Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O equilíbrio proporcionado pelo losango no Inter

23 de abril de 2010 23

O resgate do meio-campo com desenho em losango pelo técnico Jorge Fossati repetiu-se ontem na vitória de 3 a 0 do Inter sobre o Deportivo Quito, e com muito mérito. Este modelo de 4-4-2, disseminado na Argentina pós-Copa de 1978, um dos prediletos de José Mourinho, e recentemente comum entre os clubes brasileiros, apresenta boas alternativas para que o campo inteiro seja utilizado na articulação ofensiva.

No 4-4-2 com meio-campo em losango, o Inter aproveitou as três faixas horizontais do gramado: lado direito, centro, e lado esquerdo. Não foi uma equipe “capenga”. Pelo contrário, teve equilíbrio e variação de jogadas. Constatação proporcionada pela estratégia aplicada ao sistema tático.

Na direita, houve parceria entre o lateral Nei e o apoiador Andrezinho; na esquerda, combinaram-se o lateral Kleber e o apoiador Guiñazu; e pelo centro, D’Alessandro transitou de lado a outro, ora aproximando-se da dupla destra, ora da dupla canhota, e ora atraindo os dois apoiadores para as tabelas centrais.

Como já debati outras vezes, três jogadores são os maiores beneficiados: D’Alessandro, por atuar próximo dos atacantes, e pela quantidade de opções para as jogadas curtas pelo chão, que são as suas prediletas; Walter, pela liberdade de circulação em ambos os lados, embora mais ligado à esquerda para compensar a assimetria do losango (Andrezinho mais adiantado que Guiñazu); e Alecsandro, que acaba sendo municiado pelos jogadores das três faixas, sem abandono, sem precisar sair da área. Ontem, o camisa 9 recebeu vários cruzamentos e assistências, mas não teve sorte nas finalizações.

Sei que há ressalvas. A principal é a aplicação quase incomum dos jogadores do Inter ontem. Todos atuaram em alto nível. Destaco principalmente os laterais Nei e Kleber, o meia Andrezinho, e o zagueiro Sorondo. Houve muito empenho, raça, dedicação, disciplina tática, e ousadia para tentar jogadas ofensivas sem burocracia. Sandro, recuando para marcar um dos atacantes e permitindo aos laterais subirem despreocupados, também teve grande atuação. E a segunda ressalva é a precariedade do Deportivo, equipe sem ambição, com um sistema desequilibrado, e com jogadores pouco qualificados na comparação com os colorados.

Mas o bom desempenho se presta na análise comparativa com o próprio Inter. O 4-4-2 com meio-campo em losango tem se mostrado o sistema mais equilibrado, e que melhores condições oferece para capturar dos protagonistas suas principais virtudes. Foi assim ano passado quando o Inter de Tite viveu boa fase.

Comentários (23)

  • Blog do Carlão – Futebol é nossa área diz: 23 de abril de 2010

    Viu variação entre losango e quadrado? Abraços.

    Resposta do Cecconi: Bruxo, não vi porque o Sandro não deixou nunca de ser central, recuando entre os zagueiros. O Guiñazu não baixou pra mesma faixa que ele também. Por isso acho que foi mesmo só o losango, com o Andrezinho passando muito pela direita – mais do que faziam o Magrão e o Giuliano até, mas retornando sem a bola pro posicionamento inicial. Abraços.

  • João diz: 23 de abril de 2010

    Foi mais um time que o Inter enfrentou e que se posicionou muito fortemente na defesa. Concorda? Tivemos sorte de o Andrezinho acertar aquele chute. O jogo teria sido dramático.
    Outra coisa que me pareceu é que o Nei ficou mais preso na defesa em alguns momentos. E a torcida não entendia esta função e reclamava quando ele demorava a chegar no apoio.

    Fiquei satisfeito principalmente porque me pareceu clara a evolução do time nas partidas da libertadores. Acho que o Fossati é um excelente técnico, pois testou diversos esquemas e escalações, e parece que está chegando no time ideal com o que ele dispõe. Estou colocando isto em comentários desde que iniciou a tal “crise” criada em cima de um campeonato que está colocado em segundo plano para o Inter neste ano.
    Não espero que o Inter já tenha chegado no topo. Acho que vamos continuar evoluindo, pois confio na capacidade do nosso treinador.
    Estou torcendo para que ele continue suportando as agressões verbais da minoria de corneteiros.

