Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Sem Neymar, Santos abre mão do 4-3-3

12 de maio de 2010 16

Quem for ao Estádio Olímpico hoje à noite não terá a oportunidade de assistir ao 4-3-3 santista que destruiu paradigmas táticos no país dos três zagueiros. Sem Neymar, o técnico Dorival Júnior deve repetir no Santos a mesma formação utilizada na derrota por 3 a 2 para o Atlético-MG no Mineirão, nas quartas de final da Copa do Brasil.

Nesta variação, o Santos se posiciona no 4-4-2. O desenho pode até lembrar um losango, mas a movimentação é intensa, e dá margem a outras interpretações. No meio-campo, há dois pilares: Arouca e Paulo Henrique. O primeiro é o volante central, encarregado de cobrir os dois laterais, e proteger os zagueiros; e o segundo é o articulador, também central, que organiza a equipe e se aproxima dos atacantes.

Em uma segunda linha, entre Arouca e Paulo Henrique, atuam dois meio-campistas “híbridos”. Wesley e Marquinhos podem ao mesmo tempo combater, auxiliando Arouca, e articular, somando-se a Paulo Henrique. Marquinhos é mais técnico e se movimenta menos, mantendo o posicionamento e fazendo a bola correr. Diferente de Wesley, mais veloz e participativo, correndo com a bola e suprindo no corredor direito a ausência de Neymar.

Paulo Henrique tem à frente Robinho, aberto pela esquerda, e André – um centroavante diferente pois, apesar da carência física na comparação com os trombadores, sabe cabecear e se utiliza muito do pivô, preparando as jogadas para quem se aproxima na entrada da área. E Paulo Henrique faz essa organização da equipe com maestria. Esta é a palavra: maestro. Na Itália, seria chamado de “regista”. É ele quem regula a velocidade do Santos: transições rápidas, controle da posse de bola, inversões, aproximações, bola curta, bola longa…o repertório é imenso.

Na teoria, este é o sistema para os “jogos fora de casa”, embora a situação se agrave pela ausência de Neymar. Na Vila Belmiro, no jogo de volta, a formação santista deve voltar ao 4-3-3:

Comentários (16)

  • Lucas diz: 12 de maio de 2010

    Será que ele não vem com Mádson, ou Rodrigo Mancha? O Santou sofreu muitos gols nos últimos jogos, quem sabe ele opte por uma formação mais defensiva.

  • Daniel Bica diz: 12 de maio de 2010

    Só uma correção. No jogo da volta o Santos jogará com a mesma formação do jogo de hoje. A não ser que leve um chocolate hoje e tenha que reverter semana que vem. Caso contrario volta na mesma formação mas com Neymar na vaga de Robinho que estará com a seleção. Pelo que entendi a FIFA só irá liberar para jogar após o dia 17 os jogadores que estiverem envolvidos em Libertadores e Liga dos Campeões.

  • ademir diz: 12 de maio de 2010

    Tem que tirar aquele balaqueiro do Robinho da copa tem que dar no meio destes piralhos,tomarra que o juiz não marque tudo que é faltinha boba,tem que deixar correr o jogo dai sim .

  • Alex diz: 12 de maio de 2010

    Isso, se abram bem pra ver.

  • jaime jornada amaral diz: 12 de maio de 2010

    tomara que o santos faça uns 5 aqui rsrss;;;

  • Yuri diz: 12 de maio de 2010

    pra mim nao é isso, é 4-5-1 desmembrado no 4-2-3-1

    2 volantes (arouca e wesley mais liberado), uma linha de 3 meias (robinho, marquinhos e ganso) e o andre centralizado

    os 3 meias participam da marcação e ficam variando de posições direto, uma vez ganso ta no meio, outro na esquerda, outro na direita, os outros 2 idem

    vi todos os jogos do santos, tem esse esquema, o 4-3-3 e um 4-4-2 de fato sem andre que o time joga mal demais
    acho que se vcs observarem direito vao ver essa formação.. as vezes o dorival avança wesley e recua um dos 3 meias mas o desenho de 4-5-1 continua

  • ander diz: 12 de maio de 2010

    mas o Robinho não foi convocado? como q vai jogar???

  • beto diz: 12 de maio de 2010

    “que destruiu paradigmas táticos no país dos três zagueiros” Nao entendi esse comentario. O 433 do Santos se comporta exatamente como um 433 deveria se comportar hoje em dia: faceiro e leva muitos gols!

