Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Os problemas de Capello para a Copa do Mundo

22 de março de 2010 16

Considerada uma das principais favoritas ao título da Copa do Mundo de 2010, a seleção da Inglaterra passa por uma fase de péssimas notícias. São tantos os problemas que não há soluções para todos. Acredito que o técnico Fábio Capello mal consiga dormir, às vésperas do Mundial da África do Sul, em busca de alternativas.

O sistema tático deve ser mantido. É o 4-4-2 britânico, em duas linhas, com um atacante de movimentação e um de referência. A estratégia também é convencional: sem a bola, marcação por zona – pressão sobre a bola – nas duas linhas, e pressão-alta dos dois atacantes sobre a saída adversária; com a bola, transição ofensiva pelos lados do campo, com os wingers; e distribuição de jogo centralizada nos meias box-to-box, apostando também nas infiltrações pelo chão para os atacantes.

Não há, entretanto, um winger-esquerdo ortodoxo. Durante as Eliminatórias e amistosos, Capello entregou a função a Gerrard. O capitão do Liverpool, entretanto, sempre se destacou como um box-to-box. Não aprofunda as jogadas, não sabe se utilizar da linha de fundo, e ainda por cima é destro, o que lhe obriga a priorizar as diagonais.

Para piorar, é mal escalado por Rafa Benítez como o “número um” do Liverpool, no 4-5-1 desdobrado em 4-4-1-1, refém de zagueiros, sem espaço para concluir a média distância, e sem espaço também para seus lançamentos e assistências longas. Está em má fase. Milner, outro destro – porém mais adaptado à função – é a alternativa.

Capello usa Gerrard na extrema-esquerda da segunda linha porque, por dentro, considera Barry e Lampard mais seguros. São os titulares das posições centrais do meio-campo. Infelizmente para o técnico inglês, no entanto, também não vivem boas fases em seus times.

A diagonal de Gerrard servia para abrir o corredor a Ashley Cole, uma compensação tática interessante. Com este balanço entre ambos os lados – winger abre na direita, lateral na esquerda – a Inglaterra tem equilíbrio ofensivo. Mas Ashley Cole está lesionado, e deve se recuperar a poucos dias da preparação. Seu desempenho no retorno é uma incógnita. E o reserva imediato, Bridge, pediu dispensa depois de problemas pessoais com o ex-capitão Terry.

Na extrema-direita, Capello não tem Beckham, lesionado; Wright-Phillips perdeu a posição no City, Walcott é eterno reserva no Arsenal. Sobra Lennon, bom jogador do Tottenham, mas não um protagonista.

E no ataque, encerrando a longa lista de problemas, Capello ainda não encontrou o parceiro ideal para Rooney. Já usou Crouch, Defoe, Heskey, Carlton Cole…cada um com uma característica, um estilo. Entre todos que vi, os de melhor desempenho foram Defoe e C.Cole, mas Heskey foi titular no maior número de jogos. Em todo caso, todos eles se igualam a Lennon e Milner – alternativas a problemas: são coadjuvantes.

Lesões de Beckham e Ashley Cole; declínio técnico de Gerrard, Lampard e Barry; problemas pessoais entre Terry e Bridge; indefinição no ataque. Capello tem muito trabalho pela frente até junho.

Comentários (16)

  • Pedro Fonseca diz: 22 de março de 2010

    É verdade, Cecconi… Depois de tantos anos a Inglaterra está com uma geração espetacular. Seria um crime para o futebol mundial se uma seleção dessas fosse eliminada antes das quartas de final da Copa.

    Não seria melhor escalar a Inglaterra num 4x5x1? Acho melhor tirar o Heskey ou qualquer um desses outros atacantes que não vão fazer muita diferença, recuar o Barry, colocar Lampard e Gerrard pelo meio, com o segundo apoiando mais o atacante “solitário” wayne rooney, e nas alas ashley young e theo walcott/milner/lennon.