  • Nicolás Mega diz: 23 de abril de 2010

    Apesar de ter havido melhora na dinâmica de jogo do Inter, ainda tenho algumas ressalvas à movimentação apresentada pelo time ontem. O resultado pode empolgar o torcedor, mas não que analisa o que aconteceu em campo. Andrezinho e D’Alessandro municiaram o ataque com mais oportunidades do que até então o time vinha apresentando. Mas o ataque continua ineficiente. É só observar que, dos três gol, dois surgiram de bola parada. Chance concreta do ataque colorado não houve nenhuma. O terceiro gol só ocorreu devido a baixa estatura do goleiro: impressionantes 1,78m. Qualquer goleiro 10 centímetros mais alto teria defendido aquele chute (fraco) do Guiuliano sem necessidade de sai do chão. Aí, argumentar sobre a análise de jogo se mistura com a contingência da partida.

    Independente disso, achei que o D’Ale e o Andrezinho ainda procuram os mesmos espaços na movimentação ofensiva (na defensiva, D’Ale raramente voltava para marcar, enquanto o Andrezinho costumava fechar mais os espaços pela direita, mesmo sem ser tão combativo como Giuliano). D’Ale jogou muito próximo do Andrezinho, facilitando a marcação de ambos marcadores simultaneamente em uma curta faixa do campo. As jogadas, quanto surgiram, foram pelas laterais. Nenhum problema se os dois laterais fossem à linha de fundo fazer cruzamentos. Nem Kleber, nem Nei, tem a tendência para esse movimento. Ambos costumam cruzar do bico da grande área, ou infiltrar em diagonal, quase atropelando os meias que ocupam o setor. Esse movimento diagonal abre um vácuo as costas dos laterais, já que os meias estão no mesmo setor (e isso foi explorado muitas vezes pelo Dep.Quito). Um time com volantes rápidos e qualificados, que chama o time adversário para o seu campo, como o Corinthians, teria matado o jogo em dois lances. Sobre o ataque, Alecssandro, mesmo com dois armadores no time, continua saindo da área para buscar a bola no meio-campo, sem ter jeito para a função. Costuma perder a bola no movimento e ontem armou meia-dúzia de contra-ataques. Falta muito para melhorar esse time.

    Ainda vejo o Inter de Mario Sérgio, no 4-5-1 (com Sandro, Guiñazú, Marquinhos, D’Ale e Giuliano no meio), jogando mais bola do que esse 4-4-2 do Fossatti.

  • André M. diz: 23 de abril de 2010

    Acho que o Inter ontem foi superior ao quito técnica e taticamente, os jogadores estavam “pilhados” e o time bem posicionado, e o quito realmente era inferior, mas eu ainda fico desesperado com os toquinhos para o lado do Guiñazu e Sandro. O Fossati tem corrigir isso, e isso independe da formatação tática. O Inter tem que ser mais vertical e menos horizontal. O Walter sempre lá na frente, em uma das pontas, abrindo o time adversário, o D´Alessandro fazendo o balanço na armação, e o Andrezinho vindo detrás, e os volantes dando toquinho pro lado? É desperdício! Aproveito para fazer meu elogio pessoal ao Nei. Tinha ressalvas quanto a ele, porém, ele vêm crescendo de jogo em jogo e já começa a me lembrar do saudoso Ceará, que eu também tinha ressalvas quando começou a crescer de jogo em jogo justo na LA de 2006.

  • paulo fossato diz: 23 de abril de 2010

    Não vi uma atuação boa do sorondo e do nosso centroavante alecssandro. aquele é inseguro e este abusa da tentativa de jogadas bonitinhas, sem fazer o básico que é colocar a bola nas redes. e o goleiro não dá segurança para a defesa. valter move uma usina para nada.

  • cesar caberst diz: 23 de abril de 2010

    contra um time mediano e desorganizado é fácil ter uma boa atuação.

  • Raukores diz: 23 de abril de 2010

    Po Cecconi, faz um postzinho ae do meu tricolor, já estamos na 14° variação de meio campo do colorado!
    Que tal um desenho do Grenal?
    Nada contra os post, pelo contrário, mas considerando que o blog preleção é um dos poucos a fazer analises táticas dos times do RS, o lado tricolor ta sentindo falta de analisar tua “prancheta do Joel”
    Saudações.

  • Leonardo Soares diz: 23 de abril de 2010

    Cecconi, em tua opinião quais seriam as consequencias de uma eventual troca de Guiñazú por Giuliano neste esquema? Grande abraço.

  • Lucas diz: 23 de abril de 2010

    Cara… adoro o teu blog pq adoro tática. Mas faz tempo que me incomoda o teu coloradismo. Não na avaliação dos times, mas no excessivo trato que recebe o Inter em relação ao Grêmio.

    Raramente o time do Grêmio é analisado, mais raramente são os seus adversários. Já o Inter é quase um post por jogo e volta e meia tem seus adversários analisados.

