo, somente jogando com 3 zagueiros, Wilson Espetacular Mathias teria que desbancar Guinazu…

    Na lateral direita, a briga esta’ aberta, mas nenhuma das opcoes convence plenamente, entao se nao tem tu, vai tu mesmo (Nei ou Bruno, tanto faz). Giulano nao poderia jogar na ala, ou seria muita invencionice…

    Ainda sobraria uma vaga, um companheiro de ataque para o Alecsandro? Mas quem se habilita….

    Os “pratas da casa” Taison, Marquinhos, Valter, Leo… esses estamos todos torcendo e esperando (sentados, por enquanto).

    E o Edu… bom, o Edu e’ um bom sujeito, educado, comportado… (os adversarios tb acham).

    Kleber Pereira? Ele ja chegou? Ainda nao vi.

    Valeu,

    Marcos.

  • Daniel diz: 17 de março de 2010

    Cecconi,

    até que enfim se aproxima o 4 2 3 1, falta apenas colocar Taison e Marquinhos nas extremas e escolher um meia centralizado, dos tantos prefiro Andrezinho!!

    Abs

  • Fernando diz: 22 de março de 2010

    Cecconi, penso que a solução para o Inter é coisa bem simples, não tem nada de mágica: voltar a usar um zagueiro pelo lado direito e um atacante no lugar do centro-avante (traduzindo em nomes seria Bolivar pela direita e Edu no lugar de Alecsandro, voltando o Taison para o ataque e formando o meio campo com Guiñazú, Sandro, Giuliano e D’Alessandro). Assim o Kléber poderia participar mais do jogo ofensivo e inclusive uma eventual variação para 3-5-2 ou (3-4-1-2) ficaria mais fácil. Reflexo meio atrasado eu sei mas, como foi o mais recent post sobre o Inter que achei, vai aqui mesmo.

Envie seu Comentário