Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Roma bloqueia zona de articulação da Inter

28 de março de 2010 8

Vencer a Inter, ontem à tarde, fez da Roma uma candidata ao título do Campeonato Italiano nesta temporada. E a conquista do 2 a 1, em casa, teve grande contribuição tática no bloqueio da zona de articulação principal do time de José Mourinho.

No 4-4-2 com meio-campo em losango – ou 4-3-1-2, se assim preferirem – a Inter concentra no ponta-de-lança Sneijder sua organização. Ele se posiciona próximo da dupla de ataque, centralizado, na intermediária ofensiva. Por ali, atrai atacantes, aproxima-se de laterais, e conta com a passagem dos apoiadores (ontem, Stankovic e Thiago Motta).

Como a Roma estancou esta movimentação? Com um bloqueio de três volantes centralizados. Pizarro por dentro, Perrota à direita, e De Rossi na esquerda formaram um trio de marcadores que retirou mobilidade e velocidade da transição ofensiva da Inter. Estrategicamente ocupando espaços, a Roma permitiu à Inter manter uma posse de bola alta (quase 70%), porém pouco objetiva. Arriscado, mas efetivo ontem.

Este bloqueio subia para uma quase linha de cinco jogadores com a participação de Ménez e Vucinic pelos lados. Com a bola, ambos avançavam – principalmente Vucinic, que transitava da meia-extrema para a “punta”, como um segundo atacante – abrindo o corredor para Riise sobre Maicon. Na direita, Ménez e Cassetti armaram outra dobradinha. Para a descrição tática, a Roma atuou no 4-5-1 com variação para 4-4-2 a partir do movimento de Vucinic.

Na frente, Luca Toni teve a responsabilidade de segurar a bola nas transições, até que Vucinic, Ménez, e ao menos um dos volantes pudesse chegar nos contra-ataques. Centroavante de exceção, marcou o gol da vitória e foi importantíssimo no embate físico com a defesa não menos corpulenta da Inter.

Nem sempre oferecer posse de bola a um time qualificado como a Inter dá certo. Corre-se o risco de permitir aos talentosos jogadores adversários criar oportunidades de gol com improviso. Mas a Roma assumiu este risco, bloqueou espaços com até nove jogadores na frente da própria área, apostou no contra-ataque, nas diagonais de Vucinic, nos corredores pelos lados, e na estrela de Luca Toni. E ateou fogo no Calcio.

Comentários (8)

  • Éverton diz: 28 de março de 2010

    O Toni jogou demais, o cara ganhou quase todas do Lúcio no corpo. Não lembro de ter visto algo parecido em nenhuma outra partida.

    Cecconi, tua análise ficou muito boa. A única observação que eu faria é que antes da Roma sair ganhando, a marcação era pressão no campo ofensivo. Depois de sair na frente que o time se retraiu e proporcionou essa posse de bola gigantesca pra Inter.

  • Rodrigo Tavares diz: 28 de março de 2010

    Eu notei isso no jogo de ontem, a inter não conseguia ultrapassa essa linha de 3 volantes, até que o mourinho mudo pra um 4-1-3-2 no fim do jogo, abriu o quaresma de um lado, o pandev do outro e centralizado o sneidjer, tendo fincado na frente o eto e o milito e deixado apenas o zaneti de volante !
    esse esquema é pouco utilizado, um time que eu me lembro que uso essa formação é o real champions league de 99-2000, se eu não me engano.

  • bryan diz: 28 de março de 2010

    Eduardo Cecconi, qual é a posiçao do totti no esquema tatico da roma ?

    Resposta do Cecconi: Bryan, não tenho acompanhado muito os jogos da Roma com Totti, mas acredito que ele seja aproximado de Toni, a exemplo do Vucinic. Abraços.

  • Blog do Carlão – Futebol é nossa área diz: 28 de março de 2010

    Professor, você classificaria este 4-5-1 da Roma como 4-1-4-1?
    Resposta do Cecconi: bá, bruxo, essa é uma boa dúvida para os defensores das quatro faixas. Os cinco jogadores estão praticamente em um mesmo patamar, só com o Vucinic se desprendendo, mas pelo lado. Sinceramente? Não sei o que esse pessoal diria. Eu acho que é mais garantido irmos de 4-5-1 mesmo…hehehehe…Abração.

  • William Guterres Felix diz: 28 de março de 2010

    Não foi esquema nenhum que ganhou o jogo de ontem. A Roma vem jogando assim desde a chegada do Luca. O que a fez ganhar foi o sonho de vencer o chamado melhor time italiano, o sonho do Scudetto, o sonho de ser campeão.
    Totti jogaria no lugar do Vucinic ou como tetraquardista devido ao seu passado de meio-campista.
    FORZA ROMA!!!

  • Bruno diz: 28 de março de 2010

    se o totti voltar, vai entrar no lugar de quem?lembrando que totti é trequartista…

  • Geferson Kern diz: 29 de março de 2010

    Este 4-5-1 da Roma exigiu muita entrega na marcação por parte do Vucinic e também do Menez, tanto que ambos foram substituídos. Por sinal, com a entrada do Taddei no lugar do francês, o esquema me parece ter mudado para um 4-5-1 desdobrado em 4-4-1-1, com um paredaço de quatro homens à frente da zaga romana e o camisa 9 (depois o Totti) sendo responsável pelo enganche.

    Cecconi, “se” não vale de nada, mas… tu acredita que se o Mourinho usasse o 4-3-3 vitorioso do jogo de volta contra o Chelsea, ele teria mais sucesso contra a Roma? Penso que o uso desta estratégia evitaria as descidas do Riise e talvez até fizesse com que um dos jogadores de meio-campo precisasse recuar para marcar o suposto trio Milito-Pandev-Eto’o, desguarnecendo a faixa central do gramado e abrindo caminho para o apoio do Sneijder ou mesmo dos volantes e do Maicon.

  • Marcos Alves. diz: 29 de março de 2010

    Ba’, essa historia de tres volantes aqui no nosso Inter ja’ deu o que falar.
    Tenho arrepios so’ de lembrar! Que horror! O time so’ se defende e tenta a ligacao direta com o ataque. E’ para matar a torcida do coracao.
    Mas, como vc mesmo disse, mesmo sendo arriscado, ‘as vezes funciona, especialmente em jogos decisivos contra adversarios mais fortes.
    Lembrei tambem do Brasil da Copa de 94 com Mauro Silva, Dunga e Mazinho.
    Daquela vez tb foi necessario para o Brasil recuperar a confianca de que poderia ser campeao do mundo de novo. Mas nao funcionaria sem a dupla Romario e Bebeto em grande fase no ataque.
    Abraco,
    Marcos.

Envie seu Comentário