    Seu objetivo é um blog sem maiores valores clubisticos e mais centrado na parte tática. Então faça isso!!! Seja um pouco mais equilibrado na distribuição dos posts. TENTEI VER QUANDO FOI O ÚLTIMO DO GRÊMIO, MAS ERA TÃO ANTIGO QUE DESISITI DE PROCURAR.

    MAS DO INTER ACHEI INÚMERO PELO CAMINHO.

    Isso está ficando chato!!!

  • Antonio diz: 23 de abril de 2010

    Oi Cecconi. Minha opinião fica limitada ao segundo tempo. Infelizmente um acidente de trânsito(sem danos físicos) me impediu de ver o primeiro tempo. Quase ia discordando de ti por que não vi losângo, só no meio do texto é que percebi tua excelente análise. Fecho contigo na identificação de que Andrezinho e D’Ale não jogam lado a lado, portanto quadrado não serve, e se Sandro joga um pouco mais atrás do Guina o losângo fica melhor definido. Então a citação de um losângo assimétrico é muito interessante. Não sei se é criação tua ou fruto das tuas leituras mas para o jodo de ontem foi o que mais se aproximou da verdade. Parabéns.

  • Ramon diz: 23 de abril de 2010

    Cecconi, quando sai a análise do Banfield?

    Já agredeço de antemão!

    PS.: Onde encaixar o Tinga?

  • Bruno Vitório diz: 23 de abril de 2010

    Meu velho, o diferencial deste esquema foi o Fossati mandar o Sandro e Guinazu MANTEREM POSIÇÕES! Vez e outra em outros jogos ambos partiam pro ataque e deixavam os contra ataques tudo nas costas dos zagueiros! Não que em algumas vezes isto não tenha gerado bons frutos porque são jogadores muito bons de arrancada, mas vimos que este sistema não serviu contra o Pelotas, que claramente nos contra ataques utilizaram deste buraco para marcar 2 gols… acho que o Fossati foi inteligente em ver isso e ainda bem que o Pelotas escancarou esta deficiencia para ficar mais claro ao treinador as correções que deviam ser feitas.
    O andrezinho fazendo este papel de articulador com o dalesandro ao lado, garantiu muita movimentacao. A falta de entusiasmo no jogo do walter e alecsandro nao fez render mais, mas o que importa é que o treinador encontrou o rumo e principalmente o encontrou na hora decisiva! Grande abraço e parabéns aí pelo blog muito bem redigido.

  • Rui diz: 23 de abril de 2010

    Decepção total o Quito, muito desorganizado. Jogaram bem menos que contra o Cerro.

    O nível da primeira fase da Libertadores é lamentável!

  • Bruno diz: 23 de abril de 2010

    É impressão minha ou a formação do gremio campeao brasileiro de 96 é parecida com a do brasil de 82?
    Seria esse o esquema usado pelo silas no meu imortal atualmente? na armação o douglas mais pelo meio e o leandro caindo mais pela ala, e no ataque o borges centralizado e o jonas indo pra ponta… Procede?

  • ELTON HAEFLIGER diz: 23 de abril de 2010

    Não é nada disso ! O esquema tático pouco importa se os jogadores querem ganhar. Seja no 3-5-2 ou no 4-4-2, o time não vencerá se a preguiça reinar em campo. A propósito, o Gre-Nal será ganho por quem tiver mais raça, vontade, ânimo. Confira !

  • deivi diz: 24 de abril de 2010

    Caro. Cecconi,

    Ao ver o jogo ontem não percebi um losango e sim um quadrado assimétrico. As funções do Guiñazu e do Andrezinho foram muito diferente. O guiñazu sempre partia de uma posição mais para trás, ainda no campo do inter. Andrezinho estava quase sempre na mesma linha do que o d’alessandro.
    Minha visão pode ter ficado prejudicada pela televisão, mas so consegui ver um pouco do losango quando o inter perdia a bola e o Andrezinho recuava para marcar.
    Dois comentários sobre atuações. Andrezinho não pode ficar de fora deste time, e o Sorondo me pareceu inseguro e lento.

  • Guilherme diz: 24 de abril de 2010

    É dificil fazer análise de um jogo do Gremio quando o Cecconi ta no minuto a minuto no mesmo horário em um jogo do inter,não acham???

    Resposta do Cecconi: perfeito, Gui, obrigado pela constatação. Eu estava esperando que os próprios críticos do blog tivessem esta percepção. O pessoal ainda não percebeu que eu sou setorista de Inter. Não vejo os treinos nem os jogos do Grêmio, o que inviabiliza uma análise criteriosa. E eu não gosto de analisar superficialmente. Quando o Grêmio joga, estou trabalhando nos jogos do Inter. Não tem nada a ver com cor clubística. Grande abraço.