    O Rooney vem jogando assim, sozinho, e já marcou 26 gols no campeonato.
    Acho que seria uma boa solução para todos esses problemas.

  • Ratofx diz: 22 de março de 2010

    E ainda tem o M. Owen que se machucou. Ta parecendo o Grêmio.

  • eduardo diz: 22 de março de 2010

    faltou mencionar que alem do beckham e do cole outro que se lesionou foi o michael owen que seria a dupla perfeita com rooney ja que em 2006 essa seria a dupla mas o rooney tinha quebrado o dedo do pé eo owen que foi bola de ouro da france football em 2001 tem talento mas muito azar com sucessivas lesões na carreira.

  • fernando diz: 22 de março de 2010

    excelente análise, ceconi. concordo contigo qdo dizes q defoe parece ser uma alternativa melhor. tb gosto do milner pelo lado direito. na lateral esquerda, acho q é problema sem solução: os dois “titulares” já não são grande coisa, imagine os outros… e no meio, a verdade é que não consigo ver gerrard e lampard juntos hoje – pensei até num 4-5-1 como o do man utd, mas periga estragar os dois… como vc comporia? abs!

  • Leonardo Sander Cunha diz: 22 de março de 2010

    Green; Glen Johnson, Ferdinand, Terry e Ashley Cole; Barry, Lampard e Gerrard; Rooney, Defoe e Ashley Young(Walcott ou Agbonlahor)

  • Yuri diz: 22 de março de 2010

    Lampard e Barry nao tao mal, o Barry por sinal ta voltando a jogar o que jogava no villa, os 2 na seleção jogam bem sempre… o problema é o Gerrard mesmo, mas aí tu esqueceu do Milner, pra mim ele nao é coadjuvante, nao sei se tu ve os jogos do Aston Villa mas pra mim em algumas temporadas (ou quem sabe ir pra um Man United) ele fica no Nivel de Lampard/Gerrard ou melhor. ele joga de meia-central, box-to-box, RW e LW. ele destruiu a HOLANDA. So falta Capello ter culhoes pra tirar o Gerrard, pq hoje ta pelo nome mesmo. na LE tem o Baines que jogou contra o bom Egito, alias, mesmo com esses problemas venceram a melhor seleçãoa friaca por 3×1. Sobre o Lennon, ele me agrada demais no Spurs, um tipico e bom winger. dependendo da tabela chega na semi contra o brasil, e aí nao aposto nada

  • Benito diz: 22 de março de 2010

    Bridge não é da mesma categoria que Cole, é menos técnico e menos veloz. Parceiro ideal para Rooney? no man unt ele joga sozinho na frente (ainda que eu nao concorde com isso, funciona). Esqueceste de mencionar joe cole – já descartado, afinal, que nunca tem uma sequencia boa de jogos.

  • Anderson Cardoso Anjolin diz: 22 de março de 2010

    Faz uns 4/5 meses que não acompanho com frequência a Premier League mas talvez fosse melhor usar 3 meias centralizados (Gerrard, Lampard e Barry; ou outros), dois atacantes abertos (Agbonlahor e Rooney ou Rooney e Ashley Young) e um atacante central (Jermain Defoe, Darren Bent ou quem sabe até dar uma chance pro Bobby Zamora, do Fulhan, que nunca foi convocado).

  • Gugu diz: 22 de março de 2010

    Amigo! Esqueceu do Michael Owen… mesmo não estando em ótima fase ou forma mesmo… joga muito mais que qualquer um desses cabeças de bagres que o English team tem na reserva… Quem sabe se o Capello escalasse um 4-3-1-2 ??? Zaga, uma linha com 3 volantes do nível de Lampard, Gerrard e mais um que saiba jogar como eles ta de bom tamanho, poucas seleções tem caras tão bons como eles. Armando Joe Cole… frente, Michael Owen e Rooney… pode dar coisa muito boa!