    Funciona pela extrema qualidade dos atacantes e meias E PRINCIPALMENTE o estilo de futebol e arbitragens no Brasil. Ou seja, o que o Robinho faz aqui, ele nao consegue fazer na Europa (gols).

  • borracho diz: 12 de maio de 2010

    So faltou dizer oq o Gremio tem q fazer pra ganhar esse jogo!

    Acho q ninguem vai ir ao estadio hoje pra ver o Santos, o importante eh a vitoria! Diz ai Cecconi, oq tu faria taticamente pra ganhar esse jogo? (depende tambem da escalaçao do Gremio… espero q o Silas nao cometa a loucura de botar o Bruno Collaço na lateral, ai f*deu tudo! Acho q ele vai ir com tres zagueiros – espero q com o Mario Fernandes)

  • DANIEL R SANTOS diz: 12 de maio de 2010

    Olha, não acho que o Junior irá com o Mancha.
    O que pouca gente parece não ver é que apesar do sistema defensivo do santos não ser o melhor do Brasil, o ataque é extremamente letal. Desafio aos estatísticos de plantão a me dizerem qual é o time com maior porcetagem de gols em relação a finalização em um jogo.
    Contra o Galo, foi o Santos deve ter dado 3 chutes a gol. 2 foram gols. E foi assim em todo o campeonato paulista, no qual acompanhei.
    Teve jogo em que o Santos chutou ao gol na mesma quantidade de gols efetuados: 3 chutes, três gols.
    Mesmo jogando pior, o Santos sabe aproveitar muito bem as suas finalizaçções. E isso faz uma baita diferença.
    Sei que muita gente dirá que o Paulista não conta, mas não se esqueçam que quase todos os times do Brasileirão terão em seus elencos jogadores que disputaram o Paulista.

    Tudo isso é graças a idéia que foi implantada no time: atacar para vencer (diferente de alguns, que pensam em defender pra não tomar gol)

  • Samuel Ritter diz: 12 de maio de 2010

    Isso se os jogadores do Santos obedecerem as ordens do treinador, pq naquele time, cada um joga do jeito que quiser. Eles tem se dado bem, mas se o Grêmio montar um esquemaorganizado, capaz de pará-los, então a desorganização será tamanha que é possível até que levem uma goleada.

  • Luiz Eduardo Mouta diz: 12 de maio de 2010

    Eu diria que este sistema alternativo do Santos, sem Neymar, é um 4-1-3-2. O que acho bacana nessa configuração é que, na posse da bola, vira quase um 4-3-3, pois Wesley se manda pelo corredor direito e atua praticamente como um ponta. E Wesley, além de extremamente rápido, tem muito fôlego, pois ainda volta para marcar com boa presença à frente de Pará.

    Abraços e parabéns pelo blog!

  • Rodrigo diz: 12 de maio de 2010

    O Gremio hj só precisa ser um time equilibrado quando estiver sem a bola, procurando reduzir os espaços, e quando estiver com a bola procurar ter objetividade e PRINCIPALMENTE competencia nas finalizações pois é o jogo aonde as chances não podem ser desperdiçadas.
    Esateri lá no monumental e verei meu Gremio fazendo 3×0…
    Semana que vem vou ver o Cecconi mostrando como funciona o Gremio do Silas depois da goledada de hj….
    Greeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeemio….

  • André Lage diz: 13 de maio de 2010

    Ah, até que enfim alguem falou que o Santos sem o Neymar ou sem o André joga com o Arouca apenas na cabeça de area e Marquinhos e Wesley mais livres. É isso ai. Perfeita análise como sempre.
    Um abs!

    André Lage – batalhatatica.blogspot.com

  • jl diz: 16 de maio de 2010

    bah ceconi num vi teu post de como o GREMIO superou o santos assim como tu analiso INTER X BANFIELD mas td bem acho que o GREMIO tem q marca individualmente neymar e o ganso, assim os atacantes andré e robinho não são abastecidos fazendo assim que o marquinhos tenha que relizar esse trabalho e deixar um furo no meio campo para o GREMIO atacar, assim como o CEARA esta fazendo e vai ganhando o JOGO um abraço

    Resposta do Cecconi: José, eu analisei Inter x Banfield E Grêmio x Fluminense. Não analisei Grêmio x Santos E não analisei Inter x Estudiantes. Abraços.

  • JL diz: 18 de maio de 2010

    valeo cecconi mas diz ae qual esquema tatico e quais jogadores tu acha perfeito para decisão quarta-feira e o que achou da minha analise ali em cima. um abraço

Envie seu Comentário