  • aldemir silveira diz: 24 de abril de 2010

    acho que o time foi bem mas o adversário também era bem fraco,pra mim o meio campo do inter tem que ser os quatro que jogaram mas com o Andrezinho sempre pela direita e o Dalesandro jogando pela esquerda,já o Guinazú deveria ser proibido pelo técnico de passar do meio campo e aquele espaço que ele ocupa pelo lado esquerdo deveria ser mais ocupado pelo Kleber e esse por sua vez tem que parar de fazer aqueles lançamentos do meio campo em direção a area que alguns narradores e comentaristas chamam erradamente de cruzamentos,tabém espero que não me venham de novo com os treis volantes ou os treis zagueiros pois o time tem que ter dois articuladores pois com um só o ano passado perdemos tudo que disputamos pois bastava marcar o Dalesandro que o time do inter sumia. O esquema bom é o 4.4.2 classico sem essa de losango ou o 4.3.3

  • Rafael Dorneles diz: 24 de abril de 2010

    Oi Edu. Uma coisa que nunca entendi é porque o time de Tite decaiu tanto numa certa fase? (Era o mesmo sistema né?)
    Essa dúvida que me deixa com receio sobre esses sistema
    Abraço

  • homero felipe diz: 24 de abril de 2010

    pessoas q escrevem,q o esquema não importa,ou é porque não sabem ver uma como funciona a moviventação de um time,ou não sabém o q é um figura geométrica,ja escrevi aqui neste blog,q o melhor esquema de se jogar futebo é o 4-4-2 em losango,as linhas ficam mais harmoniosas,os jogadores ficam mais proximos,e se desgastam menos,claro vc precisa ter os jogadores adequados para as funções,e ai vejo os problemas do inter,não tem estes jogadores,o inter fez boa partida,nada além disto,o adversário é mto fraco,eu não estou esbasbacado como a maioria,o inter tem mtas deficiencias,começa pela zaga,bolivar é um bom zagueiro,nada mais,agora sorondo é uma piada,lento,atrapalhado e tecnicamente mediocre,no meio sandro,perfeito,joga mto, guinazu,deveria ter um passe longo melhor,e chegar melhor a frente,só joga curto,mas os problemas criciais são,o segundo hoemen pelo lado direito,nem giuliano,nem andrézinho,não são desta função,o enlace,dalessabdro é mto irregular,não entra na area,e seu chute é rizivel,e érra passes demais,e o ataque,walter e alecsandro,não se completam,são de mesma função,claro q o walter é mto mais jogador,esta prejudicado,não é segundo atacante.
    meio campo dos meus sonhos:sandro,hernanes na esquerda,ibson na direita,riquelme no enlace,o q acha cecconi?

  • Bruno diz: 24 de abril de 2010

    Perdão pelo meu questionamento anterior acerca do Grêmio. Não é sempre que tenho oportunidade de entrar em seu blog(apesar de gostar muito), razão pela qual não sabia que sua prioridade no ClicRBS era justamente o coirmão.

  • Felipe Miguel diz: 25 de abril de 2010

    O inter não me agradou ainda. Começando pela a zaga : Sorondo é lento , não é tão bom tecnicamente. Lateral : tá ótimo , Kleber é lateral de seleção e Nei me agradou muito bem , veloz e chega ao ataq fácil , primeiro gol na libertadores veio de uma chute dele. Volantes: ótimo ! Sandro jogando muito , e Guiñazu um loco correndo. Mas ele tem que fazer passe de longa distância e arriscar um pouco mais. Meio: D’ale e Andrezinho não deve ser trocados, pois os dois são exceleeentes ! E se viesse TINGA , qual dos 2 saíram ? Ataque: aí que tá , não me agrada de jeito nenhum, alecsandro e walter são do mesmo estilo , os para recomporem não são muita coisa não. Pois Edu , não era o que eu esperava! E Taison , cadê o Taison do ano passado ? Ou era só para o ano passado ? e cadê o Marquinhus ? E agora chega mais um , Everton jogador de estadual , vamo ver se RESOLVER o ataque. Espero que sim ou FERNANDO CARVALHO vai ter q dá um jeito !

  • aldemir silveira diz: 25 de abril de 2010

    parece que a mentalidade de time pequeno ja contaminou o torcedor do inter pois vi um comentario que se questionava em lugar o tinga deveria entrar se viesse a ser contratado,se no lugar do andrézinho ou do dalesandro e isso deixaria novamente o time com treis volantes,se o tinga vier tem que ser para o lugar do guinazu ou do sandro.

Envie seu Comentário