    Abração!

  • Alberto diz: 22 de março de 2010

    Cecconi, o Capello escalando o Gerrard alí tá matando ele, poderia colocar o Barry pela esquerda, que é canhoto, mas não tem característica de Winger (não tem velocidade). Outras alternativas para winger (ambos os lados) seriam Ashley Young, Walcott e Wright-Phillips. Enfim, jogadores com as características que o Capello quer pra ocupar os lados do campo, mas Um dos 3 do meio teriam que sair do time, ou então joga com o Rooney na frente, adianta os wingers e pronto, ao melhor estilo Manchester United de se jogar, o que acha dessa alternativa? Abraços.

    Resposta do Cecconi: olá Alberto. Gosto do Ashley Young, mas todos os citados – inclusive ele – não são protagonistas, ou pelo menos ainda não foram, o que pode pesar em uma Copa do Mundo. Abraços.

  • Sandro diz: 22 de março de 2010

    eu colocaria a inglaterra num 4-4-2 com o meio no esqema de um losango( barry na primeira funçao, gerrard e lampard de segundos volantes e na armaçao usaria o joe cole), mas ainda axo q falta um “10″ de qualidade, lennon eh bom jogador, mas joga mais como ponteiro, poderia ser usado mais a frente compondo o ataque com o rooney.

  • diego diz: 23 de março de 2010

    Estamos com um problema sério no Inter. Alem de alguns jogadores que não estão rendendo nada como Edu, Alexandro por exemplo temos um problema de esquema tático e posicionamento dos jogadores em campo. Acho que o Sr. Fossati tentou montar no Inter um esquema como a LDU. Isso pode ser verdade? Como jogava a LDU?

    Resposta do Cecconi: Diego, dá uma busca nas categorias do blog por LDU – menu da direita – e vais encontrar a análise da LDU de Fossati, no 3-6-1. Abraços.

  • juliano diz: 23 de março de 2010

    o gerrard tá mal escalado no liverpool mesmo, é pra ele jogar de meio-campista central lá do lado do mascherano

    o problema é que o lucas é o ferdinando do rafa benitez

  • Marcos (de Sapiranga, colorado). diz: 23 de março de 2010

    Cecconi, falando em wingers britanicos, lembrei dos antigos ponteiros, aqueles que entravam em campo com a missao unica de fustigar dribles humilhantes nos laterais adversarios antes de efetuar cruzamentos precisos para o centroavante de plantao. Porem eles tambem jogavam protegidos laterais dos seus proprios times, aqueles que so conheciam a outra metade do campo na virada de lado apos o intervalo. Nao sou tao velho, mas tenho saudade daqueles tempos.

    Como no futebol, tudo se reiventa, queria saber se vc acha possivel algum time jogar nesse formato, com uma linha de quatro na defesa; o meio com um volante cabeca-de-bagre, um meia esquerda armador craque-de-bola e um meia-direita-ponta-de-lanca; e o ataque com ponteiro direito, centroavante tipico e ponteiro esquerdo?

    Outra, o que vc acha dos wingers britanicos e qual a possibilidade da adaptacao desse estilo ao futebol brasileiro e/ou gaucho?

    Abracos.

    Marcos.

  • Bruno Matos diz: 24 de março de 2010

    Com todos esses problemas que a Inglaterra vem experimentando, uma Sérvia, faria jogo duro?

  • Fabio Henrique diz: 25 de março de 2010

    Cecconi, Agbonlahor seria o titular se eu fosse o Capello. E colocaria Huddlestone no meio, deixando Barry na reserva. Na lateral esquerda, o ala do Tottenham (acho que é o Bale) pode quebrar o galho com qualidade, e de reserva deixa outro zagueiro, por exemplo o Phill Neville (kkk,tá bom exagerei…). Acho que o maior problema dos saxões é o goleiro, simplesmente não tem nenhum que preste.

Envie seu Comentário